3 de setembro de 2009

U, L e X

Muitas pessoas, especialmente aqui no blog, dizem que eu escrevo bem. Evidente que isso me enche de orgulho, mas é hora de derrubar um mito aqui.

A maioria das vezes que eu preciso escrever a palavra “mal”, tenho que consultar alguém no Msn. Eu simplesmente não consigo assimilar a regra do “mal com u” ou “mal com l”. Meu instinto sempre me diz qual o correto, mas sempre sobra um pouco de dúvida. Isso porque a aula em que eu teoricamente teria aprendido isso foi memorável.

Antes, cabe dizer que eu era um excelente péssimo aluno. Tirando uma breve fase negra na minha vida, minhas notas sempre foram excelentes, mas meu comportamento em sala de aula beirava o imbecil. Como um professor disse certa vez, eu era o pior tipo de aluno: eu não era indisciplinado, eu era o catalisador da indisciplina.

Exemplos: quando eu tinha cabelo no meio das costas (sim, eu já tive cabelo), era comum eu assistir aula com o cabelo preso igual ao da Pedrita, ou com maria-chiquinha, apenas para irritar o professor. E, nos meus últimos anos de colegial, um dos meus hobbies era começar uma guerra de giz na sala, após jogar 319 tocos de giz no ventilador – isso tudo, claro, no meio da aula. Bagunça no intervalo é para os fracos.

Com isso, eu era recordista em ser mandado para fora da aula. Na maioria das vezes, eu realmente era mandado para fora da sala – em outras, eu mesmo em expulsava da sala, para ir ao pátio fumar. Entre os leitores deste blog já conhecidos, talvez o Rbns lembre de histórias que eu não lembro, porque são muitas.

Uma delas aconteceu no fatídico dia do “mal com u” e “mal com l”. A professora começou a aula explicando algumas regras sobre isso, até que ela resolveu testar se o conhecimento havia sido assimilado por aquelas dezenas de adolescentes que só pensavam em ir para casa e dormir.

Assim, ela escreveu uma frase na lousa, e leu em voz alta, fazendo uma pergunta:

– O menino foi mal na prova. Este mal é com “l” ou com “u”?

A classe ficou em silêncio, como se a professora tivesse pedido por voluntários para uma missão suicida. Afinal, quando você está no colegial, tudo o que você não quer é participar da aula em alto e bom som – a exceção, claro, são os Muppets que sentam na primeira fila. Mas, nesse caso, aparentemente os Muppets não sabiam a resposta, e ficaram quietos.

A professora continuou:

– Então, gente? Mal com u? Ou mal com l?

Foi neste momento que o pedaço do meu cérebro sobre o qual não tenho controle começou a trabalhar incessantemente. O tempo congelou. A professora ficou quieta, apontando a frase escrita na lousa. Os Muppets se olhavam, procurando por uma resposta. O resto dos alunos fazia cara de paisagem e esperava alguém mais corajoso se manifestar.

E os 20% do meu cérebro, que funciona da forma independente e pensa bobagens, trabalhava a todo vapor. Neurônios da casta social mais baixa jogavam carvão nas caldeiras, enquanto as elites tentavam criar algo em cima da pergunta. Papéis eram rabiscados, piadas rascunhadas, almoços e reuniões cancelados.

Numa fração de segundos, chegaram a uma resposta e emitiram impulsos nervosos para o meu braço, que levantou, chamando a atenção para mim. Os demais alunos me olharam, alguns aliviados devido ao fato de alguém ter tomado a iniciativa; outros, surpresos pelo fato de justamente eu ter tomado a iniciativa.

Meus amigos mais próximos sentiram problemas. Provavelmente, me reconheciam no olhar. Mas devem ter ficado em dúvida, já que eu não esbocei nem um sorriso. A professora se animou e repetiu a pergunta.

– Então, Rob? Mal com l? Ou mal com u?

Eu fechei o punho, como um membro dos Panteras Negras, e respondi, gritando:

– MALCOM X! Power to the people!

A classe veio abaixo. Ao menos, aqueles que sabiam quem era Malcom X. Calculo quase um minuto de gargalhadas. Quando as risadas diminuíram, foi a vez dela:

– Foi boa, ela disse sorrindo.

Meus neurônios começaram a se cumprimentar. O neurônio que bolou a piada corou de vergonha, mas não disfarçou o orgulho. Mas, antes que eu pudesse agradecer, ela continuou:

– Fora, Rob.

– Fora?

– Sim, fora.

– Mas você GOSTOU da piada!

– Rob?

– Oi.

– Fora.

Resignado, levantei e fui em direção a porta, recebendo tapinhas de apoio no ombro. A classe ficou em silêncio. Coloquei a mão na maçaneta e abri a porta. Olhei para a professora, que esperava eu sair. Não agüentei. Antes de colocar o pé para fora, ainda me virei para os outros alunos, e, novamente com o punho cerrado, gritei:

– FIGHT THE POWER!

A classe desabou novamente. Olhei para ela e, antes que ela pudesse jogar o apagador em mim, resmunguei um “estou saindo, estou saindo”. Fechei a porta e deixei a classe rindo atrás de mim.

Até hoje, alguns amigos lembram-se desse dia quando me encontram, e soltam gargalhadas, dizendo que, nos tempos de escola, eu era muito mau. Ou mal, vai saber.

39 comentários:

Anônimo disse...

AHOAOHhoahoHAOhAHoaoaohaoh

sério, todo mundo sempre diz que teve que se segurar pra não rir de algo que leu por aqui porque estava no trabalho. e eu tb, várias vezes.

mas dessa vez, quase engasguei quando li a frase aohahoaohaoaohao

q isso, eu esperando uma reflexão séria sobre a insuficiência das regras ortográficas e a indiferença se o lobo-mau está com mal-estar. e vc me vem com MALCOM X, veio?? ohahoaohaohahoahoaho

pqp



OTAVIO COHEN, o de sempre.

Fagner Franco disse...

HAUAHUAHAUHAAUHAUAHAUHAUAHAUHAUAAHUHAUA
EXCELENTE!
Sem mais,
Fagner

Stephanie disse...

Rob,

ninguém do teu msn te ensinou o macete?

cê tem que pensar no contrário. mau é inverso de bom e mal é inverso de bem.

eu só aprendi depois desse esqueminha. Você era mau, mesmo.

beijo

Nelson disse...

"Malcom X!" Genial. Fazia tempo que eu não ria deste jeito.
Eu era assim no colegial também, tirava boas notas, mas os professores viviam me mandando pra fora por indisciplina. Hoje eu sei que não perdi nada nas aulas em que estava no pátio, fumando.

O que te torna um ótimo escritor é a genialidade; por exemplo, os neurônios trabalhando a pleno vapor, e depois comemorando do mesmo jeito que a NASA comemora o lançamento de um foguete. Querendo ou não, se você contasse esta mesma história sem a parte dos neurônios, somente as pessoas que te conhecem e presenciaram a cena ririam. Os neurônios trabalhando criam a expectativa (que não é possível passar por meio de textos) na cabeça do leitor, fazendo a reação do riso.

Quanto aos erros de português, aprendemos na escola que é necessário o uso de travessão nos diálogos e uma "arquitetura" do texto padronizada, lógica. Saramago não faz nada disso.
Captou a idéia do que faz uma pessoa ser um bom escritor?

Parabéns pelo post.
E até agora estou rachando de rir aqui. "Power to the people!"

Dragus disse...

Muito bom saber.

Provavelmente sua careca é resultado da mandinga dos professores, em vingança pelos cabelos que perderam com você.

comfelelimao disse...

Gostei muito, RT no twitter e o caralho.

Esse foi o melhor trocadilho que eu ouvi nos últimos 5 anos, sem sacanagem. hahahahaha!!!

Rob Gordon disse...

Stephanie:

Ja cansaram de me dizer que "mau é inverso de bom e mal é inverso de bem". Mas eu simplesmente não consigo decorar.

Quem sabe após este post...

:-)

Gabi Bianco disse...

FIGHT THE POWER!

=D

Flavita disse...

Pedrita foi tudo!

Anal(e)fabeto disse...

Não entendi uma coisa:
o "bom" é com u e o "bem" é com l?

Ana disse...

Vou explicar melhor a regrinha: o contrário de bem é mal (o segredo é lembrar que, em letra cursiva, a letra "l" se parece com a letra "e", ou seja, bEm e maL) daí o que soubrou foi o mau que é o contrário de bom.
Foi assim que eu aprendi. É meio bizarro mas funcionou p/ mim. :P

Layla Barlavento disse...

Sempre desconfiei que você fosse um aluno do mal e não um mau aluno...

Abraços
Layla Barlavento
http://culpadowalter.blogspot.com

Frank disse...

uahauhauhauahuha

Muito boa essa; e eu sei que ninguém vai acreditar, mas eu também já fiz essa piadinha de malcon x, só que eu não tive coragem de falar alto, comentei só com um amigo meu...

Abraço Rob, sou seu fã,

http://desafiandogravidade.blogspot.com/

Eduardo disse...

me papocando de rir, literalmente...

heuaheuhauehuaha
muito mais muito foda Rob!

Tyler Bazz disse...

Sensacional! UAHAHUAUHAUHAUHUHA

Bons tempos aqueles de escola... fui o típico capeta, também. Até que resolvi dormir, e aí eu SÓ dormia...

Gilgomex™ disse...

o tal do aluno indisciplinado e que tira nota boa é uma desgraça...

eu tb era assim...

a molecada se matava de estudar e prestar atenção na aula, estudavam em casa, passavam noites em claro (eu tb, mas no meu caso é a velha insônia) fazendo trabalho...

eu deixava as últimas linhas do trabalho pradigitar na hora de entregar... e ainda conseguia tirar um 8 ou um 9... alguns me amavam (quem fazia o trabalho comigo), outros me odiavam (os cdfs quietinhos)... a vida é assim mesmo...

PAUER TIÚ DE PIPOU!!!

Daniela disse...

Eu aprendi como a Ana, e para o maU e bOm, no aeiou o "o" e "u" são "miguxos", mas no meu tempo eram amigos ou colegas mesmo, mas hoje em dia..

Contando os dias... disse...

Não sei se o post vai te ajudar a "decorar" esta regra... até pq, no fim, vc não respondeu se era mau com u ou mal com l rs

Hally disse...

"MALCOM X!!!!"
Mijei aqui, é sério!!!
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Já escreveram ali, mas não custa nada repetir:
Mal = Bem
Mau = Bom

Malcom X, essa foi, sim, uma grande piada!!! Tu te superou, caro Rob!

Matheus Silva disse...

eu tamem sou esses que nao estudam nada e vao bem nas aulas

eu estou no 2º ano do ensino médio e nao me lembro qual a ultima vez que eu estudei para uma prova

mas essas piadas inteligentes eu nao consigo fazer nao =|

Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marina disse...

Hhauahuahuauahauhua! Cara, a melhor piada ever. Os palhaços da minha sala não eram tão criativos. E pelo menos sua professora tinha senso de humor.

OK, vou confessar: eu só não era uma típica Muppet porque era da turma do fundão e muuuito tímida. Mas se o professor perguntasse diretamente e o assunto fosse gramática, eu responderia.

Leandro disse...

Mal ou Mau?

Eu tenho uma técnica infali'vel (mas acho que funciona so' pra mim).

Mal combina com bem, porque? A resposta é simples, as letras que mudam são L e E (maL e maU) (bEm e bOm), então eu associo com o meu nome :-) LEandro: maL e bEm

é tosco, mas funciona :-)

rasgação de ceda a parte, você escreve bem pra caramba!

Leonor disse...

O fato de você ter sido um mau aluno, não interferiu de nenhuma forma no bom escritor que você se tornou.
Ler esses posts me faz bem e com certeza acredito que não tem mal nenhum em rir como eu ri lendo esse.
Sensacional!^^

Anderson Cruz disse...

Eu ainda nao assimilei o mau/mal...
E olha que faço letras,hehehehe.
Abraços.

Ps:UFSJ segunda no ENADE!!
zo/

Bel Lucyk disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
eu nunca esqueci do mal com l ou u!
Confesso que era um pouco quietinha na sala, apesar de odiar estudar naquele tempo. Fui expulsa uma única vez por fazer guerra com liquid paper no meio da aula de biologia! uahauahuahauaha
Muito legal seu blog. Cheguei aqui pelo do Max, que é parada obrigatória diária na minha vida. =)

rbns disse...

Rob eu lembro desse dia. Me matei rindo aqui. Se estivesse no trabalho ia ter explicações a prestar para quem estivesse em volta.

Vou colocar no Twitter como uma história da minha adolescência. Meus alunos vão achar surreal.

Barlavento disse...

Rob,
Sou professora. Saiba que ainda existem muitos como você, nas escolas. Sempre chego em casa com alguma pérola.
E eu não te colocaria pra fora.

Mikhail Bregovic disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mikhail Bregovic disse...

Me mijei de rir com o Malcom X... Totalmente inesperado!

Cara, eu sei lá como eu me comportava nas aulas, só sei que uma vez fui mandado pra fora numa aula de química por cantar "Ticket to Ride"

Cruela Veneno da Silva disse...

MAL use sempre que puder ser substituido por BEM. EX: não estou me sentido mal/bem.

MAU, quando puder ser substituido por BOM. ex: lobo mau/bom.

ajudei¨?

Luízα disse...

kkkkkkk Muito boa mesmo.

Charlie Dalton disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Charlie Dalton disse...

Eu tive um breve momento de ser bagunceiro, mas muito breve mesmo. Durou menos de um ano, talvez menos de 6 meses.

Eu era um daqueles que não só levantava a mão pra responder como para perguntar até achar a resposta. (Até hoje sou assim.) Eu causava revolta nos tempos de escola por outro motivo: por perguntar. Mas os professores geralmente não me tiravam da sala. Eu era o único que dava atenção ao que eles diziam. A revolta era por parte dos alunos. (Já tive colegas de sala que sentiu dor de cabeça ao me ver lendo um livro!)

Só teve um professor que implicou comigo. Um só apenas, e ele não penteava o cabelo.

Era e sou CDF. Esse é um título que me dá orgulho desde criança. Me dava até um certo orgulho não só ser CDF, mas de poder ser diferente das outras crianças - e mais tarde adolescentes - pois eu gostava de estudar.

Nunca fui anti-social, mas demorei a fazer amigos, pois o rótulo que ganhei de CDF fazia com que muitos só olhassem pra mim como o chatão que gosta de estudar. Se iam atrás de mim, era pra explicar o que foi passado na lousa. E só!

Ainda bem que meu lado pirado desenvolvi dentro de casa, senão eu teria entrado em supernova. Era muito tempo de rejeição para um jovem só. Mas ainda bem que consegui fazer amizades na escola a partir do 1º ano do Ensino Médio. E é assim até hoje.

Pois é. Cada um tem alguma coisa diferente pra contar dos tempos de escola...

(Esse comentário ficou muito grande. Vou aproveitá-lo pra virar um post.)

anareis disse...

Querido(a) novo(a) amigo(a),estou precisando muito da ajuda de todos os amigos. estou montando uma minibiblioteca comunitária pra crianças e adolescentes na minha comunidade carente aqui no Rio de Janeiro,se voce puder me ajudar estou fazendo uma campanha de doações. pode doar qualquer quantia no Banco do Brasil agencia 3082-1 conta 9.799-3, ou pode doar livros ,ou pode doar máquina de costura, ou pode doar retalhos, ou pode doar computador usado. se quizer fazer aguma doação entre em contato com meu email: asilvareis10@gmail.com ,eu darei o endereço de remessa. se voce não puder me ajudar com doações pode divulgar minha campanha, tenho 2 blogs no google gostaria da sua visita: Eulucinha.blogspot.com ,obrigado pela sua atenção.

P! disse...

HUAHAUHAUHUAHUAHUAHA
Acho que essa foi a melhor história que eu já li por aqui!
Já tive esses colegas do tipo mais capetinha, mas nunca alguém nesse nipe...
Seria muito divertido!
FIGHT THE POWER! foi o melhor!
Me acabei de rir aqui!

Jullia A. disse...

um pouco atrasada mas, DHAOSIUDHAIODUHAISUDHAIOUDHAIOUDHAOISUDHASIDHAISUDHAISDHAIOSUDHASIUHDAIUSDHAISUDHASIODUHAIUDHASIUDHASIUDHASIUH

ri alto. de verdade.
risada do tipo que sustenta por alguns minutos, e voce repete pra si mesmo malcom x

Genial. Mesmo.

Kel Sodre disse...

huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahua

(enxugando a lágrima do canto do olho)

Eu era uma muppet!

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

Eu sou dora Sandy eu quero dar graças e vou sempre dar graças ao drokojie que trouxe de volta o meu marido de divórcio que me deixou por 6 anos dentro de 48 horas, eu disse sobre isso no mês passado, mas eu prometi sempre dizer às pessoas sobre isso a cada Mês para que aqueles que não leram sobre ele no mês passado vão ler sobre isso esta semana, eu tenho procurado como engravidar e como obter o meu marido de divórcio de volta à minha vida, porque eu o amo com todo o meu coração, Eu não poderia substituí-lo com qualquer corpo, um dia eu estava assistindo a minha televisão quando eu vi uma senhora dando graças ao padre ina e dizendo ao mundo como ele a ajudou eu estava tão chocada eu não podia acreditar, porque eu nunca ensinou que há Poderes que podem trazer de volta o casamento perdido, então foi assim que eu decidi entrar em contato com ele também porque eu realmente preciso do meu marido de divórcio de volta, quando eu entre em contato com ele eu disse a ele tudo e ele me disse para não se preocupar que meu marido de divórcio será certamente De volta para mim, dentro de 48 horas no começo eu não podia acreditar porque eu estava pensando como alguém poderia ter ido por 6 anos voltar dentro de 48 horas, então então eu decidi assistir e ver, inacreditável dentro das próximas 48 horas eu tenho uma chamada de desconhecido Número assim que eu escolho a chamada a próxima coisa que eu podia ouvir era a voz do meu marido ele estava implorando e implorando-me no telefone que eu deveria perdoá-lo que eu deveria esquecer tudo o que aconteceu que ele não sabia o que veio sobre ele, ele prometeu Para não sair por qualquer motivo, que ele estava realmente arrependido do que ele fez, fiquei tão surpreso porque eu nunca acreditei que isso poderia acontecer, então foi assim que eu aceitei suas desculpas e na manhã seguinte ele voltou para casa para me encontrar e Ainda pedindo para eu perdoá-lo eu disse a ele que está tudo bem que eu o perdoei, que foi assim que nós começamos de novo e ele tem Chang, eu prometi dizer este testemunho na estação de rádio, comentando este testemunho que agora estou grávida, mas Ainda bem antes que este mês se esgote prometo dizer isso na estação de rádio e eu vou senhor, muito obrigado. Mundo por favor estou implorando a vocês para tentar e me ajudar a agradecer a este homem por mim, ou se você precisa de sua ajuda aqui é Seu endereço de e-mail drokojiehealinghome@gmail.com