16 de outubro de 2009

Pequeno Diálogo Noturno

Quem tem um pouco mais de contato comigo sabe que eu não venho mais à redação. Eu me tornei uma entidade que simplesmente não sai mais daqui. Meus amigos me ligam no celular, e, quando perguntam se eu estou na redação, eu respondo: “não, eu sou na redação”.

Isso porque o volume de trabalho aumentou muito aqui nas últimas semanas. Para vocês terem uma idéia, eu digitei este post enquanto falava no telefone com um diagramador. Eu olhava a print ao meu lado, explicava as alterações e, enquanto ele fazia, eu continuava digitando o post, até ele terminar de fazer o que eu pedia, e irmos para a próxima página.

Mas estou me alongando. Meu ponto é: nunca foi difícil eu sair daqui no meio da madrugada, naquele esquema “vai para casa, toma um banho, senta no sofá, fecha os olhos, abre os olhos, levanta, vai para o trabalho”, mas atualmente, isso está bastante freqüente. Paciência. Faz parte.

Não vou negar que rendo melhor nesse horário. Meus textos – profissionalmente ou aqui mesmo, no blog – são melhores quando eu escrevo de madrugada. Mas não pensem que eu fico trabalhando até as 2 da manhã porque quero, é porque preciso.

Digo isso porque o porteiro aqui do prédio – sim, aquele mesmo de quem eu já falei algumas vezes aqui – acha que eu passo as madrugadas aqui sem fazer nada. Provavelmente, ele deve pensar que eu espero ansiosamente ficar sozinho na redação durante a noite para ligar música alta e ficar dançando, apostando corrida comigo mesmo, fazendo embaixadinhas com bola de papel, ou algo parecido com isso.

Some isso ao fato de que, para ele, o interfone nada mais é que um instrumento que fornece acesso direto a algum Disk-Amizade e pronto. Ele começa a ligar para mim, no meio da madrugada, para falar nada. Sem problemas. Afinal, como eu passo as madrugadas descalço e sem camisa, pulando de uma mesa para outra na redação, ao som de (I’ve Had) The Time of my Life, eu tenho tempo de sobra para conversar. Ao menos, na mente dele.

Assim, reproduzo abaixo o diálogo ocorrido última quarta-feira:

– Rob?

– Eu.

– Queria saber se você está aí.

– É, estou.

– Porque o sistema da catraca eletrônica diz que você está aí.

– Aparentemente, o sistema tem razão. Eu estou.

– Mas eu achei bom interfonar para checar.

– Ok.

– Então, você está aí?

– Evidente.

– Ó-ká.

– Só isso?

– Só.

– Beleza.

– Você vai demorar para sair?

– Uma meia hora. Acho.

– Não, pode ficar mais.

– Oi?

– Se você precisar ficar mais, pode ficar.

– Eu sei disso. Faz oito horas que eu já estou ficando mais.

– Mas não precisa ir embora daqui a meia hora, se quiser.

– Mas eu quero.

– Fique à vontade aí, viu?

– Eu não estou à vontade aqui. Eu estou trabalhando. Eu quero justamente ir para casa para ficar à vontade lá.

– Ó-ká.

– Ok.

– ...

– Seu Porteiro?

– Oi.

– Era só isso?

– Só.

– Beleza.

– Mas a hora que você for embora, você me avise, por favor.

– Seu Porteiro, a hora que eu for embora, eu vou passar pela portaria, que é onde você está, porque você terá que abrir o portão para mim. Eu não preciso avisar você.

– Ah, é.

– Olhe, eu realmente preciso continuar trabalhando aqui.

– Não, tudo bem. Fique à vontade, pode sair à hora que quiser.

– Não é isso. Eu vou desligar o interfone, ok?

– Ó-ká.

Assim, eu desligo e volto para a minha mesa. Não sei se ele fica na portaria ligando para os outros conjuntos, até ser atendido por alguém. E eu continuo trabalhando aqui – ou dançando, dependendo de qual versão você acredita – até a hora de ir embora.

E aí é outro parto, porque, invariavelmente, quando eu coloco os pés na portaria, eu sou obrigado a reviver esse post aqui, integralmente. Ô fase.

A propósito, nos últimos dias, publiquei bastante coisa no Champ-Chronicles, com os textos Retrato, O Último Dia Igual aos Outros, O Negócio do Cara e Borboleta. Divirtam-se!

15 comentários:

7Seven7 disse...

O porteiro não deu certo.

Gilgomex™ disse...

aliás... vc está muito produtiovo aqui no xemp e lá no cronaicous...

enquanto isso, meu blog está criando teias de aranha (de homem-aranha que duram uma hora para se dissolver...)

ôfazi...

Lua Durand disse...

esse porteiro é um tanto quanto, sozinho, talvez ele fique feliz em saber que existe mais alguém no mundo no mesmo raio de quilometro que ele, trabalhando as tantas da madrugada, igual a ele, sei lá, vai saber, vai ver ele se sente feliz e até um pouco parecido com você, por estarem trabalhando, independente em o que. tá bom, viajei.

o fato é, ele gosta de você, e se preocupa. [dei uma lida no texto anterior.]


é o champ-chronicles anda muito movimentado, isso é bom, tão bom, teu lado mais humano está lá.

...

,lua .

Tyler Bazz disse...

Só com você, só com você!!!

Fui lendo o post e me perguntando se o interfone fica perto da sua mesa, ou se vc tem que levantar e ir até lá... vc levanta!

Não sei como vc aguenta. Sério.

Marina disse...

Tinha um interfone no meu consultório. Tinha. Há dois meses, tomei uma atitude e transferi o trambolho para a esterilização. Todo mundo reclamou, mas meu consultório hoje é uma paz...

Otavio Cohen disse...

o fato é, ele gosta de você, e se preocupa (2)

Benito disse...

Rob, te aconselho a dar uma mini tv ou um radinho de presente pra este porteiro. Se ele já tiver é porque é mala mesmo.

May. disse...

Consigo ver ele ensaiando pra te interfonar. E pensando, depois de falar com você, se ele deixou claro que ele se preocupa.

E sério, investe na idéia do radinho ou da tvzinha.

Hally disse...

Pobre porteiro... ele é carente, só isso. Imagine você, ele fica lá sozinho, a noite toda. E, convenhamos (eu também funciono melhor à noite), os programas de TV da madrugada são um lixo. Ele só quer companhia, atenção e um bom papo, dá um desconto!

Falando sério... imaginei alguém baixo, quase calvo, dançando no meio de uma redação, e só tenho uma coisa a declarar: Eu vou sonhar com essa porra.

Dalleck disse...

Você fica todo esse tempo dançando, ganha pra isso e continua gord... fortinho? Caramba, que droga hein. Por que você não leva todas suas coisas pra lá? Acho que a Besta-fera ia gostar, tem bastante papel pra ela rasgar!

Larissa Bohnenberger disse...

Ahá! Eu sabia! Que trabalhar que nada, as madrugadas na redação são para você treinar suas habilidades de dançarino! Agora tudo está mais claro!

Richard disse...

Suponho que ele está gamado em você!
O que seu porteiro precisa é saber usar o twitter, assim ele vicia e nunca mais te incomoda.

Leandro disse...

... entenda o rapaz... ele esta' carente :-)

OK, isso não quer dizer q vc tenha que ser o ombro amigo dele.

Deisinha Rocha disse...

se eu fosse o porteiro, imaginaria vc vendo filmes ou sites pornô...

mas só se eu fosse o porteiro...

pq eu acredito em vc...

Nathalya Buracoff disse...

AHuAHuHA. Muito bom. Veja pelo lado bom, o porteiro rende posts! =D