5 de abril de 2008

Plantão Médico

Voltei.

Ou, ao menos, o que sobrou de mim.

Minha garganta continua parecendo um cenário de guerra civil – resultado de uma semana falando com uma voz que faria o Darth Vader se sentir o Edson Cordeiro – e ainda dou uns espirros que acordam o prédio inteiro (e que vem acompanhados da sensação de que minha garganta está rasgando), mas a febre passou totalmente há dois dias, graças a ao antibiótico.

Resumindo, vou sobreviver.

Mas a semana não foi fácil. Longe disso. E isso desde o final-de-semana passado quando a gripe começou a atacar. A namorada me entupiu com um remédio (que eu não lembro o nome) que era meio Ladyhawke, com uma versão para dia e outra para a noite. Nada da febre baixar, nada da gripe ir embora. Domingo à noite, fui a um pronto-socorro pensando simplesmente em tomar uma injeção e resolver logo aquilo, mas as coisas começaram a se complicar quando o médico pediu para tirar uma chapa do pulmão. 10 minutos depois, estava deixando o hospital oficialmente diagnosticado com pneumonia e a receita de um antibiótico na mão.

O remédio, um tal de Claritromicina 500mg (que abateu mais de R$ 100,00 da minha conta bancária) certamente deve ser usado no zoológico para o tratamento de animais de grande porte. Ou para tratar vítimas de testes atômicos. Mas ele deve ser extremamente eficaz no tratamento, porque os vírus devem morrer de rir com os efeitos colaterais que acontecem com o paciente.

O engraçado é que a cada vez que eu tomava, ele provocava uma reação diferente: enjôo, dor de cabeça, gastrite. Cada pílula, uma surpresa. A única constante era o suor. Nem o Lawrence daArábia suou tanto quanto eu suei essa semana por causa da porra do remédio. Em uma das noites, cheguei a precisar trocar de camiseta três vezes durante a madrugada, o que deve ser um novo recorde mundial.

E, com o suor, vinham os pesadelos – sempre relacionados com algo que eu estava assistindo ou (re)lendo. Algumas noites eu sonhava com o House, em outras com O Poderoso Chefão. E nunca eram sonhos bons. Eu nunca era o Michael Corleone, eu era sempre um capanga qualquer que morria fuzilado num depósito escuro, pouco antes de acordar encharcado de suor. Bom, ao menos eu não era o Fredo, o que já era alguma coisa. Na dúvida, só comprei a quarta temporada de Oz ontem (depois que os pesadelos já haviam parado) com medo de sonhar com o Adebisi.

Em frente aos escombros da garganta de Rob Gordon,
três anticorpos derrotados analisam a situação

Agora, o interessante de você ter pneumonia é o respeito que isso acarreta. Se você espirra, é porque está gripado e só. Mas, quando você fala que está com pneumonia, as pessoas te olham como se você fosse um herói de guerra ou algo parecido. E a doença é meio cult. Procurei pneumonia no Orkut e achei só umas duas ou três comunidades relacionadas a doença, nenhuma com mais de 100 pessoas. Não sei o que as pessoas discutem nessas comunidades (e nem me preocupei em ir fuçar), mas ficou claro que pneumonia não para qualquer um. A gripe é pop, a pneumonia é roots. É uma doença que as pessoas respeitam. Com óbvia a exceção do meu irmão, que, com sua delicadeza paquidérmica, conseguiu apenas comentar que “pneumonia é doença de velho pobre que morre na fila do hospital”. Nada como um pouco de amor fraternal para dar um pouco de alento.

Mas o mais desesperador mesmo era ficar preso em casa. Nas duas vezes em que consegui colocar o pé na rua, amparado pela namorada, ficava sem fôlego a cada 8 ou 10 passos. E, na primeira vez que saí sozinho, já um pouco melhor, ainda fui abordado por um daqueles funcionários idiotas do Taií, que ficam tentando vender cartão de qualquer coisa na frente do Itaú. Aliás, eles já podem ser considerados a nova praga da cidade, porque todo dia eu passo em frente a um Itaú, e todo o dia um deles vem me oferecer aquilo. Desta vez foi mais divertido: eu simplesmente tossi na cara do sujeito e fui embora. Chupa, Taií!

Mas, enfim, estou de volta. O próprio blog se atualizou durante essa semana, como vocês viram nos posts anteriores, e desculpem por qualquer constrangimento que ele tenha causado (e ele sempre causa). E, aos poucos, vou colocando o blog em dia – não que tenha acontecido muita coisa interessante na minha vida nessa semana – e voltando à velha forma, porque escrever ainda não está fácil. Mas, ao menos, hoje ainda tem o show do Ozzy, a despeito dos protestos da minha mãe, que acha que eu deveria ficar em casa até outubro. Mas, como eu expliquei para ela:

– O Ozzy está muito pior que eu e vai cantar duas horas. Se ele pode fazer isso, eu posso ficar quieto assistindo.

Mas, para comemorar meu retorno, deixo vocês com o Top 5 tópicos que devem existir em qualquer comunidade sobre pneumonias no Orkut:

1. Onde você pegou a sua pneumonia?
2. Pessoa acima – beijava ou espirrava?
3. Será que estou com pneumonia? Me ajudem!
4. Qual doença você daria para a pessoa acima?
5. Créditos ilimitados para o seu celular!!!!!!!

16 comentários:

chaverinho disse...

poxa.. se cuida..
meu avô fumou por 63 anos... parou há exatos 3.. mas mesmo assim não resistiu a pneumonia e faleceu na quinta passada.



diga ao ozzy que quero que ele seja meu avô postiço!!!!
=]

Bernardo disse...

Mais uma vez passo aqui para ver seus post, gosto da forma que você coloca as coisas.Gostei muito da reposta ao "Hostia" foi ótima, não poderia ter feito melhor.
um bom fim de semana e melhoras ai pra você.

Larissa Bohnenberger disse...

Nossa... tu é um verdadeiro herói de guerra... nunca conheci alguém que já tivesse tido pneumonia antes! Eu mesma já tive uma pré-pneumonia, uma vez, mas pneumonia de verdade... não é pra qualquer um, mesmo!

E claritromicina é uma pequena porrada, mesmo! Mas funcionou, não funcionou? Se não fosse ela talvez tu nem pudesse ir no show do Ozzy...

Bjs, melhoras! Vê se não abusa!

Thiago Neres disse...

Bem vindo de volta à Força.

Nathalia disse...

é agradável pegar pneumonia, não é mesmo? acabo de sair de uma e minha garganta raspou só de ler o seu post!

ihuaihuaiha
muito bom o blog!


melhoras :)

Hally disse...

"Créditos ilimitados para o seu celular!!!!"

huahuahuahuahauhauhauhauahuahuahua

nem mesmo a pneumonia tira teu humor... ótimo!

Ah, e não abusa do Ozzy.
Vai que os dois não agüentam essa maratona de duas horas de uma voz sem potência...?

Denis Torres disse...

Ironia fina, Mr. Gordon, é nisso que se diferencia seu blog dos demais. Parabéns!

Denis Torres disse...

Agora vi o trailer oficial de The Happening e penso: será que pode atrapalhar o filme de Meirelles se estrearem em datas próximas? Pois a idéia e premissa são parecidas: um surto geral na população, sendo que em The Happening o efeito é mais grave -as pessoas morrem literalmente - já em Blindness (www.blindness-themovie.com) elas ficam cegas para acordarem e saírem do estado moribundo e recuperarem a sensibilidade perdida. Qual filme o público americano vai querer comprar? Pelo trailer, tudo indica que The Happening vence no "box office": http://www.youtube.com/watch?v=bOUHJd5u774

Densi Torres disse...

Já viu o trailer de Righteous Kill, com a "duplinha" Al PAcino e Robert De Niro: http://www.youtube.com/watch?v=Ljw2xWNT7k8

Denis Torres disse...

Este parece ser um dos filmes mais interessantes do ano (pelo que o trailer sugere): http://www.youtube.com/watch?v=CiodbhEXZhk

Densi Torres disse...

Charlton Heston is dead...

thiago disse...

pneumonia agora é cult, é? logo vira moda então. HAHAHAHA

An@Lu disse...

Só pra você não se sentir tão sozinho, eu também já tive pneumonia. Só que tinha 2 anos de idade e não lembro... :/

Ainda bem que vc está de volta. Te cuida no show do ozzy! beijos

vinicius disse...

Bem vindo de volta, Mr Gordon. E, CARALHO, ELE tocou NO MORE TEARS!!!!!
"What do you wanna hear?"
"NO MORE TEARS!!!!!"
"Are you sure?"
"Yeaaahhh!"
"Ok, no more tears". Como assim??? Nem dá um aviso prévio, nem prepara o povo....puta q pariu, o veinho ainda tá foda!!

MaxReinert disse...

Wellcome back!

Bom.. eu tive um "Princípio de Pneumonia" e já foi bem foda... mas... claro, como eu NÂO FUMO as coisas foram muito mais tranquilas!!!!

Tipo.. a campanha vai continuar??? eu APOIO.......

PÁRA DE FUMAR, ROB!!!!!

Tyler Bazz disse...

De fato, pneumonia é uma doença que as pessoas respeitam! E o bom é que as pessoas sobrevivem para contar... não é igual outras doenças, que matam os doentes sem dó. (não vou citar as doenças, pois isso faria deste um comentário de mau gosto :D)

Mas o melhor de tudo foi a ilustração do seu sistema 'gargantológico'..

o/