7 de abril de 2011

Um Bourbon, Um Scotch, Uma Cerveja

Quero contar uma história a vocês,
É o blues sobre a casa de um homem.
Eu entrei em casa numa sexta-feira,
E contei a minha senhoria que havia perdido o emprego
Ela disse: “Isso não afeta a minha vida,
Desde que eu receba meu dinheiro na próxima sexta.”
A próxima sexta chegou, eu não tinha o dinheiro do aluguel.
E saí pela porta.

Então eu disse à senhoria
Eu falei “você deixa eu entrar de mansinho?
Eu vou ter o dinheiro do aluguel amanhã
Mas depois de amanhã eu já não sei mais.”
Pedi que ela me deixasse entrar de fininho, sabem?

Reparei que toda noite, quando eu entrava em casa
Ela não tinha nada agradável para me dizer
Mas por cinco anos ela havia sido tão simpática.
Sempre havia sido muito amorosa.

Eu entrei em casa numa noite específica
A senhoria me perguntou “você já tem o dinheiro do aluguel?”.
Eu respondi que “não, não consigo arrumar emprego
Logo eu não tenho o dinheiro para pagar o aluguel”.
Ela falou “não acredito que você esteja tentando encontrar emprego”
Disse: “Vi você hoje parado em uma esquina, apoiado num poste”.
Eu respondi “mas eu estava cansado, havia andado o dia inteiro.”
Ela disse que “isso não afeta a minha vida”
Desde que eu receba meu dinheiro na próxima sexta.”
A próxima sexta chegou, eu não tinha o dinheiro do aluguel.
E saí pela porta.

Então fui para as ruas
até a casa de um amigo meu.
Disse “Cara, eu estou sem lugar para ficar,
Posso ficar uns dias com você?”
Ele disse que “deixe-me perguntar a minha mulher”.
Ele saiu de casa, e eu podia ver no seu rosto que a resposta era “não”.
Ele disse que “sei lá, cara, ela é meio estranha, sabe?”
Eu respondi “eu sei, todo mundo é meio estranho.
Agora você é estranho também”.
E voltei para casa.

E disse à senhoria que arrumei um emprego
E que iria pagar meu aluguel.
Ela disse “Mesmo?”
E eu disse “Mesmo”.
E ela foi super agradável.
Porque ela sempre foi agradável.

Subi até meu quarto, guardei minhas coisas e saí.
Saí escondido pela porta dos fundos.
E fui para as ruas.
Ela estava reclamando sobre os aluguéis adiantados
Ela teria sorte se recebesse os atrasados.
Ela não vai receber nenhum!

Então parei no bar ali perto, sabe?
Fui ao balcão, pendurei meu casaco
Chamei o barman
E disse “Venha até aqui!”
Ele foi até mim e perguntou “o que você quer?”

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.
Eu não vejo minha garota desde sabe-se lá desde quando
Então estou bebendo bourbon, uísque, scotch e gim
Quero ficar louco, quero me perder
preciso de uma dose tripla desse negócio aí
Quero ficar de fogo, não precisa se assustar.
Eu quero um bourbon, um scotch, uma cerveja.

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.
Então estou sentado no bar
Ficando bêbado, me sentindo mole.
bebendo bourbon, bebendo scotch, bebendo cerveja
Olhei para o bar, lá estava o barman.
E disse “Venha até aqui”
Ele foi até mim e perguntou “o que você quer?”

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.
Não vejo minha garota desde a noite de anteontem
Preciso de um drink, preciso ficar ligado.
Preciso ficar alto, e ainda não é suficiente.
Preciso de uma dose tripla desse negócio ai
Vou ficar de fogo, então preste atenção.
Eu quero um bourbon, um scotch, uma cerveja

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.
A esta altura eu já estava ficando de fogo.
Você sabe disso quando sua boca começa a ficar seca.
Olhei para o bar, lá estava o barman.
E disse “Venha até aqui”
Ele foi até mim e perguntou “o que você quer agora?”
Eu perguntei “cara, que horas são?”
Ele respondeu que o relógio da parede dizia que eram três horas.
“É a última dose de bebida por hoje. O que você precisa?”

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.
Eu não vejo minha garota há uma semana e uma noite
Quero ficar de fogo até nem conseguir mais falar.
Quero ficar alto, então preste atenção
Uma dose não vai ser suficiente, melhor me dar logo três.
Eu quero um bourbon, um scotch, uma cerveja.

Um bourbon, um scotch e uma cerveja.






Post dedicado a George Thorogood, que, ao reunir duas das melhores canções de John lee Hooker em uma única canção, conseguiu resumir absolutamente tudo o que está acontecendo na minha vida.

12 comentários:

Sérgio Miranda Leitão disse...

Muito bom...simplesmente muito bom!

Luciana Toledo disse...

cara, vai com calma, tudo se resolve no tempo certo!

Ana disse...

A música é sensacional.
Já a vida... Quem sabe um dia... =)

Anônimo disse...

Logo depois de ouvir a música aqui, vi o trailer daquele novo filme EVERYTHING MUST GO. Coincidência!

Ill Circus disse...

A música eu adorei. Já a situação, posso dizer que estou quase na mesma. É tudo uma porcaria mesmo. Nunca entendo onde começa e onde termina a "gentileza" das pessoas, por isso me abstenho de dizer "boa tarde".

Mas respira, tudo se encaixa.

Michele disse...

a música é ótima, Rob. e a vida, a gente dá um jeito. fiquei um ano desempregada, as contas acumularam, o nome foi pro spc, faltou comida. mas no fim, dá tudo certo.

e pense, agora com mais tempo livre, o dia em que quiser que seus leitores te paguem uma bebida(e eu sei que se vc organizasse, eu iria), é só comunicar no blog.

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
SEU BARRIGA disse...

PAGUE O ALUGUEL!

Anônimo disse...

cara, nem consigo imaginar o quanto deve estar sendo dificil. nunca passei por uma situação dessas. mas a gente sabe que esse tipo de coisa acontece mesmo. você vai conseguir se organizar novamente e as coisas vão ficar numa boa.

não deixe que as horas te matem e lembre-se (como se fosse possivel esquecer) que seu amigo besta-fera está ai por perto pra te animar de algum jeito.

em relação a sua garota, (espero que nesse ponto o post esteja errado) espero que ela estaja ao seu lado nesse momento, pra te ajudar e apoiar.

boa sorte meu velho Rob. estamos todos aqui para o que der e vier, somos estanhos eu sei, mas estamos aqui. se você com seus textos fez parte das nossas vidas, porque não te ajudar de alguma maneira agora?

um abraço, seu leitor, Thigo Pacheco.

(ajairon.blogspot.com)

Nelson disse...

Paciência Rob, paciência.

Eu sei que dizer "tudo isso passa" não adianta, mas é a pura verdade.

Uma coisa que eu aprendi é que não adianta pensar tanto pra frente, o negócio é ir um dia de cada vez.
É que nem uma criança aprendendo a andar: levanta, cai, levanta, dá um passo, cai... e quando menos se espera, já está com a perna quebrada porque caiu da árvore.

E curta a sua depressão, é uma fase tão importante da vida como qualquer outra.

abraço

Gilgomex™ disse...

eu não tinha lido esse post... aliás, não tenho lido muito coisa atualmente (e como não tenho wi-fi em casa, não dá pra ler o blog no banheiro), mas saber de algo assim dum cara como você, com sua capacidade, me assusta profundamente... mas tomara que tudo logo se resolva... tudo mesmo.

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.