15 de janeiro de 2007

Eu, Platão e a Igreja Renascer

Não posso negar que vibrei com a prisão dos donos da Igreja Renascer, na semana passada. Eu não gosto de nenhuma dessas igrejas, mas, no caso da Renascer, é diferente. Faz mais de 10 anos que eu tenho esse povo engasgado na minha garganta. Isso por causa de uma história que aconteceu quando eu tinha uns 13, 14 anos e minha vida amorosa apenas começava a ganhar ares de roteiro do Woody Allen.

Nessa época, final do ginásio, eu era totalmente apaixonado por uma menina que estava uma série abaixo de mim. E, você sabe... Quando você tem 15 anos, suas paixões não funcionam de forma normal. Elas não rendem relacionamentos estáveis, duradouros e juras de amor eterno. Elas consistem em observar a pessoa flutuando na sua direção, em câmera lenta, com os cabelos ao vento, normalmente ao som de You Are So Beautiful (na versão do Joe Cocker). Sim, eu sei que na verdade, ela estava no pátio comendo um misto, mas isso não importa agora. Maldito Platão.

É também a fase onde você começa a definir se será, aos olhos do sexo oposto, uma espécie de Humphrey Bogart, misterioso e instigante; um James Dean, rebelde e inconseqüente; um Paul Newman, correto e atencioso; um Leonardo Di Caprio, frágil e carinhoso (para quem não gosta de filmes clássicos); ou um Rob Gordon, mesmo. Eu passava o dia inteiro na escola torcendo para encontrar com essa menina e, quando isso acontecia, era sempre no pior momento, quando tinha acabado de derramar meio litro de Coca na camiseta, ou estava parecendo um débil-mental, com a cara cheia de chocolate. Isso sem falar nos diálogos extremamente sedutores e insinuantes que eu disparava, repleto de frases de efeito.

– Oi, tudo bem?

– Hum... É.... Hehe... É... Ah.... É.... Oi...

– Oi?

– É... Mas... É... É... Hum... Sim.

– Não entendi... Olha, eu vou indo, tá?

– Hum... Hehe... É... Tchau...

Enfim, um dia eu estava com essa menina, no ônibus, voltando para casa. Eu e ela. Sozinhos. Quer dizer, devia ter mais gente no ônibus (ao menos um motorista e um cobrador eu tenho certeza de que tinha), mas ninguém da nossa escola. E estávamos sentados, conversando. Quer dizer, ela estava conversando e eu estava apenas tentando me controlar e torcendo para que ela não percebesse que meu coração estava prestes a saltar pela boca, dar um mortal pela janela do ônibus e sair correndo pela avenida Jabaquara, gritando de pavor. Estávamos falando sobre provas, professores, etc.. E eu estava me saindo bem, admito, conseguindo até mesmo juntar sujeitos e predicados na mesma frase, e até mesmo conseguia sorrir nas horas certas.

Até que, de repente, sem aviso prévio, ela disparou a seguinte frase:

– Posso te fazer um convite?

(Achei que eu fosse enfartar.)

– É... Bem... Claro.

– Se eu te convidasse para ir comigo a um lugar onde você nunca foi antes, você aceitaria?

(Humphrey Bogart teria dito: “qual seu jogo, garota?”; James Dean teria sorrido de forma atrevida; Paul Newman teria dito “claro que aceito”, antes de abraçá-la. Leonardo Di Caprio teria subido no banco do ônibus e gritado "Sou o rei do mundo!" Eu? Bem... Eu fiquei petrificado, suando frio e balbuciando coisas sem sentido)

– Hum... Ah... Hehe... É... Talvez sim.

– Se eu te convidasse para ir comigo a um lugar onde você nunca foi antes, e fazer algo que você nunca fez antes, você aceitaria?

(Minha mente começou a funcionar de forma desesperada. Como eu vou arrumar dinheiro para pagar isso? Nem talão de cheques eu tenho... Meu Deus, eu vou precisar de um RG falso. Ah, não importa, eu dou um jeito. E o que eu vou falar em casa? “Vou passar a noite fora com a mulher da minha vida?” Não, melhor dizer que “vou ao shopping” e invento algo depois, quando chegar em casa as seis da manhã”. Deus do céu, ela está olhando para mim e sorrindo. Eu PRECISO responder isso agora!)

– Olhaprovavelmenteeuclaroqueaceitarianamesmahora.

– Oi?

– É... Talvez... Mas... Qual sua idéia?

– Eu queria convidar você para ir à Igreja Renascer comigo. Uma amiga minha me levou ali, e eu adorei! Estou convidando todo mundo! Quer ir? Podemos organizar uma turma e ir todos juntos!

Não me lembro do que senti na hora. O meu instinto de sobrevivência faz com que meu guarde essas coisas dentro do meu subconsciente, numa sala trancada à chave e com uma placa com a frase “Cuidado com o leopardo” escrita em letras vermelho-sangue. Mas eu sei que a decepção foi grande. Enfim, eu nunca fui para a tal da Renascer – devo ter desconversado na hora, provavelmente da forma mais bizonha do mundo, mas eu nunca esqueci essa situação.

Por isso vibrei com a prisão desse povo. Não estou nem aí se eles exploram os fiéis, se vendem a palavra de Deus à prestação, ou se colocam água-benta em garrafas PET de 2 litros.

Não, nada disso. O buraco é mais embaixo.

Atenção, povo da Renascer: NOSSO PROBLEMA É PESSOAL!!!

5 Respostas que poderiam ter sido dadas à menina (e suas devidas inspirações):

1. “Você realmente acha que isso vai colar, garota?” e a beijaria - sem largar o copo de uísque (Humphey Bogart mode: on)
2. “Esquece esse negócio de igreja. Você vai fugir comigo.” (James Dean mode: on).
3. “Eu não preciso de igreja, eu tenho você aqui.” (Paul Newman mode: on).
4. “Você vai cuidar de mim, ali?” (Leonardo Di Caprio mode: on)
5. “Hum... é.... Viu... Hehe... Ah... Vou ver...” (Rob Gordon mode: on)

14 comentários:

Mariliza Silva disse...

Rob Rob...rsrsrsr

Você tá me lembrando o livro "Ria da minha vida, antes que eu ria da sua"

Incrível cara, como nossas vidas podem virar um livro, ainda mais de comédia!!!

Parabéns! Amo te visitar!!

Mariliza

Marília disse...

Simplesmente lindo seu romance platônico.
E hilário.
Mas principalmente lindo.

=*

Lanark disse...

Aconteceu algo parecido comigo nesse ano que passou. Mas não com uma garota por quem eu sou apaixonado, mas por uma amiga, bem bonita. Ela me perguntou se eu tinha algo pra fazer no dia 27, e eu, com um sorriso sexy e cheio de si respondi: "Depende. No que está pensando?"

E ela: num show evangélico.

E eu: Ah. Na verdade eu tenho curso.

E ela: Ah, que pena, então tá.

Detalhe: ela é da Igreja Universal! Bem pior do que a Renascer!


E a tua crônica também me lembrou do segundo trabalho do Garth Ennis, (escritor do Preacher, conhece?) o Verdadeira Fé. UM jovem ateu começa a sair com uma garota evangélica, é bem interessante a história.


Desculpa o tamanho do comentário, o seu texto ficou dez!


Abraço.

(Acabei de atualizar o meu também)

Rodrigo disse...

Muito bom! Nada mais "15 anos de idade"! ;)

Manú Manfredini disse...

Como sempre, impagável....

Gargalhadas....

Telling Secrets That Should Never Be Revealed disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

Vc é muito engraçado, sabia?
ADORO entrar aqui no seu blog!
Emily

Anônimo disse...

Como vc ousa ter uma idéia tão espetacular antes de mim? rs...
Um blog baseado no "Alta Fidelidade", que eu adoro!...
Descobri seu blog pelo orkut, e pode ter certeza que já está nos meus favoritos. Me diverti muito com os tópicos! Este da renascer, então... O que teria dito o Chuck Norris? hahaha...

Anônimo disse...

Como este menino foi um adolescente imbecil e sem suas próprias convicções.AO invés dele sentir raiva da igreja, ele deveria antes sentir vergonha dele.QUANDO AGENTE AMA, AGENTE ACOMPANHA,COMPARTILHA E FICA JUNTO COM A PESSOA AMADA .ISTO É RECÍPROCO.se ele não gostasse do convite,ele poderia te-la feito mudar de idéia e ter feitos outros convites a ela.Ma o buraco é mesmo mais em baixo.é falta de um psicólogo ou um bom psiquiatra,porque isto não é motivo para termos raiva.Quem sabe hoje ele namora alguem drogada ,e ele está feliz,dando sua almna ao DEMO

Mayra disse...

eu tb fiquei mto feliz por eles terem sido presos, mas o buraco era mais em cima. no meu caso, eles transformaram vários cinemas em igrejas - o que pela lei da cultura deveria ser crime inafinaçavel...

Pâmela disse...

HUSHUAHUAHUAHAUAHU
você era MUITO lesado mesmo!
mas os meninos de 15 anos de hoje também não são muito diferentes, sabe?
E eu também estranharia se um garoto quisesse sair comigo e o encontro fosse na igreja Renascer! ée... O buraco deve ser mais embaixo mesmo!
hahahahaha

P.S.: Também fiquei contente em saber que aqueles vendedores de fé a cartão com prazo de 30 dias foram presos.


beeijo

Renan disse...

faz algum tempo que já dou(no bom sentido) uma espiada neste blog aqui...não sei ainda o porquê de não ter postado antes....de todo jeito como vc falou que fica comovido com postagens antigas, resolvi fazer um agrado!!!

Parabéns por isso aqui...um trabalho de primeira.

abraço.

Renan Becker disse...

Isso é uma coisa que não se faiz com um garoto de 15 anos! A melhor resposta seria Fugir em um Porsche 550 ao estilo James Dean

Hally disse...

Ai, ai (me recuperando)...
Caro Rob, que situação lascada hein?

(Eu já tava com medo, achando que a menina ia te convidar pra se tornar uma mistura de gótico com True black metal, fazer um pacto de sangue e ainda sacrificar alguns animaizinhos à machadadas...)

Mas, sendo por possíveis namorados, ou por amigos de infância, não conheço um adolescente que não foi convidado ou teve de ir à uma igreja evangélica por livre e espontânea pressão. Fui uma destas pobres vítimas. Mas agradeço, pois fiquei tão revoltada que acabei descobrindo meu caminho nebuloso e do Demo (Pobre Hóstia). Acho que, assim como os hormônios que vão chegando e nos levam a fazer coisas que não faríamos nem a pau, isso é comum. É o calvário que enfrentamos antes de definirmos nossa personalidade.

E, sinceramente, por mais patético que possa parecer, o resposta Robgordoniana foi a melhor. Imagina se a guria continuaria a te convidar (ou, leia-se PRESSIONAR) para ir nessa igreja depois de uma resposta tão... tão... Sonsa (não se ofenda por favor).

Texto maravilhoso, quase caí da cadeira de tanto rir! (A gente reconhece uma alma irmã de longe)
Hahahahahahaha