1 de dezembro de 2008

Rob Gordon X Ursinho da Johnson's

É engraçado como o mundo dá voltas. Basta eu postar um texto sobre determinado assunto aqui no Champ, para que este mesmo assunto contra-ataque com força total. É a lei da ação e reação. E, desta vez, foram os supermercados. Como eu postei aqui minha saga no mercado O Dia, era óbvio que os supermercados iriam planejar uma vingança. Dito e feito.

Dia desses fui ao Pão de Açúcar comprar algo para jantar. Quando estava descendo a Teodoro, quase na esquina da rua da Pão de Açúcar (que eu nunca consigo me lembrar se é a Fradique ou a Mourato), vi que um mendigo estava na esquina ao lado de uma criança.

Até aí, nada demais. Aquela esquina sempre tem um mendigo parado. Tanto que eu uso aquilo como ponto de referência – mesmo sendo um mendigo diferente por dia –, já que eu não sei o nome da rua. Se me perguntam onde é o mercado, eu respondo algo como “desce a Teodoro, passa a padaria e o ponto de ônibus e, aí, vira à esquerda no mendigo”.

Porém, conforme me aproximei, algo naquele mendigo me chamou a atenção. Primeiro, ele estava razoavelmente bem vestido. Segundo, eu havia calculado que ele era o pai da criança, mas me enganei: em certo momento, a criança começou a correr pela calçada e ele gritou um “Páraaaaaa! Páraaaaaa!”, que nenhum homem soltaria. Como não posso reproduzir o som aqui, vou tentar ilustrar de outra forma: numa escala onde "zero" seria o Leão Lobo e "dez" seria o Conan, o “Páraaaaaa!” dele tiraria, no máximo, uns dois.

Até aí, ok. Cada um com seus problemas.

Mas claro que iria sobrar para mim. Quando me aproximei da esquina, o (a) mendigo (a) olhou para mim e soltou o discurso-padrão:

– Moço, quando você estiver no mercado, você pode comprar...

Já me preparei para dizer que não tinha dinheiro – o que não deixaria de ser verdade (jornalista: mode on). Mas, claro, esperei ele acabar a frase. Dá que ele pede apenas um chocolate, uma bala, algo assim? Dependendo do que fosse, até compraria. E ele terminou:

– ...um pacote de lenços umedecidos?

– Sinto muito, mas... Espera. Um pacote de quê?

– Lenços umedecidos.

– Mas isso vende aí dentro?

– Vende, sim.

Olhei para o céu e perguntei mentalmente a Deus se Ele tem algum problema pessoal comigo. Ele não respondeu, mas eu tenho certeza de que ouvi alguns anjos rindo baixinho.

Analisei as minhas alternativas. Eu poderia, claro, falar, que “não”. Ou, melhor ainda, eu poderia perguntar se “lenços umedecidos não são algo desnecessário para alguém que, teoricamente, mora na rua e não tem o que comer?”. Mas, por outro lado, pensei no blog e calculei: isso pode render um post.

– Hum... Ok.

Entrei no mercado e fui atrás do meu jantar. Afinal, primeiro a obrigação, depois a diversão. Peguei uma lasanha de calabresa (vício mode: on) e uma Coca Zero de dois litros. Pronto. Agora, hora de partir em busca do tal lenço umedecido. O problema é: onde encontrar isso? Calculei que esses lencinhos deveriam estar na parte de higiene, e fui direto para lá. O problema é que eu não sei como é a cara desse produto. Quer dizer, eu até consigo imaginar um lencinho umedecido, mas não faço idéia de como é uma embalagem disso. Aliás, parando para pensar melhor, nunca havia nem me ocorrido que os lencinhos umedecidos eram vendidos em algum lugar. Lencinhos umedecidos eram algo que eu simplesmente assumi que existiam apenas porque me disseram que existe, como acontece com oxigênio e o fundo do mar.

Parei na frente da prateleira e fiquei olhando com calma. Pasta de dente; escova de dente; absorvente; fralda. Nada da porra do lencinho. Na hora, me ocorreu que eu precisava de uma mulher prestando consultoria. Liguei para a Sra. Gordon. Ela saberia me guiar nesse momento difícil. Caixa postal. Comecei a discar o telefone da casa da minha mãe, mas mudei de idéia no meio do caminho, porque ela iria me obrigar a atravessar a rua e comprar os lencinhos no Dia, que é mais barato.

Olhei ao redor. Apenas duas pessoas estavam no mesmo corredor: um sujeito comprando pasta de dente, e cuja barba por fazer e camiseta furada no sovaco deixavam claro que entabular uma conversa sobre lencinhos umedecidos não era bem o que ele tinha em mente quando saiu de casa; e um atendente do Pão de Açúcar.

Na mesma hora, comecei a caminhar na direção deste último, mas parei abruptamente, porque um pensamento aterrador me ocorreu: eu estou sempre neste mercado. Se eu comprar uma caixa de lencinhos umedecidos hoje, amanhã eu vou entrar aqui e os atendentes vão começar a apontar para mim e rir baixinho. Aposto que ainda vão inventar apelidinhos, como “lá vem o Lencinho” ou “olha o Carequinha Umedecido”. Traduzindo: nunca mais poderia entrar ali, e teria que enfrentar os duendes do Dia para fazer minhas compras.

Esqueça, Rob. Você está sozinho nessa.

Voltei para frente da prateleira e continuei procurando. Mas, desta vez, ao invés de olhar os produtos, fiquei lendo as etiquetas de preço. Finalmente, encontrei uma etiqueta com a inscrição “Lenço Umed.” Olhei para cima dela e vi três pacotes com a imagem de ursinho meigo, feliz e limpinho – provavelmente por causa dos lenços umedecidos.

Olhei para os caixas e calculei mentalmente a distância que eu teria que percorrer com aquilo na mão. Cerca de 20 metros. Deus do céu. Dois pacotes eram de um rosa escandaloso e o terceiro, azul. Obviamente, peguei o azul e parti em direção ao caixa. No caminho, o sujeito da camiseta furada olhou para mim e eu desviei os olhos, fingindo que um homem andar com aquilo no supermercado era a coisa mais normal do mundo (aposto que a porra do ursinho ainda ficou dando tchauzinho para ele, só para me sacanear).

Quando passei por ele, olhei para baixo, para conferir se os lencinhos estavam muito visíveis e constato que o pacote de lencinhos não apenas estava mais visível que a lasanha, como era... Rosa! Pensei em olhar para trás e verificar se, na pressa, eu não havia pegado o pacote errado, mas isso iria diminuir muito minha velocidade. Tudo o que eu queria era chegar logo ao caixa, pagar e terminar com aquilo.

Caminhei depressa. Mas não foi fácil. Lá estava eu, andando no mercado vestindo uma camiseta do Ozzy e segurando uma lasanha de calabresa, uma Coca de dois litros... E um ursinho rosa e sorridente. Veja bem, não era um rosa qualquer, era um rosa estupidamente meiguinho e com uma tonalidade que fazia o pacote brilhar nas minhas mãos. Qualquer pessoa que estivesse no outro lado do mercado e olhasse para mim veria apenas “um cara segurando um saquinho rosa-meiguinho”.

Cheguei aos caixas. Óbvio que havia fila em todos. Entrei na menor delas e fiquei quieto, sem olhar ninguém nos olhos. E olhe que sou mestre em passar vergonha na fila do caixa, devido ao meu talento em fazer combinações esdrúxulas de compras e só perceber a cagada quando for tarde demais (como ir ao mercado na hora do jantar e comprar um saco de pão de forma e um frasco de desinfetante, ou uma Coca Zero e um saco de ração de cachorro). Mas desta vez a coisa estava feia demais. Escondi os malditos lencinhos o melhor que pude atrás da lasanha e fiquei olhando para o nada, com cara de paisagem.

Depois de mais ou menos nove séculos, chegou minha vez. Coloquei a Coca e a lasanha na esteira, e os lencinhos atrás dos dois. E foi aí que eu percebi que o saco não era rosa, era azul. Na verdade, todos os sacos eram rosa de um lado e azul do outro. Olhei para cima e cumprimentei mentalmente os anjos por este toque de mestre na pegadinha, ao mesmo tempo em que a mulher do caixa começou a passar as mercadorias.

– O senhor tem cartão...

– Não tenho cartão Mais. Não quero Nota Fiscal Paulista. Desculpe, é que estou com muita pressa.

– Tudo bem, senhor.

Ela passou a Coca. Ela passou a lasanha. Ela não passou o maldito saco de lenços umedecidos. Ao invés disso, ela pegou aquela coisa rosa e levantou levantou à altura dos olhos – provavelmente, de forma que todas as pessoas num raio de 3 quadras pudessem vê-lo – e perguntou, em alto e bom som:

– Os lenços umedecidos são do senhor?

Perfeito. Deus, lembre-me de aplaudi-Lo quando chegar em casa.

– Não. Sim. Quer dizer... Sim. Eu vou levar os lenços, mas não são para mim, sabe?

– Como, senhor?

– Nada. Sim, são meus. Aliás, posso colocá-los na sacola? Eu estou com muita pressa.

Paguei e saí. O mendigo, ao menos, ainda estava ali – e tinha dado cria, já que agora, além do menino, uma menininha estava com ele também. Entreguei os malditos lencinhos, ele agradeceu e fui embora. Nunca mais encontrei o sujeito ali na esquina, mas, na dúvida, agora eu ando com um pedaço de papel no bolso, que entregarei para qualquer mendigo que vier pedir algo para mim, e que reproduzo abaixo.

Top 5 Únicas Coisas que eu Dou / Compro para Mendigos:
1. Dinheiro
2. Cigarro (na verdade, eu não ando mais com cigarro, mas eles não precisam saber disso)
3. Coxinha ou algum outro salgado (em algum bar)
4. Pinga
5. Coca-Cola

30 comentários:

Fernando Pocow disse...

Aha!

Primeiro...


(grandes bosta!)

George Marques disse...

Esse é o Rob.
Comprar lenços umedecidos para um mendigo só para render post (e bom por sinal) xD

Pedro disse...

Dessa vez fiquei curioso, o "cara" ia fazer o que com o lenço? Dar banho nas crianças?

Pat Rabbit disse...

É na esquina da Mourato.

"...vira à esquerda no mendigo"... Isso é muuuito bom :)))

Gostaria tremendamente de saber para q ele queria os lenços.

Tyler Bazz disse...

Teodoro, a rua onde TUDO acontece! aUHAuhAUHauhaUHAuhA

Fora que o texto vem após um dia em que um amigo me contou que precisou comprar lencinhos umedecidos, E nós tivemos uma breve conversa sobre ursos meigos... (sem perguntas)

:D

Adônis disse...

Muito bom, ri demais aqui!! xD

Mas num adiantou vc ter ido no supermercado, comprado os lencinhos e não ter descoberto pra que eraM!! D:

*Você compraria pinga pra mendigo? Que mal exemplo, Rob! uahsuahsasa

Louie disse...

Meio neurótico/psicótico/blogueiro/seinfeldiano demais. Gostei.

=]

Rafaella Weiss disse...

muito bom acordar e ler um post bom desses!
também adorei a parte do 'vira à esquerda no mendigo...'
uuhuhuhashuaehuahue
:)

Marcio Sarge disse...

ROb? Hey!!! ROb???

Se está me escutando quero que me faça um favor, da próxima vez que vir esse mendigo, seja bom com seus leitores e pergunte pra que diabos ele queria lenços umedecidos.

Obrigado.

KarinaK disse...

poxa, eu pensei q, no mínimo vc fosse perguntar para quê ele queria os lenços... ¬¬
Mas sua vergonha foi tanta, neh?!
hehehehe

Barbarella disse...

Aiai logo se vê que ainda não teve filho né... rsrs

Vai acostumando com idéia se pretende tê-los.

luna disse...

Ainda não entendi o que tem de tão vergonhoso em comprar lencinhos umedecidos. Mas também, eu não sei pra que exatamente eles servem. Me disseram uma vez que era pra limpar assento de banheiro público antes de sentar.

Renan Becker disse...

"Lá estava eu, andando no mercado vestindo uma camiseta do Ozzy e segurando uma lasanha de calabresa, uma Coca de dois litros... E um ursinho rosa e sorridente."
Imagino isso uahsuhasuas

Muito bom o post por sinal.

Amelie disse...

ADORO lasanha de calabresa. Que vontade! Pena que não tenho um puto no bolso e não moro a uma distância conveniente de nenhum Pão de Açúcar...

(hahaha, desculpe pelo comentário, a história tava legal e tal, mas depois que eu li "lasanha de calabresa" já não consegui pensar em mais nada!

Perci Carvalho disse...

no dia que eu for demitida por ler esse seu blog, vou até SP e vc vai ter que me arranjar emprego! E eu sei onde te achar! Pinheiros, Pão de Açucar - o gordinho careca que compra lencinhos umedecidos.



top 5 unicas coisas q compro pra pedintes:

1-comida/lanche
2-fralda descartável (nao sei o pq! mas de vez em sempre algum pedinte me pede pra comprar fraldas descartáveis para seu bebÊ - um dia eles entenderão que camisinha é mais barato que filhos)
3-leite
4-passagem de ônibus
5-de vez em qdo compro tb alguma daquelas bijuterias inuteis que eu nunca uso, isso conta? depois eu jogo ela fora mesmo... tomara q conte, senao virou um top4.

Sir Lucas disse...

Isso me lembra um quadrinho antigo da MAD, ainda na Mythos, onde o personagem adolescente tinha que comprar modess pra mãe. Só que na cabeça dele a embalagem era gigante e chamativa (tomava todo o carrinho o.O). E todo mundo percebia e zuava ele de alguma forma.


Ah, ele era baixinho e careca.

MaxReinert disse...

"Olhei para cima dela e vi três pacotes com a imagem de ursinho meigo, feliz e limpinho – provavelmente por causa dos lenços umedecidos."

Socorro!!! Passando mal com essa frase!!!!

Eu uso esses lenços!!! Sem sacanagem!!! É para retirar a maquiagem quando faço algum espetáculo ou gravação!

Mas, deve haver váriasssss utilidades!!!

Varotto disse...

Tema utilidade muito simples, limpar bumbum de criança.

Sempre compro, embora não a marca do ursinho, mas nunca nem passou pela minha cabeça esconder isso.

Talvez, inconscientemente, eu ache que ninguém vá sacanear um cara mal encarado, de mais de 1,80m e com 100kg. X-))

Larissa Bohnenberger disse...

Afe!
Eu gostaria de saber que maldita mania é essa das caixas de supermercados que escolhem os produtos mais embaraçosos de seus clientes para levantar, ou perguntar bem alto algo a respeito dele, chamando para tal a atenção de todos os fregueses presentes no estabelecimento???
FDPs!
Bjs!

Kel Sodre disse...

O mendigo CERTAMENTE faz dança-do-ventre.

Eu usava os lencinhos para limpar os pés depois das aulas da referida dança.

Kel Sodre disse...

Ah! Lógica luso-brasileira mode: on power

Gilgomex™ disse...

(Pai mode:on)O médico disse que não devemos utilizar lencinhos umedecidos, pois de alguma maneira faz mal para o bebê... (Pai mode: off)

Postão, hein? Aí sim! É assim que gosto de ver...
Carequinha Umdecido???
heuheuheuheuheuheuheueehuehue (control c + control v) heuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehue... arf, arf... heuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehueheuheuheuheuheuheuheueehuehue

Anderson Cruz disse...

Ai,ai....

Eu vou lendo e um sorriso vai nascendo no canto da boca,hehehehe.
Muito bom cara.

Abraço.

Dragus disse...

Ler seu blog não é apenas e simplesmente para dar boas risadas. =p

Aprendo muito sobre como caminhar por São Paulo, ainda que eu só conheça o centro (nomes de rua não) e um pouco dos arredores do Tietê... =p

(Ale)mãozinho umedecido disse...

Carequinha Umedecido....

HUAAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAHUAHAUHAUHAUHAUHAHUUAH

Dudu Tamborim disse...

Sacanagem não ter perguntado pra quê ele queria =/

Varotto disse...

Aí. Carequinha umidecido,realmente é muito boa.

Felipe Lima disse...

Rob, é uma vergonha vc não ter perguntado para que serviam os raios dos lencinhos, tanto trabalho para deixar o final em aberto. Mas mesmo assim o post foi ótimo, podia ter chamado de "Missão Pink and Blue: o ataque do careca umedecido". Vc devia estar parecendo um roqueiro emo com o lencinho embaixo do braço. Hilário! Já pensou se o cara da segurança do supermercado é teu leitor? Ele pode liberar o vídeo da vigilância no youtube. Cuidado, muito cuidado com as suas ações benevolentes.

Thayrine disse...

(Mania de perseguição mode: on)

Excelente texto.
Ler seu blogue deixa
a minha vida muito mais cor-de-rosa.
Ah, claro, dependendo do ângulo. (x

Beijos, e parabéns!

G7 disse...

Excelente texto!

Só um ponto: considerando o lugar e a diversidade cromática dos tênis All Star da região, o que deve ter causado mais estranhamento não foram os lencinhos, e sim a (argh) lasanha de calabresa. Não tinha um folhado de cenourinha baby com ricota light e peitinho de peru?