21 de fevereiro de 2008

Cartas na Mesa

Eu sei que o telemarketing tem ocupado um bom espaço aqui no blog, mas não dá mais. Essa história do Visa está começando a perder a graça, apesar do sucesso que vem fazendo com os leitores (outro dia, um amigo veio me falar que meu blog é a única esperança da humanidade para que os atendentes de telemarketing não dominem o planeta).

Enfim, se você pegou a história pela metade, aqui estão as partes I e II. Se você já leu as duas, eis o que você precisa saber antes de ler o post abaixo: após eu contestar as compras (pela segunda vez), o sujeito do Visa me disse que eu recebia uma ligação da empresa com a finalidade de checarem algumas informações adicionais – sendo que eu deixei claro que não tinha mais informação nenhuma (“eu não fiz as compras e ponto”).

Obviamente, o cara nem ouviu o que eu disse e falou que as informações que eu forneceria seriam necessárias para a análise. Fiquei na dúvida: se ele sabe que as informações são importantes, ele sabe quais informações são. Então, por que não pede agora? Enfim, deixei isso de lado e esperei.

Ontem, pouco depois da hora do almoço, toca meu celular. Atendi.

– Sr. Gordon?

– Sim.

– Aqui é Fulana, do Visa. Estou ligando devido ao fato do senhor ter contestado algumas compras feitas com o seu cartão.

– Sim, me falaram que alguém ligaria para pegar informações adicionais, ou checar alguma coisa, não me lembro.

– Pois bem, estou ligando porque preciso que o senhor nos envie um fax, contestando as compras, e com sua assinatura.

– Só isso?

– Sim.

– Isso não é checar nada. E também não é nenhuma informação adicional. Nada do que está na carta vai ser novidade.

– Entendo, senhor, mas precisamos da sua assinatura.

– O ponto não é esse. O que estou querendo saber é porque não me pediram a carta no momento em que eu liguei para contestar as compras. A única coisa que me falaram é que eu receberia uma ligação em alguns dias. Essa é a ligação?

– Sim, senhor.

– Você está querendo me dizer que vocês passaram três dias trancados numa sala discutindo se eu deveria mandar a carta ou não? E acabaram votando pelo “sim”?

– Estamos analisando seu caso.

– Fulana, mandar esta carta é um procedimento padrão?

– Sim, senhor.

– Então por que a pessoa que atendeu minha ligação na semana passada não me instruiu a fazer isso? Nós não precisaríamos ter essa conversa, porque a minha carta já estaria na sua mesa. E, se é um procedimento padrão, o atendente meio que deve saber disso, certo? Ou eu dei azar e fui atendido logo por alguém que estava no primeiro dia neste emprego?

– Não posso responder por isso, senhor. É outro departamento.

– Não interessa. Para mim, todo mundo aí é Visa. Se você não sabe o que acontece na mesa do lado da sua, o problema é seu, não meu.

– Senhor, é outro departamento.

– Ah, quer saber? Ok. Enfim, nós estamos em 2008. Eu não vou passar um fax. Vocês têm que ter um endereço de e-mail. Mesmo se o Visa tiver apenas conexão discada e um e-mail no Hotmail, eu quero esse endereço, porque eu vou passar por e-mail. Se vocês são contra-producentes, o problema é de vocês. Eu não vou passar fax nenhum.

– Senhor, nós precisamos que seja por fax.

– Fulana, vocês demoraram três dias para decidir me pedirem uma carta que vocês sabiam que teria que ser pedida. Vocês são lerdos. Isso nem vai ser discutido aqui. E, como vocês são vocês, até entendo que o Visa não deve estar em sintonia com as mudanças tecnológicas, afinal elas acontecem rápido demais. Agora, o fato de vocês serem lerdos não coloca vocês no ano de 1993. O mundo está em 2008, consequentemente eu estou em 2008 e vocês vão acompanhar isso, querendo ou não. Eu não vou passar fax nenhum. Aliás, o que acontece depois que eu passar o fax? Você quer que eu mande uma mensagem para o seu Pager avisando que enviei a carta? Ou prefere que eu mande um telex?

– Senhor, nós precisamos da sua assinatura.

– Então eu escaneio a carta e mando por e-mail. A chave é a minha assinatura, certo? Ela vai estar ali.

– Ok, senhor. O nosso endereço de e-mail é x@y.com.br.

– Ah, então vocês TÊM um endereço de e-mail.

– Sim, senhor.

– Eu mando daqui a duas horas. Provavelmente vocês não abrem o e-mail todo dia, mas, com sorte eu ainda pego a conferência da semana. Isso, claro, se ele não for parar no lixo eletrônico.Você pode me dizer uma coisa?

– Pois não, senhor.

– Eu posso escrever palavrão na carta?

– Senhor, precisamos apenas da contestação e da relação das compras.

– Então, mas é a terceira vez que eu passo isso para vocês. Ah, deixa. Olhe, me responde uma coisa: depois que eu enviar a carta, em quanto tempo as compras saem da minha fatura?

– Não posso dizer isso, senhor. Não tenho essa informação.

– Fulana, com todo o respeito, carinho e açúcar em cima: a puta que o pariu que você não pode.

– Senhor, eu não sou desse departamento.

– Você me ligou para, teoricamente, me ajudar, com aspas bem grandes no ajudar. Então, me ajude. Quanto tempo demora?

– Não tenho essa informação, senhor.

– Então você levante e pergunte para alguém do lado. É engraçado como você liga para mim para falar sobre o meu cartão e qualquer coisa que eu pergunto sobre o meu cartão você não pode responder, porque não é o seu departamento. Estou começando a achar que você é uma faxineira do Visa que está usando o telefone escondido. Eu vou perguntar de novo. Quanto tempo vai demorar para as compras serem estornadas após a porra da carta ser enviada?

– Senhor, eu não tenho essa informação.

– Fulana, me dá uma ordem de grandeza. Eu quero saber se são dois minutos, um ano, quatro luas, um equinócio, seis primaveras... Quanto? Aproximadamente?

– 48 horas, senhor.

– EU SABIA! VOCÊ TINHA A PORRA DA INFORMAÇÃO!

– Senhor, isso é aproximado.

– Eu não pedi a hora exata de acordo com o horário de Brasília. Se bem que seria capaz de vocês me passarem pelo horário de Londres e me mandar calcular o fuso, porque você não pode, porque é outro departamento que mexe com esse negócio de meridiano. Enfim, eu vou mandar a carta em aproximadamente duas horas e vou solicitar uma confirmação de recebimento. Você está de acordo com isso?

– Sim, senhor.

– Ok, passar bem.

– A Visa agradece sua ligação e tenha uma boa tarde.

– Que ligação? Foi você quem ligou!!!

(clic)

Mandei a carta, escaneada, bonitinha, com a minha assinatura. E sem palavrões. E, no corpo do mail, fui claro: “favor responder confirmando o recebimento”.

Obviamente, não recebi resposta nenhuma.

Então, hoje, eu vou usar o esquema Tele-Sena do SBT: (voz do Lombardi mode: on) “De hora em hora, Rob Gordon vai reencaminhar o e-mail para o Visa com a frase ‘favor responder confirmando o recebimento’ escrita em vermelho, negrito e caixa alta”.

Isso até responderem. Aos poucos, vou começar a adicionar mensagens após essa frase, puxando papo. Coisas do tipo “alguém aí vai ao show do Iron?”, “Vocês já repararam que o Javier Bardem está igualzinho a Lílian Witte Fibe no filme dos irmãos Coen?”, ou algo menos elaborado, como “E o Fidel, hein?”.

Uma hora vão responder. E aí prometo que publico a resposta aqui.

18 comentários:

Felipe Lima disse...

Rob, você é hilário!! Parece o Will Ferrell em "Mais estranho que a Ficção". Você deveria elaborar uma tese ou escrever um livro como algo do tipo:A Lei da Murphy na pós-modernidade - um estudo empírico sobre como a humanidade não deu certo.

Dama do Lago disse...

Quando eu escuto alguém falando que a profissão dele é "atendente de telemarketing" tenho vontade de voar no pescoço.

Já cheguei ao cúmulo de escutar uma fulaninha me perguntar "a senhora não lê nada não?" depois de eu recusar assinar as 2.095.096.409 revistas de fofocas que ela me ofereceu. Respondi que lia sim, mas só livros em latim e grego então não podia assinar as revistas dela.

Você tem razão, essa novela já perdeu a graça...mas só para você porque só de imaginar essa conversa que você teve, morro de rir em frente ao computador ^^

Mesmo assim, desejo DE VERDADE, que isso se resolva logo.

Beijo

Sil

guilherme louro disse...

hj eu vi um site que talvez gera um post pra vc! Aí resolvi te dar essa dica! ele diz pra vc enviar um video contando alguma historia de traição
sendo que o dono do melhor video vai ganhar uma participação no proximo filme da produtora que é o "Divã" . Que acabou de produzir o filme "Sexo com Amor?".

os links são estes
http://www.meualibi.com.br/souhomem.php (para homem)
http://www.meualibi.com.br/soumulher.php (para mulher)
...como se precisasse explicar isso hahaha

espero ter ajudado!! grande abraço e sucesso no blog

rera disse...

"– Fulana, com todo o respeito, carinho e açúcar em cima: a puta que o pariu que você não pode."

uhasduhADUh dei risada alto nessa parte UhsdUHAsdh

texto mto bom
situação chata..
e ao perdeu a graça ainda nao, pelo menos pra mim, pq pra vc deve ta um verdadeiro pé no saco.. haha

flw cara!
que você esteja tendo boa sorte com as atendentes..

Bruno Teixeira disse...

Realmente...hilário!
Eu acho que mesmo quando, ou melhor, se, vc conseguir resolver a questão com a Visa, a história deveria continuar...sei lá, uma série fictícia em capítulos. Hehehehe.
Abraço.

Barreto disse...

Baixinho, tá bom... vc venceu.. VOU SÓ TOMA!
depois dessa, tenho dó da sua pessoa..enquanto isso, eu vou ENTREVISTAR O HARRISON FORD.. ahahhahaha
:-p
nao podia perder a chance... especialmente por nao ir ao Show do Iron..

Tyler Bazz disse...

Chega um ponto que a gente, lendo daqui, começa a ficar muito puto por você, Rob..

A sede da Visa é em Sampa? Eles devem ter um balcão de atendimento lá... a gente sabe que você não é um cara muito grande.. mas um olhar assassino amedronta muito mais :)


o/

Rob Gordon disse...

Barreto:

Daqui a alguns dias, o Harrison Ford não lembra de vc. Daqui a alguns dias, o Visa vai lembrar de mim.

Eu sei, não é a mesma coisa, mas foi o melhor que arrumei. Na dúvida, foda-se você.

(hoje eu link você aqui)

Mande abraços ao Indy e pergunte sobre a merda do tiro do Greedo e a narração em off de Blade Runner. Se bem que ele não vai responder nada, parece que não é uma pessoa particularmente feliz em entrevistas.

Danilo Inacio disse...

hahhahaa
Incrivel a sua habilidade de conceguir respostas de atendentes de telemarketing. Estou treinando isso.

Boa sorte em sua saga "Rob Vs Visa".
XD

Garbo disse...

hahahahahahha
muito bom., fico imaginando a menina do tele-marketing contando a historia depois do almoco para as amigas e todas rindo contando outras historias de pessoas indignadas

Helen disse...

Isso vai parecer confuso, sei lá, mas te acho muito paciente nessas situações. Eu, no seu lugar, já teria desligado a chamada e jogado o telefone na parede no "Estamos analisando seu caso." (levando em conta tudo que já aconteceu nessa história)

Estou na torcida aqui pra que tudo se resolva bem!

Barreto disse...

Tyler.. existe uma coisa interessante sobre cartões de crédito... o endereço da SEDE NUNCA está disponível para o público. O objetivo é dificultar açòes judiciais, uma vez que eles divulgam apenas caixas postais. Ou seja, eles espalhando pontos de captação de novos clientes pelo país, mas na hora de responderem pelas besteiras que fazem, eles se escondem muito bem, obrigado.

Eduardo Araújo disse...

Cara, comecei a ler seu blog pelas postagens de atendentes de telemarketing, ri muito. Vieram até ver o que tava acontecendo.

Daí comecei a ler vários outros posts, uns mil. Resolvi deixar um comentário geral no mais recente.

Adorei o seu ritmo e o seu humor, me identifiquei na verdade, parece com o do meu círculo de amizades (passei o endereço para os meus amigos lerem também, curtiram muito).

As suas referências, comentários e ironias são mto criativas, aliás criatividade não falta. O seu término com seinfield e a briga de neurônios foi muito boa :D

(Sou o único que não tomou partido ainda na briga seinfield e friends, num consigo escolher um só!)

comecei a ver o championship reviews também, mas eu ando meio sem tempo, li só os posts sobre prison break e desperate housewives. Num deu pra ver os dois blogs como eu gostaria, mas já adicionei os dois aos feed e vou vir checar quando puder.

É isso, cara. Parabéns :D
Abraço

Gilgomex™ disse...

Inveja do cara que vai entrevistar o Harrison Ford? Que vergonha!

Cara, ainda sou fã (extremado) de seus posts... Mas acho que sua véia veia jornalística tem falado alto nos últimos posts... Tive que olhar no dicionários 17 vezes durante esse post.

Daqui uns dias você se tornará didático.

Tio Rob.

Varotto disse...

Só posso dizer: Boa sorte.. Muito boa sorte.

PS1: Se a coisa não andar tente um "então cancela!" acompanhado de uma ação em Juízo. E posso dizer que uma coisa que faz mágica (eu já usei várias vezes), é um mail para a seção de "Defesa do Consumidor" d'O Globo.

PS2: Há pouco mais de uns dez anos tive um contato mais próximo com o Harrison Ford e, realmente, apesar de não ser a pessoa mais festiva do mundo me passou a impressão de ser um cara legal. Outra coisa foi que ele parecia bem mais velho pessoalmente do que na tela...

Larissa Bohnenberger disse...

Puta merda, até eu tô com raiva por ti!!!
Pelo visto essa novela ainda leva um tempinho para acabar...
Bjs!

thiago disse...

o pior desses atendimentos é a frase "não tenho essa informação". o que é muito estranho já que eles são do ATEDIMENTO DA EMPRESA. nunca sabem nada. incrível!

antes foi a tim... agora o visa... você tem mesmo uma sooorte... HAHAHAHA

RoDrIgO disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

ILÁRIOO

uahsuhasuhasuhasuasuh

naum acredito q vc disse isso tudo...

iuhsaiuhsauhaui

da pra virar filme

parabéns pelo blogger