30 de novembro de 2009

Direito de Resposta Concedido

Por ocasião da publicação do post O Filho do Demônio, meu irmão tornou-se um assunto bastante comentado (e temido) entre os leitores. Por isso, ele exigiu que eu abrisse espaço para a publicação de um direito de resposta, deixando claro que se eu cortasse algum trecho do texto, ele me cortaria deste plano de existência.

Desta forma, democraticamente (e com medo de levar uma surra), dou um exemplo de cidadania e abro espaço no Champ para que ele possa se defender da forma que achar melhor.

Afinal, quem tem, tem medo, já diz o ditado. Aliás, aconselho vocês a terem muito cuidado quando lerem o texto abaixo. Não façam movimentos bruscos e tomem cuidado para não rirem nas horas erradas. Se ele descobrir isso, levará para o lado pessoal. E ai de vocês se isso acontecer.

Posto isso, sem mais delongas... Senhoras e senhores: meu irmão.

"Vocês devem ter lido as várias (e falsas) descrições que o Rob fez do irmão dele aqui no blog, no post O Filho do Demônio.

Pois bem: o irmão dele sou eu.

Assim, fiz uso da democracia e, usando um argumento de peso (“você vai morrer se não publicar isso”), fiz questão de obter um direito de resposta.

Vamos à verdade.

O Rob é realmente um demônio, uma criatura das trevas que foi criada com o único propósito de me irritar. Às vezes, imagino que quando não está me irritando, ele dorme em uma tumba ou simplesmente desaparece.

Vocês podem estar pensando que é exagero, que o Rob é uma boa pessoa ou algo assim. Errado. Vou apresentar a prova definitiva:

Vejam a foto abaixo: eu e meu pai, felizes com a chegada do Rob (minha mãe, orgulhosa, estava tirando a foto). Atentem à expressão do Rob (no destaque), como ele me encara com olhar de ódio.


Quem pode imaginar o que se passava pela mente perturbada desse serial killer?

Senhores, não confiem no Rob, ou nas inverdades que ele publicou ao meu respeito aqui no blog. Sou apenas um inocente tentando sobreviver.

Se isso ainda não os convenceu, por favor, psicólogos de plantão, analisem o fato a seguir:

Quando éramos crianças, meus pais tinham uma propriedade no interior. Uma bonita casa com um terreno de 1000 m2 (ah, vale dizer que, obviamente, o Rob não sabe o que é m2). Qual era a diversão do Rob? Ele descobriu uma espécie de formigas gigantes e extremamente ferozes no quintal da casa.

Assim, ele passava seu tempo colocando outras pobres formigas de tamanho comum em uma arena (na verdade, era uma garrafa de Coca-Cola) junto com alguns exemplares dessas formigas selvagens, e ria enquanto as menores eram, literalmente, destroçadas.

E eu ficava apenas assistindo tudo no canto da sala com medo, vendo os olhos dele brilhando a cada vida que era arrancada. Conseguia pensar apenas que, com o tempo, ele iria crescer e, um dia, seria eu a ser jogado em um fosso repleto de criaturas demoníacas, enquanto ele aplaudiria, feliz.

Outros casos: chegava em casa de madrugada, totalmente embriagado e ia me acordar apenas para contar que estava bêbado; esperava eu começar a estudar para ligar os discos de heavy metal no máximo; quando éramos crianças e brigávamos (sempre por culpa dele), ele se vingava dando nós no meu pijama ou jogando açúcar na minha cama. Isso sem falar que, ainda criança, ele demorava quase uma hora no banho, pois ficava ensaboando o chão do banheiro, na tentativa de fazer com que eu caísse quando entrasse no chuveiro.

Ou seja, eu poderia escrever um blog inteiro sobre as desventuras do Rob, mas não é necessário. Sempre foi assim. Creio que, com isso, vocês já podem imaginar o que eu passei. E ainda passo.

Fui chamado de demônio neste blog. Concordo. Sou um demônio. Mas apenas porque minha vida foi um verdadeiro inferno desde que o Rob nasceu."

30 comentários:

Otavio Cohen disse...

AHhaHA. Não sei em quem acredito. Chame Besta-fera para depor em sua defesa.

An@Lu disse...

cara, rolando de rir com a foto!!!

acho que bom humor nessa família é genético!

quando é que a mamãe gordon, que também é figurinha fácil aqui, vai dar uma palavrinha?!

Ana disse...

Nossa, tenho muita pena dos pais de vocês!

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Larissa Bohnenberger disse...

Rob, sinto muitíssimo, mas eu, na condição de filha mais velha, sou obrigada a ficar do lado do demônio, digo, do seu irmão. Com tudo que você devia aprontar com ele, me surpreende realmente que vc tenha sobrevivido para contar a história!

Bjs

May. disse...

Realmente, acho que Besta-Fera devia desempatar, porque olha, é difícil ler esse blog e não botar fé no seu irmão. Não sei se seu irmão te obrigou a ser endiabrado pra sobreviver ou vice-versa, mas de qualquer jeito, eu estava certa: você era o inferno!
hahaha


=)

Varotto disse...

Damien mode: ON

Garbo disse...

ahahahhahah a besta fera precisa dar seu parecer sobre este caso...

Marina disse...

Inteligente foi o irmão do meio de vocês, que se recusou a nascer. Irmão do meio sempre se lasca, dos dois lados. Sei bem disso.

Hally disse...

Rsrsrs, pobre irmão do Rob. Eu te entendo, sou caçula e sei que nosso dever é fazer da vida dos irmãos mais velhos um inferno. Mas pense... quantas boas história só existem por nossa causa?

Lua Durand disse...

"Eu sempre soube." :X

é, besta fera tem que dar o depoimento dele, a versão sobre a história...

bom humor é de família aí, só pode ser!

hehehe

Layla Barlavento disse...

Concordo com o depoimento da Besta fera. Acho que só ele conseguirá ser imparcial nesta história.

Bia disse...

Todo irmão mais velho tem raiva do irmão mais novo por ter sido deposto do cargo de príncipe/princesa da casa... Liga não... imãos-mais-novos-rules!

Natalia Máximo disse...

Acho que a mamãe e o papai Gordon precisam vir aqui tirar essa história a limpo, porque não sei mais em quem acreditar!

futeboldorio disse...

Cara, vc era calvo quando neném???

Alexandre Greghi disse...

H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A H U A ....
(perdendo o ar de tanto rir da foto mode: on)
Alguém falou que vc era calvo quando bebê!
Não é que era calvo! Foi aí que começou a calvície, e não parou mais até hojeH U A (a cabeleira da adolecência era pra disfarçar a careca).

Fagner Franco disse...

Beleza, demônios, agora digam em quem devo acreditar?
No primeiro post estava crente que teria dois filhos, uma que já tenho e outro(a) que virá (em alguns anos) e os dois seriam caçulas. Agora, já estou achando que é melhor os dois serem primogênitos. Não sei... aliás, já sei, todos são irmãos do meio, mesmo sendo dois e tendo diferente idades. Pronto.

Dama do Lago disse...

Como irmã mais velha (de 4 irmãos) fico obviamente do lado do dem...er...do seu irmão.

Ingenuamente pensei que tendo filhas gêmeas, evitaria o problema do irmão-mais-novo-infernizando-o-mais-velho mas não adiantou. A Bruna é dois minutos mais nova e faz jus ao título de caçula, para desespero da Samanta :p

R. disse...

É querido Rob, a foto diz tudo.

Mas alguma coisa já me dizia que se o seu irmão era assim, algum motivo(óbvio) ele tinha...rs

**

Daniela disse...

Tendo a concordar com os irmãos mais velhos....é, o demônio são os outros, e nesse caso, voto no Rob!

Kel Sodré disse...

#rolandoderirnoestagio

Além do detalhe do olhar do Rob para o irmão na foto, ainda há outro detalhe fundamental para que a situação seja toda traçada: prestem atenção no pai dos meninos segurando a mãozinha do infante Rob! Ainda bem que ele era apenas um bebê e não tinha forças para lutar contra um adulto, pois sabe-se lá o que aquela mãozinha faria se estivesse livre. Hoje em dia, poderíamos ter uma foto horripilante do Rob cutucando o ouvido do irmão, ou cutucando ele nas costelas, por exemplo. Urgh!

Matheus Carvalho disse...

e Rob Gordon se recusa a emitir comentários a respeito do texto do irmão...

Matheus Carvalho disse...

e Rob Gordon se recusa a emitir comentários a respeito do texto do irmão...

Gabriel Alex disse...

Ah, eu brincava de 'arena de formigas' quando era criança, é uma brincadeira quase recreativa. rs.

E só pra constar, talento é de familia né? Os dois consegum me fazer rir muito bem... Parabéns a família Gordon, quando seus pais vão dar uma passada no blog? rs

leonardo disse...

O Seu irmão não é tão ruim assim.....por muitas vezes noa ajudou nas provas de algebra, fisica, quimica, etc

Alem do mais lembro quando ele começou a praticar boxe na universidade e voce acabou acertando um cruzado nele...ele nem te matou....tudo bem que voce ficou horas sentado na escada sem poder descer para a sala.....aquilo foi hilário!!!!!!

Leonor disse...

Ai, o amor entre os irmãos é algo comovente...os pais de vocês devem estar orgulhosos com tantas demonstrações de afeto...rs

Sulamara disse...

Acredito no irmão do Rob.. Sei bem o que é sofrer com irmaão mais novo do capeta (no meu caso, irmã). Eles vêm, infernizam nossa vida, destroem a harmonia do nosso lar, roubam nossas coisas e no final, agte acaba que gosta deles (bem mais do que eles merecem). Irmão do Rob tô com vc.
PS.: Tenho uma foto tipo essa da minha infancia.. a diferença é que o meu karma (ops..irmã) está sorrindo enquanto me agride pelas costas.

Daniela disse...

Realmente tem o detalhe da mão presa, mas e o pé esquerdo ali livre, já pegando impulso para acabar com o sorriso do irmão? É, primogênitos ganham a lentilha, mas e o preço à pagar por isso?

Eduardo disse...

Tbm acredito no irmão do Rob :D

Perci Carvalho disse...

aaah ... o amor fraternal... sei como é isso... tenho duas irmãs e um irmão... hehehe



vc ensaboava o chão do banheiroooo?!?!?!? ahuieheaihaeiuhaiuheaiuhaeiuheiuheaiuheauie