24 de julho de 2009

Dúvida

Sei que não tenho o hábito de postar mais de uma vez por dia aqui, mas tenho uma dúvida e preciso de ajuda de vocês.

Fui convidado a responder uma entrevista sobre o blog para uma tese sobre o tema (se vocês quiserem, eu posto a entrevista inteira - me avisem nos comentários). E uma das perguntas ficou na minha cabeça:


"Como você se enxerga sendo lido no blog: Os leitores se deparam com você de verdade ou com um personagem? (quem lê o blog sabe quem você é, ou cria na mente uma pessoa?)"


Eu já tinha esta dúvida há tempos. Sempre pensei muito sobre isso. Mesmo depois de ter enviado as respostas da entrevista, continuei pensando sobre o assunto.

Eu sei quem sou; quem lê o blog e me conhece pessoalmente, também sabe, óbvio. Mas e a grande maioria de leitores, que me "conhece" apenas por aqui?

Será que eu estou realmente "conversando" com quem me lê? Porque não é segredo para ninguém que eu assino com pseudônimo; mas, como faço questão de dizer sempre, eu e Rob Gordon somos a mesma pessoa. Ou, ao menos, eu acho.

Então, essa pergunta me fez pensar: será que realmente tem muito de mim aqui? Onde termina o Rob Gordon e onde começa o... Bem, eu?

Então, deixo essa pergunta para os leitores que me conhecem apenas pelo blog:

O que diabos eu sou, aos seus olhos?

(Não estou atrás de confete ou de respostas
como "você é o autor de um blog bom".
E, sim, xingamentos serão aceitos.
)

51 comentários:

rbns disse...

Oi Rob. Essa definição é fácil. O Rob é seu lado boiola...
...só assim para explicar esse tipo de dúvida existencial.

Agora deixa de frescura e vai escrever algo engraçado.

Lilian disse...

Pra mim, o Rob é a parte do Ricardo que se deixa conhecer, e ficar íntima da gente sem que sejamos necessariamente íntimos do Ricardo. E é a parte que floreia e exagera as histórias que realmente acontecem com o Ricardo. Fui clara?

Marina disse...

É difícil pra gente, que não o conhece, dizer se você é você ou você é Rob Gordon. Porque, afinal, eu não sei a diferença. Mas, pessoalmente, acho que ninguém consegue se esconder por trás de um personagem por muito tempo, a não ser que queira... E acho que não ajudei em nada com esse comentário. #fail

Sabe quem poderia responder isso bem? Alguém que o conheceu primeiro virtualmente e depois pessoalmente.

Ana disse...

Ótimo cronista
Baixinho
Careca
Heavy Metal
Humor ácido
Realista
Workaholic
Teodoro Sampaio
Pão de Açúcar
Besta-fera
Mau-humor
Coxinha (a comida mesmo)
Sra Gordon
Cinema
Nerd
Top 5
Síndica do mal
Editor-chefe
...

Lara disse...

Eu nunca vi vc, nunca falei com você e, inclusive, abri um tópico na comunidade sobre o blog perguntando se vc teria um perfil no orkut (a resposta foi "não", obviamente). Ou seja: tudo o que sei a seu respeito está escrito neste blog.
Não pretendo aumentar ainda mais a sua crise, mas tenho q confessar uma coisa: já cheguei a cogitar (e ainda cogito) a idéia de vc ser um personagem fictício. Já pensei no fato de este blog ser escrito por uma mulher, por um adolescente ou, quem sabe, até mesmo por um grupo de pessoas. Por que não?
Agora veja pelo lado bom, "Rob": todo grande escritor tem a sua existência posta em dúvida (ta, não todos, mas alguns muito marcantes), é o caso dos famosos Shakespeare, Homero, Aristóteles e por aí vai. Logo, olhando por esse viés, espero que vc não se ofenda ao saber q eu duvido da sua existência e, caso eu esteja certa, prometo que vou guardar segredo. Hehe.

Quem você é aos meus olhos? Um personagem, apenas isso. E só me convencerei do contrário o dia q eu conhecer vc pessoalmente (e, levando em conta q seja verdade q vc more em são paulo,isso será uma coisa muito improvável de acontecer, já q eu moro no RS)

Hally disse...

Bom, pra mim, que conheço apenas o Rob Gordon, és uma espécie de azarado da blogosfera (mais ou menos como aquele personagem de um filme que passava muito na sessão da tarde, que agora não consigo recordar o nome). Só que (desculpe-me por isso), eu gosto quando tu se ferra. Pelo menos é uma gargalhada garantida no meu dia, que pode ter sido uma desgraça total, até eu entrar no seu blog e ler o mais novo capítulo de sua vida azarada.

Mais que isso, és um ídolo. Puts, tem bom gosto pra música (vide aquela cartinha pro papai noel, onde pedes o maravilhoso Plug me In do AC/DC), conhece muito de cinema, é inteligente e gosta de games... enfim, eu quero ser você quando crescer! =D

E, como escreve bem... (inveja mode ON, velocidade TURBO!)... acho que deu pra ter uma noção do que é o Rob Gordon para esta que vos escreve!

(desculpe a puxação de saco, mas eu gosto muito deste personagem!)

Isabella disse...

É engraçado. Por não saber seu nome nem conhecer seu rosto, tinha tudo para te ver como um personagem.
Mas não. Me sinto em casa, vc não é um personagem, existe mesmo. Até imagino seu cachorro. Acho que por causa dos seus textos sobre o cotidiano. Impossível não se identificar e destruir ali mesmo qualquer possibilidade de um personagem. É vc mesmo! Para mim, aconteceu! COm a bruxa do mar, até senti a ânsia do iogurte de mamão.

Um beijo!

PS: Nome é uma coisa muito importante pra mim. Não saber seu nome é engraçado. No primeiro momento, te vi como personagem por causa disso. Mas me acostumei. Afinal, por que não assina com seu nome?

PATI IGLESIAS NAVARRO disse...

Nossa... quanto drama!!!
Tbm não precisa pensar tanto nisso... É óbvio que o que colocamos num papel, ou no caso aqui, num blog, nunca é 100% o que somos... Mas isso não deixa de divertir a galera que lê.
Pode ter certeza que o que vc escreve é mais importante do que a questão em si... E se pra vc isso parece verdadeiro (que o Rob é parecido pra vc), entãovc já tem a resposta que estava procurando. O resto (o que nós achamos ou deixamos de achar sobre isso) não deveria importar tanto...
Continue escrevendo!!! :)

Ah, outra coisa... Muitas vezes eu tento entrar no seu blog, mas o texto não aparece. Vc já ouviu outra reclamação a respeito? Há algo a fazer pra resolver?

Otavio Cohen disse...

o comentário da ANa é mais ou menos tudo o que eu sei sobre vc tb. Quando vc ainda tinha perfil pessoal no orkut, cheguei a te adicionar e a gente ainda troca uns comentários ou twittadas. mas de uma forma maluca, na minha mente são 3 "pessoas". isso pq o "verdadeiro" vc, que está lá twittando e que está sempre na mira do diabo, tb se tornou um personagem. não, e não é o rob. sei lá como explicar. eu sei que, se for assim, conheço 66% de vc. aohhao

P! disse...

Ah, eu acho que é inevitável que quem não te conhece crie um "personagem" Rob Gordon na cabeça. É mais ou menos como nos livros. Os textos fornecem características físicas e mostra a personalidade. Pra quem não te vê, cabe imaginar você no Pão de Açúcar ou na Teodoro Sampaio ou no meio dos livros e dos CD's da FNAC.

Às vezes é até estranho ler um texto em que você fala do seu cotidiano, como aquele sobre o diploma de jornalista, e ver que Rob Gordon é uma pessoa de carne e osso fora do blog, com rotina e tudo mais.

Enfim, taí a minha opinião :)

Gábisz disse...

Isso é muito estranho. Eu imagino que esse seja você,mas ao mesmo tempo parece ser um personagem, já que nunca vi o seu rosto e nem sei seu nome(apesar de alguém ter dito nos comentários que era Ricardo, o que destruiu um pouco a magia, foi tipo um spoiler)tenho que imaginar tudo, o que lembra um bom livro, mas ao mesmo tempo "sei" que você existe, as coisas acontecem contigo e as opiniões aqui escritas são suas.
Eu vejo o Rob como se fosse um ator te interpretando, não é e é você ao mesmo tempo. É um ator que faz o melhor que pode pra transmitir realidade mas o clima de ficção fica pairando no ar o tempo todo(não estou te chamando de falso,mas, aahh desisto!).

Hally disse...

Tá aí, o comentário da Gábisz me fez pensar que o champ é um livro interativo... :o
Que doido isso!!!

Dragus disse...

A única pessoa daqui com gabarito para postar acredito que seja o Tyler.

Ele conheceu suas 3 formas de apresentação, o Rob Gordon, o R****** e a pessoa de carne, osso e fome.

Conheço de você atualmente um pouco mais porque começamos a efetivamente travar diálogo e trocar idéias até mais polêmicas faz pouco mais de uns três meses.

Vou tentar colocar algo aqui da minha visão, com o desenrolar dos dias.

Antes tinha a velha questão da figura mística, do personagem, dado que seu blog é uma parte de você, a parte que ri da desgraça própria... Mas só depois de recuperado.

Você não é que nem pessoas que trabalham com humor, que no palco são X e pessoalmente Y. Definitivamente não.

É um comunicador, tem o dom de se expressar com palavras ou sem palavras (suas fotos são hilárias também).

É personagem-autor-vítima.

É você mesmo. Mas apenas aquilo que deseja que vejam. E blogs bem ou mal são partes de nossas vitrines. E se considerar o aspecto visual, temos algo em comum: um puta apego por estabilidade.

Acredito que por nossas vidas pessoais serem um caos e só termos algum controle aqui nesse espaço limitado por bits e pelos lados do monitor.

Como acontece com toda a raça humana.

Se você pensa que é maluco, então somos dois.

Acho que falei demais. =p

Nelson disse...

Pra mim você nunca foi um personagem. Talvez pelo fato da minha profissão exigir que eu sempre vá para a Teodoro Sampaio comprar alguma coisa, eu conheço bem a região e consigo imaginar facilmente as cenas que você descreve aqui. E acho que sou tão azarado quanto você, se não mais. Só não tenho a capacidade de escrever como você, tanto no bom humor quanto na própria capacidade intelectual de organizar um texto.
Tudo isso torna fácil eu imaginar você como uma pessoa real, não sei para outros leitores, fora de São Paulo ou nem tão azarados.

Confesso que morro de curiosidade de saber quem é Rob Gordon, e toda vez que vou pra Pinheiros eu fico olhando, procurando um baixinho careca com uma cara de "a humanidade não deu certo" na fila da padaria.

Espero ter ajudado.

abraço

PS: Ah sim: Rob Gordon, já pensou em escrever um livro?

O Frango... ® disse...

Pra mim é um típico caso em que o personagem se mistura com a pessoa real. O Rob acaba sendo uma versão romantizada do real, portanto, um personagem. Mas ele é você, o que ele diz é o que você viveu. Sei lá, é confuso... não consigo explicar direito =P

Éder Marques disse...

Você, conta seu cotidiano, sua vida, praticamente tudo que envolve você, rob gordon é apenas um pseudônimo, quase um apelido :)

Gabriel disse...

É simples: o eu, o mais puro eu, termina no momento em que teus pensamento saem da tua cabeça. A partir daí, tudo é apenas uma representação de você, que pode tanto ser construída da maneira que quiser como pode ser sem intenção. Provo o que eu disse com a seguinte pergunta: alguma vez alguém bem próximo de você (namorada, pai, mãe etc.) entendeu algo que você disse completamente errado?

Gabriel disse...

pensamentos

Charlie Dalton disse...

Bom, já que você tocou no assunto, eu também uso um pseudônimo. Mas procuro pôr no que escrevo algo meu, mas sem dizer o meu nome verdadeiro. (Se eu me sinto à vontade, eu mostro a mimha identidade. Existem blogueiros que já sabem minha identidade secreta...)

Mas fique tranquilo. Ninguém consegue mostrar todas as suas facetas para todos, e isso não faz de você uma farsa. O tempo e a convivência (até mesmo a virtual) é que vão nos fazer ver seus outros lados.

Pedro Lucas disse...

Bom Rob, na verdade, o personagem Rob Gordon e o R****** *******, aos meus olhos, são a mesma pessoa, já que as histórias do Rob, são as suas. O que eu sei de você é pelo blog, já que você não responde seus scraps hehe.

E acho você uma pessoa bem eclética, mas com extremo bom gosto, gosta de coisas boas, independente de rótulos ou pré-conceitos, uma pessoa com uma mente muito aberta, que enxerga a realidade de forma diferente dos outros, tem uma visão de cronista, é extremamente criativo, e consegue tirar um texto das menores coisas. Apesar disso pode ser bem pedante com algumas coisas, gosta de sua rotina, mas não é totalmente contra mudanças, é uma pessoa mais rancorosa do que o normal, o que faz ser melhor ser seu amigo que seu inimigo. Eu sinto pena dos que te empecilham, mas quem consegue quebrar a sua casca e ser seu amigo, terá um amigo pra vida toda.


E então Rob, você que se conhece, eu que só te conheço pelo blog, acertei como você é?

An@Lu disse...

Hmmmmm... Boa questão. Eu já tinha pensado nisso no meu próprio blog, mas nunca cheguei a escrever.

Acredito nas histórias, mas acho que há um "Rob" diferente de você que dá o tom sarcástico ao blog.

É como eu já disse aqui uma vez. Um dia você, como todo ser humano, acorda gripado. Mas o Rob faz disso uma odisséia.

Para mim o Rob é um personagem das suas próprias histórias. O "personagem Rob", assim como o blog, foi se desenvolvendo com o tempo. No fundo o Rob, é o narrador das grandes sagas. E o segredo para o sucesso deste personagem? Um autor que se identifica com ele.

Espero ter ajudado :)
Beijos
Ana

All3X disse...

Nós nunca conseguimos transmitir no todo aquilo que somos para alguém de modo tão breve.
A personagem construída como autor do blog pode ser semelhante a você mesmo, mas só aos poucos se revela aos leitores. Por isso, apenas quem acompanha com freqüência o blog pode dizer um pouco daquilo que você é. Mas ainda assim as lacunas são preenchidas pelo leitor, que imagina alguns pontos para ter uma visualização do todo.
Por mais que num blog exista a transmissão da linguagem, que simboliza tudo o que alguém pensa sobre algum assunto, não fica evidente a identidade entre você e a personagem criada pelo leitor. A imaginação conta muito, assim como lemos um livro, no qual passamos a supor muito do que o autor deixa de dizer ou imaginar como é a imagem daquilo que ele diz.
Talvez seja isso mesmo.
Valeu

Thais Gama disse...

Pra mim, o Rob é a parte insana que o Ricardo gostaria de agir e de ser em algumas vezes em que ele não pode ser o Ricardo. Acho que esse suspense e essa divisão, é válida e serve para proteger a privacidade do Ricardo. Mas que eu tenho curiosidade de conhecer a pessoa Ricardo, isso eu tenho, mas quem não tem?

Leonor disse...

É inevitável não imaginar um personagem, mas pela maneira como vc escreve sobre o cotidiano, imagino vc como um homem normal.
Alguem que não sabe fazer arroz, tem um cachorro muito lindo(^^), um senso de humor único, além de inúmeras qualidades e defeitos tb.
Dúvidas, questionamentos, bloqueios criativos e excesso de trabalho, fazem de vc não só o autor de um blog bom, mas tb, de certa forma, alguem que se tornou uma "companhia agradável" no mundo digital, não fosse assim, vc não teria tantos leitores.
Bjão

Gilgomex™ disse...

Opa... Vale xingar??? Legal... Vou pensar num monte de coisas, e depois volto... heuheuheueueuhee
Brincadeira.

Cara, acho que deve ser interessante pro pessoal que lê o blog e não te conhece "no seu outro eu"... digo, no seu "outro você". Eu, como te conheci nas comunidades divulgando o blog, e já tocamos msn, orkut, figurinhas e frases de amor... ops, frases de amor não foram com você, foram com uma blogueira... Mas realmente. taí algo interessante, devem ter uma imagem totalmente remodelada de sua pessoa (o que é uma vantagem, apesar de tudo)...

Agora tb fiquei com essa dúvida sobre meus milhares de (4 ou 5) leitores...

Gilgomex™ disse...

PS: Lilian... Acho que vc... er... não precisava citar o codinome do Rob... hueheuhueueheueuhehheueh

Melinda disse...

a) Eu acho que seria legal postar a entrevista. Assim seria possível para os leitores conhecer a tua ótica de outro ponto de vista. Tua análise da relação criador-criatura-tietes, enfim.
b) Eu passei a ler os teus posts recentemente e sou totalmente amadora nesta prática, mas tenho a impressão de que tu és bastante verdadeiro e autêntico nas tuas narrativas.Em essência é muito difícil não colocar da própria matéria-prima nos textos.
Eu gosto muito dos teus textos e me identifico bastante com a forma hilariante e leve como transitas pelos assuntos. É a tua presença e identidade nos posts que os torna atraentes.Espero ter ajudado.

Gilgomex™ disse...

PS 2: o Hally quer ser você quando crescer??? Vixi, o Hally é anaõ... heuheuheuhuehuehue
(piada preconceituosa e sem graça, e eu estou morrendo de vergonha por isso... mas eu aguento firme)


PS 3: quanta gente utilizou o nome com R... er... Rob tb é com R... o nome que começa com RI... rs... acho que na hora que o o Ric... ops, Rob ler isso, vai ter um trosso (ou um troço)...

renata disse...

só digo uma coisa, uma vez que não vou responder ao seu questionamento, pois te conheço pessoalmente: esse post é muito "caderno de resposta" de pré-adolescente. se não sabe o que é isso, te explico no msn.

G7 disse...

eu que conheço você dentro e fora dos gramados posso dizer que trata-se da mesma pessoa. não é o internauta típico que é um merda na vida real e, na internet, é o brad pitt milionário e comedor. você é o mesmo.

portanto, aplaudo o colega rbns: deixa de viadagem e vai comentar os tombos do gordonaldo.

Gustavo

Matheus Silva disse...

Quem é rob gordon?

é um baixinho gordo e careca, que tem duas incríveis características: atrair com muita facildiade todos os tipos de louco que se pode imaginar e fazer com que esses encontros se tornem divertidos para outras pessoas

Iza disse...

Nem ia comentar, porque só leio. Como vi o aviso que era para os que não te conhecem, resolvi comentar.

"O que diabos eu sou, aos seus olhos?"

Olha, descobri que sou egoísta porque antes olhava apenas para seus textos. Desprezava alguns por absoluta ignorância mas, me divirtia com outros textos. Isso desde fevereiro de 2008.

Te achava muito presunçoso mas, continuava lendo teus textos...

Quando vi teu depoimento sobre política, lá no Dragus, notei que você não está alheio aos acontecimentos e que se preocupa com a apatia do povo brasileiro.

Recentemente descobri que você também trabalha (de acordo com o que você postou anteriormente)e não tem muito tempo para o blog. Foi aí que vi seu lado mais humano. Talvez tenha sido aí que enxerguei você, por trás do blog.

Agora nem te acho mais presunçoso mas, quanto a eses meus "achados", não dá bola porque sempre estou achando uma coisa ou outra de alguém, devido ao meu temperamento. Quase sempre mudo de opinião

Acho que ultimamente você está tem sentido a necessidade de mostrar muito mais de você aqui no teu blog, o que está contrastando com a imagem que eu tinha de você antes.

Você não me seguiu no twitter e eu fiquei de cara :( Não que você seja obrigado a fazer isso mas, quando você disse lá que já tinha quase 300 seguidores, achei muita presunção e não te segui mais:( Me emburrei.

Obs: Geralmente escrevo por impulso. então não leva a mal.

No mais, segue digitando, que continuarei lendo.

Fábio Buchecha disse...

Rob Gordon é apenas o alterego de R****** R****** livre de toda e qualquer amarra social. E não parece com o Jonh Cusack, com certeza.

=P

Barlavento disse...

Ah, eu nem me interesso por esse tal de Ricardo. Eu gosto mesmo é do Rob Gordon.

Crisolda disse...

RICARDO!!!

Ando disse...

Bem. Para mim você, antes de mais nada era uma pessoa existente, pois fui apresentado ao seu blog por uma amiga que te conhece e sabe quem é você.

Portanto, ao vê-lo sob um codinome, rapidamente assimilei o Rob Gordon como um alter ego e até mesmo uma forma menos "comprometedora" de lidar com a realidade. E à medida que fui lendo os posts pude identificar com certa dificuldade o que poderia ter realmente ocorrido e o que era romance.

Indiquei o blog a amigos e qual não foi a decepção de um deles, há muito pouco tempo, ao me dizer que percebeu que o lado azarado do Rob, que havia sido o ponto de identificação deste meu amigo, talvez não fosse assim tão verdadeiro.

Mas nem por isso ele deixou de acompanhá-lo diáriamente. É indiscutível que não há melhor opção para quebrar aquela rotina ou até mesmo para tirar a cabeça daquele problema impossível de ser solucionado do que este blog.

De qualquer forma... saber que você não é apenas um personagem já faz com que haja uma maior identificação e talvez, por isso mesmo, pela veemência que insisti de que você realmente existe para ele, ele ainda acompanha o seu blog. Apesar de achar que com ele a vida é mais complicada pois ele nem consegue pensar numa forma de romancear a realidade dele.

Criatividade é para poucos...

Fer disse...

Rob Gordon ou R****** no Jô!

Jullia A. disse...

Eu sei que voce existe, porque eu conheço o tyler bazz. Eu imagino o blog como um lugar para devaneios. O meu pelo menos é.. (:
Mas, na verdade, verdade mesmo, não importa se é um personagem ou você mesmo, o que realmente importa é que o blog é bom, e eu gosto. ;)

Jullia A. disse...

o fato de eu conhecer o tyler bazz implica porque ele te conheceu ;D

Stephanie disse...

Rob,

acho que certos escritores e alguns blogueiros (não a galera do querido diário ou do copy & past) acabam esbarrando nessa dúvida em algum momento.

Acho que o pseudônimo é uma forma superválida de você preservar sua 'privacidade' - mas acho que "Rob Gordon" acaba sendo também uma 'voz narrativa'. Tanto que você tem o Chronicles pros seus textos que com uma pegada diferente do que rola por aqui.

Dos meus poucos leitores, boa parte acha que me conhece pelos textos. Dão conselhos e criticam atitudes das personagens como se eu tivesse contado uma historinha minha - o que nem sempre rola no meu blog. Alguns textos são ficção, mas como o blog tem essa coisa de ser um meio de expressão subjetiva, enfim, acho que isso leva os leitores a pensarem que toda 1ª pessoa singular que aparece lá é minha. Eu aprendi a divertir com essa confusão e deixo a coisa rolar...

Pela minha experiência, acho alguns leitores vão acabar te conhecendo pelo blog - outros provavelmente criarão uma imagem a partir do que você passa por aqui, mas que não bate com quem você é, porque por mais que uma pessoa fale de si mesma com a maior sinceridade, acho que pra conhecer mesmo falta um pouco de convivência - pode até ser virtual, por email, msn e tal... mas é uma troca que permite que a gente saque o outro para além do texto: gostos pessoais, as referências, contradições, esses detalhezinhos.

Pra mim, você é o autor de um blog que vale a pena ser visitado, lido e comentado. O que numa blogosfera cheia e blábláblá desnecessário é sinal de qualidade.

=)
beijo

Varotto disse...

Ainda bem, que os seus leitores não precisam ganhar a vida como detetives particulares.

Quem recebe o Champ Delivery, tem de saber qual é sua verdadeira identidade.

E se forem um pouquinho mais sagazes, já descobriram até os nomes das revistas que edita.

Por essas e outras é que você não é exatamente um personagem para mim.

Agora, quanto a conhecer um pouco mais profundamente a pessoa RR, aí o buraco é mais embaixo.

Não é com esse tipo de contato que temos aqui, que iríamos conseguir isso.

Quando aprofundamos nosssos relacionamentos, frequentemente descobrimos coisas sobre o outro, que nunca tinhamos notado. Se isso já é verdadeiro quando "o outro" está ao alcance do braço, não é diferente quando consideramos nossas relações de teclado e monitor.

Enfim, o Rob azarado, do Pão de Açucar e alvo do telemarketing é para mim bem real. Já o RR de verdade, vai saber...

Daniela disse...

Poxa!
Nem te conheço mais garanto que sou "apaixonada" pelo Rod e Ricardo!

Acredito em cada linha que você escreve...

Então acho eu... que acredito nos dois, no personagem e no homem!

Dama do Lago disse...

Acho estranho alguém pensar que você não existe.
Tudo bem, você é baixinho mas, definitivamente, ocupa espaço físico no mundo real.
Para mim, você é você, com o nome real ou pseudônimo, não muda nada.

Ok, comentário inútil,uma vez que conheço você pessoalmente, sei que você existe e continuo adorando seu mau humor que gera os comentários mais engraçados ^_^

Beijo

Sil

Leandro disse...

Acho que o Rob é uma parte de você que tenta (e consegue) ver o lado cômico dentro dos problemas e zicas do cotidiano.

Enquanto alguma merda te acontece, o Rob já está lá trabalhando no post. E como a qualidade desse post é diretamente proporcional ao tamanho da zica (tal como na história da lasanha assassina), ele acaba sendo o seu prozac. Vai ver que é por isso que, mesmo trabalhando com jornalista e tendo que escrever todo dia, você já comentou mais de uma vez que quando quer "descansar" a cabeça, escreve aqui.

Tyler Bazz disse...

O Rob, pra mim, é a mesma pessoa que o R**********. Inclusive não lembro de ter criado um personagem antes de conhecê-lo, mas minha memória é algo em que não se pode confiar muito.

O que posso garantir é que a aparência - baixinho e careca - é real; e que o que normalmente se pensa de gentre assim - simpático, gente boa - é real também.

O resto, ou seja, tudo que ele posta no blog, é mentira. (NÃO MESMO) :D

Bárbara Ribeiro disse...

Um psicótico alucinado que escreve bem pra caramba.

Outro dia comentei de vc com meu irmão que tbm lê o blog. Ficamos discutindo sobre como seria sua fisionomia. Ele disse: "Ele é gordinho, baixinho e careca". rs! Acho que pela foto do cara da Família Addams que estava usando no Twitter.
Independente de como seja, o interessante é sermos vários na mente das pessoas.

Kel Sodre disse...

Ah, saco... cheguei atrasada... Posso dar minha opinião assim mesmo? Se sim, continuar lendo. Senão, pular para o próximo comentário ou fechar a janela.

Achei muito engraçado pensar nisso de quem é o Rob Gordon e quem é o "outro". Apesar de já ter trocado com você alguns e-mails e de você ter sido sempre muito solícito e simpático todas as vezes, não posso dizer que te conheço, nem virtualmente. Conheço mesmo o Rob, personagem central do Champ. Talvez, para mim, o "outro" seja a ligação do Rob com o real. Sei que existe um Rob Gordon que tem uma Besta-fera, que curte heavy metal, que mora com o Jonas, que é fã de quadrinhos. Quando preciso entrar em contato com esse Rob para alguma coisa, uso o "outro". Trocando em miudos, acho que o "outro" é quase uma ferramenta para que eu tenha acesso ao Rob!

CAMALEÂO no AQUÀRIO disse...

Na verdade, a partir do momento em que você tem um blog e assima com um PSEUDÔNIMO, está - ainda que só você saiba - inventando uma outra realidade. Sei que você POSTA coisas do seu cotidiano( como você disse), mas, ainda assim, quando escreve,tenho certeza que você fantasia um pouco mais a verdade de fato...Não há a escreve como ela é, então, nesse caso, é quase impossível traçar um paralelo entre quem É VOCÊ de fato e quem é o PSEUDÔNIMO...Sinceramente? Acredito que o PSEUDÔNIMO seja mais feliz que você ( pq a realidade dele é inventada e a sua é vivida!).....Abraços do CAMALEÂO.....

Marcia disse...

Olá Rob Gordon ( Ou seja lá como quem voçê é...)

Sinceramente acho que voçê não deveria ficar preocupado com esse lance não.., por que na verdade de alguma forma, somos todos personagens pelo menos em alguns momentos ...
Mas na verdade todos temos um pouco dos nossos personagens em nós... e vice versa também...
Olha , adorei seus textos e o blog todo ... segui os conselhos do Charlie e não me decepcionei .
Iniciei meu blog semana passada , sem maiores pretensões , estou adorando , ainda tem muito coisa pra fazer...
Se puder dá uma passada por lá ficarei muito honrada com a sua presença...
de coração...
bjos

Cami Pires disse...

Você é um cara que provoca gargalhadas pela web... a Mary Poppins careca que tem limo nas pernas!!!

Nathália disse...

esqueço do mundo lendo seus posts, haha. do gargalhadas aqui que minha mãe fica me olhando e perguntando o que eu estou vendo de mais na internet!
você é um carequinha fofo de 1,60 de altura, (haha tenho 1,86) dono de um besta-fera e conhecedor de um pernilongo do tamanho de uma maçã! HAHAHAHAHAHA. bjs