3 de abril de 2008

O Rob NÃO está com Frescura!

Depois do post de ontem, o Rob disse que eu poderia continuar atualizando o blog, desde que ele vistoriasse todo o processo - e que eu me retratasse em relação ao título do texto (coisa que já fiz). Logo, estou aqui, sentado, como um imbecil, enquanto ele está numa cadeira aqui atrás, lendo tudo que eu digito enquanto brinca com uma faca na mão. Abuso de poder é uma merda mesmo.

Hoje ele resolveu que vai responder ao meme passado pelo Barreto, do SOS Hollywood, que consiste em apontar cinco filmes subestimados. Claro que ele se animou todo, porque ele acha realmente que entende de cinem... Ok, ok, parei. Guarda a faca!

Enfim, ele está ditando os filmes aqui atrás de mim. Deixa eu escrever isso rápido porque ele foi tomar remédio. Para se exibir, ele ainda colocou uma frase de cada filme. E o cara é tão autista que sabe quase todas as frases de cor, chega a ser digno de pena. Rain Man mesmo. Aliás, dica: não assistam a O Poderoso Chefão com ele, ele acha que imita o Marlon Brando e o Al Pacino. Ridículo. Fudeu, ele voltou.

Ah, sim. Ele indica os seguintes blogs para esse post: Blog do Moulin, CineFuteBlog, Cinema, Afins e uma Dose de Whisky, Memória Cinematográfica e Amarelo-Banana.

Bem, vamos aos filmes que o cara quer colocar aqui:


Mera Coincidência

Conrad Brean (Robert De Niro): O que as pessoas se lembram da Guerra do Golfo? Uma bomba caindo em um prédio. Deixe eu dizer uma coisa: eu estava no estúdio quando filmaram isso com um modelo de 10 polegadas feito de Legos.

Stanley Motts (Dustin Hoffman): Isso é verdade?

Conrad Brean: Quem sabe?

Subestimado por: Todo Mundo

Está aqui por que... Fez certo sucesso na época do seu lançamento, mas acabou sendo esquecido – por público e crítica. É, com certeza, uma das poucas comédias inteligentes americanas que não são assinadas pelo Billy Wilder. A ironia do seu roteiro, que começa já nos letreiros de abertura que explicam o título original (“Wag the Dog”, podendo ser traduzido literalmente como “abana o cachorro”) é genial. De Niro, que ainda não fazia comédias sessão da tarde, dá um show; e Dustin Hoffman joga de igual para igual. E o filme consegue a proeza de melhorar a cada vez que se assiste. Aliás, hoje, em tempos de guerra no Oriente Médio, está mais atual que nunca.


Era uma Vez na América

Max Bercovicz (James Woods): Esse país ainda está crescendo. Certas doenças é melhor você ter enquanto é jovem.

Subestimado por: Público

Está aqui por que... Como eu disse num post recente, só não é o maior filme de máfia de todos os tempos porque O Poderoso Chefão tem a vantagem numérica de três contra um. Mas dificilmente é lembrado, a não ser por iniciados em filmes de máfia ou iniciados em Sergio Leone. A elegância de sua narrativa é absurda, com suas idas e vindas no tempo; a trilha sonora de Ennio Morricone (leia-se Deus) é de ouvir de joelhos. É a obra-prima da década de 80, com a vantagem de ser atemporal, e não visualmente datado, como outros concorrentes ao título, como Fome de Viver e Blade Runner. Infelizmente, fica relegado a circuitos cult, quando deveria ser “leitura obrigatória” em todos os colégios.


O Sucesso a Qualquer Preço

Rick Roma (Al Pacino): A sua função aqui é ajudar a gente! Você consegue ver isso? AJUDAR! E não FODER! Ajudar aqueles que estão na rua tentando ganhar a vida! Sua bicha! Seu executivinho!



Subestimado por: Público

Está aqui por que... É um verdadeiro tesouro. Baseado numa peça de David Mamet (o que já diminui para próximo de zero as chances de ser ruim), o elenco é um verdadeiro dream team, com Al Pacino, Jack Lemmon, Ed Harris, Kevin Spacey e Alan Arkin. Tem também o Alec Badwin, mas ninguém é perfeito (fora Era uma Vez na América). Ok, foi indicado para três Oscar, mas acabou sendo totalmente esquecido. Aqui no Brasil, não foi lançado em DVD e chegou ao cúmulo de ser um dos títulos daquelas coleções de VHS mal gravados da Folha de São Paulo.


O Primeiro Assalto de Trem

Juiz (André Morell): Agora, falemos dos seus motivos. O que levou você a conceber, planejar e executar esse golpe infame e escandaloso?

Edward Pierce (Sean Connery): Eu queria o dinheiro.

Subestimado por: Todo Mundo

Está aqui por que... É um verdadeiro tesouro escondido em algumas poucas locadoras (bem poucas mesmo, porque não foi lançado em DVD). Não trata do “primeiro assalto de trem”, mas do “primeiro assalto a um trem em movimento”, no final do século 19. Sean Connery e Donald Sutherland (que, me desculpem os fãs de Jack Bauer, coloca o filho no chinelo) esbanjam ironia – e o roteiro segue o mesmo caminho. Toda a trama, desde a preparação do golpe a sua execução beira o brilhante. Curiosamente, foi dirigido por Michael Crichton (sim, o mesmo de Jurassic Park), autor do livro que inspirou o filme.


Vanilla Sky

David Aames (Tom Cruise): Eu quero acordar! Suporte técnico! Suporte técnico! É um pesadelo! Suporte técnico! Suporte técnico!


Subestimado por: Rob Gordon

Está aqui por que... É um filme pretensioso ao extremo, com diálogos existencialistas metidos a besta e sem lógica (no melhor estilo Humberto Gessinger de ser) e um final sugerido, provavelmente, por uma criança de 9 anos que não sabia como terminar a história e recorreu ao “aí eu acordei e vi que era tudo um sonho”. E ainda tem o Tom Cruise. Não tinha como dar certo. Serve mesmo como alívio cômico para um post, e só.

Para finalizar, o Rob ditou também o Top 5 Filmes que Poderiam Tranquilamente Ter Entrado nessa Lista:

1. Ed Wood – Mesmo sem nunca ter feito sucesso quanto alguns outros filmes de Tim Burton, é, de longe, o melhor filme do diretor. Aliás, o que é aquela interpretação do Martin Landau como Bela Lugosi?

2. Irma La Douce – Quando se pensa em Billy Wilder e Jack Lemon, todo mundo sempre lembra de Quanto mais Quente Melhor e Se Meu Apartamento Falasse. Irma La Douce, que é ignorado, é melhor que tudo o que Ben Stiller fez até hoje.

3. Assassinato por Morte – comédia policial com Peter Sellers, David Niven, Truman Capote e Alec Guiness interpretando um maravilhoso mordomo cego. Deveria passar TODO dia na televisão.

4. Gangues de Nova York – todo mundo detesta o filme, diz que é fraco. Pára tudo. É um Martin Scorsese de primeira linha – aliás, o melhor desde Os Bons Companheiros. E o personagem do Daniel Day-Lewis está, tranquilamente, entre os melhores já criados pelo diretor.

5. Star Wars: Episódio I – Ele foi considerado fraco. Mas Episódio II é um filme tão ruim que consegue melhorar o primeiro, e ele acaba sendo elevado ao posto de subestimado. Em outras palavras, ele deixa de ser péssimo para virar fraco.

14 comentários:

Tati disse...

bom, já que você indicou o meu blog neste post, vou ser a primeira a comentar. lembrei de um filme bastante subestimado à época de seu lançamento: "2001 - Uma Odisséia no Espaço". A crítica Pauline Kael detonou o filme de Kubrick que, todos sabemos, é sensacional. Aliás, ele foi lançado recentemente em DVD em edição especial, com making of e outros extras. Não, eu não vi e não, a Warner não está me pagando para eu fazer os comerciais! =)

Paloma disse...

Já aviso que a gente vai brigar. Essa sua fixação com Era Uma Vez na América beira o ridículo. Há várias coisas que nunca vou entender em vc. Esse filme definitivamente é uma delas.
Gangues deveria estar na lista principal. Como se o filme não merecesse por si só, é um dos poucos títulos sobre o qual temos a mesma opinião.
Se cuida!

Bjs,

Dama do Lago disse...

Assassinato Por Morte e Gangues de NY poderiam estar tranquilamente na lista principal.

O personagem de Alec Guiness é impagável em Assassinato Por Morte e Daniel Day-Lewis está impecável em Gangues, principalmente nas cenas mais violentas do filme.

Agora, acho que nem o Tom Cruise salvaria Vanilla Sky para mim. E olha que eu a-do-ro Top Gun :DDDD

Perci Carvalho disse...

okei cinéfilos de plantão, mil perdões, sou fã de O Senhor dos Anéis, Piratas do Caribe e duas mil comédias românticas, nunca assisti a um filme de máfia (nao. nem O Poderoso Chefão) e dos filmes citados nesse post o único a que assisti foi Star Wars.

=/

Li disse...

Perci, meus pêsames.

rbns disse...

Champ pergunta pro Rob se ele já viu algum filme nacional. Ia ser legal ver ele comentando um Top 5 dos mais e outro dos menos legais.
Eu até imagino o ruído que as opiniões dele iam dar aqui...

Perdido disse...

Vanilla Sky tem um final ridiculo porque é americano, assiste o original pra você ver...

L'Hippopotame disse...

Poxa vida...
Gangues de Nova York é um dos melhores filmes que eu já vi! ADORO!!
Bom, aproveitando... Indiquei vc p/ mais um prêmio. P/ vc colocar na sua coleção.
http://lehipopotame.blogspot.com/2008/04/ops-esqueci.html
Até!

MaxReinert disse...

"Mera Coincidência" foi uma das melhores coisas que já ví! Extremanete engraçado e inteligente... e ao mesmo tempo perturbador!

slim shady disse...

opa Gordon ,primeiramente muito obrigado pelo convite,e pelo link.

Aceitarei com prazer o convite,afinal me deu uma ótima de postagem,valeu mesmo,e parabéns pelo seu blog,que está cada vez melhor.

abraço.

http://cinemaafinseumadosedewhiskey.blogspot.com/

Redd disse...

eu não gostei de Vanilla Sky, mas deixa pra lá...

mas diz pro "fresco" q tá anotado as dicas!

Denis Torres disse...

Cara, grande lembrança a sua do filme O primeiro assalto de trem. Que belo filme! Deu tanta vontade de revê-lo que eu tirei a minha fita vhs do armário e pus pra rodar no meu velho e bom vídeo. Abraços.

PS.: Concordo com você em número, gênero e grau no que diz respeito a Era uma vez na América. Por acaso conseguiu ver a apresentação do Morricone no Brasil (Rio ou SP)?

Tyler Bazz disse...

Eu não me lembro de ter visto nenhum filme desses; SIM, joguem-me aos porcos!

E provavelmente o primeiro que eu vou assistir é Vanilla Sky. por dois motivos:

1 - Penélope Cruz.
2 - Cruz, Penélope.

o/

Mariana Freire Cabral disse...

Realmente tem alguns filmes que nos doem o fato deles ficarem esquecidos e sbestimados.

Mas eu realmente detestei Vanilla Sky, e simplesmente amei Gangues de NY. Excelente!