7 de setembro de 2010

Vida

Vamos por partes.

Em primeiro lugar, eu nunca disse que acabaria com o Champ ou com o Chronicles por causa da falta de comentários. O texto anterior, Morte, é totalmente genérico. E caso você seja alguém que a) pediu para eu não acabar com o blog; ou b) me xingou abertamente por causa do texto, volte ao post anterior e selecione, com o mouse, o texto (em branco) abaixo da palavra “Fim”. Talvez você se surpreenda. Talvez você me xingue novamente.

Agora, se o texto é ficcional, quase uma crônica, porque ele não está no Chronicles? Porque ele é verdadeiro. E está acontecendo com cada vez mais frequência.

Não vou acabar com os meus blogs, pois sou apaixonado incondicionalmente por eles – adoro receber comentários, mas, antes de tudo, adoro escrever. Contudo, cada vez mais, tenho visto blogs muito bons (inclusive, bem melhores que os meus) caminhando a passos largos para o esquecimento, devido aos poucos comentários que vem recebendo. E o esquecimento, muitas vezes, leva ao final do blog.


"É que nem o sujeito que sai pra correr depois de dez anos sem exercício. Belo dia, ele se manda pro parque, chega lá e sai em desabalada carreira. Não dá nem cinquenta metros e já dói aqui do lado. Aí ele para pra tomar um fôlego. Corre um tanto e para pra amarrar o cadarço. Puxa as meias pra cima, corre. Caminha. Para. Corre. Para. Para. Aí volta pra casa de táxi, traumatizado, joga o tênis no fundo do armário e, pronto!, o mundo do atletismo perdeu mais um. Blog é assim: a gente pensa que é atleta, mas chega na hora e vê que a coisa não é tão fácil. Dê um fôlego a mais, ajude seu blogueiro favorito a correr mais uns dez metros, comente!"
Bruno Palma

Acepipes Escritos



O tom do post anterior, somado aos dias em que fiquei sem postar, serve para mostrar que isso pode acontecer com qualquer blog, seja o Champ, o Chronicles, ou qualquer um que você adora a ponto de visitar regularmente e se decepcionar quando descobre que ele não foi atualizado.

Sim, a grande questão aqui são os comentários. Eles fazem a diferença no dia a dia de um blog. Se você tem blog – e, quando digo blog, quero dizer "um blog que gera conteúdo" – sabe disso tão bem quanto eu. Acessos, visitantes, pageviews, prêmios... Tudo isso é importante, mas os comentários recebidos em cada postagem, são vitais.

Eles são os indicadores de saúde do blog.

E, não, não estou falando de ego. É evidente que o ego está na equação, já que quem escreve quer ser lido. Porém, antes de tudo, blogueiros de verdade não querem colecionar elogios, mas sim opiniões. E isso inclui também críticas.

São os comentários que constroem a ponte entre o blogueiro e o leitor; são eles que transformam um blog em algo democrático, um espaço onde autor e leitor conversam abertamente. E são os comentários que indicam ao blogueiro se ele está no caminho certo, o orientando tanto no que diz respeito a estilo como a quais assuntos abordar.

Vou traduzir isso para o Champ, para mostrar que não se trata de teoria: se você gosta dos meus textos, saiba que os comentários que recebo são alguns dos grandes responsáveis por isso. Talento? Talvez eu tenha, sim, muito obrigado. Mas de nada adianta ter talento se você não sabe como utilizá-lo. E eu, por experiência própria, posso afirmar que aprendi a usar, ou melhor, a direcionar o meu talento aqui no blog, unicamente graças aos comentários. Acha que estou exagerando? Pegue um texto qualquer do primeiro ano do blog e outro mais recente, faça a comparação entre os dois.


"O problema de um blog sem comentários é que ele deixa de ser um blog. Exterminada a conversa, resta apenas a exibição patológica de um pretenso autor, e ninguém quer reafirmar durante muito tempo sua própria esquizofrenia. Quer???!"
Max Reinert
Pequeno Inventário de Impropriedades



Isso, claro, sem falar no estímulo que os comentários proporcionam ao blogueiro. Quanto mais comentários, maior a vontade que a pessoa tem de escrever. Não estou dizendo aqui que sem este tipo de retorno todo blog inevitalmente acabará sendo deixado de lado até ser abandonado totalmente (contudo, como eu disse lá em cima, isso pode acontecer sim). O que quero mostrar é que, ao perceber que está sendo lido, o blogueiro se sente naturalmente incentivado e, consequentemente inspirado a produzir mais e mais.

E ele percebe que está sendo lido pelos comentários. Como eu já disse antes, os comentários são o combustível do blog.

E, por fim, aquilo que considero o mais importante: os comentários, muitas vezes, geram um debate (entre leitor e autor, ou entre leitores) sobre o tema da postagem. Já aconteceu diversas vezes aqui no Champ, especialmente nos textos um pouco mais sérios. E poucas coisas que acontecem dentro de um blog podem ser mais sadias que essa.

Vale ressaltar que, quando falo “comentário”, estou me referindo a “participação” – se você é daqueles que comenta em todos os blogs que encontra, com um texto padrão dizendo que “adorei seu blog, visite o meu”, este texto não se refere a você, porque você nunca fez um comentário na sua vida.


"Ultimamente, os textos que não "pedem" a participação do leitor, textos que não provoquem interação, têm tido menos comentários. Às vezes a gente não pode – ou não quer – fazer o texto interativo.Mas o blog é! E por isso o comentário é importante, mesmo num texto em que o leitor seja só leitor. Eles são muito mais que um número no fim do post. É pelo comentário que a gente vê a opinião do leitor sobre o texto, fica sabendo se o post ficou ou não legal, e também descobre quem lê o que a gente escreve."
Tyler Bazz
Blog do Tyler


E o número de comentários caiu, de uns meses para cá, drasticamente. Não apenas no Champ (sim, eu tenho comentários, mas o número deles diminuiu consideravelmente) e sim nos blogs em geral – ao menos, em quase todos que conheço e nos quais tenho contato com os autores.

Com isso, textos excelentes e muito bem escritos estão sendo lidos, mas estão passando em bran...

Quer dizer, estão sendo lidos?

Não sei. E, pior: o próprio autor não sabe.

O motivo do volume de comentários ter caído? A meu ver, é incerto. Pode ser comodismo dos leitores, pois muitos acham mais fácil simplesmente dar RT no link, no Twitter. É uma iniciativa legal, já que o leitor está praticamente endossando o texto aos seus seguidores, mas, para o blogueiro, não chega aos pés de um comentário. Aliás, é uma iniciativa que, teoricamente, não deveria excluir o comentário, e sim complementá-lo. Se você gostou do texto a ponto de indicar aos outros, porque não comentá-lo também?

E, claro, pode ser comodismo de nós, blogueiros. E abro espaço aqui para um mea culpa.

Alguns anos atrás, a blogosfera era muito mais ativa. Memes, postagens coletivas, prêmios... Eu mesmo não dava conta de tudo. Hoje, a maioria de nós está caminhando mais por inércia: digamos que, ao invés de estarmos "postando", estamos, na maior parte do tempo, "mantendo os blogs atualizados". E existe uma diferença bem grande aí. E o leitor habitual é o primeiro a perceber isso.


"De uns 6 meses para cá, notei uma queda acentuada no número de comentários - o que, de certa forma, coincidiu com o auge do Twitter. Os índices de acesso aumentam cerca de 20 a 30% ao mês, então o motivo não seria falta de visitantes. Gastei quase um dia inteiro para fazer dois tutoriais, e recebi apenas 1 comentário em cada um. Isso é desanimador, pois o melhor de ter um blog está em saber a reação dos meus leitores. Ok, temos agora os RTs do Twitter, mas confesso que sinto saudades dos comentários e sei que a falta deles trata-se de um acontecimento geral."
Juliana

Dicas Blogger


Ou seja, algo precisa ser feito, mas também da parte de quem posta. Acho que é hora de dar uma sacudida geral na blogosfera. Este assunto, claro, é muito mais abrangente e acho que deve ser tratado como um problema separado, especialmente porque tentar descobrir se a blogosfera está parada porque os comentários caíram, ou se os comentários caíram porque a blogosfera está parada, seria apenas colocar uma roupa nova na questão “quem veio primeiro, o ovo ou a galinha?”.

E, claro, tem a terceira alternativa para o motivo do volume de comentários ter reduzido: perdemos a mão. Nossos textos caíram em qualidade. Toda vez que um texto meu não recebe o número de comentários que eu imagino, eu considero esta hipótese. Mas ter perdido a mão ou não é apenas especulação da minha parte, já que este é exatamente o ponto que estou tentando mostrar: não temos como saber se estamos escrevendo bem ou mal, sem os seus comentários.

Sem você, leitor, se manifestando, podemos dar o melhor de nós, mas estaremos sempre tateando no escuro.


"Deixar de receber comentário faz o blogueiro perder parte do carinho que nutre pela coisa, ficando apenas sua paixão de escrever. Isso significa menos textos, pois blogar passa a ser apenas uma forma de exercitar masturbação mental, algo que passa a fazer de vez em quando, enquanto não arruma local mais reconfortante para despejar esse desejo incontido. Até que encontra, e fecha o blog. E todos perdem."
Dragus
Pensamentos Equivocados


É evidente que ninguém quer leitores que se sintam obrigados a comentar. Qualquer blogueiro consegue identificar um comentário feito com tesão – seja ele positivo ou não - de um feito de forma automática. Queremos sim, que você, leitor, participe, mas apenas por que sentiu vontade disso. E é isso que tentamos fazer a cada texto novo: incitar você a participar do blog. Eu disse uma vez aqui no Champ: “quem faz o blog são vocês; eu apenas escrevo”. E isso é verdade.

Gostou do texto? Comente. Não gostou? Discordou? Na sua opinião, o sujeito só falou merda? Comente. Acha que não tem nada a dizer sobre o assunto? Você tem, acredite. Qualquer blogueiro sabe o que fazer com seu comentário, sabe como “usá-lo” e extrair o melhor do que você disse sobre o texto em questão.

E, por fim, ele sabe usar isso como ferramenta – e incentivo – para melhorar ainda mais o blog.

E, caso o texto estiver bombando de comentários, isso não quer dizer que o seu irá passar batido pelo autor. Confie em mim: eu leio cada comentário que apita no meu e-mail como se fosse o primeiro que recebo na vida. Porque – e isso não é demagogia – não é o número de comentários que importa. É o SEU comentário que importa.


"Existe claramente uma tendência das pessoas comentarem no Google Reader e no Twitter. Mas, quando você faz isso (principalmente no Google Reader) você só conversa com seus amigos. Na caixa de comentários de um blog, você conversa com o autor diretamente, e com as outras pessoas que frequentam aquele espaço, podendo fazer amizades. Eu fiz muitas amizades dessa forma."
Adriano Trotta
Blog do Trotta


Comentando, você pode fazer seu blog predileto, seja ele qual for, ainda melhor.

Comente, participe, opine, critique. O blogueiro quer isso de você: suas opiniões, suas ideias. E ele te convida a mostrar todas elas, a cada nova postagem que publica. Porque, por melhor que um blog seja, ele não vive sem comentários. Quando muito, e com sorte, ele consegue sobreviver sem comentários. E mais nada.

Sim, é você, leitor que está aí do outro lado da tela, que faz um blog ter vida. E você faz isso com seus comentários. Eles têm mais importância para a gente do que você pode imaginar.


"Por mais que surjam meios de se monetizar conteúdos, não há remuneração mais gratificante para um autor de blog que um comentário. Porque não há reação pior do que a apatia, o silêncio, a indiferença. Sim, todo blogueiro é carente de atenção. Mas que atire o primeiro mouse aquele que não deseja despertar uma emoção ao expor um texto publicamente. Parafraseando aquela composição da dupla Alice Ruiz & Arnaldo Antunes, um blog sem comentários é como um coração que não bate nem apanha."
Alexandre Inagaki
Pensar Enlouquece


Se você é blogueiro, sinta-se convidado a levar esta discussão ao seu blog, para os seus leitores. Faça um texto – você é bom nisso que eu sei – e espalhe a ideia. Espalhe entre seus leitores, convoque os blogs amigos a fazer o mesmo.

Para ajudar, seguem até mesmo opções de banner (que não contém em lugar algum o nome ou o endereço do Champ, pois o objetivo destes textos jamais foi a promoção deste blog). Escolha o que mais lhe agrada, faça um texto a respeito, passe a ideia para frente.








Agora, se você é apenas leitor, peço apenas que pare e pense um pouco sobre seus blogs preferidos.

Lembre-se de alguns textos que você leu ali. O autor daquele blog é alguém que, muitas vezes, passou horas escrevendo o melhor texto possível, com o objetivo de fazer você gargalhar na hora do almoço, chorar no meio da madrugada, aprender algo novo ou passar o resto do dia pensando em algo que você nunca tinha percebido antes.

E tudo o que ele quer em troca destas horas que ele usou escrevendo para você é um comentário que levará apenas um minuto para ser escrito.

Você não acha que vale a pena?



Nota: Este blog agradece imensamente a todos os blogueiros que enviaram os depoimentos publicados acima.

100 comentários:

Otavio Oliveira disse...

É por causa de textos como esse que eu não hesito em retuitar vc, rob, mesmo antes de ler o que tem de novo no seu blog.
Aliás, nem é por causa de textos como esse, é por causa de idéias como essa e depoimentos como esses, e por causa de todo o resto.
concordo que o twitter pode ter feito diminuir o número de comentários por aqui. Mas pense também no que se construiu por lá. hoje eu tenho pessoas que considero amigas que conheci aqui mas que só pude ter contato através do twitter. eu sei que você sabe disso. e valeu por proporcionar isso. @anasavini, @nataliamaximo, @beatrisgn e mto mais gente vai concordar :D


a propósito, PRIMEIRO!!

Rafael disse...

Certo, leio aqui a pouco tempo e nunca comentei, mas passarei a fazer isso constantemente aqui, pois algo bom merece ser reconhecido, e este blog supera o "bom" por grande margem ^^

E o texto em branco foi sacanagem, será que terei que procurar mais frases escondidas em TODOS os outros textos?

Ana disse...

Não tenho mto a acrescentar. Só quero dizer que também adoro comentários nos meus textos. E quando não tenho comentários, sempre penso "putz, esse foi um fracasso" . E por isso, quando leio e gosto, sempre procuro comentar. Só que às vezes dá uma vergonhinha de dizer só o "gostei" e aí acho melhor não dizer nada...

Brunín...® Assis disse...

O Twitter é uma ferramenta violenta para divulgação e, igual o Otávio falou, conseguiu aproximar autor e leitor de uma maneira muito diferente, mas nenhum RT vai substituir um comentário.

É ele que vai ficar pra sempre ligado ao seu texto, é ele a quem você vai recorrer sempre que quiser relembraralgum momento.

Outro dia eu resolvi ler os comentários do meu blog antigo... morri de saudades das pessoas que iam sempre por lá e comentavam, davam suas opiniões sobre os textos e me faziam crescer com isso.

O leitor faz sua parte para ajudar o seu autor favorito. Simples assim... só posso assinar em baixo desse post!

@ofrango

Gabis disse...

Levei puxão de orelha.
É engraçado.Esses dias parei pra pensar quanto tempo fazia que eu não parava pra ler um texto no Champ e relaxar.Tanto no Champ,quanto no Acepipes e no Blog do Tyler.
E faz tanta falta uma gargalhada no meio do expediente ou um 'owwwn' quando o Besta Fera aparece.
Acho que o Twitter me deixou acomodada.Tweets deixam informações sobre o autor e por onde ele anda,mas nem de longe substituem os textos.Muito menos os comentários.

Enfim.
Vida longa ao Champ!

;)

Renan disse...

É, tá certo. Mesmo não gostando muito de ficar escrevendo comentários, acho que vou começar a dar algum parecer por aqui. Sei que provavelmente não irão gerar discussão alguma, mas você tem o direito de saber que mais alguém compartinhou de seus pensamentos e aventuras. Té mais.

Anônimo disse...

Concordo com tudo sobre essa 'necessidade de vida' do blog mas considere também que nem todo mundo que passa por aqui obrigatoriamente tem uma conta no Google ou está com saco pra criar uma e logar pra comentar. Pode parecer um comodismo chato, mas acontece. E também, muitas vezes, a insegurança de comentar após a leitura de um texto equilibrado e bem escrito influencia na ausência de comentários. Sei lá, deve ter n fatores pra isso. No mais, percebe-se que você é muito ligado a este espaço, tem paixão por escrever, publicar e organizar o blog mas, se é que já não fez isso, (desculpe por não saber caso já tenha se movimentado para) os seus textos merecem ser publicados em livro. @NM16_

*#*@le*#* disse...

Digamos que eu não sou de comentar sempre. Mas sei lá, as vezes parece que o comentário não vai estar a altura do texto, e é verdade isso.
Muitos textos que eu li aqui e gostei demais não foram comentados, mas prometo que isso vai mudar, não quero correr o risco de ver o champ morrer, isso não pode acontecer não.
E agora além de retwittar os textos eu também vou comentar, pode deixar, haha :)

Carlos Cruz disse...

Eu tento comentar sempre que realmente me interesso nos posts, e evito comentar em todos, pra não virar uma "rotina" pra dizer: "curti" "legal" "essa é boa".

e tambem quero sempre colocar minha verdadeira opnião nos comentários!

Forte abraço,
Carlos Cruz

Frank disse...

Eu sempre fui um leitor "na minha". Raramente eu comento em qualquer blog que seja. Mas, depois de ler esse texto eu parei para pensar no quanto eu fico feliz a cada comentário novo que eu recebo no meu blog e eu percebi que você tem razão Rob, não existe nada mais gratificante que isso.

A partr de agora conte com meus comentários em todos os seus posts. xD

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Como forma de protesto, não comentarei esse tex... shit!

Comentários são a alma dos blogs, com certeza!

Eu tenho uma média de um texto por mês, pois não tenho muito a falar, e também porque a cada vez que eu publico o texto, divulgo no msn, twitter, etc. As visitas do blog atingem os 3 dígitos, mas os comentários se são 2, são muitos.

Eu acho que você comenta muito pouco Rob, mesmo em posts sensacionais do Bruno Palma e do Tyler Bazz, é raro você soltar comentários...

Serena® disse...

Eu não tenho comentários no meu blog pq não o divulgo...acho que como não tenho mto tempo pra ficar postando no blog, acabo deixando-o só para mim. :)))) Mas eu gostaria mto que as pessoas que passassem por lá me seguissem, talvez eu me animasse um pouco mais. :O. Se vc for até lá não me deixe comentário, me siga...hehehehe Beijos

Marilia Rodrigues - Natal Acessível disse...

Texto óóótimo! Nem conhecia seu blog, adorei! Realmente tbm tenho notado uma queda nos coments do meu blog e isso quebra o vínculo blogueiro X Leitor. Os comentários nos instigam a escrever sobre outros assuntos, a debater e manter um contato direto com o leitor!

Diego Iwata Lima disse...

Quase caí na sua e comentei. Ah, não. Peraí.

Ewaldy Marengo disse...

Leio seu blog desde o começo (não sei se vc lembra, mas quando eu tinha o geradorii.com cheguei a fazer um post indicando o vinyl) e creio que nunca comentei aqui.
E fiquei até com medo, porque quando abri a página, não tinha comentário nenhum :O. Felizmente, enquanto eu lia, outros mais rápidos comentaram, dando vida ao blog \o/.

E mesmo que um blog precise de comentários, lembre que a maioria silenciosa também está sempre por aqui.

Abs

Juliana Canoura disse...

Você tem razão,Rob

Muitas vezes deixamos de comentar por esquecer que o nosso comentário é importante,que o blog é feito também por e para nós.

Foi um bom lembrete.. =]

Renata disse...

Rob,

Sempre que leio algo e não comento, é por pura e simples falta de tempo (e se comento é porque estou procrastinando um pouco mais, como agorinha mesmo...)
Acredito que não seja a única a sofrer deste mal.
A propósito, o Champ é um dos meus passatempos favoritos pra esses momentos "deveria estar estudando/trabalhando". Às vezes tenho medo das Sagas porque algumas me deixam tão curiosa que passo horas sem me concentrar no que deveria estar fazendo, só imaginando o final.

Anna. disse...

Acompanho o seu blog a pouco tempo, e nunca comentei porque queria ler tudo, desde o começo, antes de comentar. Quando descobri que tinha mais de 600 posts, pensei que talvez comentasse antes (mas não desisti de ler tudo), e depois desse post tive que comentar haha. Enfim, adoro os seus textos de verdade, passo madrugadas lendo. Um dia ainda quero saber escrever tão bem quanto você (:

MaxReinert disse...

É isso mesmo... a gente vai ficando preguiçoso e preguiçoso e preguiçoso.... parece até casamento! O cara engorda pq já conquistou o/a parceiro/a.
Tem que cuidar né?
Vou me policiar também!!!!

Bejörn disse...

Oi, Rob,

Como vai garoto?

Visito seu blog (ou seja, você) várias vezes durante o dia e da noite — Muito embora não deixe comentários, mas estou sempre te acompanhando, seja aqui, seja no Twitter. Peço minhas sinceras desculpas por não andar marcando presença nos comentários. Eu só me manifesto quando tenho algo legal para dizer, não é sempre que bate a vontade de falar qualquer besteira só para “bater cartão” e mostrar presença.

Adoro seu Blog e quase tudo que você escreve — Não me identifiquei muito com o Chronicles pela temática que você explora ali, mas reconheço a qualidade de tudo que você escreve. Já perdi as contas das vezes que elogiei seu trabalho e sua pessoa, aliás, como todos aqui.

Esclareço que não escrevo em comentários de jornais ou em Portais online, não sou de ficar arrumando briga por aí nem gosto de me envolver em discussões inúteis ou polêmicas com gente mal-educada.

Aliás, como o Twitter é em inglês, afasta boa parte desse povo mal-educado da internet (Orkut e Comentaristas Trolls).
Não sei e nem curto escrever comentários curtinhos e engraçadinhos do tipo: “texto legal, ri muito”— “HaHaHaHaHa fiquei rindo feito bobo no serviço e passei mó vergonha” — “uiuiu que texto fofo” — “Ai que horror, falou palavra feia!” — “Legal, vou contar pra minha mãe!” — “Oi, Rob, olha eu aqui de novo...”

Acontece que adoro comentar e deixar meu apoio nos blogs que acompanho. Porém sou muito prolixo, muito verborrágico. Me sinto um marciano, um alienígena, ser de outro mundo. Fico com a sensação que ninguém vai ler meu comentário e que estou sendo extremamente chato e/ou intrusivo.

É como se estivesse invadindo “sua casa”, seu Blog, algo que não me pertence e que não tenho o direito de ficar me prolongando nos comentários onde você é que deve brilhar por mérito e por direito.
De uns meses para cá fiquei totalmente viciado no Twitter. Sério cara, virei um “Rato de Twitter”. Não fico um dia sem...

O Twitter é democrático, é igualitário — todo mundo tem que falar em no máximo 140 caracteres, o que pra mim é um tremendo esforço de redação e exercício de linguagem.

No Twitter todo mundo se sente em casa, não tem essa de invadir o espaço do outro, ninguém é dono de um espaço, de um Blog ou de um Perfil. Todos estão em pé de igualdade. Ninguém é melhor do ninguém no Twitter — é tudo mundo igual lá.

As celebridades que se aventuram por lá não tem tratamento especial, não são colocadas em pedestais e têm que saber se virar p/ sobreviver no Twitter — vide os exemplos recentes de Xuxa e da Rita Lee.

Até porque no Twitter, quem não interage com os outros acaba meio que se diluindo, sumindo aos poucos...

Por último, o Twitter tem um pessoal mais velho; Não tem cara de praça de alimentação de shopping da periferia, quero dizer, não é dominado por hordas de teenagers como os outros sites.
Posso estar errado, mas em minha opinião quem realmente gosta de Ler e de escrever bons comentários foi fisgado pelo Twitter — Aquele povinho superficial e vazio que antes vinha por inércia na blogosfera agora está restrito de vez no Orkut e congêneres.

O Twitter aglutinou toda uma elite da blogosfera — Todos que valem a pena estão lá — É um lugar selvagem, fechado e com suas próprias regras — ao mesmo tempo em que é altamente gratificante e recompensador estar ali e comungar com os que ali se fixaram.

Bejörn disse...

Antigamente o Champ era mais diversificado: você fazia resenhas de filmes, de discos, de Histórias em Quadrinhos, de Livros, de causos do dia a dia — Acho que inclusive que os contos que você tem publicado aqui no Champ, muitas vezes são complexos, exigem um pouco de reflexão.

Na minha opinião é preciso amadurecer e raciocinar um tempo antes de sair falando qualquer coisa nos comentários — Não dá pra meramente dizer “Ah, gostei!” —
Seus textos evoluíram bastante desde que começou o Blog, são trabalhos bem elaborados e, na minha nada humildade opinião são até superiores aos do Luis Fernando, ou, pelo menos mais profundos sim.

Acho um desrespeito meu escrever qualquer coisa nos comentários do seu espaço sem me dar minimante a uma reflexão sobre o que você trabalhou por horas (quando não dias). Você merece bons comentários.

Última Reflexão — seria legal se você aparecesse p/ “conversar” com mais freqüência nos comentários. Por exemplo, como faz a Nospheratt no site dela, o Blosque — Ela comenta e responde simplesmente TODOS OS COMENTÁRIOS que recebe. Não digo que você devesse também comentar o que todo mundo fala, mas quem sabe podia aumentar a freqüência um pouco...

Frank disse...

"Vida e morte são abstrações não quantificáveis, por que deveria me importar?" - Dr. Manhattan sobre os últimos 2 posts

Eu simplesmente PRECISAVA fazer essa piada... :P

Kehl disse...

O que difere um comentário de um RT no link, no Twitter, é que o comentário é absolutamente registravel e não é limitado pelos 140 caracteres.

"Mas o RT também fica registrado."
Fica, claro que fica. Agora, se você faz um comentário em algum blog, seja ele genial ou não, é muito mais fácil de encontra-lo, pois você sabe exatamente onde está o texto comentado; enquanto no Twitter, o seu RT fica solto, perdido no tempo e no espaço. Vai ter paciência de ficar procurando um tweet em especifico entre milhares de "tweets antigos".

E peço perdão Rob, por ser seu leitor há anos e nunca ter feito nenhum comentário antes do "Morte".

Daniela disse...

Olá Rob...

Sou apaixonada pelo seu blog. O conheci a cerca de 1 ano, li TODAS as postagens.
Todos os dias entro no Champ, leio os textos atenciosamente.
Deixo comentários? Nem sempre, mas faço questão de ler todos os comentários deixados pelos seus leitores. E através dos comentários conheci outros blogs, pq os comentários dizem muito a respeito dos leitores.
Já até escrevi e-mail para o Jô, pq sinceramente, ele merece conhecer você.

Mari Hauer disse...

Oi Rob!

Bom, eu sou daquelas que adora comentar, mais do que escrever no meu blog! E vejo por mim o quanto ando comentando menos! Poderia ter a desculpa da epoca de vida que eu estou vivendo agora, mas seria soh desculpa.

E, indo um pouco mais fundo (ui!) no que vc disse no meio do texto, sera que ando lendo, realmente, os textos dos blogs que eu sempre visitei?

Acho que isso se aplica a todos os leitores. E um exemplo classico foi o que aconteceu no seu ultimo texto - Morte - onde muita gente te xingou, achando que era uma brincadeirinha de mal gosto sua, quando o texto era generico. As pessoas leem, algumas vezes comentam para fazer volume, e mal leram o texto.

Nao sei porque acontece. Ou melhor, eu ateh imagino, mas seria uma discussao mais profunda e sem fatos e dados para provar o que eu estou tentando explicar...

Como alguem disse aqui, ja fiz amigos e conheci muita gente legal por comentarios. E muito blog bacana clicando nos links dos comentarios das pessoas que eu sempre via nos mesmos blogs que eu comentava! Pessoas muitissimo especiais pra minha vida! Se depender de mim, os blogs que eu gosto de visitar nao deixarao de ter comentarios tao cedo! :))

Mais uma vez, adoro os seus blogs! E dah para perceber como vc gosta e se dedica a eles!

Um beijo,

Larissa disse...

Nao conhecia seu blog e cai justamente neste post sobre a importancia dos comentarios dos leitores. Tambem tenho um blog de conteudo, no meu caso sobre beleza, e apesar de ter varios seguidores tb sinto falta de mais comentarios nos posts.

Seu texto foi bem escrito e refletiu a minha opiniao como blogueira. Como leitora, puxarei minha orelha para comentar mais.

Att,
Larissa

Natalia Máximo disse...

Eu e meu blog não somos os melhores parâmetros para falar sobre comentários - quando muito, recebo cinco, e acho que nunca passou de dez. Acho (leia-se: espero, porque não quero ser tão ruim assim rs) que muito disso se deve ao fato do Caleidoscópio ainda ser bem novinho. Mas, mesmo assim, tenho a mesma sensação que você: nada agrada mais um blogueiro do que receber opiniões de seus leitores. É isso que nos ajuda a crescer. A importância dos comentários é tão grande que estava pensando em colocar um sistema diferente do Blogger, um que permita uma interação maior mesmo.
Vou aderir à campanha e colocar o logo no meu blog e espero que meus três leitores se conscientizem hehehe

Cristal disse...

Confesso que antes de me tornar també blogueira, comentar nunca foi uma prioridade. E como eu me arrependo!

Tantos lextos que li e fizeram meu dia melhor acabaram passando "em branco", sem os comentários que hoje eu teria escrito.

Só quando o meu blog tomou forma, eu percebi o quanto comentários fazem falta a um blogueiro. O quanto se tornava vazio um texto escrito com tanta empolgação nossa, mas que não recebia nenhuma reposta de um púbico que a gente nem sabe se existe. Como saber se, daqueles mil pageviews, alguém efetivamente leu um texto por completo?

E o Twitter, como você bem destacou, só vem aumentar esse vazio. Não estou criticando o twitter, sou viciada no negócio, mas da mesma forma que ele ajuda a divulgar textos internet afora (eu mesma não estaria aqui se não fosse por ele), a via de mão dupla aparece pra complicar, e vemos os comentários diminuirem ainda mais, se transformandoem RTs. E quantos desses RTs não são dados antes mesmo da pessoa sequer ler o texto?

O mínimo que se pode esperar é que pelo menos nós, blogueiros, não nos esqueçamos dessa importância dos cometários quando estivermos no quintal do vizinho. Claro, comentar em todo santo post pode acabar gerando comentários vazios (e até desnecessários), mas, vez ou outra, nada como deixar a prova da sua existência nos blogs que tornam o seu dia mais colorido.

Ah, claro, vou aderir a campanha.

PS: E é incrível como esse problema se atenua em determinadas áreas como os blogs de moda... Mas aí vem aquele outro porém, que vôcê também citou: até que ponto é válido um comentário que diz apenas "primeiro!" ou "hahaha gostei"? Bom, depende de quem escreve.

Natalia Máximo disse...

E só agora, depois de postar meu comentário que vi o do Otávio e concordo completamente. Se não fosse o Twitter, sabe-se lá se algum dia eu conheceria o Champ, ou o blog do Tyler, ou o Acepipes... Quando o negócio é ser leitora de blogs, fiz o caminho inverso: foi no twitter que conheci praticamente todos os blogs que leio hoje. E é por causa deles que eu tenho um hoje =D

comfelelimao disse...

Pô, Rob, taí uma coisa que quase nunca consegui fazer nos teus blogs: comentar. Eu leio um texto seu e quase sempre gosto, vou lá no twitter, indico e tal. Se eu não gosto, também não boto reparo.

Já percebi uma coisa: via de regra, blogueiro não curte comentar em blogs, recebo pouquíssimos comentários de blogueiros no meu. Acho que é um lance meio de não querer ser estilingue quando se é vidraça, um tipo de corporativismo bloguístico, sei lá.

E o twitter tá complicando a vida dos blogs: muitas vezes o sujeito tem uma sacada boa e, em vez de escrever um post bacana, se contenta com os 140 toques e acha que matou o assunto. Ou, então, faz o comentário que deveria estar no blog diretamente no twitter.

Adônis disse...

O que é consequência também dos comentários é que quanto mais gente fica interessada no seu blog, mais você resiste em querer excluí-lo ou parar de atualizá-lo, pra não decepcionar seus leitores, né...

Acho que os comentários são bem o termômetro da blogosfera!

Abraço, Rob

Kika® disse...

Já fiz esse mesmo comentário em outro blog que, da mesma forma, chamou a atenção para a acentuada queda nos comentários: o google reader acabou com minha rotina de comentar nos blogs, sabia? Por meio dele eu acabo lendo mais coisas, claro, mas o volume de leitura acaba sendo tão variado e grande (pela facilidade ali) que não consigo clicar mais e abrir cada blog para comentar. Triste? Sim. Ainda mas para quem é leitora do Champ há tanto tempo, como eu, que fico com esse sentimento de abandono da minha parte...

Kell Alves disse...

Como leitora, nunca tinha visto os coments por esse viés. Já lí coisas extraordinárias aqui e em outros blogs que sigo e por muitas vezes não dizia nada. Os motivos? Diversos.
Por exemplo, no caso do Champ q é um blog bem frequentado tanto no q se refere a quantidade quanto a qualidade por vezes, eu achei que meu coment se perderia entre tantos.
Tb acontece de se ler um texto tão bom q a gente fica sem saber o q dizer, qualquer comentário parece idiota demais ante a postagem.
E não se engane Rob, tem comentário q para ser escrito leva muitos e muitos minutos, pq como vc bem disse, comentar coisas do tipo 'gostei', 'adorei' ou idiotices afins nunca foi fazer um comentário. E entendendo o comentário como continuidade da postagem há q se considerar q o comentário tem q ser 'o comentário'.
Colocando-me do lado de cá, do lado dos leitores, penso q nosso papel além de vital p os blogs tb é sofrível, p aqueles q fazem isso por prazer. Quer um exemplo? Qndo O outro blog da Mary (q eu sempre adorei)deixou de ser atualizado eu fiquei cá pensando: 'Será q a qualidade dos nossos comentários estavam à altura do blog?'. Juro!
O feedback do autor é bem mais contínuo e efetivo q o do leitor.
A ausência de postagens pode sim significar a falta de coments, mas tb pode significar a falta de vontade, a falta de tempo, a mudança de foco e nem sempre nós, leitores, temos a capacidade, ou melhor, os subsídios, para identificar o porquê do blog estar morrendo. No caso da Mary, ainda não conseguir atentar para o motivo da ausência das postagens até o presente momento.
Encontrar um texto como esse é um presente para nós leitores e um incentivo q acredito ser necessário, mas um tanto qnto tardio, dada as atuais condições da blogosfera.
Eu diria até q esse silêncio dos leitores está querendo dizer algo sobre a maneira como os blogueiros se relacionam com seus leitores.
Há tb q se considerar q a despeito da moda dos blogs está sendo substituído pela do Twitter, ainda há muita gente totalmente vazia criando blogs à torto e a direito, a gente vê cada coisa por aí q dá vontade msm de uma mudança de paradigma, como recorrer ao Twitter.
A tarefa de pôr a blogosfera nos eixos é bastante árdua e deve envolver o esforço coletivo de blogueiros e leitores, numa realação de reciprocidade contínua.E acho q é exatamente aí q está o quê da questão: 'reciprocidade' e penso q qndo digo isso, tô falando a msm coisa q vc.

Kika® disse...

*ainda MAIS (passou batido)

Kell Alves disse...

À propósito, é exatamente por medo de não receber comentários, q nunca disponibilizei os malditos feeds no meu blog.

Varotto disse...

Bom, um dos motivos pelos quais eu resisti muito a criar um blog e, depois de criado, ele acabou perdendo fôlego no caminho (como, aliás, eu havia previsto), foi exatamente que eu acho que funciono muito melhor do lado de cá das trincheiras do que do seu lado aí. E acho que, hoje, após ter tentado, estou tranquilo em relação a isso.

Quanto à possibilidade de você ter perdido a mão para de (como diria isso de forma educada?) falar merda. Seus textos, de forma geral, têm estado melhores do que nunca (com uma ou outra derrapada ocasional, é claro). E não estou falando isso por amizade, babação ou pela proximidade do seu aniversário...

E como comentou Bejörn (que alega não ser um dos comentaristas mais frequentes mas, com certeza, é dos mais prolixos ;o)) sua presença nos comentários poderia ser mais frequente. Eu sei que o seu dia tem 48 horas mas, comparativamente, a mesma sede de resposta que tem o autor do post, também têm aqueles que comentam. O que, obviamente, assim como você citou, não quer dizer que você tenha de responder a todos os comentários de forma automática.

E isso vale também para o comentário do Pedro L.R.C.V. (ufa!), são raras suas participações em comentários de outros blogs. E com isso, não quero dizer, de forma alguma, que você esteja sendo hipócrita. Entendo que se você for comentar textos de todos os blogs que acompanha, não vai fazer mais nada da vida. Mas isso, guardando possíveis proporções, pode valer para qualquer um.

Enfim, continue com o bom trabalho e, como bom amigo, não posso me furtar a fazer um comentário construtivo de incentivo: deixa de viadagem e começa a preparar logo essa porra desse livro e combinar aquela picanha no Degas!

Alexandre disse...

nunca pensei que comentar fosse tao importante, e sempre que ia fazê-lo, olhava que tinha mais de 50 comentarios e pensava que voce nunca ia ler todos, masagora entendo o valor do comentario para o autor.

PS. seus textos são sempre excelentes.

Yole disse...

Olá!
Acompanho o seu blog há alguns anos e nunca comentei... rs
Confesso que já esbocei o comentário algumas vezes, mas nunca terminei. Acontece que sou mto melhor lendo do que escrevendo...
E comentar no seu blog é uma baita responsabilidade, pois não só seus textos são ótimos, como os comentários são tbm cheios de conteúdo.
Mas prometo tentar me expressar mais vezes!!!!

Juba disse...

Rob, acho que é a lei do menor esforço. Estava hoje comentando sobre a quantidade de leitores de títulos - aqueles que não lêem mais nada no post - e meu marido respondeu: é por isso que o twitter faz sucesso. Quantas palavras mesmo?
Respondi: 140 caracteres.
Ele: putz, menos que um sms!
Detalhe: ele é geek, trabalha com
TI e tem um gosto para filmes e músicas idêntico ao seu.
Eu adoro ler suas tuitadas, mas sou mais o Champ.

Ana disse...

Eu concordo que a falta de comentários é um conjunto de fatores. A facilidade de se expressar no Twitter com apenas um RT, a decadência do Orkut e o fim da interação através das comunidades de blogueiros, a falta de postagens e de qualidade das mesmas (que não é absolutamente o caso do Champ), a dificuldade de se expressar após um post que, aparentemente, não precisa ser comentado, o Google Reader, etc.
Mas eu concordo, também, com o comentário do Varotto (Bejörn e Pedro). O retorno do blogueiro para o comentário do leitor é importante, não só quando ele tira alguma dúvida ou responde algo que ele achou ofensivo. Como leitora, eu sei o quanto comentar pode causar uma certa insegurança já que quem vai ler é alguém que admiramos e não queremos que saia algo que não esteja à altura do que acabamos de ler. E como blogueira, também sei da importância que é receber um comentário, o quanto nos anima a continuar postando e o quanto é gratificante recebermos comentários de outros blogueiros os quais acompanhamos e admiramos.
Dito isso, Rob, mantenho a campanha com o Varotto para que saia logo o seu livro impresso que, com certeza, vai ser tão delicioso e genial quanto seus blogs.

@camicap disse...

Também levei puxão de orelha.

Leio todos os textos do Champ, mas raramente comento. Às vezes leio os textos rapidamente, em outras oportunidades tenho muita coisa para fazer. Mas é claro que não posso usar a falta de tempo como desculpa.

Meu blog é bem modesto, não é tão bom quanto o Champ, mas adoro receber comentários. Isso deveria me servir de lição!

"Dito isso, Rob, mantenho a campanha com o Varotto para que saia logo o seu livro impresso que, com certeza, vai ser tão delicioso e genial quanto seus blogs." [2]

Ana disse...

Ah! Esqueci de comentar o que o Otavio (@otaviocohen) falou ali em cima. O Champ, através dos comentários e depois com a ajuda do Twitter, me proporcionou conhecer várias pessoas as quais eu considero meus amigos. E, enfatizando, somos todos leitores do Champ (e do Chronicles). Rolou uma identificação entre nós que é uma coisa super bacana e única que não teria acontecido se o Champ não existisse e, o mais importante, se não comentássemos aqui.

Vivi disse...

Assino embaixo.

Sinto saudades dos tempos em que havia mais participação, mais interação, ás vezes me sinto num quase monólogo virtual. O mais contraditório é que minhas visitas aumentaram nos últimos 2 anos mas os comentários... bem... diminuiram e muito. É engraçado pq uma vez questionei sobre isso no meu Twitter e tomei uma chuva de replies de leitores que não gostaram da minha crítica, que acham que eu não deveria esperar comentários em "troca"... mas a gente quer saber o que o leitor pensa, o que ele espera, o que ele sente quando lê um post.

Por outro lado, quando eu não posto ou sumo por algum tempo (por motivos puramente profissionais), recebo comentários cobrando posts. Dá para entender? rs

=*

Yara Balestrero disse...

Mea culpa, mea maxima culpa. Acompanho o Champ desde o tratamento de ouvido do Besta-Fera, mas essa é a segunda vez que comento. Vergonhinha. Você escreve tão gostoso que a gente acha que nem precisa falar mais nada.... Quanto ao "Morte" achei que era efeito da dieta, mal-humor, sabecomué. Mas você tem razão, vou tentar deixar comentários, ok?

Cássia disse...

Eu mantenho três blogs, mas apenas um eu realmente levo mais a sério a questão de produzir conteúdo. É sobre ballet clássico. Eu ainda não tinha pensando sobre essa questão dos comentários, até que lembrei do que aconteceu no meu e entendi com clareza o seu ponto de vista e concordei totalmente. Toda vez que publicava textos mais elaborados, com questionamentos e tal, eles eram comentados. Quando eu publicava fotos de ballet, não. Quando eu publicava vídeos e comentários de ballets de repertório, também não. Oras, pensei comigo, ninguém quer ver isso. Ambos diminuíram drasticamente e meu foco foram os textos. Resolvi fazer uma pesquisa para entender o andamento do blog, saber quais eram as críticas, o que queriam acrescentar, e o que ouvi? "Precisa de mais fotos! Quero ver mais repertório!". Se eu não tivesse perguntado, nunca saberia. Blogueiro não é adivinho, se não nos dizem se está legal, não há como seguir com aquilo que querem ver. Eu comento nos meus blogs preferidos quando algo realmente mexe comigo, faço questão de falar como aquilo fez diferença para mim.

Beijos.

Simone disse...

Cheguei no seu blog pela primeira vez por causa deste post, e gostei! Opinião de atitude e bem esclarecida. Como blogueira entendo bem isso, mas para os leitores ou algumas pessoas que não estão tão habituadas com a linguagem de um blog, as vezes é dificil entender "como faz" para comentar e a importancia disso, então lêem e até possuem uma opinião a respeito, mas guardam para si (até achando que não devem comentar ou se expor). Enfim, ótimo tópico, e adorei o gadget "dê vida este blog",que diz tudo o que é preciso de maneira direta e informal. Vou salvar um deles e na sequencia coloco no meu! ;-)
Agora vou dar uma geral pelo resto do seu blog. Até mais!

Camilli Chamone disse...

Oi Rob,

acabei de receber seu texto por e-mail e vim aqui lhe cumprimentar por suas excelentes - e pertinentes - colocações.

Sabe, acho que o excesso de informações tem sido o mal não anunciado do século. É ele que nos leva ao stress!

Na época dos meus pais, a opção musical era MPB ou Beatles. Partidos políticos eram, realmente, de direita ou de esquerda. Bebida era água, suco ou um derivado álcoolico. As publicações eram advindam de livros ou jornais.

Hoje, somos bombardeados por todos os tipos de opções e informações, na vertente política, educacional, comercial, etc. etc. e etc., e a internet propaga essas informações numa velocidade absurda.

MPB, bossa nova, heavy meatl, funk, axé, blues, jazz, new age. Republicanos, PC do B, PSDB, Prona, PT, UMP.
Azul, fúcsia, caramelo, branco, pêssego, bordô, uva.
Coca-cola, Pepsi, Baré, Fanta, Taí, Mate-Couro.

No afã de tentar acompanhar e conhecer o que se passa em nossa volta, seguimos click após click, tentando alcançar o inalcançável!

Twitter, Facebook, Digg, Messenger, Blogger, Wordpress.

Acho que falta tempo para comentar.
Acho que falta foco.
Acho que sobra stress.

Abraços!

biadefreitas disse...

Engajamento reprimido....

Marina disse...

Eu fui uma das que xingou. E xingaria mil vezes se isso impedisse que blogs como o Champ acabassem.

Não sei se farei um texto sobre o movimento, mas sou muito a favor dele. O Tyler twittou uma vez algo muito verdadeiro: que se tiver poucos comentários, mesmo com muitas visitas, você fica com a sensação de que o texto não agradou. Blogs precisam de comentários.

Muito boa a iniciativa, Rob. Bom que você continua por aqui.

Nathalia disse...

Eu sempre penso em comentar os textos e acabo deixando pra lá, por não saber o que dizer, ou por preguiça mesmo. E como sempre recebi poucos comentários no meu, acabei nem pensando que poderia ser tão significativo assim. Vou reconsiderar isso agora.

Naissa Viana disse...

Olá!

Parabéns! Achei o post muito sincero e concordo com suas colocações.
E até me animei a fazer um sobre o assunto, vamos ver.
Já percebi essa relação com o Twitter. Várias vezes quando divulgo um post vejo tweets de amigos o recomendando, não só RT, falam que gostaram, etc, mas nada de comentários. Não sei se é a falta do que dizer (e aí não querem só dizer que gostaram e concordam) ou a preguiça de dizer duas vezes a mesma coisa, pois pode ser que eles pensam que pelo Twitter é melhor fazer esse tipo de elogio, já que a visibilidade é maior.
Realmente um comentário motiva muito a escrever e faz falta.

Lucas Jota disse...

Só tentando acrescentar alguma coisa à discussão: Poderia também ser mais fácil e rápido comentar nos blogs, não acha?

Nesse post, por exemplo: Li o texto (não todo), e dei uma olhada nos comentários. Mas pra deixar o meu, tive que descer até o final dos comments (gira o scroll do mouse, gira de novo, mais uma vez...) e clikar em um link...
E esse link abriu outra janela, e tive que descer todos os comentarios denovo.

E tem blogs que ainda só permitem comentários de users cadastrados, não tem links pra compartilhar no twitter, facebook ou buzz... Aí desanima né

Obvio que isso não impede de comentar quem realmente queira, mas prestar atenção também na usabilidade pode resultar em mais participação dos leitores em qualquer blog.

Leandro disse...

Existem poucos blogs que acho realmente bons, os quais já li de cabo a rabo. Entre eles o Champ e o Eneaotil (que foi indicado aqui).

Comentei alguns textos em ambos, e nunca tive resposta para meus comentários. Não comentei esperando isso, mas penso que da mesma forma que os comentários tem o papel de "combustível" para os blogs, e que o blogueiro precisa ouvir o leitor para criar essa troca, o leitor também precisa ouvir o que o blogueiro tem a dizer sobre a sua opinião. Se isso não ocorre, a troca fica limitada.

Continuo lendo e continuo achando os blogs incríveis, mas não comentei mais. Se eu emiti uma opinião, também espero ouvir algo sobre isso. Acho que essa troca existe sim, mas ainda é muito restrita. Quantos comentários são respondidos, 5% deles?

Também me chamou a atenção uma coisa, não notei comentários seus nos próprios blogs que você indicou. Fiquei curioso quanto a isso, ainda mais depois desse texto.

Mas é isso aí, continuo visitando o blog diariamente, comentando ou não!

Abraço

Rob Gordon disse...

Comentando alguns pontos levantados aqui.

Quanto a eu comentar pouco nos blogs que indiquei aqui, é porque faço muito isso por msn (caso do Tyler). Mas isso bate de frente com o que escrevi aqui. Incluam isso no meu mea culpa, vou prestar mais atenção nisso. Em outras palavras, vamos aprender juntos, eu e vocês.

Quanto à funcionalidade de se postar um comentário, não sei qual a maleablidade que o blogger permite, vou pesquisar. Mas não é preciso descer a janela inteira, Lucas: basta clicar no "ir para o formulário de comentários" no início da caixa de comentários (ele irá pular todos os comentários).

E, quanto à resposta dos comentários, dúvida: alguém sabe como eu consigo aquela caixa de texto que dá reply dentro do próprio comentário? (como, por exemplo, acontece no Facebook).

No mais, obrigado pela participação de todos. Quanto mais críticas e toques que vocês puderem dar, melhor, estou lendo tudo com bastante atenção para, mais que fazer minha parte, dar o exemplo tb.

Gilgomex™ disse...

Morte... Vida...

O próximo vai se chamar Severina???

Varotto disse...

Boa Gomex!

Filipe disse...

Assim como o Rafael (comentário 2), descobri o blog há pouco tempo e nunca comentei, apesar de considerá-lo o melhor blog que eu já li. Tentarei comentar mais, "pois algo bom merece ser reconhecido, e este blog supera o 'bom' por grande margem".

Dragus disse...

Fico sem internet um dia no trabalho e perco esse lançamento?

Pelo menos vi que existem pessoas mais prolixas que eu... =P

Marcus disse...

Bom dia, eu sei que não o conheço, mas leio aqui a um bom tempo (desde meados de 2009).

Eu não acho que o twitter tenha a ver com a queda de comentários. Acho sinceramente que quem gosta de ler textos não se contenta com 140 caracteres, simplesmente quer ver mais.

Também discordo da terceira alternativa, não acho que os blogueiros perderam a mão, tem também fatores como o leitor gostar do texto e - pelo menos no meu caso - sentir um certo receio em comentar por não conhecer o autor.

De resto, texto perfeito, concordo plenamente que a blogosfera precisa de uma sacudida.

Desculpa novamente invadir o espaço.

Até logo.

Lilian disse...

Rob, eu uso o Intense Debate e ele é uma beleza pra dar reply, e é muito fácil de instalar. Recomendo!

(Se quiser dar uma olhada como funciona, passa no meu blog, eu tou sempre respondendo os comentários, caso vc ainda não conheça o Intense.)

Ulisses Adirt disse...

Fabuloso, Rob. Normalmente eu só comento quando acho que tenho algo a dizer... mas, depois de tudo isso, não tinha como não falar um pouquinho. Valeu.

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Dragus se sentiu frustrado depois de tantos comentários prolixos hahahaha

poetamatematico disse...

Eu concordo plenamente com vc. Mas pense pelo outro lado. Eu só soube do seu blog pq alguém me recomendou pelo Reader. A gente não sabe direito como serão as coisas a partir daqui, mas o reader e o twitter [e o facebook tb, pq não?] devem ser pensados como espaços complementares a este

Bom, vc está certo e eu vou escrever algo sobre isso tb em breve

Parabéns, é minha primeira aqui e a impressão é a melhor possível...

Marcie disse...

Sensacional. Vou pedir para minha diretora de arte (i.e. minha filha!) fazer um selinho para colocar no meu blog.

Helena disse...

Uau!
Primeira vez aqui no Blog. Cheguei através de uma "tuitada" do @soshollywood, e amei tudo que li aqui neste post. Ainda não vi outros, pretendo, mas aos poucos.
Sou apenas colaboradora de um blog, e sei como são importantes os comentários, pois só através deles podemos saber se o que fazemos, agrada ou não.
A sensação que tenho ás vezes é que pra uma grande maioria, o "pensar" hoje em dia anda difícil. Sim, o pensar, pq até pra escrever um simples comentário é necessário pensar, a não ser claro, aquele tipo de comentário que vc citou, o "padrão" e sobre esse, não precisamos comentar mais nada.
Eu tenho problemas sérios de tendinite/bursite que realmente afetam meu desempenho diário em frente ao pc, mas qdo entro em algum blog e vejo algo que me toca, ou que realmente vale a pena, nunca deixo de comentar, e o que é pior, não sei escrever pouco. ( Pior só pras minhas dores ). Comento e sempre divulgo. Como é bom dividir coisas boas com os amigos.
Isso sem falar nos podcasts que ouço e tbm comento, e esses tbm são "outros" que sofrem com a ausência de comentários.
Bom pra "me poupar" de uma crise aguda logo hoje que é aniversário do meu filho, paro por aqui.
Boa sorte! ;)

Gilgomex™ disse...

A "Coluna" já chegou a ter 35 coments em cada post... Mas depois, por puro relaxo de minha parte perdi essa turma. Hoje em dia tem um ou dois de vez em quando (valeu por existir, Varotto)... Mas o seu blog eu nunca vi um post ter menos de 30 coments... Chorando de barriga cheia??? rs

Stephanie disse...

Rob,

embora eu ande cada vez mais ausente da blogosfera - tanto escrevendo como comentando - por vários motivos, acho que a questão do cometário é a qualidade.

Tive um período em que eu mantinha um blog com uma frequencia de atualização, razoavelmente visitado e recebia comentários. Alguns deles eram construtivos, tinham questões sobre o texto ou sobre as interpretações dos leitores, mas com o tempo, mesmo quem entrava no blog para comentar acabou caindo num lugar comum de 'nossa, que bonito', "olha não sei o que dizer" e acho que este tipo de comentário também não ajuda. Entre receber dez elogios genéricos e um comentário questionador, é preferível este último.

Durante bastante tempo eu procurei me orientar por essa impressão e quando deixava um comentário para um blogueiro e procurava deixar um registro da leitura que fiz além de destacar o que considerei uma boa ideia, o estilo, algum traço do texto que fez crer que ele merecia ser comentado.

Acho a sua campanha super válida. Quem sabe se eu resolver dar um pouco mais de vida ao meu blog consiga manifestar um pouco mais de apoio. Só espero que as pessoas que toparem participar se disponham a deixar a preguiça mental de lado e se expressem pra valer. O diálogo é o que faz toda a diferença.

beijos
e parabéns pela iniciativa.

Gilgomex™ disse...

Bem, agora que finalmente consegui ler todo o texto, vamos falar sério...

Sei o quanto é ruim não ter comentários. Meu blog já nem é nem atualizado com aquele ânimo de antes.

Meus últimos posts considerado sucessos de público comentarista tiveram 7 ou 8 comentários.

Falta mesmo uma campanhazinha de minha parte, falta escrever algum post legal, mas como você citou em algum momento de seu texto, a gente escreve bem pra que os leitores curtam, mas quando não sabemos se estão curtindo ou não, também acabamos não conseguindo escrever nada assim tão legal... E ficamos também com uns textinhos furrecas.

No seu caso, eu não consigo ver uma queda de qualidade aqui em nenhum momento, só melhora. E é bom pq seu blog é uma inspiração para muita gente.

andrea disse...

Oi Rob

Tenho um blog há 3 anos e apesar de postar regularmente também achei que os comentários caíram nos últimos meses - em contrapartida a audiência total subiu. Concordo que o twitter colaborou para isso mas tenho outra teoria, que pelo menos vale para o meu segmento de blog - o feminino. Os leitores se dividem em varios grupos. Os hard users que comentam sempre e regularmente são a micro ponta do iceberg, eles são pouquíssimos. Logo depois depois tem um grupo maior de pessoas ativas, com mais tempo, que comentam, mas que tambem se cansam mais fácil ou enjoam do blog depois de um tempo.... esses ai até comentam no começo mas depois vão rareando. Depois vem o grupo maior de leitores que em 90% do tempo lêem mas eventualmente comentam. E por sim tem os que nem comentam porque não têm costume. Poucos são aqueles leitores que estão a fim de criar uma "conversa" ou "debate" em cima de um post. Não sei se apenas colocar selinhos de "por favor comente" vai ajudar a reverter isso.
Mas gostei bastante do seu texto, reflexivo.
Abcs

Rob Gordon disse...

Andrea

A colocação do selinho é mais um primeiro passo para levar a discussão sobre o tema para outros blogs. Agora, se com ele vierem alguns comentários novos, melhor ainda.

E gostei bastante da sua divisão de "castas" de leitores. A respeito dos comentários, é mais ou menos como funciona aqui no Champ tb.

Obrigado pela visita!

Rob

Laura Prospero disse...

Bacana este texto e a idéia do selinho é ótima. Fiz um selo que está à disposição de quem quiser lá no meu blog http://lauraemparis.blogspot.com/
Abraços e sucesso (com muitos comentários, é claro!!!)
Laura

Virginia Lucia disse...

Muito pertinente o seu texto, gostei. Realmente os comentários são a vida do blog. Mas o twitter ajuda muito a divulgar os blogs, penso que ambos são importantes. Veja só, eu, como muitos outros que comentaram acima, cheguei aqui através de RT no twitter. Abraço.

Kel Sodre disse...

Ai, Rob, eu me sinto um pouco culpada (até porque "culpa" é meu nome do meio, logo depois de "ansiedade") por esse quadro de caída no número de comentários. Sei que o meu é só um em um post, mas é um meu, outro de outra pessoa e está escrita a cena.

No meu caso, não é o Twitter o grande culpado. É o trabalho. O papo é velho, mas agora dou toda razão às tantas pessoas que ouvi dizendo isso: trabalho tanto com computador que, quando chego em casa, nem ligo o meu pessoal. Chego a ficar semanas sem ligar meu computador de casa. Quando ligo, quero absorver tanta coisa que os comentários perderam a prioridade na lista do que fazer nos minutos de pc ligado. Desculpe.

E desculpe também pelo momento "abrindo o coração", mas senti que deveria me explicar.

Luis Filipe disse...

Acho que já comentei aqui algumas vezes, mas leio todos os seus textos desde mais ou menos a metade de 2009, quando eu descobri o blog.
Os principais motivos foram a preguiça e talvez a vontade de procurar mais textos, me esquecendo de comentar, mas com certeza não foi por quê você perdeu o jeito Rob, os seus textos estão ótimos, nos divertindo a cada postagem.

Daddy Mallagoli disse...

Ufa!

Viaje com a Flora disse...

Entrei aqui hoje pela primeira vez devido ao selinho em um blog de viagem. Que texto execelente.
Mereço um puxão de orelha. Sempre vou de link em link, encontro coisas maravilhosas e raras vezes comento. Vou me policiar e aparecer mais por aqui.
Abraços

Gabriel Alex disse...

Bom, sou um pouco prova disso, infelizmente tive que "matar" meu blog, primeiro porque já tava ficando difícil postar regularmente pra mim e com a falta de retorno era uma missão impossível.

Escrever é uma paixão pra mim e isso nunca vai mudar, mas manter um blog não é nada fácil (isso não quer dizer que eu desista).

E acho que devo desculpas também, acho que você ja viu meu nome pelos comentários algumas vezes, te acompanho a mais de um ano e como você disse, o comodismo às vezes impede de deixar um comentário, mas isso não quer dizer que eu não tenha uma opinião sobre cada opinião sua. Se pudesse postaria um comentário pra cada texto seu, eles merecem, e cada palavra já digitada nesse blog é prova disso.

Você disse que sabe identificar quando um comentário é escrito com entusiasmo, espero que note isso neste.

Valeu.

Michel disse...

Uma das coisas que deve ter feito diminuir os comentários em blogs provavelmente é a tendência atual de restringir comentários de anônimos e submeter os comentários à aprovação.

dani disse...

poxa, sempre leio, mas de fato não comento. acho que é pq, às vezes, já não há muito mais o que dizer (vc é um bom escritor MESMO). mas se é para o bem do autor (e do blog), tome comentário!!!

Nelson disse...

Infelizmente a maioria prefere ler, dar risadas e fechar a janela... ou então usar a seção de comentários pra divulgar o próprio blog.

Eu comento quando acho o conteúdo bom, quando tenho algo de relevante a dizer ou então quando não concordo com o que está sendo dito.

Outra coisa que vc esqueceu de falar, Rob: educação; sempre comente com educação.

poliana disse...

Leitora antiga...nunca comentei.
Mas o Champ é um daqueles lugares onde eu vou quando quero rir, me distrair ou quando o que eu preciso mesmo é companhia. Ele é como um velho amigo, um daqueles amigos que a gente reconheçe só de olhar. Um amigo que sabe que é amado sem que isso precise ser dito.
Mas esse post é uma lembrança de que não basta amar às vezes é necessário demonstrar amor.

andrea disse...

Ah mais um centavo na discussão. Hoje são muitos blogs legais pra companhar e pouco tempo, não dá pra comentar em todos. Normal, né ? Não me sinto culpada. Mas eu faço um esforço para pelo menos responder grande parte dos comentários NO MEU blog.

Sobre a funcionalidade de dar reply diretamente em cada comentário escrito. No Blogger isso não é possível. O SZ sofria com isso na época que era hospedado no Blogger, o blog ficou popular, o volume de comentários aumentou e ficou bem caótico gerenciar quem escreve o quê e dar as devidas respostas. Foi uma das razões que nos fizeram migrar para a plataforma Wordpress, cujo sistema de comentários é muito mais organizado e permite dar respostas e receber comentários em cima de resposta. Hoje percebo que a medida que a gente responde mais comentários as pessoas voltam para comentar mais e assim vai. Ex: eu só voltei pra comentar de novo aqui porque você se deu ao trabalho de responder meu comentário anterior :).

Flor disse...

Infelizmente não terei tempo agora de ler os 83 comentários anteriores.

Mas queria compartilhar uma poesia que divulguei certa vez no meu blog:

O poeta inspirado [leia-se "A bloguista inspirada"]

O poeta inspirado
Espera-se esperado
Para poder ser lido
Desesperado por ser correspondido
(pelo leitor, ou pela amada)
Escreve alucinado
Palavras no papel-nada
O verso, por trás da vida.
Então vide o verso e veja a vida
Que eu, ouvido ou morto,
Estarei ali contido
E terei ali contado
O que o poeta inspirado
Ouviu e viu pela vida

Rufatto Junior, Edgard. Versos escritos e lembrados sob o sol do Cerrado. Editora Wunderlich, 2008.

No post, eu complementei:
"'Espera-se esperado, para poder ser lido, desesperado por ser correspondido pelo leitor' Por isso seus comentários são tão importantes! Continuem participando do blog, porque isso também me anima..." [meu blog chama-se Animando-C]

Cheguei a esse post indicada por uma blogueira que admiro e respeito muito. Discutíamos sobre um concurso de posts que estou fazendo no meu blog, cujo prêmio é um iPad. Além do prêmio bacana, tem por trás uma causa nobre, com fins de utilidade pública e que pode ajudar a salvar a vida de muitas pessoas. Sabe quantos posts inscritos na primeira semana? Cinco.

Blogueiros, o que está acontecendo?

Ana Flor disse...

Voltei.

É que lembrei agora de uma teoria que sempre mencionamos na minha equipe de trabalho - a regra 1-9-90 ou "90-9-1 Rule", que diz:

- 1% dos usuários dão contribuições muito frequentes;
- 9% contribuem de tempos em tempos;
- 90% apenas lêem.

Nem sempre temos coisas interessantes a dizer (mesmo em posts que gostamos muito) e os blogueiros costumam reclamar quando recebem comentários simples como "gostei", "legal" etc.
Eu, particularmente, gosto de qualquer tipo de comentário. Até hoje, recusei apenas um: uma pessoa pedindo Justin Bieber, sendo que meu blog é sobre hepatite C (???).

À propósito: como é que eu não conhecia o seu blog? Você escreve muito bem, parabéns! Começarei a passear por aqui.

Lana Cristina disse...

Concordo plenamente...
o comentário, sem duvida alguma, é a saúde do blog...
Parabens pelo texto...
Vou colocar o banner em meu blog e "abraçar sua causa"...
Excelente texto!
Abraços

Bel disse...

Bom, a carapuça não me cabe, pois eu comento, sim. Nunca comentei no Champ porque é a primeira vez que passo por aqui, mas certamente não será a últma.

Já estou na campanha, é o post que vou publicar agora.

Obrigada por escrever o texto que eu gostaria de ter escrito!

Patrícia Lerbarch disse...

Compartilho da sua ideia e dos seus dramas. Meu blog tem a mioria dos textos comentados pela mesma pessoa. A mesma única pessoa que o comenta...

Isso realmente desestimula.

Ótima reflexão!

.Intense. disse...

Definitivamente não li os 88 comentários acima do meu, mas tenho certeza que quase todo mundo apoiou o movimento - faço questão de comentar pra avisar que dou todo o apoio, e entro na corrente tb.

Cheguei aqui por outro blog, de amiga, pessoal, mas que como o meu antigamente, vivia cheio de comentários...e desde o bum do twitter, mudou drasticamente. Sou usuária e, muitas vezes, apenas dou RT num texto, ao invés de comentar. Mas nada vale tanto quanto um comentário, consciente, bem feito. Ou seja, a mudança precisa começar em mim mesma - talvez.

Vou aderir a campanha. Parabéns pela iniciativa.

;)

disse...

Cara, eu não sei quem é você. Não conhecia este blog. Somente li este texto (e pretendo ler outros textos daqui) e super apoio a campanha e digo mais: todo ser humano é carente. Qual é o problema disso? O meu blog é um blog extremamente pessoal e talvez por isso não tenha muitos comentários. Nem todos os blogueiros que eu costumo visitar e comentar, comentam no meu. Acostumei. Mas é SUPER legal quando recebo um comentário.

Vim parar aqui através do blog da intense e gostei bastante.
Prazer, o meu nome é Fernanda.

Allison Christian disse...

Cara!Eu tô passando por uma crise de comentários em meu blog,pois poucos comentam em meus artigos.Muitas vezes da vontade de parar de vez(de blogar),mas aí,quando vejo aquele simples comentário expressando a humilde e verdadeira opinião do leitor,me sinto motivado a escrever e assim vou tentando levar....

J.L.Tejo disse...

Muito pertinente essa postagem. Há pouco escrevi no meu blog sobre público. Entendo duas coisas: a) sempre há quem leia: nem que seja uma única alma; se assim for, já vale a pena. Pode ser romântico, mas é assim que penso; b) escrever por si só já é útil, pelo exercício, pelo treino de argumentação (coisas indispensáveis na minha profissão, por exemplo).

Mas é claro que quem escreve quer público- e os comentários são indicativo disso.

O que vejo é muita, muuuita preguiça dos leitores. Uma espécie de má vontade. No meu blog jurídico estou tendo o desprazer de vivenciar isso. Criei uma enquete -das mais simples possíveis- para estimular a participação dos leitores. Pois bem, em 10 dias de enquete, tenho apenas 1 (um!!) único voto; e ao se ver o Google Analytics, recebendo visitas do Oiapoque ao Chuí.

Por que essa má vontade? Quanto indiviualismo. Será que o leitor quer apenas absorver o máximo que puder, e não dar NADA em troca?

É pra se pensar.

Patty K disse...

Excelente texto.

Tenho um blog, sei o quanto é gratificante receber um comentário naquele post que deu o maior trabalho pra bolar, pesquisar, escrever. Por isso, sempre que leio algum texto interessante, deixo um comentário. Sempre tento acrescentar alguma coisa ao post.

Acho que a maioria das pessoas não comenta por pura preguiça, mesmo. É uma pena.

Endry disse...

Nossa, fiquei me sentindo (muito) culpada. Realmente, acabo vendo os posts dos meus blogs favoritos através do Google reader e dificilmente, devido ao pouco tempo que me resta fora do serviço e da facu, comento. E reconheço a importância do comentário, pois sou blogueira e o que me deixa mais feliz é um comentário legal, não só de elogios, mas aquele que realmente demonstrou interesse e leu seu post feito com tanto carinho.
Vou fazer um post sobre isto, gostei.

Aliás, seu post está muito bem escrito, adorei! :)

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.

Francine Ribeiro disse...

Faz tempo que vi esse selinho no Chronicles, mas não tinha me atentado para o "clique na imagem e saiba mais'. Muito bom o texto!
Meu blog não é tão bacana quanto o seu, mas também sinto falta de comentários. Eu gosto de deixar comentários nos blogs que acompanho, mas nem sempre estamos inspirados para escrever algo.
Bom, acho que vou botar o selinho no meu blog também!
Parabéns pela iniciativa.

Sweet-Lemmon disse...

Não conhecia seu blog e posso dizer que por esse post eu gostei muito. As pessoas parecem não compreender como um comentário pode ser importante. Tenho um blog e a falta de comentários tem me desanimado muito.

Apenas não acho que a quantidade de comentários esteja diminuindo de forma geral- infelizmente tenho chegado a conclusão que as pessoas (em sua maioria, não todas, é claro) comentam mais ou em posts polêmicos ou em algum post que algo vai ser sorteado, etc.

Mais uma vez, ótimo texto.

eer.. disse...

às vezes não comentar é questão de timidez.. mesmo que o leitor se esconda atrás de um pseudônimo ou de uma onomatopeia, timidez nem sempre tem a ver com a identidade exposta. no meu caso é a exposição em si..

Felipe disse...

Belíssimo blog, parabéns!

Felipe - www.fotografiasdepaisagens.com

Anônimo disse...

Entrei aqui hoje pela primeira vez também devido ao selinho em um blog de viagem,no qual estava interessado,más gostei dos comentários e vou voltar mais vezes.Mas o motivo deste meu post é justamente sobre viajens,principalmente no litoral norte de Sáo Paulo.Queria compartilhar,com o pessoal que viaja bastante e gosta de ofertas de ultimo minuto,um site novo sobre ofertas last minute se chama www.hoteispousadaslastminute.com.br.Eu o achei na rede,gostei e acabei usando na Ilhabela este final de semana em uma otima pousada e paguei baratinho.O que é bom vale a pena compartilhar.Obrigado e boa viagem.
Leo

Anônimo disse...

proclaimed many people settle most of the mortgages on time and also without having fees
A top personal debt nonprofit should expect how many people today looking at all of them with regard to benefit finished cash advance loan debt to help you increase this. debt a good cause suggests all around purchase your payday, great awareness borrowing products this coming year. The good cause states three years earlier numerous individuals with them ended up being minor.
kredyt na dowód w ing
wyświetl witrynę
kredyty bez bik
kredyty bez zaświadczeń bydgoszcz
pożyczka bez bik opole

http://pozyczkanadowod24.com.pl
http://szybkapozyczkabezbik.org.pl
http://pozyczki-prwatne.com.pl