17 de abril de 2012

Terapia indicado ao HQMix!


Quando eu fui convidado para escrever os roteiros da webcomic Terapia junto com a Marina Kurcis, a primeira coisa que fiz foi avisar o Mario Cau:

- Eu nunca escrevi quadrinhos na vida. Nem sei como se faz isso.

Claro que eu tomei o cuidado de avisar ao Mario que não entendia nada do assunto somente depois de aceitar o convite, mas eu não estava mentindo. Por mais que eu sonhasse em escrever uma HQ um dia, eu não fazia ideia nem de como começar a rabiscar os roteiros.

Porém, como leitor de HQs desde a infância, alguma coisa sobre o assunto eu devia saber. Afinal, o melhor caminho para se aprender a escrever é lendo, e ler quadrinhos também é ler – e, cá entre nós, conheço meia dúzia de quadrinhos que me ensinaram a escrever melhor que muitos livros. E, claro, sempre pode se argumentar que “escrever é escrever, não importa onde”.

Mas se existe algo que eu aprendi neste último ano é que “escrever” e “escrever quadrinhos” são coisas bem diferentes entre si.

As técnicas são diferentes, a própria linguagem é diferente. Ao escrever uma crônica, escrevo para mim; já ao escrever uma página, junto com a Marina, precisamos sempre ter em mente de estamos praticamente escrevendo para o Mario, que irá traduzir tudo em imagens.

E confesso que para mim, especialmente no início, foi difícil deixar de lado alguns textos para que eles fossem expressos somente pela arte. Se meu personagem está triste, por exemplo, meu instinto de escritor pede para que eu elabore um parágrafo inteiro mergulhando naquilo que ele está sentindo. Contudo, o Mario mostra esta tristeza em somente um quadro, sem palavra alguma.

Sem usar uma palavra! Como ele consegue isso?

Hoje, cerca de um ano depois de começarmos a trabalhar nisso, temos dezenas de páginas publicadas e mais um punhado delas em produção. Algumas destas páginas saíram totalmente diferente do que eu imaginava; outras saíram exatamente como eu pensei. Tenho minhas páginas preferidas – da mesma forma que a Marina e o Mario devem ter as suas, assim como os leitores devem sentir o mesmo.

Porém, confesso que, depois de 44 páginas publicadas e diversos elogios, eu ainda encaro tudo isso como “estou aprendendo a escrever histórias em quadrinhos”. Claro que já a produção é muito mais tranquila, com cada um conhecendo o estilo do outro, mas me sinto aprendendo mais e mais sobre como escrever HQs a cada diálogo, a cada quadrinho, a cada página.

E talvez venha daí a minha surpresa com a notícia que recebi semana passada: 


Terapia foi indicada ao HQMix na categoria Melhor Web Comic de 2011.


Pode parecer clichê, mas somente a indicação já é um enorme prêmio para nós. Afinal, nunca pensamos em prêmios ou nada desse tipo – nosso objetivo sempre foi entregar a melhor página possível (em termos de textos e arte) para os leitores. Mais nada.

Aparentemente, deu certo. Para quem não conhece, o HQMix é o maior prêmio brasileiro da indústria de quadrinhos, e a honra de ser indicado ao lado de tanta gente talentosa, como Angeli, Lourenço Mutarelli, Fábio Moon e Gabriel Bá é enorme – sem falar no amigo Raphael Fernandes, indicado pela ótima Ditadura no Ar. A lista completa dos indicados está aqui!

Assim, queria aproveitar este post para agradecer a todos os leitores, tanto aqueles que acompanham a história desde a primeira página como aqueles que descobriram Terapia mais recentemente. Eu e a Marina escrevemos; o Mario desenha; mas nada disso seria possível sem o apoio de vocês.

Muito obrigado por terem tornado Terapia em algo muito maior do que poderíamos imaginar!

20 comentários:

Ana Claudia Savini disse...

Muito orgulho!!!
:D :D :D

Lilian disse...

A mim não surpreende. Foi uma das coisas mais bacanas e bem feitas que já li.

E com um tema altamente improvável. Quem diria que essas sessões de terapia dariam nessa história tão legal?

Torcendo aqui pra vcs ganharem!

Varotto disse...

Muito bem, flipper! Mais uma da série você me enche de orgulho.

Mas tenho de confessar que estou atrasado na leitura do Terapia. Essa coisa de uma página por semana acaba não me prendendo e aí esqueço da coisa por uns tempos e depois tenho um monte de páginas novas para ler.

Não se surpreenda se vocês ganharem.

P.S.: Ih, caramba! Começou a tocar Orgasmatron na minha seleção aleatória (ninguém te perguntou nada mode: ON). De Leonard Cohen para Motorhead em menos de dois segundos. Ainda morro disso...

P.S.2: E aí? Já fizeram biscoitinhos em forma de R2-D2?

R. disse...

ja disse que o unico defeito do Terapia é ser 1 pag so por semana :P do resto, perfeito! parabéns!

Marina disse...

Olá parceiro! Faz quase um ano desde que a primeira página foi publicada, mas parece que foi ontem! Foi mesmo um desafio: escrever um roteiro para quadrinhos, na internet, de graça, com pessoas que você não conhecia, "meio" à distância, sobre um assunto que a maioria das pessoas evita veementemente, terapia! Mas deu tudo certo, o esforço tem sido reconhecido pelos leitores e pelas pessoas que entendem do assunto! Como você disse, a indicação já é o suficiente para nós!!!

Parabéns pra gente, então! Que venham muitos capítulos mais!

Beijos!

Karina disse...

É a única hq que eu leio.

Leonardo Gedraite disse...

PArabéns Rob

Continue com o bom trabalho

Rob Gordon disse...

Ana:

E nada disso teria sido possível sem você. Te amo.

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Lilian:

Sabe que eu pensei isso, também, no começo? "Quem vai ler algo sobre sessões de terapia? Como podemos deixar isso interessante?"

Que bom que deu certo! Eu tenho muito, muito orgulho deste trabalho - com ou sem prêmio!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Varotto:

Valeu, cara! Quanto a ela ter somente uma página por semana, uma dica: espere para ler os arcos completos (de doze páginas). Muita gente lê toda semana, mas quem prefere ler várias páginas de uma vez costuma fazer isso!

Abraços!

Rob

PS - Os biscoitinhos ainda não rolaram, mas te aviso!

Rob Gordon disse...

R.:

Obrigado! Quanto a uma página por semana, tem o lado bom: o Mario Cau pode sair da pranchete e dormir de vez em quando. :)

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Marina:

Parceira! Parabéns pela indicação! E o que você disse é verdade: escrever de graça, com pessoas que você não conhecia, sobre um assunto que tinha tudo para se tornar espinhoso...

E nao é que deu certo? Mais importante que o prêmio, a indicação já dá vontade de produzir mais e mais - e que venham novas páginas, novos arcos e novos anos de Terapia!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Karina:

Muito obrigado! Espero que continue acompanhando e gostando do trabalho!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Leonardo Gedraite:

Obrigado, cara!

Abraços!

Rob

gilgomex disse...

É. É uma honra mesmo ser indicado. Parabéns... Quando ganhar, vamos ter que fazer uma festança!!! aeeeeee

Kel Sodré disse...

Ai, cacete! Tenho que arrumar logo um jeito de conhecer esse Rob Gordon pessoalmente, fazer ele assinar meu livro, fazer um carinho na cabeça do Besta-Fera. Porque daqui a pouco chega a fama e o reconhecimento internacional e aí fo-deu.

=D

Que alegria, Rob!! Não me surpreende em absoluto que vocês tenham sido indicados, até porque tudo o que você coloca a mão sai bem feito. Mas, de fato, é um grande privilégio estar do lado de caras como Angeli e os gêmeos Bá/Moon.

ESTÃO DE PARABÉEENS!!!!!!

Dani Cavalheiro disse...

Aê, Rob, parabéns! Literalmente fazendo caipirinha com os limões que a vida te deu!

Beijos

Rob Gordon disse...

Gomex:

Ser indicado junto com essas feras é uma baita honra! E caso a gente ganhe, vocês serão os primeiros a saber aqui!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Kel:

Honra demais, né? E obrigado pelos elogios, eu tenho MUITO orgulho dessa HQ.

E quanto a tempo para tomar um café com os amigos... Isso nada tira de mim, pode ficar tranquila! :)

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Dani:

E uma caipirinha de primeira! :)

Beijos!

Rob