24 de março de 2010

Carta Aberta ao Sr. Dioclécio Luz - Parte II

Caro Sr. Dioclécio Luz:

Em determinado trecho do seu texto A Violência na Turma da Mônica – Parte 2 você afirma ter ficado sabendo que alguém escreveu uma carta aberta a você (como resposta ao seu texto Violência na Turma da Mônica), mas esqueceu de avisá-lo.

Pois bem, o alguém sou eu. E a Carta Aberta está aqui.

Então, apenas a título de esclarecimento, eu não “esqueci de avisá-lo”. Eu não avisei de propósito, pois, observando os comentários do seu texto original, reparei que existiam três mensagens indicando a existência da Carta, todas elas com o link direcionando ao texto. Assim, deduzi que você já tinha conhecimento da Carta – partindo do princípio que você tem a delicadeza de ao menos ler os comentários que seus artigos recebem.

Ou seja, indicar o endereço do meu texto ali, nos comentários, seria redundante. E, pior ainda, poderia ser visto apenas como autopromoção da minha parte.

E creio que eu e você, como jornalistas, sabemos que o jornalismo não deve ser utilizado para autopromoção, certo?

Já a decisão de ler meu texto ou não, claro, cabia somente a você.

Quanto ao seu novo texto, creio ser desnecessário esmiuçá-lo em busca de falhas. Mais que desnecessário, seria cansativo, especialmente para os meus leitores. Assim, não tenho muito que acrescentar ao assunto. Mesmo porque não tenho problema pessoal algum com você, tanto que esta é a última vez que abordarei o assunto aqui.

Aliás, pelo contrário, devo lhe agradecer.

Afinal, este seu segundo texto apresenta somente um defeito: o próprio texto é uma enorme falha.

Isso porque, com este novo artigo, você tenta de todas as formas justificar o seu artigo anterior. E, a partir do momento que um texto opinativo precisa ser justificado com outro texto, é porque o original não contou com argumentos minimamente razoáveis.

E como a fragilidade dos seus argumentos é justamente o tema principal da minha Carta Aberta, a publicação deste seu novo texto apenas confirma tudo o que escrevi anteriormente. Logo, uma nova resposta não é necessária (mesmo porque eu não pretendia mais abordar este assunto aqui, e esta é a última vez que o faço).

Obrigado por, independente de ter lido ou não meu texto, dar razão a ele.

Abraços.

P.S. Já que as histórias em quadrinhos são pautas desimportantes (como você mesmo afirma, ao se mostrar espantado com a repercussão que seu texto obteve), sugiro que escolha outro tema mais relevante para seu próximo trabalho. Peço apenas que escolha um assunto entre aqueles que você tenha o mínimo de conhecimento.

28 comentários:

Natalia Máximo disse...

Não há limites para a falta de embasamento para o Sr. Dioclécio Luz nesse novo artigo... Espero que ele pare de falar do que não entende agora. Dois textos sobre o mesmo assunto falado de maneira rasa, são suficientes, né?

Fábio Megale disse...

Mandou bem, Rob. De novo.

Nem tenho muito o que comentar não, você já disse tudo. Apenas assino embaixo. De novo.

Gabriel Alex disse...

Mandou bem Rob!

Vladir Duarte disse...

Não dá para acreditar que esse imbecil ainda teve coragem de escrever uma segunda parte para sue texto infeliz e auto-promocional.
Gente sem talento que tem necessidade de aparecer só encontra esse recurso para que os holofotes se voltem a sua insignificante existência: a polêmica sem sentido e sem embasamento algum, apenas para aparecer mesmo. É só isso que querem!

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Como é possível alguém mandar tão mal, 2 vezes seguidas?? Nossa...

Wesley disse...

No seu novo texto, o DL criticou o BBB, mas neste mesmo texto ele se mostrou uma espécie de Big Brother do jornalismo; ele sempre foi um insignificante (ele mesmo diz que seus trabalhos nunca tiveram tamanha repercussão) e teve que se submeter a um trabalhinho ridículo para ter algum "reconhecimento", mesmo que negativo. O que isso lembra? Ex-BBs? Hmmm, legal.

P.S.: Não estou defendendo o BBB ou chateado pq o Didi Luz (rs) criticou o programa. Eu também abomino o programa global.

Isabella disse...

O segundo texto de Dioclécio consegue ser mais envergonhante do que o primeiro!

hahahahaha!

Benito disse...

Vou somente ser o Benito:
Dioclécio Luz, VAI TOMAR NO MEIO DO TEU CU! "sem abraços..aff"

MarianaMSDias disse...

Rob Gordon: Devo dizer que você beirou a crueldade! Mas, convenhamos, existe verdade maior do que "a partir do momento que um texto opinativo precisa ser justificado com outro texto, é porque o original não contou com argumentos minimamente razoáveis"?

É, simplesmente isso.

E chega de dar atenção à ignorância, contra a qual, fatalmente, não há argumentos.

Novamente, parabéns!

Pandora Yuuko~ disse...

Tava esperando esse texto desde que li o segundo texto do Diocécio. Tinha certeza que sua resposta ia ser ótima - e não me enganei =P

Lígia disse...

Sabes que sou sua fã e, claro, da Mônica.

Mas acredito que o sr. Dioclécio tem, sim, razão em muitas das coisas que disse.

E acho que você e ele, pelo menos, ficaram no debate razoavelmente saudável. Mas a maioria dos comentaristas que escreveram aqui e na coluna dele só fazem enchê-lo mais ainda de razão. Cadê os argumentos? Em grande parte das vezes, só vi pancadaria mesmo.

Lígia disse...

Ooops, quis dizer "sabe que sou seu fâ" =P

Dragus disse...

*olha pro lado e cospe no caixão.

- Próximo!

=)

Bel Lucyk disse...

Rob, cuidado com a maldição da carta aberta!
Se me recordo bem, da última vez que isso aconteceu, tentaram invadir seu blog e logo depois seu computador faleceu!
#tensoisso

ehehhhehehe

bjs e cuidado, hein! =)

Gilgomex™ disse...

Interessante como ele utilizou o termo "Politicamente Correto" num contexto só dele, né???

Dentro daquele contexto é claro que o politicamente correto é bom (ou quase), mas ele se fez de João-sem-Braço, como diria Lobão...

Eu não comentei por lá pq deu preguiça, muita burocracia, não vale a pena...

Kel Sodre disse...

Rob Gordon 2 X 0 Dioclécio Luz

Dáaaaaaaaaa-lhe Gordon!!!

Eduardo Chaves disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk... isso! 2x0!

Barmen disse...

Boa Rob, mas visto os comentários do texto 2 do Luz, esse nem precisava ser escrito, por mais que tenha mencionado algo diferente: "Isso porque, com este novo artigo, você tenta de todas as formas justificar o seu artigo anterior. E, a partir do momento que um texto opinativo precisa ser justificado com outro texto, é porque o original não contou com argumentos minimamente razoáveis."

Thiago Moskito disse...

Tem gente que não sabe a hora de parar...
Mas que cara chato!
Você tem toda razão e ele se fud3u!

Dona Sancha disse...

Juro que acho que o problema desse tal de Dioclécio Luz é falta de pica...

Anônimo disse...

http://www.cocadaboa.com/arquivos/008151.php


Sem mais,

gabriel disse...

Caro Rob Gordon, fico pensando que faltou em sua resposta ao Dioclécio uma critica importante.É necessário colocar a história dentro do seu contexto. O que eu quero dizer é que a turma da Monica surge em uma época que obesidade, bullying dentre outros assuntos nao eram discutidos. São personagens dos anos 60 que até hoje mantém suas características, mesmo o Cebolinha não podendo mais rabiscar o muro, com a "manerada" da violencia etc. E só mais um ponto, o Tio Patinhas foi criado pelo Carl Barks, conservador e nem por isso menos genial.

Nadia disse...

Não vou opinar dessa vez porque não consegui ler o texto do moço lá (e Deus sabe que eu tente), parei na parte do catecismo.
;P

Anônimo disse...

Alguém tinha que falar isso...
ROB WINZ!!!!1!111!!

[]'s

paulomcheit disse...

Ele só fez o segundo texto por que ele foi desafiado pela aluna na palestra sobre ética jornalística...

O primeiro texto do luz poderia ter levantado verdadeiramente uma controvérsia, mas ele preferiu ser simplista e não verificou as fontes, muito menos pesquisou sobre todos os aspectos dos personagens para ter um embasamento na sua tese.

Otavio Oliveira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Vocês são ridículos, não sabem ler um texto jornalístico, há ainda aqueles que se intitulem de jornalista, ouçam a voz do bom senso e parem de se preocupar com a defesa "compatriótica" da turma da Mônica, se tivessem toda essa força para lutar pelas questões sociais eu os admiraria, mas sendo por um gibi, eu os deploro.

Mairon disse...

Coerente e eficiente além de conciso, você Rob Gordon mais uma vez, pois em palavras o que eu e penso que boa parte dos leitores da Turma da Mônica sentia quanto ao texto claramente tendencioso e provocativo do Sr. Dioclécio Luz.

Mairon.