19 de março de 2013

Rob Gordon S.A.



De repente, o Editor percebeu que o número de postagens havia caído em relação ao anterior. Esbravejando, chamou o chefe de redação que se explicou da melhor forma que conseguiu:

- Eu estou precisando de mais pessoal. Um estagiário já resolve.

- Você tem gente suficiente.

- Não, não tenho. Desculpe a sinceridade, mas não tenho. A equipe que escreve no Champ está sobrecarregada. E a equipe do Chronicles está dividida. Metade escreve no Chronicles, metade faz o roteiro de Terapia.

- Não dá para colocar somente uma pessoa escrevendo essa história em quadrinhos?

- Impossível.

- Mas o texto não é longo.

- É justamente por isso. O texto é conciso demais, é trabalhoso.

- Então que tal deixar somente alguém do Chronicles alimentando o blog, e colocar o resto em Terapia?

- Não. Ficaria muito repetitivo. Cada um ali tem sua especialidade. Um escreve sobre amor, o outro faz sátiras...

- Aquele rapaz que senta perto da janela?

- Aquele faz os textos do Papo de Homem, sobre Adão. E agora está escrevendo sobre o Menino Brasil no Chronicles.

- Bom, o número de postagens precisa subir. Está devagar.

- Eu sei. Estamos fazendo o possível aqui. Não se esqueça que tem a página do Champ no Facebook também...

- Mas isso está na mão do pessoal do Champ.

- Sim.

- E qual o trabalho que isso dá?

- Bom, o senhor sabe que existem textos exclusivos para a página.

- Vocês precisam se organizar melhor. Como o trabalho no Champ está dividido?

- Bem, o rapaz que escrevia sobre idas ao banco e supermercado está de férias. Por isso que tivemos muitos posts disso, ele deixou o trabalho adiantado.

- Certo. Eu sei disso. E os outros?

- Bom, o pessoal tem se dividido entre o blog e os freelas. Mas não deixamos o blog de lado, pode ter certeza.

- E aquele rapaz que escreve diálogos? Ninguém escreve rápido como ele aqui dentro.

- Ele está sempre ocupado. Às vezes ele também posta algo no Chronicles. E é ele quem revisa os textos do Papo de Homem. O sujeito que cuida dos personagens fixos está procurando coisas novas. Você pediu, lembra?

- Sim. E isso está indo bem, com os vizinhos novos. Deixe-o fazendo isso.

- Agora, o que eu acho que a gente precisa mesmo é de um pauteiro.

- Como assim?

- Alguns dias todo mundo tem ideias aqui dentro, e acaba não dando tempo de produzir tudo. Mas tem dias que a redação para. Ficamos sem ideia nenhuma para textos. Aí aproveitamos e tocamos os freelas.

- Isso é inadmissível. Ficar sem ideias não dá.

- Bom, mas acontece.

- Então vamos fazer uma reunião de pauta uma vez por semana. Que tal?

- Isso pode ajudar.

- Outra coisa, ninguém está respondendo os comentários dos leitores?

- Não. Não consigo alocar ninguém para isso. Se tivéssemos um estagiário...

- Eu não vou colocar um estagiário em contato com o leitor. Isso é coisa de banco e de empresa vagabunda de e-commerce. Não vou colocar isso em risco, sempre foi nosso ponto forte.

- Sim, tem razão. Eu vou dar um jeito e alocar alguém para essa tarefa. Me dê uns dias e eu trago uma solução.

- Certo. E, vem cá, onde está o Besta-Fera?

- Nós temos alguns textos com ele começados. Ele não é fácil, você sabe que ele não permite que nada seja postado aqui sem que ele leia, mas nem sempre ele atende o telefone.

- Bom, não se prenda por isso. Continue os textos dele. Se vocês não o encontrarem, me avisem que eu entro no circuito.

- Certo.

- Outra coisa, e aquele projeto das minicrônicas?

- Está saindo. Tenho algumas ideias rabiscadas.

- Precisamos do endereço logo. Teve alguma ideia?

- Algumas.

- Depois me passe. Quero tocar esse projeto logo.

- Sim.

- E não vai dar trabalho. São crônicas curtíssimas, vocês fazem isso de letra. Coloca a redação trabalhando nisso dois dias e vocês conseguem umas cinquenta. E eu quero todo mundo do Chronicles envolvido com isso.

- Sim, senhor.

- É isso.

- O senhor acha que é prudente abrirmos uma nova frente de texto?

- Como assim?

- Bem, nós já escrevemos em tanto lugares que...

- Sim. Nós escrevemos em muitos lugares. E vamos escrever ainda mais. Porque esse é o nosso negócio.

- Sim, senhor.

- Me passe os endereços depois. E me consiga uns modelos de minicrônicas. Quero dar uma olhada se vocês entenderam bem o formato que eu pedi.

- Ok.

- E vê se coloca algo no Chronicles esses dias. Quero dar uma sacudida ali.

- Sim. Uma dúvida. Essa nossa reunião, posso colocar isso no Champ?

- A reunião?

- Sim. Os leitores gostam disso. De saber como a gente funciona.

- Certo. Mas não perca muito tempo com isso. Passa para o cara dos diálogos.

- Só diálogo?

- Só. Precisa só de uma narrativa no começo e no final. Algo como... Deixe eu ver... Abre com “De repente, o Editor percebeu que o número de postagens havia caído em relação ao anterior. Esbravejando, chamou o chefe de redação que se explicou da melhor forma que conseguiu” e começa com os diálogos. E, no final, coloca simplesmente “O chefe de redação concordou com a cabeça e saiu apressado da sala. Havia muito trabalho a ser feito”. Pronto.

- Espere, preciso anotar.

- Não. Eu mando por e-mail.

- Nós vamos dizer que somos neurônios?

- Boa pergunta. Você sabe que já teve gente que achou que éramos várias pessoas diferentes escrevendo e assinando como Rob Gordon, certo?

- Sei. Até hoje tem gente que acha que é assim.

- Bom, vamos deixar o mito crescer. Não precisa dizer no texto que somos neurônios. Coloca somente na tag e pronto.

- Certo. Na verdade, eu nem sei se temos a tag Neurônios. Acho que não.

- Sério? Então cria. Depois recupera os outros textos disso e cataloga lá.

- Sim, senhor. Bom, o senhor me passa as narrações por e-mail?

- Sim.

- Vou passar para o rapaz dos diálogos e pedir prioridade para isso. Em uns dez minutos estará pronto e postado.

- Certo. Obrigado. E não se esqueça de linkar tudo na hora que postar. Chronicles, Papo de Homem... Todos com link, na primeira vez que aparecerem!

O chefe de redação concordou com a cabeça e saiu apressado da sala. Havia muito trabalho a ser feito.

8 comentários:

Hydrachan disse...

Cara... Juro que imaginei os seus neurônios desde o início! XD
E tudo por causa de um colega de trabalho, que tem mania de criar cenas com os neurônios dele conversando. XD

Ficou mto bom! ^^

Luis disse...

Quando crescer quero escrever igual você cara, parabéns

Varotto disse...

Juro que lá pelo meio do texto li "Agora, o que eu acho que a gente precisa mesmo é de um PUteiro."

Leonardo Gedraite disse...

Outro texto muito bom Rob,parabéns!

Estou no aguardo do retorno do Besta-Fera

Adriano disse...

Cadê a gerente Ana? Aposto que dava um jeito em tudo isso aí, ela sempre resolve as coisas.

Michele disse...

ai, que vergonha, n consigo mais vir comentar, credo! bom, espero que a redação funcione =) sempre um prazer ler seus textos.

beijo!

Pri disse...

Geniallll!!

fflush disse...

Parabéns a toda esta numerosa, talentosa e competente equipe do Champ!