30 de novembro de 2010

Rob Gordon X Mundo

"I'll tell you, let me give you a little inside information about God.
God likes to watch. He's a prankster.
Think about it
."
(John Milton - Advogado do Diabo)


Saia da Redação com destino à Avenida Paulista. Atravesse a rua e vá ao caixa eletrônico da Fnac para sacar dinheiro. Tente não enfartar com o casal que está dentro da cabine observando o saldo e debatendo, durante cinco minutos, se compram ou não um apartamento. Espere eles saírem. Entre na cabine do caixa eletrônico. Insira seu cartão. Observe o caixa eletrônico não esboçar reação alguma. Retire o cartão. Insira novamente. Observe o caixa eletrônico fazer de conta que não é com ele. Retire o cartão. Insira o cartão. Retire o cartão. Insira o cartão. Retire o cartão. Insira o cartão. Observe o caixa eletrônico pedir para você inserir o cartão. Grite “o cartão já está aí, caralho!”. Retire o cartão. Chute o caixa eletrônico. Vá embora, em direção a outro caixa eletrônico, localizado numa loja de conveniência a um quarteirão de distância. Pragueje e amaldiçoe os caixas eletrônicos e seu banco durante o caminho inteiro. Olhe no relógio e constate que você já está atrasado. Aproxime-se do caixa eletrônico. Insira seu cartão. Ouça o caixa eletrônico assoviando e fazendo de conta que você não está ali. Retire seu cartão. Insira seu cartão. Retire seu cartão, insira seu cartão, retire seu cartão, insira seu cartão, retire seu cartão, insira seu cartão, retire seu cartão, gritando todos os palavrões que você conhece. Dê um soco no caixa eletrônico. Saia rapidamente da loja antes que o gerente venha ver o que está acontecendo. Decida ir de táxi. Coloque a mão no bolso e veja que você está sem o talão de cheques. Conte novamente o dinheiro da sua carteira e descubra que você tem R$ 1,25. Decida ir até sua casa pegar o talão de cheques. Comece a subir a maldita Teodoro Sampaio. Tente não ter uma síncope quando, no meio do caminho, uma nova versão do dilúvio começa a despencar dos céus. Conscientize-se de que os estrondos que vêm do céu são trovões e não gargalhadas. Encontre seu caminho desviando das barracas de camelô e das pessoas cuja missão no planeta é tentar cegar as outras com as pontas de seus guarda-chuvas. No meio do caminho, entre no Pão de Açúcar. Molhado, aproxime-se do caixa eletrônico. Insira seu cartão. Observe a máquina comunicar que não há comunicação com o banco. Você está prestes a ter uma crise de choro. Retire seu cartão. Saia do Pão de Açúcar. A chuva aperta. Pare na calçada, erga o punho em direção aos céus e grite: “eu desafio você a vir me enfrentar pessoalmente aqui embaixo!”. Veja as pessoas ao seu redor olhando assustadas. Veja o céu respondendo com um relâmpago. A chuva aperta mais. Ande duas quadras. Encharcado, entre em casa. Pegue o talão de cheques. Saia de casa. Vá ao ponto de táxi mais próximo da sua casa. Constate que não existem mais táxis ali. A chuva aperta ainda mais. Vá ao segundo ponto de taxi mais próximo da sua casa. Constate que não existem mais táxis ali. Vá ao terceiro ponto de táxi mais próximo da sua casa, que fica na frente do mesmo Pão de Açúcar. Constate que não existem mais táxis na cidade. Respire fundo e resmungue: “ok, eu vou bancar o bobo. Eu vou jogar pelas suas regras”. Entre no Pão de Açúcar. Aproxime-se do caixa eletrônico. Insira seu cartão. A máquina sorri e pergunta: “Oi, amigão, quer sacar dinheiro? Por que não veio antes? Você está todo molhado!”. Saque R$ 20,00. Retire o cartão. Aproxime-se da máquina e diga baixinho: “eu vou voltar aqui no meio de uma madrugada e explodir você, sua filha da puta”. Saia do Pão de Açúcar. A chuva aperta muito. Encharcado, entre num ônibus. Olhe para as pessoas com ar de “eu vou matar todos vocês.” Pague a passagem. Escute o cobrador perguntando se “num tem mais troco não?”. Olhe para ele com cara de “você vai ser o primeiro a morrer”. Pegue seu troco. Sente-se em um dos bancos. Olhe pela janela. Observe a chuva parando, subitamente, e o Sol aparecendo. Sorria com ódio. Jure vingança contra o planeta.


"And while you're jumping from one foot to the next,
what is He doing?

He's laughing his sick, fucking ass off!"
(John Milton - Advogado do Diabo)



– Eu já coloquei o cartão, sua filha da puta!




21 comentários:

rbns disse...

Excelente!

rbns disse...

... ah tem um "e" sobrando no meio do "fazendo de conta".

Bjs.

Bia Nascimento disse...

Olha, eu ri. Na verdade eu ri muito. Mas na boa... ontem tive um dia de cão que olha, acho que nem você passou por nada parecido.

Pulo no Escuro disse...

leia um texto inteligente, clique em postar comentário, constate que a janela não abriu, clique de novo, ouça o computador rir da sua cara, clique mais uma vez, nada, de novo, perceba que a página travou, aguarde alguns segundo, veja que a janela destravou e abriam 555084985 abas que você não consegue fechar poque elas travam... viu só... seus textos influenciam a vida das pessoas.

Dragus disse...

Não dá pra deixar de rir.

Ana disse...

vc deveria ter falado com jeitinho com a máquina, grosseria não leva a nada (brinks)

Ana disse...

John Milton: ídolo.

Renata Santos disse...

Achei que vc ainda estava com o cartão do Alaor!

Eduardo Leal disse...

Quem nunca teve um dia desse na sua vida?A grande diferença é a genialidade na hora de expressar seus sentimentos.Por isso o Rob é gênio.

Mari Hauer disse...

Olha, eu ri. Mas eu achei triste. Parece que o mundo não colabora quando a gente está passando por fases em que nuvens negras andam só acima das nossas cabeças, né?

Eu sei que é uma bosta, mas na próxima chuva, não corra, não faça nada. Fique parado quietinho e deixa molhar. Chuva seca. E o sol sempre abre. Principalmente depois que a gente já se molhou bastante!

Eric Franco disse...

Olha o que a pão-durice não faz. Pegue um táxi, vá até sua casa, pegue o cheque, vá onde tem que ir. Pague com o cheque. :P

Kika disse...

Eu ia falar pra você ficar em casa. Mas suspeito que, ainda assim, essas histórias iriam te alcançar.

Hally disse...

Ainda bem que o único caixa eletrônico que me odeia é o que fica dentro do campus onde eu trabalho. Podia ser pior... OH WAIT!

Pois é, Rob, a ideia de explodir esses caixas eletrônicos engraçadões até que não é tão ruim.

Varotto disse...

Do your worst!!!

P.S.: Que tal, ter em casa o número de uma cooperativa de taxis para não ter de ficar andando na chuva procurando um?

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Então, depois de dias sem post fiquei decepcionado com o último, achei confuso, bem abaixo do "nível champ".

Esse texto sim, foi um clássico champday, muito bom.

Demorar pra postar não é problema, contanto que saiam posts como esse, épico.

Lilian disse...

Fui só eu quem viu pornografia nesse lance de 'enfia o cartão, retira o cartão, enfia o cartão, retira o cartão'?

Alessandra Costa disse...

Já pensou em se benzer? ;)

Ana Lu disse...

Tem dia que "Lady Murphy" acorda a fim de sacanear mesmo!
=P

Irmão do Rob disse...

além de tudo é pobre.. Só sacou "vintão" hahaha

Irmão do Rob disse...

além de tudo é pobre.. Só sacou "vintão" hahaha

Dalleck disse...

O Rob dá tanto azar, que aposto que o banco dele deve ser o PanAmericano.