13 de julho de 2010

Fim do Dia

Tchau, até amanhã. Sim, estou indo. É... Fiquei até mais tarde hoje. Para o senhor também, até logo. Pelo menos não preciso esperar o elevador. Acho que essa é a única vantagem de ir embora de madrugada. Impressionante, essa catraca com as digitais nunca funciona. Pronto. Vai, abre logo esse portão, quero ir embora. Toda noite é esse inferno. Finalmente. Porra, não acredito que está chovendo. Não poderia ter começado a chover depois que eu entrasse em casa? Agora, não estou mais morto, estou morto e molhado. Mas pelo menos terminei tudo o que precisava. Amanhã, preciso apenas esperar voltar da revisão para mandar diagramar, aí posso começar a outra revista. Merda. Queria ter começado essa revista hoje. Porque no final vai faltar um dia, quer apostar? Sempre falta um dia. Aliás, eu tinha algo importante amanhã... Não consigo me lembrar o que era. Merda, essa loja de conveniência já fechou. Queria comprar algo para beliscar no caminho. Mas não vou passar no mercado, estou cansado demais. Quero só ir para minha casa. Puta que pariu, o que eu tenho amanhã? Não é dentista, ficou para sexta. Terapia? Não. Aluguel? Caralho, que dia é hoje? 13? 13. Porra, a chuva apertou. Não, não é o aluguel. Ah, lembrei, amanhã é o dia que eu entrego os textos. Bom, já estão entregues, graças a Deus. Mais um mês vencido. Estranho ver a Teodoro vazia assim. Não é assustadora é... Sei lá, solitária. Com essa chuva caindo, então, mais ainda. Mas, também, madrugada de segunda feira. Ninguém está na rua. Só eu. Queria estar em casa. Não, queria estar com ela. Ingrato demais isso. Ingrato demais trabalhar até esse horário. Juro que vou mudar isso. Preciso mudar isso. Engraçado, aquela janela desse prédio está sempre acesa. Sempre. Vai, cara, vai logo, você está dentro do carro, eu estou a pé na chuva, anda com essa merda ou me deixe atravessar. Ih caralho, e esse cara vindo na minha direção? Só falta eu ser assaltado agora. Bom, ele vai se fuder, porque eu não tenho nada. Quer dizer, eu que vou me fuder. Ele está chegando perto, não vou nem olhar. Não era nada. E se eu olhar para trás e ele estiver me olhando? Foda-se, vou continuar andando. Mas sim, preciso dar um jeito nisso. E descansar um pouco. Mas eu estou, juro que estou. Juro que estou fazendo o melhor de mim. Espere, se estamos no dia 13, O Blu-ray do Senhor dos Anéis sai essa semana. Mas não, não vou comprar agora. Quero guardar dinheiro. Preciso guardar dinheiro. Merda de chuva. Merda de cansaço, não estou conseguindo nem pensar direito. Será que isso rende post? Eu andando pela Teodoro sem conseguir pensar direito? Aliás, tem tanta coisa que eu quero postar ali... Mas está faltando tempo. Não. Está faltando tesão, estou desanimado demais. Deve ser cansaço. É muito problema, muita conta para pagar, muita briga, todo dia. Quando eu era criança, meu pai falava isso. Matar um leão por dia. Eu achava graça. Pior que é isso mesmo, um leão por dia, em alguns dias dois. Todos os dias. Vai sinal do caralho, fecha. Decisões, problemas, porradas. E para quê? Será que vale a pena? Sei lá, se eu tivesse ao menos uma pista de que eu estou no caminho certo, de que estou fazendo as coisas de forma certa. Porque eu tento. Eu juro que eu tento acertar o tempo inteiro, mas, às vezes parece que não é o bastante. Vontade de escrever no blog. Desabafar algo ali. Mas nem sei o que preciso desabafar. Ou o que quero desabafar. Coitada da minha psicóloga. Tenho pena dela às vezes. Mal sei o que há de errado comigo, ou com a minha vida... Não. Chega. Nem começa com isso. São quase duas da manhã, você não tem que se cobrar. Não agora. Descansa um pouco a cabeça. Merda de chuva. Descansa um pouco a cabeça, você merece. Ou, se não merece, precisa. Não merece. “Merecer não tem nada a ver com isso”. Imperdoáveis. Preciso rever esse filme. Caralho! Esqueci de ligar para o fotógrafo. Merda! Preciso ligar amanhã cedo. Não posso esquecer. Merda de cansaço. Esqueci por causa do cansaço, é muita coisa na cabeça. O tempo todo. Caralho, como eu queria parar de pensar um pouco. Cinco minutos. Juro. Cinco minutos. Será que eu pensava assim quando era moleque? Não lembro. Não consigo lembrar. Provavelmente. Mas eu não me cobrava tanto. Isso eu tenho certeza. Eu era mais sossegado. Não sei quando eu comecei a me cobrar tanto assim. Ou o motivo. Não, não vou entrar no Pão de Açúcar. Quero ir para casa. Mais nada. O fotógrafo. Não se esqueça de ligar para o fotógrafo. Vai, só mais uma quadra e acabou. Paz. Sossego. Ao menos por hoje. Queria colo. Queria o colo dela. O colo dela e música. Nat King Cole. Vontade de ouvir Nat King Cole. Será que eu tenho algo no PC? Não, se eu ligar o PC eu não durmo. Eu vou arrumar algo para fazer. O blog, o post da Gordinha do Pão de Açúcar. Não posso esquecer também. E esse blog? Será que vira algo um dia? Será que eles realmente gostam do que eu escrevo? Porque, sei lá, às vezes... Não, sem se cobrar. Sem fazer isso. Já chega a forma que eu me martirizo quando faço cagada, não vou começar a fazer isso quando acerto também. É o cansaço, tem que ser. Mas eu queria só isso mesmo, queria ter a certeza de que estou no caminho certo, que vai valer a pena. Saudade dos meus pais. Saudade de ter meus pais ali, resolvendo tudo a toda hora. Foda. Tomara que meu filho, com 34 anos, sinta tanta falta assim de me ter ao lado dele. Ou não. Tomara que ele não precise. Filho. Deve ser o máximo. Deve ser a coisa mais feliz do mundo. Tem que valer a pena. Tenho que estar no caminho certo. Vai, abre logo este portão. Foda-se que você estava dormindo, eu estou na chuva. Boa noite. Conta? Porra, outra? Conta, conta, conta. Foda, parece que a vida é só isso. Tem que ser mais que isso. Pelo menos o elevador está no térreo. Oi, sou eu. Vem cá! Oi! Sabe que enquanto eu não tenho filho, você é meu filho, né? E eu vou cuidar de você sempre o melhor que posso, prometo. Amanhã vou chegar mais cedo e a gente vai dar uma voltona, ok? Olha, sua comida. Água você tem. Pára, chega. Sossega. Eu também estava com saudade. Olhe, se eu estiver fazendo algo errado, você me avisa, tá? Porque não é de propósito, é porque eu não vou ter percebido. E aí eu vou tentar mudar. Prometo. Vai comer, eu quero só esse Toddynho e ir para a cama. Me secar e ir. Amanhã de manhã eu tomo banho. Tá chovendo, você viu? Torce pra não chover amanhã e a gente passeia. Desculpa, eu sei que acabei de chegar, mas preciso dormir. Amanhã começa tudo de novo. Desculpa. Estou muito cansado. Caralho, que delícia deitar. Ficar sem pensar em nada, até dormir. Que delícia. Tomara que o dia amanhã seja bom. Eu sei que você já está dormindo faz horas, mas dorme bem. Sonha muito. Eu te amo. Venha, sonho. Estou esperando.

23 comentários:

Alexandre Greghi disse...

Real... triste... mas real!

Ps: sim... filho é a coisa mais feliz do mundo, e mais uma pra vc por nas preocupações. Mas um cachorro é bem feliz também.

Ps2: acho que é a idade que nos faz pensar dessa maneira... crise dos trinta... um pouco atrasada.

Hally disse...

Cara... até parece que estou lendo meus pensamentos. Com a diferença que não sou jornalista, então, em vez de "ter de lembrar de ligar para o fotógrafo amanhã", tenho de resolver um problema com um software que não executa, formatar e padronizar pelo menos 3 máquinas no dia 13, que, por uma feliz coincidência, é o dia mundial do meu (e do seu também) amado rock and roll (aliás, parabéns pra nós e pra ele, e longa vida ao rock!).

Quanto às cobranças, sem querer monopolizar isso, pois acho que qualquer adulto se cobra, seja em maior, ou menor intensidade, acho que temos culpa, e muito, pelo fato de sermos virginianos. Perfeccionistas demais, sofremos por acharmos que nosso trabalho nunca sai bom o bastante, por mais que todos digam o contrário, pois não é do nosso feitio aceitar bem os elogios... eles são sinceros, mas nós nunca acreditaremos nisso.

E quanto ao gostarmos do seu blog: sim, eu gosto pra caramba. Você escreve muito bem (por mais que você não acredite nisso).

Segunda é dia mundial das coisas erradas no trabalho, somado à preguiça que temos especialmente neste dia, então, foda-se tudo.
(E, sim, acho que todos que amam alguém queriam ter colo o tempo todo... mas a vida não é um mar de rosas caro Rob. Infelizmente)

Desculpe o comentário-post, mas te entendi tão perfeitamente neste texto que foi inevitável.

Sinceramente,
sua fã de longa data

Hally

Ana disse...

O seu fim do dia me lembrou muito o meu dia inteiro...

Lucas Casasco disse...

Rob, pode parecer um pouco de pretensão de um simples moleque de dezessete anos, mas eu leio seu blog e há vezes que eu acho que sou eu mesmo escrevendo... A forma de pensar, a forma de escrever, o jeito que você passa os sentimentos pra gente, você é sem sombra de dúvida um cara genial e o mais foda de tudo é que com o tempo você vai mostrando que é genial por ser humano e retrata isso de forma muito boa e real.

Quando você falou sobre seu pai e os leões eu realmente me espantei, eu comentei aqui a um tempo que eu moro em Taiwan e esse ano aqui fortaleceu minha amizade com o meu velho e todo santo dia, quando ele vai sair do msn, eu tenho que ler a frase: "Vou lá, você sabe como é né? Ou eu mato o leão ou ele come a gente."

Caminho certo? Já dizia Raul Seixas cara: "Não sei onde eu to indo mas sei que to no meu caminho."
Não existe essa de caminho certo, existe o seu caminho e ele é o caminho certo. Deu pra entender né?

E seu blog? É um lixo, nós só lemos ele e ficamos ansiosos querendo saber quando vem post novo porque nós somos, sei lá quantos leitores, que realmente não temos mais nada pra fazer da vida.

Lucas Casasco.

Não sei...só sei que foi assim! disse...

A velha vontade de acertar. Vai dar tudo certo. Sempre dá.

Varotto disse...

Não existe caminho certo (nem errado). Acho que existem pequenas decisões pulverizadas nos dias, que podem ser melhores ou piores.

Tentar enxergar o fim do caminho, além de estatisticamente impossível, só vai levar à angústia.

P.S.: Quanto ao Senhor dos Anéis em BD, se eu fosse você esperava outra edição. Acho que esta foi a primeira vez na história da Amazon que um produto foi classificado por quase 90% dos compradores com uma estrela (a pior classificação). Isso considerando mais de 4500 opiniões. Se quiser conferir:

http://www.amazon.com/Lord-Rings-Picture-Theatrical-Editions/dp/B000X9FLKM/ref=sr_1_1?ie=UTF8&s=dvd&qid=1279039680&sr=8-1

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Esse foi um verdadeiro post a la R.R. Um prazer poder entrar aqui e ler um desabafo seu.

Fica bem, meu amigo.

Tudo dá certo, sempre [2]

Natalia Máximo disse...

Te desejo férias. Férias do trabalho e férias emocionais, sabe? Pra colocar a cabeça no lugar...

Tyler Bazz disse...

A gente vê que vc tá sim fazendo as coisas direito quando, depois de tudo isso, chega e dorme, em vez de secar meia garrafa de conhaque.

Embrião de fluxo de consciência, esse texto...

*#*@le*#* disse...

Rob , você ainda tem dúvidas de que o blog é um sucesso ?
Fala sério, você é excelente escritor , é um prazer entrar aqui no blog e ler um texto como esse.

Tudo dá certo, sempre [3]

Bejörn disse...

PARA GOSTAR DE LER [Mode ON]:
——//====//====//====//——//——
Um Blog se parece com uma crônica e seu autor procura:
1) COMPARTILHAR EXPERIÊNCIAS que aconteceram ou foram presenciadas por ele, sejam situações engraçadas, tristes, curiosas, emitir opiniões, chamar atenção sobre acontecimentos, esclarecer dúvidas, defender argumentos, condenar atitudes, etc;
2) FAZER PENSAR: Desafiar a inteligência dos leitores, Semear novas ideias, Confrontar a visão de mundo cômoda, Provocar a paciência dos muito acomodados, Sacudir o marasmo, Divertir, Motivar, etc;
3) PRODUZIR BONS TEXTOS: Auto-explicativo, porém nem todos percebem que aquele texto que flui com “naturalidade”, “sem nenhum esforço”, “espontâneo” é fruto de muito esforço e treinamento constante. Todo texto tem uma missão secreta (que às vezes nem o Autor conhece); Não são só palavras amontoadas sem alguma função.

Rob, creio que você preenche com nota máxima todos os requisitos acima (fora aqueles que eu não lembrei).

Ocorre que a Internet nos deixou a todos com muita preguiça. Quando queremos dizer algo bacana p/ alguém, p.ex., corremos procurar um Emoticon bem legal para enviar p/ pessoa, porque “não sabemos” o que falar. É parecido quando a gente fica procurando um Cartão de Aniversário na papelaria com um texto já prontinho que “seja igual ao que queremos dizer”.

Você nos acostumou mal Rob Gordon, com seus textos sempre bem escritos, bem humorados e imprevisíveis. É muita responsabilidade comentar um texto seu: Você já disse tudo que havia para ser dito sobre o assunto, já abordou todos os ângulos e detalhes da situação (e com um Português bem fluente!), o que mais poderíamos acrescentar ? [ironia sutil mode OFF]

Por esses motivos defendo que as pessoas não devem dar tanta importância à forma daquilo que querem falar. Se formos esperar atingir os bons padrões do Rob para só então nos permitir comentar e expressar nossas opiniões e sentimentos estamos fritos! Nunca vamos “abrir a boca” p/ dizer nada. Fora que é um processo de aprendizagem, se você não escreve e não participa escrevendo você também não aprende (é como o sexo, portanto).

Quero dizer que acredito que sim, seus leitores gostam muito daquilo que você escreve e compartilha com nós (eu pelo menos gosto!); Todos compreendemos e concordamos bastante com você; Mas poucos possuem habilidades de redação para se manifestar de forma bacana. Além do que Rob, você nos desafia e surpreende com seus textos (aposto que muita gente se assustou com o tom sério desse seu poste).

A Internet criou a CRÔNICA PARTICIPATIVA, onde os leitores participam em tempo real: É a EMOÇÃO de poder ler e sentir na pele junto com o Autor e devolver o feedback. A Internet, com seus BLOG’s, livros digitais e E-Readers surpreende por ressuscitar o prazer da leitura.

Qualquer hora vou tomar uma bronca por comentários tão longos aqui. Peço desculpas, tentarei escrever menos daqui pra frente (sou meio prolixo).

Um Grande Abraço p/ Todos!

PS-
SUGESTÃO:
Que tal uma vez por mês você fazer um Poste em que o pessoal é obrigado a comentar o texto seguindo certas regras? (Lembram das “Senhas” pra entrar no Castelo Rá-Tin-Bum?)
Seria um exercício legal pra todos aqui.

Tiago J. Fonseca disse...

Bem, se você tem alguma dúvida sobre a qualidade dos teus textos, saiba que espero que um dia você lance um livro, com os melhores posts. Vou comprar, com certeza.

Naty Becattini disse...

Este é o Rob descrevendo minha vida. Ops, não era a minha?

Bincadeira à parte, acho que não precisa dizer que seu blog é excelente, mas sei bem que a insegurança e o perfeccionismo teimam em nos assombrar as vezes.

Dama do Lago disse...

Nunca me senti tão parecida com você como ao ler este aqui.
Peço desculpas pelo sumiço dos comentários mas estamos em uma fase daquelas bem complicadas no trabalho.
Atualizei minha leitura e fiquei muito emocionada com seu post ao seu sobrinho.Que Deus o abençôe e que ele traga muitas alegrias para os pais e especialmente para o tio, espero que ele descubra bem rápido como tem sorte em ter você na vida dele ^_^
Um beijo e muita força
Sil

Anônimo disse...

Não vou ficar repetindo todos os outros dizendo que vc, na escrita, é um pequeno gênio. Priceless.
Talvez não tenha sido sua intenção, talvez vc não queira "conselhos" - tua intenção tenha sido, tão somente, um desabafo.
Mas uma coisa em seu texto me chamou mto a atenção, tenho que comentar.
Pq tanta cobrança em estar fazendo "o certo", não seria o certo aquilo que dá certo e, sendo assim, o que somente conseguimos saber depois?
Porra, se vc é do bem - como parece ser - como poderia não estar fazendo "o certo".
Na minha vida eu busco sempre, para este tipo de análise, me fazer 02 perguntas: i) o que eu estou fazendo pode prejudicar alguém?; ii)eu teria vergonha de contar aos meus pais o que eu estou fazendo?.
Pronto. Sigo em frente; até porque todo mundo sempre faz o melhor que pode naquele momento. Não acredito que pessoas saudáveis pensem, ah, vou fazer da minha vida uma coisa meia boca e foda-se.
Então, amigo (sei lá se posso te chamar assim) pára de se culpar e de ficar fazendo perguntas que não têm respostas no presente.
E mais, faça o favor a vc mesmo de viver no presente, é o único momento que vc tem para fazer alguma coisa (certa ou errada). Pensar no futuro ou no passado é masturbação mental, sem o lance do orgasmo.
Fica com Deus e pare de se encher o saco.

Anônimo disse...

Não vou ficar repetindo todos os outros dizendo que vc, na escrita, é um pequeno gênio. Priceless.
Talvez não tenha sido sua intenção, talvez vc não queira "conselhos" - tua intenção tenha sido, tão somente, um desabafo.
Mas uma coisa em seu texto me chamou mto a atenção, tenho que comentar.
Pq tanta cobrança em estar fazendo "o certo", não seria o certo aquilo que dá certo e, sendo assim, o que somente conseguimos saber depois?
Porra, se vc é do bem - como parece ser - como poderia não estar fazendo "o certo".
Na minha vida eu busco sempre, para este tipo de análise, me fazer 02 perguntas: i) o que eu estou fazendo pode prejudicar alguém?; ii)eu teria vergonha de contar aos meus pais o que eu estou fazendo?.
Pronto. Sigo em frente; até porque todo mundo sempre faz o melhor que pode naquele momento. Não acredito que pessoas saudáveis pensem, ah, vou fazer da minha vida uma coisa meia boca e foda-se.
Então, amigo (sei lá se posso te chamar assim) pára de se culpar e de ficar fazendo perguntas que não têm respostas no presente.
E mais, faça o favor a vc mesmo de viver no presente, é o único momento que vc tem para fazer alguma coisa (certa ou errada). Pensar no futuro ou no passado é masturbação mental, sem o lance do orgasmo.
Fica com Deus e pare de se encher o saco.

Dani disse...

Rob, amigo (pois te considero assim, um amigo que não conheço pessoalmente), crescer dói, e você já sabe disso. =) Por isso todas essas angústias, mas como alguém aí em cima falou, se você consegue cehgar, deitar e dormir ao invés de esvaziar meia garrafa de conhaque, sabe que ao menos está indo pelo caminho certo.
Colo a gente sempre quer, sempre precisa, mas infelizmente nem sempre pode ter. Eu sinto a mesma coisa. E acho que todos nós sentimos.

Ah, e a Besta Fera vai continuar sendo seu filho pra sempre, mesmo quando você tiver outros filhos. Amor canino é foda demais. =D

Besos e continua se cuidando. =)

k. disse...

Ah, Rob, filho é sim a melhor coisa do mundo. Mas a vida fica mais confusa. Hoje, apenas com 04 anos de maternidade, olho para as pessoas sem filhos e simplesmente não consigo me lembrar como é isto. A impressão que tenho é que pessoas sem filhos têm tempo pra tudo, podem tudo. Sabe isto de ver seus videos, ouvir suas musicas, acompanhar seus seriados? somem por um tempo depois de se ter filhos. Por outro lado, fazemos coisas como brincar... delícia também.

Otavio Oliveira disse...

Não vou ler os comentarios de todo mundo, por isso, não me julgue se eu parecer repetitivo.

vc é um exemplo. serio, não sei das 24 horas da sua vida pra falar, mas te juro que vc é um exemplo pra mim, a partir do que vc se parece aqui, no chronicles e no twitter. acho que significa que sim, vc tá no caminho certo. pq se vc n tiver, eu tb não estou haha.

Dalleck disse...

Rob, eu fico contente com a força que o pessoal te dá nos comentários. Gente que te elogia, que te apoia ou que te vê como referência. O jeito como você pensa e escreve, todo mundo quer ser um pouco parecido quando "crescer". Não esqueça de como as pessoas te admiram e que seus esforços nunca são em vão. Pelo menos o que você escreve aqui, tenho certeza que faz e que já fez diferença na vida de algumas pessoas e que acrescentou experiência de vida e risadas.

Às vezes me ausento um pouco como leitor do Champ, mas sempre que volto, parece que conheço isso há décadas. Seu trabalho, seu apartamento, os porteiros, a síndica, os garçons, os filmes e músicas, a Besta-Fera e a forte ligação que você demonstra ter com as pessoas mais próximas. Cara, eu torço por você, de verdade.

Mas frequentemente também entro nessas paranoias de pensamento de auto-cobrança e auto-crítica, e ainda não descobri um jeito de apaziguar os neurônios quando resolvem pensar demais.

Tharik disse...

Bem, se você tem alguma dúvida sobre a qualidade dos teus textos, saiba que espero que um dia você lance um livro, com os melhores posts. Vou comprar, com certeza. (2)

Kel Sodre disse...

Dá uma pena ficar fora de casa o dia inteiro e, quando a gente chega em casa, tarde da noite, cansado, eles estão lá, recebem a gente com a maior alegria do mundo, querendo brincar, latindo, correndo... E a gente dá uma brincadinha rápida, manda eles sossegarem e vai dormir. Sinto demais por isso.

udi disse...

ah cara, eu gosto do que vcc escreve