30 de agosto de 2009

Ensaio sobre a Cegueira

Muito tem se falado sobre o fim da blogosfera. Os blogs darão lugar a algo novo e, aos poucos, sumirão do mapa da internet. Sobrarão apenas uns poucos, assinados por corajosos que ficaram presos ao passado.

Na verdade, essa teoria existe desde que os blogs entraram em moda, alguns anos atrás. Espera-se que os blogs tenham seu auge e declínio, como aconteceu com o Orkut. O portal de relacionamentos cresceu mais do que deveria e hoje é relegado a segundo plano. Aliás, sua decadência ganhou até nome: orkutização. A grosso (e educado) modo, retrata a invasão do site por pessoas que não têm o que dizer – e tampouco sabem como dizer.

Antes de continuarmos, vale falar sobre isso. A inclusão digital, que permite o acesso a internet às pessoas menos favorecidas, foi eleita a grande culpada disso. Discordo. A internet, por definição, é democrática. Não pode ser transformada num Rotary Club, com sócios que sabem a diferença entre sujeito e predicado. A inclusão digital é necessária para o desenvolvimento do povo.

O buraco é mais embaixo. A inclusão digital é conseqüência de um problema maior. A falta de instrução do brasileiro é histórica. Estamos falando de um povo cuja grande maioria não consegue se expressar usando seu idioma natal. Assim, o problema é cultural, não tecnológico. Ou você acha que a nossa inclusão digital é igual à inclusão digital da Suécia?

Não podemos impedir que uma pessoa sem instrução compre um PC e acesse a internet. Ela tem esse direito. Aliás, devemos incentivá-la a usar a internet para adquirir conhecimento. O problema é que nós não ensinamos isso a ela, como também não nos preocupamos muito. Na verdade, tapamos o Sol com a peneira. Corremos para outra ferramenta, mais fechada, mais restrita e mais “culta”, e mantemos a divisão de castas. Quando esse novo site se populariza, repetimos o processo.

Enfim, voltando aos blogs. Acho curioso como se anuncia o final dos blogs faz tempo, mas ela nunca acontece. Num jargão futebolístico, os blogs viraram “a equipe a ser batida”. Toda vez que uma novidade surge na internet, os gurus da mídia a elegem como “a substituta dos blogs”. O assunto ganha capas de revistas especializadas e depois escapa para a grande mídia. Tem seu auge e seu declínio.

E os blogs permanecem ali.

A novidade da vez é o Twitter. O microblog virou mania na internet, ganhou a capa da Época semanas atrás. A cada dia, mais pessoas começam a usá-lo. Mas basta olhar para o próprio Twitter e ver como sua fórmula já não funciona mais. Ao menos, não da forma que deveria.

Isso porque o Twitter é o caminho mais rápido para você se tornar uma celebridade virtual. Ali, você fala algo e é reconhecido instantaneamente. Essa velocidade de resposta do Twitter é a sua grande qualidade. Mas isso, claro, pensando em curto prazo.

Em médio prazo, este é justamente seu grande defeito. E isso já está ficando óbvio.

Celebridades decadentes enxergaram no Twitter a ferramenta ideal para fazer sua popularidade crescer. Assim, criam perfis e são seguidos por milhares de pessoas. E, convenhamos, algumas das nossas celebridades tem tanto a dizer quanto os beneficiados pela suposta inclusão digital. E algumas delas escrevem tão mal quanto a turma da “inclusão digital”.

A diferença é que agora os erros vêm da parte “superior” da sociedade, e não da inferior. E é aí que a fama entra em campo mesmo. O erro das celebridades é visto por milhares de pessoas. Vira piada. E o sujeito reage de uma forma que deixa claro que queria estar perto do público, mas não queria o público muito perto dele.

Mas isso é apenas a ponta do iceberg. O problema real é que o Twitter estimula as pessoas comuns a se tornarem a celebridade virtual da vez. O conteúdo foi colocado de lado, em nome da corrida pela fama.

Para os blogs, isso é ótimo. O blogueiro que queria apenas fama, sem agregar conteúdo, migrou para o Twitter. Amém.

Mas surgem pessoas como a @twittess. Ganhou dezenas de milhares de seguidores usando scripts. Virou celebridade e passou a cobrar pelas mensagens. Deixou de ser uma pessoa e se (auto) intitulou um veículo de comunicação.

Foi acusada de mercenária. Foi xingada de todos os nomes possíveis. Tornou-se a piada do Twitter. E apenas porque ela teve a coragem de fazer o que muita gente gostaria de ter feito. Ela teve a coragem de assumir que estava lá para ficar famosa. E foi crucificada.

Em tempo: o problema, a meu ver, não é ela cobrar pelas mensagens. O problema é ela cobrar pelas mensagens quando não tem o que dizer. Ela é famosa porque se tornou famosa. Existem milhares de Twittess no Twitter. A diferença é que ela “deu certo”.

Eu? Eu teria mal notado a existência da Twittess. Mas alguns dos seus comentários sobre os ataques que sofre me chamaram a atenção.

De acordo com ela, os ataques são por inveja, e não porque sua fama é vazia, conseguida com scripts. E vai além, dando nome aos bois. A inveja é dos blogueiros. Segundo ela, o futuro é o Twitter. Os blogs estão morrendo, são dinossauros (esta entrevista é antiga, mas tem trechos que ilustram bem isso).

Graças ao script, criou-se a ilusão de que a Twittess é uma formadora de opinião. E parece que ela mesma acredita nisso. Twittess é a nova guru digital.

Twittess, desculpe derrubar seu castelinho de cartas, mas os blogs não vão acabar. Eles e o Twitter são formas diferentes de comunicação e convivem muito bem. Sim, eu tenho menos comentários no blog desde que o Twitter explodiu. Por outro lado, eu tenho leitores novos no meu blog justamente por causa do Twitter.

E, se um dos dois entrar em decadência, aposto que será o Twitter. Porque ele está na moda. E, assim como o Orkut, quanto mais o Twitter enche, mais ele se esvazia. E isso não é algo acontece na blogosfera. Um blog ruim não dura um mês.

E aí, quando o Twitter acabar, sofrer a tal da orkutização (que está começando), todos migraremos para outra ferramenta. E os blogs continuarão ali. O “time a ser batido” vai continuar sendo o “time a ser batido”. Na verdade, os blogs sempre vão continuar existindo, pois sua matéria-prima é conteúdo. E conteúdo é algo que se adapta às novas tendências.

Quer a prova? Todas as frases desse texto foram formatadas para o Twitter. Possuem, no máximo, 140 caracteres. Qualquer blogueiro consegue fazer isso.

Agora, e se a próxima tendência exigir um pouco mais de conteúdo que 140 caracteres? Celebridades exclusivas do Twitter dificilmente vão conseguir se adaptar. Talvez consigam, mas acho difícil. Afinal, colocar uma idéia em 140 toques não é difícil. Já escrever, sim. Porque, para se adaptar, é preciso conteúdo. E você não consegue conteúdo em número de seguidores. Você tem conteúdo ou não.

Então, Twittess, em nome de todos os blogueiros, um conselho: adapte-se. Ou aproveite seus quinze minutos de fama. Porque eles não serão muito maiores que isso.

Sim, você tem o direito de expor sua opinião. E da mesma forma que o pessoal das classes C e D faz, hoje, no Orkut. A diferença é que eles, assim, se sentem parte da sociedade digital. Você, por outro lado, parece estar interessada apenas em ser celebridade. E nada mais.

O Twitter não é o futuro. Ele é uma ferramenta interessante, divertida. Mas jamais ocupará o lugar dos blogs. Porque seja qual for este futuro, os blogs sempre estarão aqui. Isso é algo que está mais que provado.

E, se você não consegue enxergar isso, sinto muito. Não tente provar que os outros estão cegos, quando quem se recusa a ver é você.


Update: Como a leitora Marina alertou nos comentários, a Twittess criou um blog. Isto não seria uma involução, já que blogueiros são dinossauros e o futuro está no Twitter? Enfim, lhe desejo toda a sorte do mundo, e um conteúdo que privilegie mais idéias que emoticons e RTs.

67 comentários:

O Frango... ® disse...

Nunca 140 caracteres irão substituir o peso de um texto bem escrito em um blog. Eles são e vão continuar sendo "o time a ser batido". Que acabe o Twitter, mas os blogs vão perdurar por muito tempo ainda...

Hugo Meira disse...

O twitter é pode ser usado como ferramenta de auxílio de o blog ou pra dar entrada ao tema, jamais será um fim em si mesmo.

140 caracteres nunca foram e nem serão capazes de esgotar as discussões e histórias da vida.

A objetividade e agilidade nem sempre ganham no mundo da comunicação, as vezes é preciso encantar...

Luízα disse...

e a polêmica começa.

Nelson disse...

Infelizmente, a popularidade do twitter não está na agilidade, está nos 140 caracteres. A maioria das pessoas não tem nada a dizer, e a possibilidade de dizer "vou tomar banho, já volto" e isso não ser taxado como falta de conteúdo - afinal, a "culpa" é do limite de caracteres - é maravilhosa para essas pessoas.

Os blogs se consolidaram como uma nova mídia, independente. É bem diferente do clássico exemplo do VHS e o DVD, em que não foi a própria mídia que foi substituída, e sim a tecnologia que evoluiu. Felizmente, os blogs já tem seu lugar garantido, e graças a Deus não tem limite de 140 caracteres. Apesar de isso ser raríssimo, existem pessoas que tem o que dizer e principalmente, sabem como fazer isso.

E botar a culpa na inclusão digital já não dá mais certo, realmente. O buraco é muito mais fundo, é um problema cultural, social e político, na qual a popularidade de pseudo-celebridades é o menor dos problemas.

Rob, parabéns pelo post.

Luízα disse...

Escreve-se mais do que 5 décadas atrás(quantidade) graças a inclusão digital , porém, qualidade onde está você?

Luízα disse...

Quanto a inclusão digital, falo de acessibilidade e falta de instrução. Citados no texto acima.

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Parabéns Rob, um dos melhores textos sobre o assunto que já li... Já falei que sou seu fã né??

um grande abraço

Pedro Lucas Rocha

Stephanie disse...

Rob,

quando ouço/leio que os blogs vão acabar, tenho sensação de estou revendo a velha história de que a tv acabaria com o rádio e o jornal, que a internet acabaria com a tv e o livro e por aí vai.

Sinceramente, acho que esse papo pra lá de batido, porque novos meios e tecnologias surgem e as pessoas mudam o modo de usar - mas acabam agregando o antigo e o novo.

acho uma puta falta de visão achar que os blogs são ameaçados pelo twitter. Eles tem linguagens e ritmos diferentes coexistir - e acho possível que um bom blogueiro seja também um bom twitteiro.

agora a @twittess dar uma entrevista dizendo que os blogs são unilaterais e não possibilitam uma troca fácil, rápida e eficiente entre as pessoas me parece a prova de que ela esquece de coisas básicas: pensar leva tempo, reunir e filtrar informações, desevolver idéias não são tão fáceis quanto dar um RT.

talvez ela esteja interessada em dialogar um com uma galera que se contente com 140c, beleza, mas acho que tanto 'celebridades de twitter' ou 'celebridades no twitter' tem que lembrar que existe sim, um bando de internautas por aí que não quer receber uma opinião formada, nem vai se fazer de cego quando vier um absurdo do 'anjo' de quem for.

beijos!

Marcie disse...

A cada nova arma de comunicação existe a tentativa de desabonar a anterior. Você colocou muito bem a idéia de que não há chance disso acontecer. E muito menos que o Twitter vá derrubar os blogs. Vem à mente do velho ditado "cuspir no prato que comeu"...

Luis Filipe disse...

Leio todos os textos mas quase nunca comento aqui, mas esse assunto me interessou, entaão, lá vou eu.
Acho muito dificil os blogs acabarem, pois um blogueiro conseguem falar sobre qualquer asunto e tornar isso interessante. No twitter, o texto nao pode ser desenvolvido e aos poucos os assuntos vao acabar se repetindo. Afinal, ninguem vai querer ficar lendo "Fui ao banheiro, já volto" repetidas vezes.
Considero o twitter mais uma ferramenta do que um meio de comunicação propriamente dito. Pode até ser divertido por enquanto, mas uma hora, vai acabar.

Lilian disse...

O que eu não me conformo é o desejo que as pessoas têm de que as ferramentas degladiem-se entre si, em vez de se integrarem. Que bobagem. Twitter e blogs convivem mais do que bem. O Twitter era outro antes dessa modinha e voltará a ser o que era quando essa bolha estourar.
Falou tudo, Rob.

Cintia Carvalho disse...

Oi Rob Gordon!
Cheguei até vc, através de meu amigo Marcelo, do blog "diz que fui por ai....." e olha li suas três últimas postagens e gostei bastante.
Vc escreve muito bem. Parabéns!
Seu último comentário a respeito do fim da blosfera está excelente.
Há muitos anos que tenho escutado que os blogs chegarão ao fim e serão substituidos por outra forma de comunicação virtual. Tenho visto o contrário disto.
Concordo com vc quando cita que no Brasil o problema não é a popularização da inclusão digital. O brasileiro não sabe ler e nem interpretar um texto, então, como poderá se expressar através das palavras.
Situação difícil que somente será sanada quando houver uma formação escolar rigorosa e realista. Coisa que não temos, infelizmente.
Quando ao twitter, não tenho e sinceramente não me interessei por ele.
Bem, gostei de sua escrita e pretendo visitá-lo com frequência.
Quando puder entre no meu blog para conhecer.
Um abraço.
Me chamo Cintia Carvalho.

http://www.cintia-carvalho.blogspot.com/

Melinda Bauer disse...

Para ser franca eu acho o twitter um negócio muito estranho e impessoal, talvez pela idéia do instantâneo.(talvez também pela minha imperícia). Parece um pouco com um asilo de loucos performáticos jogando. Me lembra daquele desenho animado Wall-e no qual os humanos se tornam obesos, não pensam mais porque apenas absorvem o pensamento exarado pelo senso comum e estão plugados permanentemente.
Sem dúvida o twitter não tem o acolhimento de um blog.
Concordo contigo quanto à inclusão digital.Democrática. Até li um post super legal no digestivo cultural (do Rafael Rodrigues)em uma analogia ao "Culto do Amador"(de Andrew Keen), bem interessante.
De toda a forma gostei de ler tua opinião porque me parece que tens uma boa visão do contexto.
Eu aqui sou uma observadora,totalmente amadora.Este mundo é bastante novo e às vezes inóspito!
Aproveito para dizer que me tornei uma frequentadora do teu blog ( aliás dos teus blogs)até pela forma de acolhimento dos teus posts e adoro tuas histórias.
Um abraço

Dragus disse...

Torço pelo fim dos blogs.

Quem sabe assim serei levado a sério.

Marina disse...

Rob, pasme, acabei de ver ali no link do Twitter dela que ela criou um blog. A fama é mesmo um vício.

Marina disse...

Eu tenho perfil no Twitter e gosto de brincar por lá, mas ele nunca me deu orgulho. Isso é exclusividade do meu blog.

Jullia A. disse...

Quer saber se o twitter vai acabar com os blogs? Resume a mensagem desse texto em 140 caracteres. Dare you.

Fabio Barreto disse...

Anão, sem perder tempo elogiando seu texto, hehe, no fundo no, no fundo, o twitter e essas ferramentas digitais mostram quem realmente somos ou gostaríamos de ser. é mesquinharia, interesse e bocalidade demais num "universo digital" só.
celebriade pelo simples prazer, discussões épicas e epicamente inúteis, guerras "intelectuais" que são esquecidas quando a mídia se esvazia.
no fim, sempre me perunto: para que tudo isso mesmo?

abs,
Barreto
www.soshollywood.com.br

Lara disse...

Esta discussão "blog X modinhas de internet" me fez lembrar uma conversa com uma amiga há algum tempo sobre o rock e as modinhas musicais. A conclusão que chegamos foi a seguinte: a maioria das pessoas que gosta de bandas de rock consagrada, ouve esses artistas durante toda a sua vida, ao passo que quem apenas vai na onda da "melhor banda de todos os tempos da última semana" está sempre jogando fora seus CDs antigos e comprando CDs novos, pois não há uma estabilidade. Não é gosto musical, é tendência, modinha passageira.
Resolvi me pronunciar porque associei este "fenômeno" ao que foi exposto aqui. Não sei se concordas, mas essa é a minha opinião.

Larissa

Tyler Bazz disse...

E a TV ia acabar com o rádio.

Falta de ter o que dizer é sim o grande pecado da facilidade de publicação da internet. Se vc não tem o que dizer, pode escolher a mídia/ferramenta que for, vai continuar sem ter o que dizer.

George Marques disse...

Um dia tive uma ideia de procurar alguma ferramenta que me permitisse colocar ideias rápidas no blog, mas que estas ficassem gravadas. Foi quando encontrei o Twitter. Claro que a utilidade se mostrou um pouco diferente do que eu imaginava, mas daí a substituir um blog já é demais. Ha muito tempo encontrei a Twittess por aí, mas não senti vontade de segui-la no Twitter. Hoje percebo que não fiz mal. Relevância é muito diferente de número de seguidores, isso sempre será fato.

Isabella disse...

Adorei o texto.
Conheci seu blog pelo twitter, viva!
E estou curiosa: qual será a próxima ferramenta revolucionária para a qual migraremos?
Ai...
Beijos!

MaxReinert disse...

Muito bom post, Sr. Rob!
Não creio que trará algum tipo de polêmica, pois somente a Twitess leva ela mesma a sério... ninguém mais!
Afinal, alguém que faz um blog e separa o conteúdo em "para meninos" e "para meninas" com o respectivos gêneros em azul e rosa não PODE ser levada a sério!
Mesmo a idiotice na blogosfera tem um limite!!!!

Matheus Silva disse...

os twitter NUNCA irá substituir os blogs, pois, como muitos ja disseram aqui 140 letras nao tem o mesmo valor de um bom texto num blog, por mais que eu adore o twitter, a blogosfera é muito melhor que o twitter, pelo menos se tratando de conteúdo

mas por incrível que pareça há pessoas que nao conseguem colocar conteúdo nem em 140 caracteres, pessoas que escrevem "vou tomar banho ja volto" realmente só tem o twitter pela popularidade

@Twittess disse...

Interessante ponto de vista. Obrigada pelos conselhos, vou avaliá-los ;)

Fábio Buchecha disse...

Então Roberval Gorgônio, deixa eu ver por onde começo... Hum, já sei.

Veja bem, comento aqui com a intimidade de quem já lê essa joça há mais de dois anos, então sei que você vai levar a pedrada da melhor maneira :-)

Acho que você está misturando um pouco as coisas. Mais uma vez vou abusar da intimidade e arriscar dizer que o gatilho para esse seu post foi uma conversa entre você, o @Draguz e eu no twitter, estou certo? Seguindo essa premissa, vou adiante:

Você blog há 76.785.262.363 anos, e eu estou nessa desde 2007, apneas. Você por prazer (Ui!), e eu por prazer E grana. Por esse motivo vivo a boilosfera muito mais intensamente que você, e estou sempre debatendo temas como esse com todo mundo e quando nós falamos em "fim dos blogs" e "era do twitter" tem a ver exatamente com o fluxo de leitores que nos são comercialmente interessantes. Leitor de twitter não clica em AdSense nem compra pelo seu link no Submarino.

Quando eu falo de fim dos blogs, falo do fim da lucratividade dos blogs, ou da sua função como vitrines para coisas FORA da internet (como os vários trabalhos que já consegui graças ao meu). Twitter ganhou uma visibilidade absurda em pouco tempo e de fato obscureceu os blogs como vitrine. E isso vai passar. Fim.

Agora o que eu acredito que o Draguz quis dizer com "os blogs mesmo vão se matar" é que a qualidade dos blogs que surgem está cada vez menor (e nisso ele está 105% certo) e que bons blogs estão perdendo o seu brilho, ou em casos extremos estão sendo deliberadamente abandonados (como o excelente Arte & Vício, que foi encerrado semana passada). Poucos são como o Champ, ou o blog da Mary, ou o Visão Panorâmica. Abstraí disso. Sei que daqui há 1 ano vocês vão estar lá e isso me basta.

Não atribuo essa importância toda ao Twitter. Ele não tem moral para derrubar os blogs. Nunca vai ter.

E a @twittess, ah, deixa ela pra lá.

Forte abraço cara.

Arthurius Maximus disse...

Simplesmente:

Clap! Clap! Clap!

Dragus disse...

Depois de ler o artigo do Buchecha torço ainda mais pelo fim da blogosfera.

Que a vida do twitter seja mais longa que seus 140 caracteres, quem sabe assim as coisas melhoram?

Logo, logo surgem os primeiros twitters de download e os blogs serão filtrados desse lixo, só pra citar um exemplo.

Rob Gordon disse...

Buchecha

Vamos por partes.

Duas correções:

Na verdade, o post não nasceu na conversa via Twitter. A conversa foi parte do processo, esse assunto já estava martelando há um pouco mais de tempos aqui.

E, dois, você está em blog desde 2007, mas podemos montar uma equação na qual 76.785.262.363 = Buchecha + 1, já que eu estou desde 2006. Julho de 2006, para ser mais exato.

Sem dúvida, minha principal preocupação em blogar é conteúdo, já que não tiro grana do blog. Ao menos, ainda não, já que falar "desta água nunca beberei" seria dar tiro no pé. E, a sua e a de tantos outros, é blogar e atrair leitores comercialmente interessantes. Nisso, estamos de acordo.

Mas estou pensando macro aqui. Não apenas em adsense, número de comentários, etc. Mas em blogs como ferramenta de comunicação - sejam eles lucrativos ou não.

Como você mesmo disse, o Twitter obscureceu os blogs como vitrine? Sim, e não apenas comercialmente.

O Twitter vai acabar com os blogs? Não vai. Meu ponto é esse. Os blogs são os principais geradores de conteúdo da net hoje. Os portais continuam engessados, e o twitter, em termos de conteúdo, é quase um brinquedo.

Então, na verdade, acho que isso será até bom. Vai dar uma filtrada na blogosfera, só vai ficar quem é bom. Como eu disse no texto, os blogueiros ruins migraram para o twitter.

O Twitter passa (ou, ao menos, a moda-Twitter). Os blogs, não.

Mesmo porque eu vejo no meu blog que paraquedistas são paraquedistas, tenham eles pulado do avião Google, do avião Orkut, ou do avião Twitter.

Então, uma dúvida: você PERDEU leitores (comercialmente interessantes)? Ou apenas deixou de ganhar?

Porque duvido que um blog como o seu, com conteúdo (já estou falando do novo também) perca leitores. Acredito que eles ainda entrem no seu blog sem nem precisar "olhar a vitrine".

Mas admito que estou "tateando no escuro" nesse último parágrafo, porque não trabalho com Adsense.

Abraços!

7Seven7 disse...

É, realmente, é até bom que coisas como o Twitter surjam pra separar os blogs desse tipo de lixo, é uma boa forma de separar o joio do trigo.

E Rob, é verdade, os blogs são o "time a ser batido", e continuarão assim. São como livros, sua essência é o conteúdo, e isso faz com que existam em qualquer época. Então, passarão séculos e, tal como os livros, os blogs estarão aí, firmes e fortes.

Stephanie, pode até ser que a internet não "acabe" com a TV, mas tudo indica que irá incorporá-la, assim todo mundo vai passar a assistir TV pela internet. Possivelmente o mesmo seja válido para os livros, mas ainda é mais confortável, e creio que continue sendo, lê-los em papel. Aliás, pelo que parece toda a tecnologia está começando a se fundir. TV, videogame, computador, media players etc tá tudo virando uma coisa só, capaz de de repente termos geladeiras que navegam pela internet e passam programas de TV e rodam jogos, dvd, mp3, mp4...

Fábio Buchecha disse...

Perdi leitores comercialmente interessantes no sentido de que os que mais me trazem dinheiro são os leitores fiéis, que comentam sempre, pois são eles que mais compram via meus links do Submarino (tiro mais grana com ele do que com o AdSense). Agora esse tipo de leitor fiel repercute meu conteúdo no twitter em vez de comentar (o que é bom para o meu ego, mas ruim para meu business :-). Ganho em número de leitores absolutos, mas esses leitores que vem do twitter não fidelizam, já que o twitter é uma loucura de links o tempo inteiro.

A hype do Twitter "mata" blogs que tem interesse comerciais por causa disso (e estou generalizando aqui, já que tem blog cujo o plano de négocios, por assim dizer, é baseado no número absoluto de leitores diários, sejam eles esporádicos ou fiéis).

Porém, mais uma vez digo. Isso vai passar. E rápido. E os bons blogs estarão lá. Os blogs ruins vão morrer, e por conta própria. Não por causa do twitter.

Pensando nisso, é que vou remover TODA a publicidade do PoisBem quando reativá-lo essa semana. Vou escrever só para os leitores fiéis, e eles que repercutam os posts onde quiserem. Não quero mais me preocupar com cliques nele :)

Por fim, para mim o Twitter sempre vai ser uma maneira de analisar em micro, a situação em macro. Tento fazer o melhor proveito disso e nem ligo para quem vai morrer no processo =P

Abraço cidadão.

Fagner Franco disse...

Talvez o melhor post. Como novo leitor, posso estar errado. Apesar de ter fuçado bastante o seu blog desde que o descobri, creio que outras pérolas possam ter passado desapercebidas. No começo do texto, escolhi uma frase e deixei no ctrl+c para "ctrlcêvear" no comentário, mas vi que ela não era a única bem dita.
"E, assim como o Orkut, quanto mais o Twitter enche, mais ele se esvazia. "
Enfim, excelente post. Blogueiro novo que sou, e com pouco conteúdo (falo não com falsa humildade, mas, sim ciente de que anseio um melhor conteúdo), concordo com a importância do blog.
Ah, e sou um dos seus leitores que vieram do Twitter ;) (@tatibaba que me apresentou ao Rob)
Abraço.

Contando os dias... disse...

Sinceramente, eu acredito que a história é totalmente o contrário. O blog é muito utilizado por jornalistas (ou aspirantes) para divulgar textos e idéia. Agora, com essa história de que não precisa de diploma prá ser jornalista, a tendência é piorar. As pessoas procuram cada vez mais notícias na internet ao invés de abrir um jornal, ou seja, está aqui o espaço aberto praquele que quer escrever, mas não quer fazer a faculdade... ou mesmo aqueles que querem poderem correr atrás e enfrentar a "concorrência".

Natalia Máximo disse...

Os blogs não vão acabar! Senão, o que farei durante o horário de trabalho? :D
E, sim, sou fã do Twitter, e agradeço a ele por ter me apresentado ao Champ!

Popys© disse...

Para mim, esta é a maior e melhor vantagem do twitter: encontrar blogs interessantes como o seu.
Adoro gente com conteúdo!
excelente texto!
:)
@Popysp

Marcos Bonilha disse...

Matou a pau, ótimo texto e bom para refletir.

Abraços

Thiago R. S. Rosa disse...

A personalização do erro. Isso que parece a Twittess. Que continuará a ser apenas isso.

Ricardo Perez disse...

Realmente eu acho que o twitter se tornará algo como o Second Life,todo mundo falou que o SL seria a maior revolução de todos os tempos do mundo digital , hj quem usa isto?

Diz disse...

Muito bom seu texto. Concordo. Tenho um blog, posto mini contos, músicas, cultura em geral.
Esta discussão me embra aquela do "O teatro está morrendo" desde que nasci ouço isto e já faz tempo :)
abs, Laura
twitter/lauravive

The Owl disse...

O que me irrita nessa história é que a "profecia" da substituição sugere a idéia de que um é a evolução do outro, o que considero absurdo.

Acho que o Twitter pode ser visto no máximo como um complemento, mas até hoje não vi graça nenhuma nessa ferramenta, sinceramente. Até fiz um post sobre isso recentemente. Com mais de 140 caracteres, claro.

Anônimo disse...

É o fim dos blogs comerciais, não é fim de quem blog por prazer. Os publicitários irão migrar atrás de repercussão e não de conteúdo, aliás,como sói. A twittes tem seguidores interessados em seu conteúdo, com sript ou não, bom ou ruim, isso é um fato. O twitter tem servido, no mínimo, para encontrar excelentes textos, como esse. E, por fim, a vida não segue a lógica do "quem é bom recebe o bem e blá, bláblá", portanto, que ninguém se sinta injustiçado.

Fábio C. Martins disse...

Rapaz, faz muito tempo que não passo pro aqui. Tive meus 6 meses de férias e ficou bem difícil de acompanhar as histórias do blog.

No entanto, confesso que ler este texto despertou uma vontade "louca" de voltar a escrever minha estória. Sem falar no fato de ter descoberto certas coisas sobre o twitter que eu desconhecia.

Enfim, voltar a frequentar teu blog só me trouxe boas idéias e novos conhecimentos. Acho que está aí um bom motivo pra justificar que o blog não morrerá.

Forte Abraço

Alberto - @albertoyuji disse...

Entrei no blog da Twittess, por curiosidade.
Cliquei no post sobre arte conceitual e me surpreendi pela quantidade de informações ( http://tinyurl.com/ma7xnt ). Muito mais do que 140 caracteres... muito MESMO... humm...
Dei uma googlada, e... encontro o mesmo post, em outro blog ( http://tinyurl.com/l8gpmv ).
Voltei ao blog da Twittess e, sim, existe os créditos lá embaixo (podem apagar as tochas), mas sem muito destaque.
Mas o que seria isso? RT? RP (re-post)?
Weird...

Viny Rodrigues disse...

Essa é a parte boa do Twitter, achei este blog através da indicação de amigos lá, e realmente é um post muito bom. Sou sociólogo e estudo a blogosfera em sua perspectiva mais política e concordo com as opiniões aqui deferidas.
Tenho um blog em parceria com amigos, e postei um texto sobre este assunto a pouco tempo atrás www.revista-apes.blogspot.com

Abraços!

Ana Clara Garmendia disse...

Adorei texto e muitos dos comentários. Twitter é ótimo para quem bloga sério. Pergunta; para que ter tantos seguidores em cima de discursos vazios? Propagação de mais lixo? É muito descaso com os leitores.

Profª Cristiana Passinato disse...

RT @crispassinato #BLOGDAY-> Blogagem Coletiva: “O q vem a ser para você ser blogueiro?” http://wp.me/p56IZ-1mg

Marcia disse...

Essa história lembra o tempo em que a TV ia "matar" o cinema e a Internet ia "acabar" com mídia impressa.

Tenho um blog nada comercial que mantenho por prazer e também estou no Twitter (foi lá que indicaram seu post).
Meus leitores habituais são poucos, mas é para eles que escrevo feliz da vida!

Parabéns por seu texto, claro e bem escrito.

Dani Chakalat disse...

Que texto formidável. Muito bem escrito e definitivo.

Parabens!

Thiago Zati disse...

Muito legal... e é isso mesmo, a criação de uma "bolha de personalidades" no twitter - nos sites de relacionamento em geral - é um dos e fenômeno do nosso tempo. Coisa pra ser pensada e discutida. Aqui, num blog que participo http://revista-apes.blogspot.com/2009/08/internet-video-cassete-os-carro-louco.html, Viny Deriva coloca a questão dentro da confusão público, privado de nossa sociedade.
Abraço e belo texto.

Gustavo disse...

Texto totalmente enviesado. É preciso saber discernir blogs de blogosfera. Quando se fala no fim da blogosfera, não se põe em questão a decadência da ferramenta blog, mas do clubinho de blogueiros profissionais que já saturaram, não acrescentaram em nada e não sabem se reinventar.

Quanto ao Twitter, jamais foi o objetivo da ferramenta alcançar fama. Quando esse espetáculo da mídia espontânea sobre o Twitter passar, ele voltará a ser enxergado como o que realmente é: a ferramenta de maior objetividade e instantaneidade da web. Cada um o utiliza como bem quiser, assim como o blog.

BeGOD disse...

Gosto do ponto de vista mas é só não dar importância para a garota.

Denise Arcoverde disse...

Tenho blog há seis anos e quando comecei já se falava em "fim dos blogs".

Concordo que os blogs não vão acabar por causa de novas ferramentas, na verdade, elas podem enriquecer o conteúdo, ampliar a rede, hoje tenho novos leitores que vêm do Twitter e comentam no blog.

Se você me permite, vou discordar apenas da sua visão do papel do Twitter. Como em quase tudo, não é o que ele é, mas como ele é usado. Sigo pessoas que acrescentam - e muito - em termos de conhecimento e informação.

O que eu leio é, frequentemente, uma preciosa fonte de pautas pro blog.

Antônio C. disse...

A cegueira está naquele que não consegue observar que a importância de um blog ou uma conta no twitter estão somente no conteúdo a ser transmitido.

Os blogs não serão eternos. É muita miopia achar o contrário. Pois a história já nos mostrou diversas vezes que tudo, realmente, "emplaca" acaba agregando o aspecto financeiro, e com isso, passa a ser dominado por uma minoria que dispõe recursos para aglutinar o mercado.
Ou seja, quando blogs forem a fonte suprema das informações na internet a concorrência acirrada forçará que o Darwinismo digital aja deixando apenas alguns poucos blogs vivos, mas estes se tornarão cada vez mais influentes.
Esse processo ainda está longe de ápice. Ainda veremos muita coisa rolar. Mas uma coisa é certa, assim que houverem poucos concorrentes neste mercado automaticamente ele passará a se tornar outra coisa.
Não há espaço para o amadorismo quando envolve-se dinheiro à equação. Por isso, sem haverá pequenos blogs da resistência lutando contra o sistema capitalista. Mas a massa não dá importância a esses.
O poder da informação é muito importante para que os poderosos deixem isso livre e solto sem nunhma supervisão. Até mesmo na internet. Quando for necessário, e atrativo, os blogs passarão a receber sua devida atenção e, como disse anteriormente, passarão a ser outra coisa. Mesmo sem perceber acabaremos perdendo os blogs como conhecemos hoje.
É até ingênuo achar que os blogs como conhecemos hoje serão eternos.

Nike disse...

O melhor da Twittess criar um blog é que ela pode provar se consegue produzir conteúdo ou ser apenas uma Cool Hunter.
E sim, os blogs vão acabar. Da mesma forma como O Globo acabou... NOT! Não adianta dizer isso porque cada meio tem seu público e profundidade de informação.
Do twitter, procuramos um blog para ler com mais profundidade e em seguida vamos para o jornal de amanhã, com a notícia completa.

Mikhail Bregovic disse...

A ideia de evolução consegue se manter até mesmo no estranho mundo da internet.
Tudo vai deixando lugar ao mais apto, ao mais "forte", se é que isso pode ser dito. Como foi dito logo acima "Essa história lembra o tempo em que a TV ia "matar" o cinema e a Internet ia "acabar" com mídia impressa.".

O que vou escrever em diante não deve ser levado muito em consideração, uma vez que eu só conheço o Twitter por aquilo que me disseram.

Essa ideia de Twitter se encaixa perfeitamente a ideia de que "A humanidade não deu certo". É como se cada um ali estivesse desesperado, louco por seguidores, que por sua vez, são mais um bando de desesperados. No fundo, talvez seja a única maneira de se tornarem um "personagem de Malhação". Sim, Malhação. Não consigo enxergar nada além disso.

A forma como tal conhecemos os blogs pode até acabar, mas não para ser substituído por algo desse tipo. O "sistema blog" vai terminar quando surgir algo no mínimo tão bom quanto no seu lugar no que envolve expressão e manifestação pessoal.

Para finalizar: Lembra quando você escreveu a "Carta Aberta aos Blogueiros de Merda"? Os Blogueiros de Merda são as mesmas que formam as "celebridades" do Twitter, que, na realidade, não passa de um blog na dificuldade Very Easy.

Ps: Rob, é a primeira vez que faço um comentário nesse blog, me desculpe por não ter feito antes.
Ps²: Aproveito para pedir perdão também pelos erros gritantes que cometi em relação a nossa língua mãe.

ICEMAN (Jorge Silva) disse...

Parabéns pela matéria, uma das melhores sobre blogs e twitter que já li até agora...

Expedito Paz disse...

Tenho blog desde 2001, e já naquela época falavam que era uma ferramenta com prazo de validade. Pelo visto, erraram na previsão. O que tá irritando um pouco é que agora todo mundo que tem blog quer viver disso...

E sobre a Twittess, já vi que ela será mais uma replicadora de conteúdo, como tantas outras. Paciência.

Rafhaelbass disse...

Encare o Twitter como um indexador, rsrsrs gostei do post, mt bom e "ácido"

Sexy Help Desk disse...

É impossível passa as idéias que passo em meus post em 140 caracteres! Meus texto geralmente são muito grandes, o tema do blog pede isso mesmo. Meu leitores gostam do meu estilo de escrever o assunto (sexo), alguna até dizem que escrevo bem (rs). Tenho leitores fiéis e não da moda. Ou seja, nada que venha a acontecer fará com que eu perca aqueles que gostam do que escrevo. Acho que aontecerá o mesmo com os bons blogs. Sempre haverá leitores para eles, haja o que houver. Acho que mesmo que passem a existir milhoes e milhoes de blog, só os que tiverem bom conteúdo sobreviverão. Enquanto houver a internet escrita, será assim. Ótimo post, não conhecia o blog! Parabéns! Abraço do SHD...

Alberto do Sexy Help Desk publicou um post sobre.. Ele está preparado para uma relação séria?

delaorden disse...

muito bom. coicidentemente escreví sobre o assunto hoje de manhã em meu modesto blog. se puder, gostaria que desses uma olhada -> http://is.gd/2Kt2S. O Twitter é uma bolha que precisa e vive dos blogs, senão, qual seria sua utilidade ?

Rafael disse...

velho, mais que certo o texto. estou no twitter, não tenho blog, mas sempre acreditarei no blog. uso twitter como forma d marketing para minha banda, incluindo o meu perfil pessoal do twitter. tem quem me siga, mas não siga a banda, sendo que mesmo assim acredito que uso d forma "errada", não como @twittes. pra mim, ter um numero de seguidos quase igual ao de seguidores não vale quase nada. pra mim eh forçar reconhecimento. os verdadeiros são os seguidos por quem são, sejam burros (@xuxameneguhel) ou não, soh querem o publico perto deles (como diz o texto, não eles perto do publico). no fim, por ter preguiça para ler muitas vezes, adoro o twitter, pois atrvés dele q encontrei esse post, e ele q tem esse feedback maior q email; quem ver um link d alguem conhecido no twitter SEMPRE clica nele. bom, soh sei q meu coment seria ateh um texto pra blog, mas sou apenas twitteiro. minha tarefa eh RT esse post!
abrx!!

Bruno disse...

Ah, eu comento pouco aqui, mas pq sou preguiçoso mesmo.
Acho que o twitter e os blogs podem se complementar.

Sobre o nivel do orkut, eu adoro.
Torna as coisas mto mais divertidas. Frequento algumas comunidades mto boas para se conversar. E tbm algumas que são mto engraçadas.
Inclusão digital + falta de cultura+ semi-alfabetização = entretenimento.

Leandro disse...

Acho que o surgimento dessas ferramentas não ocorre à toa, tampouco o sucesso que elas fazem.

Todas essas formas de comunicação são ferramentas que podem ser muito úteis, dependendo de quem as emprega. Como quase tudo o mais.

O twitter se adapta muito bem à fluidez da informação dentro de nossa "Modernidade Líquida" e somado a falta de barreiras entre o público e o privado, gera pérolas do tipo ("Gente, estou indo ao banheiro, já volto. #mecagando")

Sempre haverá pessoas com algo (ou muito) a dizer, e pessoas interessadas em publicações com conteúdo. Mas as ferramentas que eles usam certamente mudarão. Sempre foi assim.

E sempre existirão pessoas sem nada a dizer também. Pela quantidade de comentários que vemos aqui e em outros blogs, dá pra ter uma idéia sobre quem é a maioria. Mas como o Rob diz, vai comparar a qualidade...

juliobass disse...

Concordo contigo em numero, genero e grau.

Sunflower disse...

outra que só tem aplausos.

rodrigo disse...

confesso que nunca entrei no twitter e mau sabia como escreve essa trem, quanto a blogs leio apenas um ou outro incluindo esse. A unica coisa que posso afirmar a respeito do twitter, o qual nao entendo direito o funcionamento, foi durante um programa na espn brasil o jornalista Paulo Vinicius Coelho (PVC) dizer que ele não estava no twitter e o jornalista ao lado dele se espantou e disse ser um dos mais 5 mil seguidores de um twitter de alguem que se dizia ser e usava inclusive foto do jornalista PVC.

Aguinaldo disse...

Eles chegaram para ficar.

Merecem tratamento humano feito qualquer um de nós, e com certeza para cabeças mais coroadas que as nossas, somos um bando de miguxos e emergentes ignorantes e desocupados.

Realmente não sei como corrigir com educação alguém que escreve VOÇÊ a sério ou como tratar com respeito alguém que procura por FOTOS SEXUAIS no meu blogue, afinal, uma flor é um órgão sexual, basta olhar na Wikipédia!

Ou o nível deles sobe, o que é muito desejável, ou as brigas vão ser intermináveis, ou o que ainda é pior, voltaremos a algo bem próximo da troca de e-mails do começo da Internet brasileira: cheia de imagens bisonhas, papo-furado e forçação (isto existe?) de amizade elevada à milésima potência!

o bom senso manda ignorar quem nos incomoda num espaço onde isto é possível, mas, isto não vai dar certo para sempre!

Abraços e parabéns pela postagem amplamente pertinente!