7 de fevereiro de 2011

Why We Write

"Ao Amigo Rob Gordon,

(“Amigo”, pois acho que compartilhei muito mais das suas emoções e desventuras no Champ, do que com muitos dos meus amigos mesmo)

E é engraçado como está sendo difícil escrever esse e-mail para uma pessoal que eu não conheço e, mesmo assim, acho que conheço tão bem! Em primeiro lugar parabéns pelo excelente trabalho, tanto no Champ, como no Chronicles. Acompanho-o há mais de três anos e a cada nova postagem é sempre a mesma curiosidade e emoção. Sei que nem sempre comento e participo como deveria e isso se deve em parte por vergonha e em parte por admiração.

Explico: Sabe aquele ídolo que você admira e sabe que apesar de ser uma pessoa, como você, ele está em outro patamar? Então, pelo seu talento é isso que eu sinto! (talento sim!). Mas em um paradoxo, em seus textos, sinto como se estivesse ao seu lado. Sem contar as dezenas de gostos e influências em comum...

Mas não estou escrevendo para me apresentar. Escrevo como um grande admirador do seu trabalho e para agradecê-lo por nos dar a chance de acompanhá-lo no seu dia-a-dia, de nos fazer sentir as mesmas emoções que você sentiu e, principalmente, nos lembrar do que realmente importa: valores como família, amizade, amor e bom-humor, que você tantas vezes ressalta nos seus textos, mesmo sem ressaltar! Mais do que isso, durante muito tempo fui resistente a blogs e você não só mostrou que é possível ter um blog “amador” (Pede desculpas ao Champ, o “amador” é no sentido de que você não vive disso!), com muito conteúdo! E por isso mesmo decidi escrever...

Então, meu amigo, o meu “muito obrigado pela inspiração e amizade”! É um grande prazer lê-los, repassá-los e comentá-los. Espero que eu possa, daqui a um tempo, mostrar esses textos tão brilhantes ao meu filho, que chega agora, em fevereiro, principalmente Ao Meu Sobrinho. Vou poder dizer: 'Filho, leia! O Tio Rob vai te dar uns toques...'.

Abraços e Sucesso!"

(trecho de um e-mail enviado
por um leitor a este blog)




Não é fama, nem dinheiro, nem status. Nunca foi nada disso.

Pelo contrário, sempre foi fazer rir, fazer chorar, fazer pensar. Sempre foi fazer diferença (por menor que esta diferença seja) na vida das pessoas. Sempre. Sempre foi tentar colorir um pouco algo como cinco minutos do dia das pessoas, cada vez mais corrido e acinzentado. Essa é e sempre será a obrigação de quem escreve.

Alguns de vocês, aqui, às vezes, dizem “eu não sei como comentar este texto”. Hoje eu finalmente entendi como vocês se sentem.

Excepcionalmente hoje este blog está sem palavras. Resta apenas uma:

Obrigado.



24 comentários:

Tyler Bazz disse...

That's why!!!

Otavio Oliveira disse...

that's why (2).

(fama, dinheiro e status também são legais)

pettoruti disse...

Repitindo o leitor "parabéns pelo excelente trabalho"

Lilian disse...

É por isso que esse blog é tão bom. E é por isso que há 3 anos também, não consigo deixar de te ler.

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

that's why [3]

Parabéns Rob.

Marina disse...

Se o que movesse o Champ fosse fama, dinheiro ou status, duvido que fosse tão divertido.

That's why we read you.

(Por causa do Besta-Fera também.)

Emanuelle Najjar disse...

Está vendo só o que acontece quando se escreve por paixão? O leitor sente a diferença. Está aí a prova.

Parabéns, cara!

Brenu S. disse...

Realmente é essa a mágica de quem escreve e escreve com talento, a SUA mágica: fazer do nosso dia, do dia dos leitores, um dia mais colorido. E você faz isso com maestria.

E você não tem idéia de quantas vezes me salvou de fazer burradas - por estar triste ou nervoso - ou ainda animou um dia sem vida...

O que mais dizer?

Abraços e Sucesso!

Daniela disse...

Só posso dizer: como eu queria ter mandado esse email!

Ana disse...

"Não é fama, nem dinheiro, nem status. Nunca foi nada disso."
Mas bem que vc merece.
=)

Richard disse...

É como a Manu disse, quando se escreve por paixão acontece isso.

abs, meu caro!!

Mary disse...

Eu gostaria de ter dito isso.
Mas não te acompanho a tanto tempo.
Porém, eu assinei os feeds e corro pra cá qdo tem post novo.
Nem sempre sei o que dizer. Mas o e-mail disse tudo.
Não há o que agradecer, Rob.
Nós é que somos gratos por compartilhar essas lições que as entrelinhas do seus textos trazem... (Bem, algumas são diretas).
Por favor, continue sempre!
[]s

Varotto disse...

Eu não sei o que comentar sobre seu comentário sobre não saber o que comentar...

P.S.: De resto não vou ficar rasgando seda. Até mesmo porque você já está careca de saber (ops!) o que penso sobre essa birosca aqui...

Nih_x disse...

"Quer conhecer o Rob Gordon?"
"An? Quero!"
"Ele tá atrás de você."

Aí rolou uma conversa casual, não achei a oportunidade certa para dizer que adoro seu blog, leio sempre que possível e acho seus textos geniais.

Ah, Rob, você é realmente baixinho! hahaha

Dani disse...

Esse e-mail resume tudo o que nós, que lemos o blog mas não te conhecemos, pensamos. Repetindo: parabéns pelo excelente trabalho!

Besos

Lomyne disse...

Oi, Rob. Que bom que você entende como a gente se sente. Eu diria mais, eu diria que geralmente diante dos seus textos eu fico pensando que não tenho nada a acrescentar. E, bom, eu sempre achei que quando não temos nada a acrescentar o melhor é ficar calado... Mas olha, cá estou, sua leitora desde... desde... (ih, perdi as contas) e fã incondicional desde o primeiro momento.

Jandir Jr. disse...

Porque o Champ é viciante? Simples:
A sinceridade é viciante.


Parabéns pelo talento e que, de quebra, lhe venha fama, dinheiro e status, que também são bem legais. ;D

Abraços do leitor!

Filipe Ribeiro disse...

Só posso dizer: como eu queria ter mandado esse email! [2]

Kell Alves disse...

Esse e-mail para mim representa bem o todos nós leitores, sentimos e pensamos. Também queria ter escrito ele.
E somos nós que sempre seremos gratos.
E cada dia gosto mais e mais daqui...

Petterson Farias disse...

Dou RT com prazer no email desse moço aí.

Porque fazer alguém rir de um texto cujo assunto ela desconhece completamente é pra poucos.
Porque maestria com as palavras é pra pouquíssimos.

Que eu seja assim quando crescer [ops, nada alusivo ao teu tamanho, longe de mim].

Abraço, Rob.

Bruno Ribeiro disse...

Pode me incluir na lista dos q sentem o mesmo q este email retrata. Vlw Rob!

Fábio Megale disse...

Tentei escrever algo que pudesse expressar o quanto seus textos me animam e emocionam, mas não consegui. Então, só digo isso: obrigado e parabéns! :)

Eduardo Chaves disse...

Putz! ..a algum tempo não aparecia por aki. Preciso ler todos os textos que ainda não li, nos ultimos meses.

Tchau, o tempo é pouco e preciso correr

ah.. esse texto fala com clareza do que sinto qdo leio cada, cada, cada post.

Obrigado!

Alessandra Costa disse...

"...sempre foi fazer rir, fazer chorar, fazer pensar. Sempre foi fazer diferença..."
E tenha certeza, você consegue isso.