9 de novembro de 2015

Brainstorm - Ato Único

Rob Gordon Presidente: Bom dia. Acho que estamos todos aqui. Podemos começar a reunião?

Rob Gordon Prático: Vocês viram a tempestade que está ameaçando?

Rob Gordon Preguiçoso: Não entendo o motivo de uma reunião logo na segunda-feira.

Rob Gordon Metódico: Eu acho bom. Assim, podemos estabelecer as metas da semana e tudo fica mais organizado.

Rob Gordon Prático: Eu acho que o tempo que gastamos nas reuniões podia ser usado de forma melhor.

Rob Gordon Presidente: Silêncio, por favor.

Rob Gordon Prático: Mas é verdade. Já tivemos reuniões que duraram três ou quatro dias e serviram apenas para marcar a data da próxima reunião.

Rob Gordon Metódico: Não, as reuniões foram boas. Você que não prestou atenção. Onde está o Rob Gordon Marido?

Rob Gordon Prático: Ele precisou ir ao mercado.

Rob Gordon Presidente: Bem, bom dia a todos. O assunto, como vocês devem imaginar, é a realização da playlist definitiva de rock clássico, projeto que começamos a desenvolver na última semana.

Rob Gordon Obcecado: Que delícia.

Rob Gordon Preguiçoso: Espera, ninguém disse que tinha data de entrega. Eu ainda não comec... Eu ainda não terminei minha parte. Preciso de mais tempo.

Rob Gordon Presidente: Não estamos aqui para entregar nada, mas sim para discutirmos a metodologia que será usada.

Rob Gordon Metódico: Oba!

Rob Gordon Presidente: Alguns passos parecem estar funcionando. Não há necessidade de discuti-los, mas acho interessante que eles sejam repassados aqui.

Rob Gordon Prático: Se eles estão funcionando, porque precisamos falar sobre eles?

Rob Gordon Presidente: Pois assim todos ficam sabendo o que vem funcionando. Preguiçoso, quer ler a lista?

Rob Gordon Preguiçoso: Eu? Mesmo?

Rob Gordon Metódico: Posso ler? Eu adoro listas.

Rob Gordon Presidente: Certo.

Rob Gordon Metódico: Reunião de nove de novembro de dois mil e quinze. Pauta: playlist definitiva de rock cl...

Rob Gordon Presidente: Você pode pular esta parte.

Rob Gordon Metódico: Tem certeza? Eu acho isso importante.

Rob Gordon Presidente: Pode pular.

Rob Gordon Metódico: Certo. Medidas que já provaram funcionar bem dentro da estratégia. Item um. A separação será feita por estilos musicais e, dentro de cada estilo, por bandas. Item dois.

Rob Gordon Presidente: Você não precisa ler “item um”, “item dois”...

Rob Gordon Prático: Sim, vai direto ao assunto.

Rob Gordon Obcecado: Isso!

Rob Gordon Metódico: Tem certeza? Assim fica tudo mais organizado.

Rob Gordon Presidente: Não precisa.

Rob Gordon Metódico: Certo. Todas as músicas de todas as listas serão organizadas em ordem cronológica. Que delícia isso aqui.

Rob Gordon Prático: Como assim, todas as listas?

Rob Gordon Presidente: Nós faremos uma playlist de cada gênero. Rock dos anos 50. Rock da primeira metade dos anos 60. Rock da segunda metade dos anos 60.

Rob Gordon Obcecado: Essa divisão foi ideia minha.

Rob Gordon Preguiçoso: Que surpresa.

Rob Gordon Presidente: Rock progressivo. Hard rock clássico. Southern Rock. Folk Rock.

Rob Gordon Obcecado: Espere, e aquela divisão entre hard rock clássico inglês e hard rock clássico americano?

Rob Gordon Presidente: Não, essa nós não vamos fazer.

Rob Gordon Obcecado: Como assim? Deep Purple e Alice Cooper não podem habitar a mesma lista!

Rob Gordon Metódico: Que baita tempestade que está caindo.

Rob Gordon Preguiçoso: Pelo amor de Deus, já não chega dividir uma década em duas listas?

Rob Gordon Obcecado: Mas é claro! Se você escutar With the Beatles verá que as músicas são completamente diferentes de Abbey Road! Aliás, vocês sabiam que Abbey Road é o último disco dos Beatles?

Rob Gordon Metódico: Não é Let it Be?

Rob Gordon Obcecado: Apenas pela data de lançamento. Let it Be foi o último a ser lançado, mas ele foi começou a ser gravado antes de Abbey Road.

Rob Gordon Metódico: Mesmo? Preciso colocar isso na minha planilha.

Rob Gordon Preguiçoso: Por favor, não vamos começar a trabalhar com data de gravação, certo? Vai dar um trabalho horrível!

Rob Gordon Presidente: Senhores, foco, por favor. Não vamos considerar datas de gravação, apenas de lançamento. E, aproveitando que estamos falando disso, acredito que todos concordam que Beatles precisam ser uma playlist separada.

Rob Gordon Preguiçoso: Mais uma playlist?

Rob Gordon Prático: É fácil. Basta organizar a lista normalmente, como outra qualquer, usando o mesmo esquema.

Rob Gordon Metódico: Sim. E heavy metal?

Rob Gordon Presidente: Heavy metal não entrará nessa parte do processo, já que todos nós enxergamos as músicas de metal como algo à parte. No futuro, elas poderão ser reunidas, mas, esse será o passo seguinte. Próximo item da lista?

Rob Gordon Obcecado: Espere! Black Sabbath então não entra na lista de rock clássico? Isso está errado!

Rob Gordon Presidente: Eles vão entrar, mas quando tivermos os outros gêneros prontos.

Rob Gordon Obcecado: Budgie? Captain Beefhart?

Rob Gordon Presidente: Mesma coisa.

Rob Gordon Obcecado: Blue Öyster Cult?

Rob Gordon Preguiçoso: Vocês viram esse raio?

Rob Gordon Presidente: Mesma coisa. Não estamos aqui para discutir heavy metal, e sim o trabalho até agora. Próximo item da lista.

Rob Gordon Metódico: Item três. Todas...

Rob Gordon Presidente: Você não precisa ler o número do item.

Rob Gordon Metódico: Ah, sim. Mas esse é o último.

Rob Gordon Presidente: Certo.

Rob Gordon Metódico: Item três. Todas as músicas serão mp3 com 320kbps. Na falta de arquivos desse tipo, será necessária uma reunião para discutirmos o caso.

Rob Gordon Prático: Reunião para isso? Não é mais fácil decidirmos agora?

Rob Gordon Presidente: Não. Cada caso será um caso. Enfim, eu gostaria de conversar com vocês sobre o que não está funcionando. Como vocês sabem, a discografia das bandas inglesas da primeira metade dos anos 60 é algo complicado.

Rob Gordon Preguiçoso: Pronto. Começou. Nunca é fácil.

Rob Gordon Presidente: Como vocês já devem ter percebido, os primeiros discos dessas bandas nem sempre trazem todas as músicas. Muitas músicas foram lançadas apenas como singles.

Rob Gordon Obcecado: Sim. As bandas ainda estavam aprendendo o valor artístico do LP. Isso começa a acontecer de verdade a partir de...

Rob Gordon Presidente: E, em outros casos, os discos lançados nos Estados Unidos eram diferentes dos lançados na Inglaterra.

Rob Gordon Metódico: Meu Deus! Como eu vou colocar isso na minha planilha?

Rob Gordon Presidente: No caso de bandas maiores, como Rolling Stones e The Who, isso é facilmente remediado com uma coletânea boa. Nós colocamos a coletânea como um disco da banda, identificamos o ano de lançamento original de cada música e pronto.

Rob Gordon Prático: Então qual o problema? Já está resolvido.

Rob Gordon Presidente: Mas, no caso de bandas menores, isso nem sempre valerá a pena. Afinal, teremos uma coletânea dupla ou tripla apenas para suprir a ausência de uma ou duas músicas. É o caso dos Kinks. Então uma saída seria termos, nesses casos, os discos ingleses e americanos.

Rob Gordon Prático: Kinks são os que gravaram Wild Thing?

Rob Gordon Metódico: Não. Quem compôs Wild Thing foram os The Troggs. Tenho aqui na minha planilha. Kinks gravaram You Really Got Me.

Rob Gordon Preguiçoso: Isso não é Van Halen?

Rob Gordon Prático: Não seja preguiçoso. Basta pesquisar quem compôs a música.

Rob Gordon Metódico: Nem sempre. Mas isso não vale para Led Zeppelin.

Rob Gordon Obcecado: Desculpem interromper, mas na verdade, os Troggs não compuseram Wild Thing. A música foi gravada pelos americanos do The Wild Ones, em 1965. Só no ano seguinte os The Troggs gravaram sua versão, que é a mais famosa.

Rob Gordon Metódico: Mesmo? Preciso atualizar minha planilha.

Rob Gordon Presidente: Senhores, foco, por favor. Vamos nos ater ao assunto em questão.

Rob Gordon Obcecado: Certo. Por que então, para resolver esse problema da playlist, não vamos atrás dos singles originais? E dos EPs, quando for o caso?

Rob Gordon Preguiçoso: Você enlouqueceu? Tem ideia do trabalho que isso iria dar?

Rob Gordon Presidente: Além disso, muitos singles e EP trazem material que não iremos usar, como versões ao vivo, ou outras versões de músicas já lançadas. Demos, por exemplo.

Rob Gordon Prático: Mas por que existe essa confusão?

Rob Gordon Obcecado: Porque as rádios inglesas não tocavam música pop, diferente dos Estados Unidos. Na América, os discos precisavam conter a música que estava fazendo sucesso no rádio. Na Inglaterra, a principal forma de divulgação da música era em shows. Então a banda media suas músicas por outros tipos.

Rob Gordon Metódico: Eu adoraria que as pessoas usassem o mesmo sistema em todo o mundo.

Rob Gordon Obcecado: Aliás, dizem que gêneros como o heavy metal e o rock progressivo nasceram por causa disso. Como as bandas inglesas não se importavam com exposição em rádios, elas tinham mais liberdade para fazer suas músicas. Nesse ponto, o heavy metal e o rock progressivo são quase gêneros irmãos, que se firmaram sem tocar em rádio. E ambos possuem os mesmos antecedentes: o blues rock, o acid rock, o space rock...

Rob Gordon Preguiçoso: Quem chamou esse cara para a reunião? Cada vez que ele abre a boca, nós precisamos fazer outras listas!

Rob Gordon Prático: Certo. Uma saída seria termos os discos americanos e ingleses. E a outra?

Rob Gordon Presidente: Mudarmos completamente o projeto original e trabalharmos apenas com coletâneas. Escolhemos uma coletânea boa de cada grupo, a mais completa, dando preferência a material remasterizado e montamos a playlist com isso.

Rob Gordon Preguiçoso: Opa, eu gosto da ideia!

Rob Gordon Obcecado: Nem pensar! Eu me recuso!

Rob Gordon Prático: Olhe, pensando de forma prática, a saída é boa. Mas isso partindo do princípio que toda banda terá uma coletânea completa, e duvido que seja o caso.

Rob Gordon Preguiçoso: Vocês são loucos? Ao invés de escutarmos trinta discos dos Beach Boys, vamos ouvir um disco duplo!

Rob Gordon Obcecado: Vocês sabem o quanto uma coletânea de Pink Floyd é horrível? As músicas são editadas!

Rob Gordon Presidente: Mesmo?

Rob Gordon Obcecado: Sim! Num mundo perfeito, Pink Floyd precisaria ter uma coletânea para cada disco! E às vezes ela seria ainda maior que o disco! Se formos usar coletâneas, eu me demito!

Rob Gordon Presidente: Bem... Então acho que teremos que caçar as discografias completas. Discos ingleses e americanos. Isso, claro, tirando as bandas grandes, cujas coletâneas parecem funcionar! E voltamos ao projeto original, com coletâneas sendo usadas somente quando pensarmos em rock dos anos 50.

Rob Gordon Obcecado: Eu ainda acho que...

Rob Gordon Prático: Seja realista. Nós não vamos encontrar todos os compactos de Chuck Berry e Jerry Lee Lewis!

Rob Gordon Preguiçoso: E ele fala como se coletâneas tivessem duas músicas! Vocês já viram o tamanho daquela coletânea de 50 anos dos Rolling Stones? Só a coletânea tem mais discos que o Cream em toda a sua história. Que preguiça de mexer naquilo.

Rob Gordon Presidente: Bem, senhores... Então é isso. Mãos à obra. Lembrem-se: nossa prioridade, por enquanto, é a primeira metade da década de 60.

Rob Gordon Metódico: A tempestade passou.

Rob Gordon Escritor: Com licença?

Rob Gordon Presidente: Pois não?

Rob Gordon Escritor: Quando eu vou escrever algo?

Rob Gordon Presidente: Como assim?

Rob Gordon Escritor: Faz uma semana que vocês só mexem com as músicas e não passam nada para eu escrever. Eu achei que isso fosse ser falado na reunião.

Rob Gordon Presidente: Sim, é que estamos ocupados com as músicas...

Rob Gordon Escritor: Então, é que eu só sei escrever. Eu posso até escrever sobre músicas, se vocês quiserem... Mas eu preciso escrever. Posso fazer isso ouvindo música.

Rob Gordon Presidente: Então você pode ajudar com a playlist. Vai escrevendo o que você quiser e ouvindo as músicas e selecionando as melhores.

Rob Gordon Escritor: Mas o que eu escrevo?

Rob Gordon Metódico: Por que não aproveitamos que estamos aqui e fazemos uma reunião de pautas?

Rob Gordon Presidente: Não, não temos tempo. Alguma ideia de um tema para o Escritor?

Rob Gordon Prático: Escreve sobre a reunião! Você estava aqui o tempo todo!

Rob Gordon Escritor: Mas escrever o quê?

Rob Gordon Presidente: Faz uma ata da reunião.

Rob Gordon Escritor: Uma ata?

Rob Gordon Presidente: Isso. Escreve tudo o que foi falado aqui e eu mandarei para cada departamento.

Rob Gordon Escritor: Posso fazer em formato de crônica? Ou em peça de teatro, apenas com os diálogos? Gosto de fazer assim.

Rob Gordon Presidente: Como você quiser.

Rob Gordon Escritor: Bom, certo. Melhor que nada.

7 comentários:

trottta disse...

Não seja egoísta, eu gostaria de seguir essas listas todas no Spotify. E dá muito menos trabalho!

Celle Fonseca disse...

Rob, dá próxima coloca a trilha para tocar enquanto lemos rindo com (dos) tantos Rob's.

Elise Garcia disse...

Música. Um post sobre música. Um post sobre música com diálogos. Um post sobre música com diálogos no Champ.

Rob, você salvou minha semana. Sério.

Eu já disse pra vc que uma das minhas metas de vida é levar um papo sobre música com vc e com a Ana? Acho que eu aprenderia mais em cinco minutos do que aprendi nos últimos quinze anos... *-*

Varotto disse...

A verdade é que são todos marionetes. O master of puppets mesmo é o Rob Gordon Obcecado. Você vai acabar ficando com milhares de playlists de uma música cada. Completamente doente. Ana, arruma uma pilha de louça para esse cara lavar.

Eduardo Cabrini disse...

Rob Gordon Obcecado é o cara! Cada disco do Pink Floyd merece uma coletânea foi a melhor colocação do texto! E ri alto com a ideia de que uma coletânea dos Stones tem mais músicas que todos os discos da carreira do Cream! E cream é foda também! Deu vontade de começar essa playlist!

Sérgio Miranda Leitão disse...

Compartilhando com todos os amigos essa aula de história da música que tivemos de uma maneira sem igual!

Obrigado Rob...sensacional essa leitura!

Isabele de Paula disse...

Também sou a favor das listas no Spotify. rs
Amo posts enormes e cheios de diálogos.