18 de março de 2013

Vida de Rob

Ganhei de um leitor. Seria injusto demais não compartilhar com vocês.


Quem seria Rob Gordon?
Seria ele um diretor de cinema, ou talvez um critico,
Ou um músico bem famoso,
Quem sabe um defensor dos animais,
Ou até mesmo um detetive.
Talvez um publicitário com ideias brilhantes
Ou um jornalista afiado.
Talvez um semi-deus furioso,
Com sua baixa estatura e seus grandes poderes.
O mais provável é ser o homem mais azarado da terra,
Cercado de criaturas de outro mundo.
Ou alguém com uma imaginação extraordinária,
Onde a rotina vira historias e capítulos e livros.
De todos os possíveis, um não podemos negar
Ele é o terror dos atendentes de telemarketing,
"Meu sistema diz que você não merece viver"
E isso resume tudo.

Além dos títulos, ele também é um irmão
Um amigo, um tio.
Não apenas de sua família de sangue
Mas de seus leitores e fãs.

Por ele, fomos convidados a viver
Num pequeno apartamento no Pinheiros,
Depois em uma bela casa em outro lugar.
E por diversas vezes nos sentamos em seu sofá
Para escutar a historia do dia.

De certa forma, estivemos em suas historias,
Como um personagem secundário acompanhando o principal
Éramos transportados de nossa realidade,
Para viver, por breves (e longos) momentos
A vida desse baixinho careca destemido.

Rimos de suas incursões aos dentistas, ou das
Vinganças divinas sofridas,
Das batalhas entre o bem e o mal
Que ocorriam em sua volta.

E todos, como um só, seguráramos a respiração,
E torcíamos e esperávamos pelo melhor
Quando nosso herói encontrou dentro de si,
Seu pior inimigo.
Choramos juntos, sofremos juntos.
E juntos, passamos por essa fase,
E ela foi deixada para trás.
Hoje voltamos a sorrir, com historias novas
De sua vida nova.
E junto desejamos que esse personagem,
Que além de furioso, mal-humorado e destemido
Também é simpático, carinhoso e atencioso,
Sempre o melhor, que sempre alce voos mais altos
Que supere seus desafios, e encare outros maiores,
Enfim, desejamos ao Rob tudo de bom,
Seja ele quem for hoje, ou amanhã.

E ao homem do outro lado do teclado, desejamos felicidades
E sempre, tudo de bom.
Estamos sempre aqui, e pode ter certeza
Que se precisar, pode contar conosco. 


Obrigado, Guilherme! Achei a homenagem linda - e, mais importante ainda, você conseguiu algo que eu jamais tentaria: resumir este blog inteiro em um único texto. Muito, muito obrigado!

3 comentários:

Hydrachan disse...

Que lindo!!

Maravilhoso o texto. Sincero, simples e nostálgico. =)
E eu concordo 100% com o Guilherme. Estamos sempre aqui. ;)

Bjs!!

Rê Losilla disse...

Conheço o Gui há 10 anos e posso dizer, ele é FODA! =]

Ele só esqueceu dois detalhes, a coca-cola e o besta-fera. e talvez a lasanha... ahaihaiha

Kelly Regina disse...

Curti mil vezes!!!
Palavras simples, leves e emocionantes...
Numa estrutura de poema, faz a gente querer ler até o fim, sem pausas e admirar a vida do Rob!!
Parabéns Guilherme!!!