1 de julho de 2011

Anônimos e Urbanos (e Cachorros)

- Alô.

- Oi. Rob?

- Não.

- É... O Rob está?

- Sim.

- Posso falar com ele?

- Seu nome?

- Jessica.

- É a respeito de quê?

- Eu combinei de ligar para ele agora à tarde para uma entrevista.

- Entrevista? Ele está marcando entrevistas no meu nome agora?

- Como assim?

- Aqui quem está falando é o Besta-Fera. Presumo que a entrevista seja comigo.

- Não, não... É com ele mesmo.

- Sei. E é a respeito de quê?

- Serão duas, na verdade. Uma sobre o Anônimos e Urbanos, e a...

- Ah. Sobre... Hum... Aquilo.

- Isso. Eu posso falar com ele?

- Então, eu me enganei. Ele não está.

- Não?

- Não. Ele viajou, deve voltar somente em outubro. Mas, olhe, é melhor assim. A entrevista com ele seria ridícula. Iria acabar com a sua pauta.

- Será?

- Você já conversou com ele?

- Não.

- Ele é um imbecil. Não fala nada de interessante. Aposto que vai ficar cagando regra sobre estilo de texto. Sério, chega a ser deprimente. Eu ouço isso o tempo inteiro. Fora que ele fala demais. O poder de síntese ali é nulo.

- Mas é que o livro...

- Eu, por outro lado, tenho opiniões muito mais ricas sobre qualquer assunto. Podemos conversar sobre política, artes, cultura pop. Posso até mesmo falar sobre o blog, visto que eu sou o grande responsável pelo sucesso disso aqui. E diferente dele, tenho opiniões totalmente embasadas, com conteúdo. E, evidentemente, me expresso de forma muito mais elegante que ele. Confie em mim, eu sou o entrevistado dos sonhos.

- É que ele é o autor...

- Fora que a voz dele é horrorosa. Sabia que durante minhas primeiras semanas aqui, eu cheguei a considerar o fato de ele ser um alienígena por causa disso? Eu, porém, consigo adaptar minhas respostas ao seu gravador, sem você precisar mexer na equalização. Posso responder em bemol, em sustenido... Como você preferir.

- Sim, mas...

- Então, estamos combinados. Preciso de um tempo para me preparar. Por que você não me liga em cerca de uma hora, e podemos conversar sobre os assuntos que desejar?

- É que o Rob...

- Esqueça o Rob. Mesmo. Hum... Só um minuto.

- Ok.

- Já volto.


- Eu estou no tefone, Rob. O que você quer?

- Quem é?


- Ninguém. É engano.

- Não é a Jessica?

- Quem?

- A pessoa que vai me entrevistar! Eu contei isso hoje pela manhã.

- Não, não. É engano. Acharam que era o telefone de uma lavanderia, então estou apenas dando orientações corretas à pessoa.

- Passe esse telefone para mim!

- Não, não acabei de falar ainda com a pessoa.

- Agora!

- A ligação não é para você. Não seja mais deselegante que o normal!

- Dá aqui esse telefone!

- Não. Meta-se com seus assuntos. Olhe, sua miniatura da Enterprise naquele armário está caindo!

- Oi? Onde? Volte aqui com esse telefone! Cachorro débil-mental!

- Largue este telefone, Rob. Eu sou um cão, posso morder você.

- Dá esta merda aqui!

- Eu serei entrevistado, você está atrapalhando.

- Dá aqui esse telefone!

- Não.

- Pronto. Porra! Está todo babado!

- Problema seu.

- Imbecil.

- Babaca.


- Alô?

- Rob?

- Jéssica?

- Isso.

- Tudo bem? Desculpe por... Por isso.

- Se não for um bom momento...

- Não, não. Está tudo sob controle. Podemos começar, se você quiser.

- Mesmo?

- Sim. A primeira é sobre o livro, certo?

- Isso.

- Então, vamos lá. Pode começar.


Entrevista Rob Gordon by Projeto Pra Ler
Espero que gostem!

Esta entrevista aconteceu algumas semanas atrás. Senti muito orgulho de ser procurado para falar sobre livro e outros projetos – em outra entrevista que será publicada aqui em breve – mas isso me criou um problema enorme. Agora, o Besta-Fera faz questão de ser entrevistado, alegando que ele é o responsável por absolutamente tudo de bom da minha vida, desde o blog fazer sucesso ao fato de as pessoas me darem bom dia aqui no prédio.

A coisa se tornou insustentável esta semana quando entrei em casa e ele estava sentado numa poltrona, sendo entevistado pelo Jonas – que, evidentemente, não perdeu a chance de me alfinetar em metade das perguntas.

Assim, cheguei a um acordo com o Besta-Fera. Ele será entrevistado aqui no blog, mas eu não tomarei parte nisso, vou apenas transcrever e postar as respostas e postar.

Na verdade, quem irá entrevistá-lo são vocês. Quer saber algo do Besta Fera? Qualquer coisa? Deixe sua pergunta aqui nos comentários deste post, ou – caso você seja tímido – mande a questão para o mail champ.vinyl.blog@gmail.com com o assunto “Entrevista Besta-Fera”. Todas elas serão respondidas, garanto.

E espalhe para os amigos, pois, quanto maior a entrevista, mais tempo ele ficará sem me encher o saco com isso.

Semana que vem, eu posto as respostas aqui.

Agora a bola está com vocês. Divirtam-se.

23 comentários:

Otavio Oliveira disse...

Aposto que a @jessie_small está mto feliz de ter sido citada por aqui, Rob



CLARO que vou pensar numa ótima pergunta pro cão.

Hally disse...

Pergunta: Porque você ainda não fez um favor ao Rob e destruiu seu sapatênis? Ele tem chulé?

Logo mais mandarei algumas outras perguntas. =)

Tyler Bazz disse...

Senti falta de um "bate bola, jogo rápido" na entrevista (seria no mínimo engraçado). Podemos pensar nisso para o cão.

Agora... se eu fosse perguntar algo ao Besta-Fera, seria "Por quê?" Por que ele não pode ser como os outros cachorros, que brincam e pulam e abanam o rabo quando os donos preferem visitas, por que ele insiste nessa atitude maligna, de busca inconstante por sangue e carne humana.

Seria, por que não tenho coragem de me dirigir a ele diretamente.

@leandrodelucas disse...

Com certeza, após essa entrevista dos populares, o Besta Fera vai querer seu próprio perfil no Twitter. Possivelmente o @BestaFera tenha mais seguidores que o @robgordon_sp.

littlemarininha disse...

Muito legal a entrevista Rob! Deve ser uma delícia ser procurado pra falar sobre um (filho)trabalho tão bom quanto o Anônimos e Urbanos. Suuuper aprovo a ideia do Tyler de um Bate bola jogo rápido com o Besta Fera.
Aliás, pergunta quem ele levaria pra uma ilha deserta, haha (entrevista da Caras mode on)

@leandrodelucas disse...

Pergunta: Besta Fera, você acredita que a baixa estatura do Rob tem alguma relação com as lambidas que você lhe dá na careca, como se ele estivesse mais gasto por isso?

Varotto disse...

Sei que o, digamos, BF tem uma origem aristocrática, quase real eu diria, então pergunto a ele: como é que você foi amarrar sua mula aí? Quero dizer, mula não, seu puro-sangue, porque esse negócio de cachorro com mula é coisa de saltimbanco...

Marina disse...

Hhauhuuaha! Ainda vou bolar alguma pergunta legal. Não pensei em nada ainda.

Petterson Farias disse...

O Rob Gordon já tem voz de escritor, daqueles que pensam nos seus personagens sentado num banco de praça, com as pernas cruzadas, cigarro na boca e um olhar contemplativo.
Chupa, Manoel Carlos.

Besta-Fera, o seu dono em uma palavra, faz favor. Grato. ;D

Lilian disse...

Olha, se metade dos escritores novatos pensasse como vc, a qualidade da literatura nacional contemporânea seria muito melhor.

Sério, gostei mesmo. Embora vc seja meio possessivo em relação aos seus leitores e ao blog, hahaha.

Mas a gente te perdoa, tá? :P

del disse...

A voz do Rob! Adorei a entrevista :)

Não sei o que perguntar pro Besta-Fera. Fiquei com a mente vazia diante dessa possibilidade única :(

Caroline disse...

Não sou mto de comentar, mas depois de vários anos acompanhando só tenho uma coisa a dizer: Que emoção ouvir a sua voz! hahahhah

Jessica disse...

O Otavio acertou \o/

Mas o Besta-Fera exagerou, nem foi difícil equalizar a voz. Tinha só uma rouquidão, sei lá, meio Alice Cooper. ;)

Filipe Ribeiro disse...

Num post você diz que O Poderoso Chefão é a melhor trilogia já feita, em outro fala que fuma com ar de mafioso, agora mostra que tem sotaque italiano... Sei não, Rob, tô começando a achar que você é da Cosa Nostra!

E estou na mesma situação da Del. Ter a chance de falar diretamente ao Besta Fera é algo tão surreal que estou sem saber o que perguntar.

Varotto disse...

Agora, em casa, que eu vi que tem sua entrevista em áudio.

Sua voz está meio diferente. Parece que você usou um filtro CB (Clóvis Bornay)...

Sei não, hein, Besta fera?

Mas, pilhas à parte, parabéns pelo sucesso...

Hally disse...

Mais uma pergunta (clichê bagarai, diga-se): Se o mundo acabasse amanhã, como você passaria seu último dia?

Matheus Silva disse...

Parabéns Rob, esse reconhecimento que tu está recebendo agora é mais do que merecido.

Pergunta: Besta Fera, como tu te sente ao saber que uma pessoa com um nível intelectual tão inferior ao teu lançou um livro antes de ti?

Anônimo e urbano. disse...

Papo X com besta-fera.

Uma bebida; Uma marca de cigarro; Uma garota(uma cadela); Uma citação; Vontade de fazer o que com o Rob?; Um sentimento; Um filme/seriado/livro que resume você.

abraços.

Becka Cupaiolo disse...

Que legal ouvir sua voz :D


E pensarei sobre a ntrevista do Besta-Fera... que tal: qual é seu verdadeiro nome?

Ou você vai me dizer que deu o nome daquela coisinha linda que mora com você de Besta-fera mesmo!? hahahaha

;* Rob!

Charlie Dalton disse...

Besta-fera, esse seu nome é de verdade ou é "artístico"?

Felipe Lima disse...

Besta-fera, qual o seu passatempo favorito quando o Rob está fora, ou seja, quando você tem o apartamento todo para você?

Kel Sodré disse...

Besta-Fera, querido, conta pra gente o que você faz em casa em todos aqueles intervalos em que o Rob não está ocupando o espaço com seus jogos de vídeogame, suas séries, quadrinhos etc? (De repente o Otelo aprende e passa a ter outras atividades além de dormir o dia inteiro! hehe)

Ana disse...

Oi Fera (posso te chamar de Fera?) conta aqui um pouquinho pra gente, como você se sente sendo responsável por todo o sucesso do Blog do Rob? Como você lida com a fama? Qual o seu maior sonho? Você chorou quando leu Marley e Eu?

Um beijo de sua fã numero 1