22 de abril de 2008

Carta Aberta ao Sr. Guillermo Vargas

Caro Sr. Vargas,

Antes de mais nada, peço desculpas ao senhor por ter demorado tanto tempo para escrevê-lo. Porém, tomei conhecimento de seu trabalho apenas nos últimos dias, ao encontrar essa notícia na internet.

Posto isso, gostaria de dirigir algumas palavras ao senhor.

De acordo com o Wikipédia (que, admito, não é uma fonte 100% confiável), arte é “atividade humana ligada a manifestações de ordem estética, feita por artistas a partir de percepção, emoções e idéias, com o objetivo de estimular essas instâncias de consciência em um ou mais espectadores”. Infelizmente, não consigo ver onde essa definição se aplica em seu trabalho. O fato de o senhor fazer um bicho morrer lentamente de fome e sede em uma exposição não o classifica como artista.

Isso coloca o senhor no patamar de imbecil.

Enquanto a arte, de forma geral, é uma das maiores provas da evolução humana, sua obra caminha no sentido contrário, rumo à imbecilidade plena. Alguns artistas trabalham para fazer o povo pensar e refletir sobre a sociedade em geral; outros desejam apenas entreter, sem a ambição de provocar maiores reflexões. Sinceramente, eu falho em compreender se o senhor pretende apenas chamar a atenção (o que o tornaria um “oportunista estúpido”) ou apenas prima pelo mau gosto (o que o colocaria apenas como “estúpido”).

E não me importo com suas declarações afirmando que pretendia, com isso, demonstrar a hipocrisia humana, afirmando que “se o cão estivesse passando fome na rua, ninguém se importaria”. Bem, esta foto aqui mostra que as pessoas presentes a tal exposição não pareceram se importar muito com o sofrimento do bicho. Ou seja, a única pessoa que aparentemente se importou com isso foi o senhor. Logo, seu trabalho, além de pecar pelo mau gosto, é fraco, já que não atingiu o que o efeito que o senhor pretendia nos presentes.

E antes do senhor alegar que o fato de um brasileiro estar lhe escrevendo é a prova de que seu trabalho é chocante, que fique claro: em momento algum seu trabalho me fez refletir sobre a hipocrisia humana, mas, sim, sobre a estupidez humana. Mais precisamente, sobre a sua estupidez. Não estou aqui para julgar a qualidade do seu trabalho – mesmo porque não há qualidade para julgar. Estou aqui para falar sobre o senhor.

Qual foi a linha de raciocínio que o senhor seguiu, dentro da sua completa imbecilidade, para concluir que possuía o direito sobre a vida deste cão? A menos, é claro, que o bicho tenha lhe dado uma autorização por escrito lhe conferindo liberdade para levar adiante sua instalação artística. Se isso realmente aconteceu, gostaria que esse papel fosse apresentado a mim e aos meus leitores. Neste caso, e somente neste caso, eu retiro o que estou falando e pedirei desculpas publicamente.

Como acredito que isso não tenha acontecido, partirei do princípio que o senhor se auto-conferiu direitos divinos. De uma hora para outra, o senhor ganhou poderes de vida e morte e pode escolher quem vive em quem morre, começando seu reinado divino com a execução de um bicho apenas para tentar, em vão, mostrar um ponto de vista falho.

Aliás, a idéia de aprisionar um ser vivo com o intuito de deixá-lo morrer lentamente de fome e sede não é nada original, isso já foi feito diversas vezes. O primeiro exemplo – e o mais óbvio – que me vem à cabeça são os campos de concentração nazistas. Mas há muitos outros espalhados pela história, basta pesquisar. A única diferença é que o senhor acredita – e quer convencer o resto do mundo – de que isso é arte. Ou seja, pelo seu raciocínio, os nazistas não realizaram um Holocausto, mas, sim, um vernissage, certo?

Enfim, o senhor conseguiu seus 15 minutos de fama, como gostaria, mas não teve culhões para pagar do próprio bolso e entregou a conta a um bicho inocente que em momento algum compreendeu o que estava acontecendo. Cabe aqui, então, a pergunta: por que não uma pessoa? Por que não uma criança? Um idoso? Por que não sua mãe?

Ou, melhor ainda: porque não o senhor?

Sim, porque se o senhor quer demonstrar a hipocrisia humana desta forma, amarre-se num poste, sem água e sem comida e espere a morte chegar. O mundo agradece.

Mas, como duvido que o senhor pretenda fazer isso. O senhor vai continuar vivo e expondo sua pretensa “arte”, e, pior, contando com o incentivo do governo do seu país, que elegeu o senhor como representante oficial de Costa Rica em outra exposição.

Ou seja, tudo me leva a crer que o senhor irá matar outro bicho. Aliás, Repare que tomei o cuidado de sempre me referir ao cachorro usando a palavra bicho. Quero, com isso, deixar claro que, nesta história, ele é apenas um bicho. O animal, mesmo, é o senhor.

Partindo do princípio, então, que o senhor continuará emporcalhando o planeta com sua arte, eu estou publicamente lhe desafiando a vir apresentar esta merda de arte em São Paulo.

Desafio o senhor a colocar os pés aqui e tentar matar um cachorro na minha cidade.

Rob Gordon

São Paulo - Brasil

P.S. – Infelizmente, não domino o idioma espanhol. Caso algum dos leitores tenha a bondade de traduzir essa carta para mim (e o seu nível de educação atinja o nível “alfabetizado”), espero sinceramente que ela chegue às suas mãos. E espero muito que o senhor aceite meu desafio.

Update: A Larissa, grande amiga e dona deste blog aqui me enviou hoje a tradução da carta, postada abaixo. Como o Sr. Vargas dedicou a instalação artística dele a uma pessoa que morreu atacada por cães, eu dedico esse post à filha da Larissa, que tem um ano e não merecia viver no mesmo planeta que este pretenso artista.


******************************

Carta Abierta al Sr. Guillermo Vargas

Antes que nada, le pido disculpas por haber demorado tanto tiempo en escribirle. Tomé conocimiento de su trabajo apenas em los últimos días, al encontrar esta noticia em Internet.

Dicho esto, me gustaría dirigirle algunas palabras.

De acuerdo con Wikipedia (que, admito no es uma fuente 100% confiable), arte es ‘actividad humana relacionada a manifestaciones de orden estético, hecha por artistas a partir de la percepción, emociones e ideas, con el objetivo de estimular esas instancias de conciencia en uno o mas espectadores’. Infelizmente, no consigo ver donde esta definición se aplica en su trabajo. El hecho de usted, hacer morir lentamente, a un bicho de sed y hambre en uma exposición, no lo califica como artista.

Eso lo ubica en un nível de imbécil.

En cuanto al arte, en un concepto general, es una de las mayores pruebas de la evolución huamana, su obra va en sentido contrario, rumbo a la imbecilidad absoluta. Algunos artistas trabajan para hacer pensar al pueblo y reflexionar sobre la sociedad en general, otros desean apenas entretener, sin ambición de provocar mayores reflexiones. Sinceramente, yo no consigo comprender si usted pretende apenas llamar la atención (lo que lo convertiría en un ‘estúpido oportunista’) o apenas se destaca por su mal gusto (lo que lo convertiría simplemente en ‘estúpido’)

No me interesan sus delcaraciones afirmando que pretendía, con eso, demostrar la hipocresía humana, afirmando que ‘si el can estuviese pasando hambre en las calles, a nadie le importaría’. Bien, esta foto muestra que las personas presentes en tal exposición, no parecían importarse mucho con el sufrimiento del bicho. O sea, la única persona a la que aparentemente le importaba era a usted. Su trabajo, aparte de pecar de mal gusto, es insignificante, ya que no consiguió el efecto que usted pretendía en los presentes.

Antes de usted alegar, de que el hecho de que un brasilero le este escribiendo es una prueba de que su trabajo es impactante, que quede claro: en ningún momento su trabajo me hizo reflexionar sobre la hipocresía humana, pero si, sobre la estupidez humana. Mas precisamente, sobre su estupidez. No estoy aqui para juzgar la calidad de su trabajo (porque no hay calidad para juzgar) Estoy aquí para hablar sobre usted.

Cuál fue la línea de razonamiento que usted siguió, dentro de su completa imbecilidad, para concluir que poseía derechos sobre la vida de este can? Al menos, claro está, que el bicho le haya dado una autorización por escrito otorgándole la libertad de llevar a cabo su representación artística. Si eso realmente aconteció, y solo así, retiro lo que estoy diciendo y le pediré disculpas publicamente.

Como creo que eso no debe haber ocurrido, partiré del principio de que usted se auto-atribuyó derechos divinos. De un momento para outro, usted adquirió poderes sobre la vida y la muerta y puede elegir quien vive y quien muere, comenzando su reinado com la ejecución de un bicho apenas para intentar, en vano, mostrar un punto de vista fallido

Además, la Idea de aprisionar un ser vivo com la intención de dejarlo morir lentamente de sed y hambre no es nada original, eso fue hecho muchas veces. El primer ejemplo (y el más obvio) que me viene a la cabeza son los campos de concentración nazistas. Pero hay muchos otros diseminados en la historia, basta invesetigar. La única diferencia es que usted cree (y quiere convencer al resto del mundo) de que eso es arte. O sea, por su razonamiento, los nazis no realizaron un Holocausto, pero si un vernissage, verdad?

En fin, usted consiguió sus 15 minutos de fama, como guste, pero no tuvo cojones para pagar de su propio bolsillo y entrego a cuenta a un animal inocente que en ningún momento comprendió lo que estaba sucediendo. Cabe entonces la pregunta: porque no una persona? Porque no un niño? Un anciano? Por que no su madre?

O mejor todavía: porque no usted mismo?

Si, porque usted quiere demostrar la hipocresía humana de esta forma, atese a un poste, sin agua y sin comida y espere la muerte llegar. El mundo le agradecerá.

Pero, como dudo que usted pretenda hacer eso. Usted va a continuar vivo y exponiendo su pretendida ‘arte’, y, peor, contando com el incentivo de el gobierno de su país, que lo eligió a usted como representante oficial de Costa Rica en otra exposición.

O sea, todo me lleva a creer que usted irá a matar otro bicho. Además, repare que tomé el cuidado de siempre referirme al can usando la palabra bicho. Quiero con esto, dejar claro que, en esta historia, él es apenas un bicho. El animal mismo, es usted.

Partiendo entonces del principio, que usted continuará enchastrando nuestro planeta con su arte, yo estoy desfiandolo públicamente a venir a presentar esta mierda de arte en São Paulo.

Lo desafio a usted a colocar sus pies aquí e intentar matar un perro en mi ciudad.

Rob Gordon

São Paulo - Brasil

30 comentários:

Gilgomex™ disse...

Depois, as pessoas dizem que o Brasil isso, o Brasil aquilo...

Arte???
Tá cada dia pior falar a palavra arte...
Você já viu essa aqui?

http://defesadafe.blogspot.com/2008/04/americana-se-insemina-e-aborta-vrias.html

chaverinho disse...

não foi bem assim...
explicações aqui: http://www.picturapixel.com/blog/?p=3394
aqui: http://www100cabecas.blogspot.com/2008/04/demagogia-feita-maneira-como-queijo.html
e aqui: http://bitaites.org/cromos/tu-es-o-que-les-habacuc-tem-razao

quando recebi o protesto por e-mail tb fiquei indignada..
meses depois recebi os três links acima...

An@Lu disse...

A-DO-REI!
Rob, sou tua fã no humor, mas amo quando você fala sério também.
Concordo inteiramente e, no ano passado escrevi sobre isso, aquando da morte do cão.

Se você quiser, dá uma olhadinha:
http://ooutroblogdaana.blogspot.com/2007/10/natividad.html

Rob Gordon disse...

Chaveirinho

Segui seus links, e, curiosamente, a única prova de que isso não aconteceu (a declaração oficial da galeria) está fora do ar. Além disso, o texto principal defendendo o sujeito (bitbaites.org) não coloca nenhuma outra prova de que o cachorro foi bem tratado. É um texto totalmente opinativo.

Já no site da PETA, há duas menções.

Uma delas no fórum, onde afirmam que o caso está sendo investigado
http://www.peta.org/forums/topic.asp?TOPIC_ID=2596

Outra no blog oficial do PETA, onde eles admitem que há chance de algumas dados terem sido inventados por publicidade, mas que o caso continua sendo investigado (o post é de ontem). Independente da morte do bicho - ou não - eles afirmam que é indiscutível que toda a ação acarretou em maus-tratos ao bicho.
http://blog.peta.org/archives/2008/04/artist_starving.php

Por enquanto, continuo com a minha opinião: esse cara é um escroto. Não me importa se o cão morreu ou não - se morreu, claro, é pior ainda - mas o princípio da coisa. Ele tinha tanto direito de fazer isso com um cão como um mendigo. É mau trato e de um mau gosto tremendo.

Perci Carvalho disse...

Rob, concordo. "É mau trato e de um mau gosto tremendo"
tadinho do au-au.
gostei da idéia do desafio da exposição em SP... se acontecer, agita uma revoluçao aqui que td mundo aparece lá pra tacar qq coisa na cabeça do maneh...ou algo assim...

Daniela Torres disse...

Clap, clap, clap, clap! Mil aplausos! Para você, óbvio!
Para o animal...adorei a idéia do poste, seria ótimo para uma bienal e um bem para o mundo, fora que se não for "arte", nesse caso nem importa!

Tyler Bazz disse...

Vou dizer o quê, Rob??? Passei o link do texto pra um amigo dizendo só "da série: porque eu pago pau pro Rob".

Vou tentar verter a carta p/ o espanhol.. se rolar, te mando por email.

E se o cara aceitar o desafio, eu vou fazer o possível pra estar lá, só pra ver o que vc é capaz de fazer... uhuhuhhu...

o/

Elvira Hanckok disse...

Eu estudo a vida de serial Killers talvez porque eu de mais valor a vida de um animal do que de um ser humano. E histórias como essas me fazem cada vez mais ter certeza de que a humanidade não vale um terço do q vale um animal.
Eu só não concordei com uma coisa na sua carta, vc chamar o cara de animal, se ele fosse um animal, não faria o que fez, o problema é q ele é um grande exemplar do ser humano. Independente de raça, religião e o caralho a quatro, ele só fez mais um ato humano. Aí é que está o problema. Homens agem apenas para beneficiar a si. Esse exemplar aí só demonstrou o EGOísmo humano, torturando um animal inocente para ter os seus 15 minutos de fama.
Espero, do fundo do meu coração, que um dia ele sinta 7 vezes mais tudo o q esse animal sentiu, e que morra do jeito que merece.

Thiago Neres disse...

Rob, também tomei conhecimento disso a poucos dias e senti um sentimento de revolta, com vontade de gritar, de quebrar alguma coisa, fiquei com raiva mesmo.

Foi muito legal ver seu desabafo inteligente aqui e acho ele muito válido.

Obrigado pelo que você escreveu e parabéns pela pessoa que você é.

Rob Gordon disse...

Elvira

o "animal" que usei para descreve-lo é no sentido pejorativo mesmo.

Fernando disse...

♠Infelizmente esse idiota ainda e aclamado por fazer uma barbarie dessas. e Rob o desafio esta lancado, espero que ele va se apresentar no MASP qualquer dia, assim vc poderia deixar a Besta Fera tomar conta desse "Animal"!

Neh esse não disse...

A humanidade não deu certo e esse "cerumano" não deu certo e esqueceram de jogar fora.

Ale disse...

Independente de o cão ter morrido ou não (e eu acho que morreu) essa é mais uma amostra de que a arte chamada de "moderna" tende a sumir. Estou cansado de ir em exposições e ver videos de alguém se pintando, ou desenhos mal feitos. Pior ainda quando fazem tal coisa com um animal. O detalhe é que a instituição é que transforma aquilo em arte, porque o mesmo animal preso em uma casa abandonada não seria nada além de um animal preso em uma casa abandonada.
Para quem se interessar , dê uma lida nesse blog do Luciano Trigo http://lucianotrigo.blogspot.com/2008/04/gullar-x-habacuc.html

Liz disse...

Chaveirinho, espero realmente que esse cachorro não tenha morrido e que essa seja a verdade. Concordo plenamente com a Elvira, quando diz que a vida de um animal vale mais que a de um homem... É só ver como o mundo está...

Marcos Costa Melo disse...

Confesso que não sou um grande apreciador de cachorros, mas reconheço que o que este dito "artista" faz é absolutamente repugnante.

Isso não é arte, não é metáfora, é apenas uma maneira ridícula e boçal de se expressar.

Aproveitando, indiquei seu blog para um selo, quando quiser, passa lá no Euforia Melancólica e pega.

abraços

www.euforiamelancolica.blogspot.com

Anônimo disse...

NÃO É VÍRUS

Saiu uma matéria sobre Guillermo Habacuc Vargas no site da globo.com, deixe
seu comentário!

http://g1.globo.com/Noticias/PopArte/0,,MUL421044-7084,00-ARTISTA+NAO+REVELA+SE+DEIXOU+CAO+MORRER+DE+FOME+EM+INSTALACAO.html

Eduardo Araújo . disse...

De todos os textos desse blog, esse eu li com a cara torcida. Não gostei da argumentação, não concordei também.

mas opinião é opinião e eu não to aqui pra discutir nada.

abraço

Chantinon disse...

Eu tô com você, o cara é um babaca!
Mas essa notícia tá um um certo delay :)
E faltam sites sérios para afirmar se isso tudo é verdade ou mais um dos fakes do mundo cyber.
Mas é uma prova que notícia web fica muito tempo no ar.

Anônimo disse...

Adorei!!
Muitos parabéns pela carta...espero que chegue mesmo às mãos desse monstro!

Dragus disse...

O problema não é a idéia imbecil dele, mas sim que NADA foi feito pelos demais, nem mesmo o Greenpeace invadiu o museu pela vida do cachorro.

Ele exibiu porque teve autorização, o cachorro sofreu porque o dono do local da exposição (ou decano, ou seja lá qual termo usem) deixou, quando poderia ter se interposto a favor do animal (sentido literal) e se colocado contra o animal (o artista, no sentido pejorativo) e ter cuidado do animal.

Quando isso não acontece, nem por parte do público, quanto por parte dos co-responsáveis, no final das contas fica a impressão que o problema é no meio das artes.

Exemplo: Hitler não matou os judeus, ele mandou matar, mataram porque quiseram. Manda quem pode e obedece quem quer.

Marcela disse...

Parabéns pelas palavras, conseguiu colocar toda a minha raiva e indignação ae! Gostaria de saber se a carta chegou nas mãos desse monstro! se puder me responder, marcelalviim@hotmail.com

Daphne disse...

Clap, clap, clap, clap.
Você conseguiu descrever com todas as palavras o que eu senti quando fiquei sabendo dessa notícia, Rob.
Até o desafio bate com o que eu me propus a fazer.
Tudo isso me enoja tanto que eu não conseguiria escrever a respeito com tanta eficácia, sinto muita raiva e só o que me vem à cabeça são xingamentos.
Parabéns pela postura, vou espalhar teu texto também.

Alexandre disse...

Em São Paulo? Onde aqui os cães são tratados melhores do que nós, pessoas? Sr. Gordon, creio que se ele vier pra cá, será mais uma morte em nosso país...

Fábio Buchecha disse...

Rob, me admira que um blogueiro experiente como você tenha caído na armadilha das falsas causas da web. Você diz que não tem provas e nesse ponto eu concordo. Não há provas conclusivas, mas há uma série de indícios fortes que apontam que tudo não passou de uma bela de uma picaretagem de um artista frustrado, o que é mais que comum.

Mas caso fosse/seja verdade que o cãozinho morreu, eu pegaria um avião agora mesmo e iria até São Paulo apertar sua mão pelo manifesto mais válido que já li.
___________________________________
TemPraQuemQuer

Larissa Bohnenberger disse...

Nossa. Eu ainda sinto o meu sangue ferver com a mesma intensidade toda vez que leio sobre isso. Ainda choro de raiva e imagino o senhor Guillermo amarrado a uma árvore com o pau cortado e sangrando e urrando de dor até morrer!
Eu juro, se esse cara aceita o teu desafio e vai pra São Paulo, eu largo tudo, pego um avião e vou praí também, pra colocar em prática os meus métodos de tortura contemporâneos. Isso sim seria arte. E garanto que uma arte que despertaria muito mais admiradores!

Anônimo disse...

Quando vi aquele quadro da malvadeza humana, me perguntei quem seria o cachorro ali, o "artista" se é que se pode dizer que este senhor é, ou o animal. Pior ainda é areação das pessoas que ali estavam, indiferentes ao pobre ser agonizante. Se fosse um Fifi todo emproado, acho que não teriam este desprezo pelo pobre animal. E se fosse um cachorro de uma personalidade? mas o problema é que é um pobre viralata que sente fome, abandono, sede. E dizer que isto é arte. Arte do que? De uma besta que se acha um gênio, só se da burrice e da maldade.A gente morre e não vê até onde pode ir a maldade do ser humano, será que é humano isto?

Srtª Amora disse...

Uma das coisas mais idiotas que já vi em toda minha vida. Certamente um cachorro na rua não morreria de fome.

Só falta ele fazer isso com uma pessoa, pra dizer que ninguém se importa com quem passa fome.

É um imbecil. Doente.

Marco disse...

Que tal convidarmos ese filho de uma puta para vir expor sua 'obra' aqui?? Será que o bastardo teria coragem apra isso??

Marcos disse...

Senhor Guillermo

venho por intermédio desta convidar vossa senhoria aparticipar da minha instalação artística que vou expor na próxima bienal de São Paulo, a ocorrer este ano ainda. Estou lhe convidando para ser parte da obra belíssima que tenho certeza, será de imensa repercussão positiva para o senhor. A instalação consiste em uma lãmpada HPS, essas de vapor de sódio que vemos nas ruas das grandes cidades, cujo longo bulbo será inserido em seu orifício anal, antes de ser ligada. Após 2 minutos, e próximos dos 350º celsius, essa maravilha deverá explodir e imediatamente rasgar seu intestino. Na sequência imediata, teremos a apoteose, o supra sumo desta maravilhosa manifestação cultural: o choque de 220 volts em seus intestinos em carne viva e aquela fumacinha expressiva dizendo que o senhor já foi desta para melhor. Contei essa idéia para muitas pessoas e eles acharam ela genial. Como sei que o senhor é aberto a estes tipos de manifestações culturais, desde já fica registrado o convite.

Aguardando sua corajosa resposta SIM de verdadeiro artista, agradecemos desde já

Hermann disse...

Meus parabéns pelo texto!
Perfeito, conseguiu expressar todo sentimento de raiva dentro de mim!
Espero ver este animal na bienal de São Paulo, pra ele ter o que merece.