5 de setembro de 2009

Sonhos de Kurosawa Gordon

Eu e diversas outras pessoas estávamos numa sala grande que eu não conheço. Parecia uma casa de campo. Estávamos esperando o almoço sair. De repente, um amigo meu que não vejo há muito tempo sai da cozinha comendo algo. Eu não poderia comer, porque isso estragaria meu apetite. Olho para o lado e minha prima, que não estava ali antes, está sentada ao meu lado.

Alguém começa a gritar na cozinha que o almoço está escapando. Sim, escapando. Eis que surge, correndo em direção à sala, um porco. Ou melhor, meio porco. Seu corpo tinha somente a metade da frente. A metade de trás não existia, seu corpo era cortado ao meio. E ele não só estava vivo como não parecia se importar com isso, e andava tranquilamente apenas com as patas da frente.

Depois de alguma confusão, levaram o porco de volta para a cozinha. Mas o tapete ficou sujo – acredito que quando você não tem metade do corpo e resolve correr por uma sala, é difícil manter seus órgãos onde eles estavam. E resolveram que eu é quem tinha que limpar aquilo.

– Rob, você limpa isso.

– Porque eu?

– Porque sim.

Abaixei no tapete (agora, semanas depois, acho que era o tapete da sala da casa minha mãe, mas posso estar enganado) e comecei a recolher as tripas do bicho. Mas não era uma sujeira nojenta, era quase uma sujeita de desenho animado, inofensiva.

Comecei a apanhar tudo, até que sobrou somente uma coisa no chão. Não se parecia com a sujeira que eu tinha apanhado. Era pequena e colorida. Segurei-a entre meus dedos e a ergui contra a luz, para identificar o que diabos era aquilo. E consegui.

– Isso aqui não é sujeira. Isso aqui é uma peça de quebra-cabeça.

Eu disse isso em voz alta, mas as outras pessoas me ignoraram. Continuei falando sozinho:

– Bom, eu só preciso da sujeira. Não preciso disso agora.

E coloquei a peça de quebra-cabeça no chão, exatamente onde ela estava.

Acordei.

15 comentários:

Charlie Dalton disse...

Que doido! (Bom, sonhos costumam não fazer sentido. Esse é um exemplo.)

Vinicius Duarte disse...

Tirando o título, meio "Primo Levi", não? Gostei.

MaxReinert disse...

Péra que vou buscar meu dicionário de sonhos e já volto ..........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................
Percebe-se claramente várias leituras possíveis para esse seu sonho, principalmente se pensarmos nos elementos cognitivos presentes nas estruturas arquetípicas propostas por Jung, ou mesmo em uma vertente mais análitica em consonância com o pensamento Freudiano.

O porco, obviamente, é você! Cortado ao meio, dividido entre as ações cotidianas e seus desejos sexuais inspirados em pensamentos zoófilos. Você já teve desejo pela dona dos porcos selvagens do seu prédio?

O tapete da casa da sua mãe a as ordens para limpar a sujeira são auto-explicativas (tem hífen?): Sua submissão aos desejos femininos e sua relação mal resolvida com sua síndica... Você já teve desejo de se vestir de porco?

A peça do que-cabeça é outra chave clara de sua sensação de inadequação ao mundo em que vive. Lhe falta apenas encontrar um elemento aglutinador entre essas imagens tão esclarecedoras para que possa, definitivamente, entender o sentido de sua vida neste universo...

Mas isso, fica para a próxima sessão, que hoje seu tempo acabou! Obrigado e volte sempre!

Hally disse...

É oficial: você não é louco somente acordado, mas dormindo também. MEDO!

Cara, se eu escrevesse meus sonhos, daria pra fazer um álbum pink floydiano de primeira categoria... se bem que, a maioria deles, é proibido para menores de 18 anos, por conter cenas de sexo e violência...
¬¬

Aliás, bela interpretação do Max para seu sonho.
=P

Rob Gordon disse...

Eu já disse isso antes. O Max é um gênio. Se não da psicologia, da criatividade.

Frank disse...

Interessante... Muito interessante.

P! disse...

"O porco, obviamente, é você! Cortado ao meio, dividido entre as ações cotidianas e seus desejos sexuais inspirados em pensamentos zoófilos. Você já teve desejo pela dona dos porcos selvagens do seu prédio?"
HAHAHAHAHAHAHA
Que post mais estranho esse, einh?

Leonor disse...

Hahahaha, genial.
Mas responde, vc afinal, já teve desejos pela dona dos porcos selvagens do seu prédio??
Hahaha

Barlavento disse...

Confesso que ri mais com o Max... Desculpa Rob.

Jullia A. disse...

Segundo o twitter: texto experimental. Eu gostei. De verdade, não só pra agradar.
Na primeira linha já da pra perceber que é um sonho, eu guardaria isso pra depois, pro segundo parágrafo.. mas só.

Ps: Você tem problema. Como diz o Tyler: 18 problemas.

Melinda Bauer disse...

Vejo que está mantendo contatos imediatos com sua mente oculta. Mensagens nada cifradas.Ainda bem que tem um terapeuta de plantão para fazer as interpretações junguianas. Parece que rob estava em todos os personagens do sonho.Acho que é um caso para lobotomia radical!

R. disse...

gardenal

Leandro disse...

totalmente psicodélico!!

O que você andout comento/tomando/fumando??

So' não vale dizer que isso é estresse :-)

Matheus Silva disse...

sonhos são estranhos, mas isso é estranho demais até para um sonho

Kel Sodre disse...

Aaaaaahhh, Max, esse comentário foi ótimo!!! Roubou a cena do post! (Sorry, Rob...)