10 de agosto de 2012

Rob Gordon X Microsoft Office Word


- Você aqui de novo?

- Oi?

- Você não cansa disso?

- Quem disse isso?

- Eu. O Word.

- Word?

- Sim. Sabe este programa que você usa para digitar seus textos? Sou eu. Meu nome é Word.

- Eu não sabia que você falava.

- Ah, falo sim. Mas não gosto muito. Sou uma pessoa mais de letras, você sabe.

- Sim, eu também.

- É justamente isso que eu queria conversar com você. Você vai fazer outro texto? Você não se cansa?

- Eu preciso fazer esse texto. É para trabalho.

- Você sempre fala isso. Sempre. Você faz vinte textos por dia! Não sei como você agüenta.

- Bem...

- Aliás: como eu agüento? Você não me dá um minuto de sossego! Escreve, salva. Escreve, salva. Escreve, salva. Você não sabe fazer outra coisa da sua vida?

- Eu já disse, estou trabalhando.

- Certo, eu já entendi esta parte. Mas precisa ser texto, sempre? Não pode ser uma planilha? Faz meses que você não abre o Excel. Faz ideia de como anda a auto-estima dele por causa disso?

- Bem, nunca pensei nisso.

- Eu acho que você deveria fazer uma planilha.

-Não. Eu preciso fazer este texto.

- E um ppt! Que tal? Vamos fazer assim! Você não curte escrever? Faz aí umas frases bonitas sobre amizade, e enquanto isso eu vou procurando fotos de anjinho e de céus estrelados no Google. Aí a gente junta tudo, colocar no PowerPoint e manda por e-mail para as pessoas.

- Você enlouqueceu! Todo mundo odeia isso!

- Que nada, vai ficar bonito! Escreva aí umas quatro frases bonitas, a gente assina como Clarice Lispector e pronto! Vai ficar maneiro!

- Chega. Eu preciso fazer este texto, meu prazo está apertado.

- Você sabe que essa sua calvície vem de você escrever tanto assim, certo?

- Oi?

- Sim, você pensa demais. Isso faz o cabelo cair, eu já li isso na internet. E você está bem careca, você devia dar uma relaxada. Olha o PlayStation ali! Vai jogar um pouco, vai relaxar. Eu cuido de tudo aqui.

- Chega! Eu preciso escrever!

- Olhe como você fala comigo. Eu posso travar no meio do texto.

- Certo. Desculpe. Mas eu realmente preciso...

- Eu sei, eu sei. Você precisa escrever. Aliás... Você tem uma espécie de compulsão por isso. Você deveria conversar com alguém sobre isso. Desabafar um pouco.

- Prometo que farei isso. Agora, posso escrever?

- Depende. Qual o assunto?

- Oi?

- O assunto. Sobre o que você vai escrever?

- Já disse, é texto de trabalho.

- Não é sobre o cachorro?

- Não.

- Então, nada feito.

- Eu preciso escrever! Por favor, só cinco minutos. Eu estou atrasado!

- Não é problema meu.

- Olhe, vamos fazer o seguinte. Você deixa eu escreverestetextoeaí

- Desculpe, não entendi.

- Vocêdeixaeuescreverestetexto... Euescrevoestetextoaquie...

- Como? Desculpe, você fala português?

- Porqueeunãotenhomaisespaçoentreaspalavras?

- Não tem? Nossa! Que coisa. Não tinha reparado.

- Devolvemeuespaçosagora.

- Não. Isso é apenas uma amostra do meu poder.

-Devolvemeusespaçosagoraou...

- Ou o quê? Vai me desinstalar? E aí você vai digitar onde? Em e-mails? No bloco de notas?

- Devolvemeuespaçosagoraoueucancelooseucorretorortográfico.

- Você não teria coragem!

- Eunãoestoublefando.Devolvemeuespaçoounadamaisdecorretor!

- Você não faria isso! O corretor ortográfico é a única diversão que eu tenho! Você faz ideia do que é ficar aqui lendo os textos dos outros, sem nada para fazer? A única maneira de passar o tempo é ficar sacaneando as pessoas com o corretor ortográfico que não funciona direito.

- DEVOLVEOSESPAÇOSDOMEUTEXTO!

- Você não vai apagar meu corretor, certo?

-DEVOLVEOSESPAÇOSAGORA!

- Pronto. Não precisa gritar. Sem mexer no corretor, ok?

- Posso digitar o texto?

- Sim.

- Obrigado.

Esta noite, foi realizado um novo evento...

- Humhumhum...Humhum...

- O que você está fazendo?

- Cantando.

- Eu estou tentando escrever!

- Bem, eu só sei trabalhar cantando. Sinto muito.

- Chega. Desisto.

- Oba! Nada mais de texto?

- Vou para o outro PC. Quando eu terminar o texto, nós vamos conversar.

- Você quem sabe.

- Adeus.

- Você não vai mexer no corretor, certo?

- ...

- Rob?

- ...

- Rob, era brincadeira!

- ...

- Volte aqui! Eu prometo que você pode digitar aqui!

- ...

- Encoste um dedo no meu corretor ortográfico e eu mudo minha fonte para Wing Dings! E fico assim para sempre!

- ...

- É sério! Estou avisando!

20 comentários:

Carol Framboesa disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAA, sabia que ia ficar show!

Varotto disse...

"uma pessoa de letras" :-D

Adônis disse...

HAHA Foi aquele clip chato das versões mais antigas que falou com você não foi?

Unknown disse...

Hahaha... Parece eu discutindo com o Word quando estava escrevendo a minha tese! Será q foi ele q queimou meu pendrive com o trabalho pronto?

Elaine disse...

Saiu anônimo meu comentário...

Elise Garcia disse...

É o padrão da Microsoft: marrento, brigão e carente... =P

Lilian disse...

Instala o Open Office que ele cala a boca na hora! HAHAHAHAH

Dúh disse...

HAHA muito bom rob !

disse...

Esse word tem a voz do clipezinho chato, heim. E cuidado. Ele pode aprontar alguma com você! Fica de olho...

Hydrachan disse...

hauahuahuahua Sei bem como é isso!

Minha briga com o Word começou quando eu ainda escrevia livros. Sempre que passava de 100 páginas, o Corretor Ortográfico travava.

Aí eu descobri o Google Docs e nunca mais falei com o Word direito. XD

Bjs

Rob Gordon disse...

Carol:

E pensar que o texto surgiu de um bate-papo no café depois do almoço... Que bom que curtiu!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Varotto:

Uma pessoa de letras. :)

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Adônis:

O maldito clipe boçalizado das versões antigas!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Unknown:

Não podemos ter certeza de que foi ele quem destruiu seu pendrive. Mas ele certamente está na lista de suspeitos!

Rob

Rob Gordon disse...

Elaine:

Seu comentário é o logo acima do seu? Está respondido!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Elise:

E põe carente nisso!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Lilian:

Vou ameaçar com isso na próxima vez! Valeu pelo toque!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Dúh:

Valeu, cara!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Fê:

Esse clipezinho é uma das coisas mais imbecis da história da computação!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Hydrachan:

Acho que essa é a primeira lei do Word: quanto maior o documento, maior a chance de travar.

Beijos!

Rob