6 de março de 2007

A Guerra da Vila Mariana - 1º Tempo

Segue, como prometido, um resumo dos principais lances do primeiro tempo da derradeira partida da carreira de Rob Gordon, que acabou quase lhe custando a vida.

Se você não sabe do que estou falando, é porque não tem acompanhado os principais noticiários esportivos. Mas você pode saber toda a história aqui.

E os lances dessa guerra você só vê aqui. Chupa Terra! Chupa Uol!


Assim como Rocky Balboa, o veterano Rob Gordon
disputou uma última batalha, para libertar a sua fera interior

1’ – Os dois times se postam em campo. De um lado, o time das crianças. Do outro, o time dos adultos e mais quatro meninos e uma loirinha de uns 6 anos que, apesar de jogarem no outro time, não cabiam no lado certo da quadra. A loirinha, alheia ao que acontece ao seu redor, está brincando de rodar na quadra. Começa o jogo.

6’ – Ataque do time dos adultos. Rob Gordon recebe a bola na linha de fundo, mas é cercado por 18 crianças, que começam a chutá-lo, gritando, e desaparece no meio da multidão junto com a bola. Obviamente o juiz não dá falta, porque não há juiz, aquilo é uma terra sem lei.

10’ – GOOOOOL do time das crianças! A bola é cruzada na área e os nove moleques que aguardavam por ali resolvem usar a tática do aríete: esperam o goleiro pegar a bola e o cercam, empurrando o coitado para dentro do gol com bola e tudo. Falta no goleiro? “Não, não vimos nada”. 0 x 1.

14’ – Tabela entre Rob Gordon e outro adulto envolve totalmente a defesa adversária e deixa Gordon na cara do gol. Ele tira o zagueiro do lance com categoria e chuta colocado, por cima. O goleiro pula e não alcança nada. A bola resvala na trave e sai pela linha de fundo. Gordon grita um “filho da puta!” a plenos pulmões, o que faz todos os pais ao redor da quadra olharem feio para ele. Um gordinho de óculos passa por Gordon e solta um “se fudeu”, baixinho.

21’ – GOOOOOL do time dos adultos! Na cobrança de escanteio, a bola é rolada para Gordon, que, de fora da área, bate de três dedos, por cobertura. Indefensável. Golaço! (modéstia a parte mode: on) Ao comemorar, Gordon passa pelo gordinho do lance anterior e, demonstrando sua toda sua maturidade e superioridade emocional, solta um “Se fudeu você, babaca! Chupa!”. 1 x 1.

25’ – Após dar um pique para tentar (em vão) alcançar um lançamento em profundidade, Gordon cai na quadra. Fica deitado, inerte e sem ar, implorando para que alguém pegue um cigarro e uma cerveja para ele. É sumariamente ignorado.

29’ – Gordon abandona o campo no meio de um ataque do time das crianças, e vai para o canto da quadra, onde se apóia num muro, tentando respirar. As crianças do outro time continuam o ataque – sempre com a tática de manter 17 jogadores ao redor da bola – e entram na área. Por sorte, a bola resvala na trave e sai.

31’ – GOOOOOL do time das crianças! Numa cobrança de escanteio, começa um bate-rebate na área. A bola sobra para um moreninho de uns 9 anos, que simplesmente se materializou na ponta esquerda (ele não estava em campo até o momento. Aliás, ele nem estava na festa.) e, depois de bater em mais três crianças (pinball mode: on) entra. 1 x 2.

32’ – O time dos adultos prepara-se para dar a saída e um deles pensa em bater direto para o gol. Desiste da idéia quando o goleiro adversário grita que “não vale bomba, tio”.

35’ – Gordon rouba a bola de um moleque e parte em disparada, na direção do gol. No meio da arrancada, dribla o último zagueiro com uma classe invejável, mas descobre que a loirinha (aquela mesma, que gosta de girar na quadra) está sentada na sua frente, brincando com uma plantinha. Tentando evitar uma tragédia, Gordon pula a menina, alçando vôo na quadra e aterrissando numa das grades. A bola sobra na mão do goleiro. Gordon, no chão, começa a analisar se realmente vale a pena levantar.

39’ – GOOOOOL do time das crianças! A bola é alçada na área do time dos adultos, e um japonesinho de no máximo sete anos domina com categoria e empurra com calma para dentro do gol. Tudo porque o goleiro do time dos adultos havia saído para buscar uma cerveja e não avisou ninguém. Pior, só trouxe cerveja para ele. 1 x 3.

40’ – Rob Gordon sai de campo, avisando que volta apenas no segundo tempo. Senta na arquibancada, totalmente sem ar. Abre uma cerveja e acende um cigarro para recuperar as energias. As pessoas ao seu redor perguntam se ele está bem, mas ele não consegue responder nada inteligível.

45’ – Final do primeiro tempo. O time das crianças vence por 3 x 1 e Gordon está deitado numa das arquibancadas, mal conseguindo segurar a cerveja e sem conseguir falar.

("assista" ao 2º tempo do jogo aqui)

2 comentários:

Thiago disse...

Meu caro Rob, que achas de escrever uma resenha desta edição definitiva de "O Cavaleiro das Trevas" para aquele site nerd conduzido por um certo nerd simpático e agradável - e que vai ao show do Aerosmith?

- El Cid

FF disse...

Como você é infantil, pobre Gordon. Faça como eu: meus esportes são a Dibrinha e o Melê ("Linha!").