13 de julho de 2015

Vamos Falar Sobre Blues?

Já fazia tempo que eu queria começar a usar o Medium. Até mesmo levantei essa bola no Facebook, em um post que fiz algumas semanas atrás considerando novos rumos na minha carreira aqui atrás dos teclados – e sim, ainda estou pensando bastante sobre isso e devo voltar a falar mais sobre isso aqui no blog mesmo, em breve.

Junte isso ao fato de que eu adoro escrever sobre blues, então... Não. Minto. Eu não adoro escrever sobre blues, mesmo porque eu nunca escrevi sobre blues. Eu gosto, mesmo, é de falar sobre blues. Blues é uma espécie de brinquedo novo na minha vida, já que, no meio de todos meus gêneros musicais, é o que descobri mais tarde.

Ouço blues há uns dez anos, talvez um pouco menos. Se você tem dezoito anos, isso pode parecer tempo demais. Mas, acredite: é um tempo muito pequeno. Especialmente se comparado, por exemplo, aos vinte e cinco anos que ouço heavy metal.

Adoro falar sobre heavy metal, adoro falar sobre rock clássico, adoro falar sobre música clássica... Mas adoro particularmente falar sobre blues, pois, como ele é algo relativamente novo na minha vida, é mu8ito mais fácil eu aprender algo sobre ele que, por exemplo, conversando sobre heavy metal – e não ache que estou me colocando como especialista em heavy metal; eu passo bem longe disso. Mas minha bagagem lá é definitivamente maior.

Então, resolvi o útil ao agradável e a algo que muita gente vem pedindo. Sempre que eu falo sobre blues no Twitter, as pessoas começam a participar. Duas ou três vezes eu abri um whisky e comecei a jogar músicas das minhas listas de blues no Twitter, falando sobre as músicas, dizendo curiosidades e, principalmente, minha opinião pessoal sobre ela. E sempre as pessoas q1ue acompanham isso começam a falar que eu devia escrever sobre, que eu devia gravar um podcast sobre o assunto e por aí vai.

Mas sempre recusei, já que não sou especialista, eu apenas “gosto muito”. Foi quando eu percebi que talvez esse fosse o ponto decisivo: gostar muito. Gostar a ponto de querer não apenas ouvir a música, mas conversar a respeito.

Juntando tudo isso, então comunico a quem não viu no final de semana meu novo projeto: “Sábado de Blues”: minha estreia no Medium com uma coluna semanal (e não preciso dizer aqui em qual dia ela será postada) sobre um tema de blues. Pode ser um nome, um estilo, um disco... Até mesmo uma música.

E sempre com a linguagem que vocês conhecem deste blog e das redes sociais: batendo papo. Não são críticas, resenhas, nada disso. É um bate papo sobre blues, que, ao menos em termos de histórias, é um dos gêneros mais ricos que conheço – e sempre com indicações de músicas, que é algo que todo mundo sempre me pede nas rede sociais.

Mas, como conversar sozinho é algo chato demais – especialmente quando o assunto é legal – estão todos convidados. Acesse aqui e leia a primeira coluna, feita com muito carinho sobre John Lee Hooker. Se você tem Medium, me siga lá.

E, se gostar do papo, acompanhe a coluna. Comente, indique temas, dê sua opinião, me corrija, diga que estou falando bobagem quando isso acontecer. E, claro, compartilhe o texto com seus seguidores, para trazer mais gente para a mesa do bar.

Afinal, se a conversa ficar grande demais, a gente aumenta o som.


Vamos nessa?

3 comentários:

Trotta disse...

Por que não um podcast? Me parece perfeito!

Varotto disse...

Podcast!

Rob Gordon disse...

Trotta e Varotto:

Temos dois problemas - ou melhor, empecilhos - aí:

1. Falar sozinho, como um programa de rádio? Para quem ouve, seria normal. Mas, para gravar... É complicado, não?

2. Editar? Não tenho a menor manha, nunca fiz isso.