17 de março de 2008

Pague para Comprar, Reze para Sair - Parte I

O zoológico de São Paulo está fazendo 50 anos. Parabéns a todos os bichos que estão ali e que há décadas aturam os visitantes pentelhos que ficam jogando amendoim dentro das jaulas; as crianças que gritam para os macacos; e os indivíduos que ficam enchendo o saco do leão quando ele decide sair da toca para tomar um Sol. Este blog deseja votos sinceros de felicidade aos animais (mas somente aos que ficam dentro das jaulas) pela data comemorativa.

Agora, eu acho uma tremenda sacanagem todo mundo ficar babando ovo em cima do zoológico e deixarem de lado o Pão de Açúcar da Teodoro Sampaio, que é um dos maiores catálogos de zoologia existentes. Especialmente no sábado à noite, quando é invadido por multidões de jovens que juntam as moedas e os passes de ônibus para conseguir comprar uma garrafa de vinho São Tomé ou uma vodka Smirnoff.

O problema não é que eles ficam nos corredores correndo, se xingando, jogando futebol com pacotes de Miojo, planejando quem vai ficar com quem no final da noite e fazendo zona na fila do caixa (ou melhor, nas filas, já que cada grupo sempre consegue ocupar três caixas para pagar a mesma garrafa). O problema também não é que eles não conseguem pronunciar uma palavra num volume menor que 125 decibéis. Não, o problema é que eu sempre me esqueço de que nas noites de sábado aquele lugar é um inferno, e só me lembro disso quando já estou lá dentro. E, aí, já é tarde demais.

Esse sábado, porém, a coisa foi pior do que imaginei. Claro que não chegou a ser emocionante como a noite em que o punk foi surrado lá dentro, mas foi bem pior que um sábado a noite comum. Não sei se os adolescentes de Pinheiros estão na época da reprodução, mas o número deles era muito maior que o normal. Andando pelo mercado, consegui traçar um inventário do local: cada corredor do mercado tinha, em média: 2 (duas) camisetas do Che Guevara; 1 (uma) camiseta do Legião Urbana; 3 (três) camisetas do Seu Madruga; e 4 (quatro) garotas que não sabiam andar de salto, mas, independente disso, usavam aquelas botas gigantescas que, até dois anos atrás, eram vistas somente nos pés de super-heróis nos quadrinhos.

Interlúdio: Aliás, qual é a dessas botas? Elas já não são bonitas, e têm a altura de um sobrado. É humanamente impossível alguém se equilibrar em cima daquilo. Aliás, se uma garota usando um par disso ficar imóvel duas horas em qualquer lugar do centro de São Paulo, quando ela resolver ir embora é capaz de descobrirem que dois ou três mendigos já se alojaram embaixo dos pés dela para dormir ali.

E, claro, tinha o virgem. Todo sábado tem um virgem andando ali, perdido no meio de uma turminha. Mas o virgem desse sábado era especial, provavelmente a coisa mais virgem que andou no planeta. Usava tênis, calça social e um pulôver claramente costurado pela avó, tudo combinando com seus óculos nerds e sua cara de quem nunca beijou na boca. Enquanto os amigos combinavam quem ficaria com quem, se levariam Doritos ou Fandangos, e discutiam se Old Eight combina com Tang Uva (adolescente sem dinheiro é uma merda), ele, com certeza, estava pensando na sua fantasia de Dragonball X, Y ou Z para o próximo campeonato de cosplay.

Em meio a tudo isso, este que vos escreve caminhava pelo mercado (com a tradicional cara de poucos amigos que eu uso em ocasiões assim) atrás de uma lasanha de calabresa. Aliás, eu realmente devo ser bom nesse negócio de fazer cara invocada, porque as pessoas realmente abrem caminho para mim, independente do meu 1.60 estar longe de ser ameaçador. Aliás, isso é de família: meu irmão, só com o olhar, faz até policiais desviarem dele.

Enfim: graças a isso, caminhei livremente pelo mercado (com exceção de uma menina que fingiu que não me viu e só abriu caminho quando eu parei na frente dela, com cara de tédio e suspirei, perguntando algo como “por que você existe?” com o olhar) e consegui resgatar minha lasanha e uma garrafa de Coca.

(continua...)

17 comentários:

Tyler Bazz disse...

Deve ser mal de Pão de Açucar!

Aqui tem um que é 24h, o outro não.
Nesse que não fecha nunca, e fica bem centro da cidade, eu sou facilmente encontrado nas sextas ou sábados sem nada melhor pra fazer (parece mentira, mas quase nunca tem algo melhor pra fazer por aqui).

Enfim, vou pra lá, e passo a noite bebendo cerveja gelada, na frente do supermercado...

E também aqui tem muita, mas muuuuuuita gente bizarra, viu...


o/


(e valeu pelas indicações :D)

Thiago Neres disse...

Iiih Rob, é um dos primeiros posts seus que eu leio que acho morgadinho, frio (jornalisticamente falando) e sem graça.

Tão sem ação, sem pérolas... é melhor que as outras partes valham a pena porque esse post tá meio derrubado.

Mas fã que é fã não larga o blog por causa de um post não!

Abração,
Thiago Neres

Larissa Bohnenberger disse...

PQP, concentração de adolescentes empolgados é algo que ninguém merece no universo inteiro!
Me ensina, por favor, a fazer a cara assustadora que afugenta até policiais?

Bjs!

Dragus disse...

Bom, mas a próxima odisséia deve ser fazer algo que acompanhe sua lasanha.

Quem sabe um... Arroz? =p

thiago disse...

sempre antes da balada vou com meus amigos nesse mercado. mas fique tranquilo, a gente não é nenhum desses seres que você descreveu. a gente é tudo comportadinho. ^^

aliás, eu sempre quis saber para onde esse povo metido a de esquerda vai toda noite...

Hally disse...

Caraca, ainda bem que eu não tenho camisetas do Che... só do AC/DC, Motorhead e cia. Hhuahuahauhauhauhaua
puts cara, que zona que deve ser aí, sorte minha que eu não preciso pisar em supermercado!!

Esse blog vicia, meu caro!

Helen disse...

Ai, carammm, adóóórommmm essas sagas do seu blog, sabe? Super tudo de booommmm. Adolescentes são tão engraçados porque, tipo, eles, tipo, acham que, tipo, são todos diferentes, mas, tipo, são, tipo, TODOSIGUAISAOSOUTROS, tipo. Meio que, tipo, sei lá...mega estranho.

__________________________

Já estou ansiosa pela continuação! Yeeey! =D

Pâmela disse...

xiii, a galera tá avacalhando nos comentários de novo...
cara, o meu blog recebe mais comentários, e olha que ele não chega nem aos pés do champ.
mais eu faço aqui minha colaboração, deixando um blogueiro mais feliz, com um número a mais de comentário.

beeijo

Dama do Lago disse...

Eu conheço esse Pão de Açucar...no meu tempo(coisa de velha) era bem melhor ^_^

Agora quero o resto da história mas acho que nada vai bater aquele punk alucinado :DD

Boa Páscoa, (só volto à ativa no domingo)

Beijo

Sil

Leila disse...

gostei do layout do seu blog. Parabéns e adoro essas cores são as cores do logo da minha lan.

MaxReinert disse...

huahauhauhauhaa... primeiro que aqui em Floripa não é um mercado... mas é um posto que fica assim.... dá de tudo.. literalmente falando!

Depois que, as pessoas tentando ser engraçadas nos comentários hoje foi muito .... "educativo"!!!

PI (Pergunta Indiscreta): Vc era virgem até que idade? Parace que tem algo meio mal resolvido com isso... hihihihihi

Camila disse...

hauahauahu, muito engraçado, realmente você consegue se expressar muito bem com o olhar. Mas você tem razão, as vezes enche o saco mesmo o fato de parecerem de uma momento para o outro um monte de gente esquisita, que quando você repara bem, a única coisa que pensa é: "como é que eles podem existir?"

An@Lu disse...

eu nem imagino o que vai sair dessa história, essa saga também promete. eu tb detesto esses aborrecentes e agora fiquei com inveja quando você disse que consegue ter um ar ameaçador. Poxa.. eu sou muito frustrada com isso! Não assusto nem o meu coelho!

PS - espero que não leve a mal, mas já estava com saudade de uma trilogia robgordiana.

PS2 - como ficou o visa, a tim e etc?

Atômiao disse...

Pois é...

Problemas, problemas...

Eles existem, mas não mudam apenas com críticas...

Gostei muito do Blog, apenas não gostei muito desta última postagem...
Mas são críticas construtivas.

Abraço!

http://atominio.blogspot.com/

André Logan disse...

Tem uns dois anos que não vou ao zoológico... falta de tempo, o que é uma lástima... apesar de achar meio chato os animais presos, considero o ambiente muito agradável.

Rob Gordon disse...

Max, ainda sou virgem (já viu blogueiro comer alguém?)

Alias... tem gente que realmente achou que o post é sobre zoológico. Nada como colocar um primeiro parágrafo armadilha para caçar quem lê somente o primeiro parágrafo.

Varotto disse...

Vai dizer que no tédio dos corredores do Pão de Açucar você não pensou numa batalha entre o punk espancado e o virgem com suéter da vó? Imagine só o virgem soterrando o punk com uma avalhanche de caixas de camisinhas não usadas e fora da validade? Ou chamando a vó para dar uma bronca?