30 de janeiro de 2008

Este blog não apóia - Pirataria na Blogosfera



É fato mais que conhecido que a pirataria tornou-se uma prática comum no Brasil e em outros países. Livros, CDs, filmes, séries... Hoje, tudo é pirateado. Cantores, atores, escritores, programadores, todos são prejudicados ao verem seu trabalho sendo distribuídos de graça por pessoas que não contribuíram em nada com a sua criação. Aliás, até mesmo blogs são pirateados. Enquanto você lê isso, alguém pode estar copiando um texto do seu blog e colocando em outro site sem os devidos créditos – o que não deixa de ser, também, uma forma de pirataria.

Creio que cabe aqui ressaltar o óbvio: pirataria é crime. Isso é um fato. Se algumas pessoas acham que filmes e músicas devem ser distribuídos de graça, escrevam aos seus deputados preferidos e levantem essa discussão. Até a lei ser modificada, pirataria continua sendo crime. Se você duvida disso, consulte a legislação do seu país. Ou, se preferir, ligue para o seu cantor ou ator preferido e pergunte a opinião dele sobre o assunto. Ou até mesmo escreva para o dono daquele blog que você adora e pergunte a ele se você pode distribuir um texto dele por e-mail, sem identificá-lo como o autor e veja a resposta dele.

E, obviamente, não vou dar atenção ao argumento que defende essa idéia apoiado no preço dos CDs e DVDs oficiais, ou na desculpa de que isso divulga o trabalho da banda ou do ator. E dou menos valor ainda ao estúpido discurso hipócrita-socialista sobre “a necessidade da democratização da cultura” propagado por algumas pessoas. Realmente, as empresas que fornecem conteúdo cultural – especialmente as gravadoras – precisam rever seus conceitos de distribuição frente ao que vem acontecendo nas ruas e na internet. Mas modificar a estratégia comercial é um problema delas, e não nosso.

O nosso problema é que isso vem se agravando cada vez mais pela Blogosfera.

Cada vez mais, nós, blogueiros, temos que dividir espaço com blogs que tentam ganhar espaço ao fornecerem material ilegal. Basta uma rápida passeada pela Blogosfera para começar dar de cara com filmes, temporadas inteiras de um seriado, jogos e programas de computador, álbuns completos, até mesmo ensaios da Playboy disponibilizados em inúmeros blogs.

De uns dias para cá, essa discussão se intensificou com a publicação de diversas matérias apontando os blogs como um dos novos (e mais crescentes) focos de pirataria na Internet. Denominada “pirataria alternativa”, essa nova modalidade de crime vem se agravando cada vez mais, e, com isso, o termo “blog”, que vinha sendo considerado uma das formas de comunicação mais importantes, ágeis e democráticas já criadas, passa a ser manchado. Isso por causa de algumas pessoas que, totalmente desprovidas de talento, usam do trabalho de outras pessoas para conseguirem alguns minutos de fama numa comunidade do Orkut, num fórum de discussão ou no pátio da escola.

Como blogueiro, tenho vergonha da situação ter chegado a esse ponto. Agora, o Blogger (leia-se Google) está começando a deletar todas as páginas que hospeda e que possuem material ilegal, apoiado nas políticas internacionais de proteção a direitos autorais. Uma medida mais que correta e que deveria ter acontecido há mais tempo.

O problema é que a pirataria, além de prejudicar inúmeras pessoas, agora também ameaça e ofende a sua credibilidade como dono de um blog – já que os órgãos competentes, agora, vão vasculhar seu blog em busca desse tipo de material. Ou seja, por causa dos blogs ilegais, você, blogueiro, é culpado até prova em contrário.

Aliás, eu me recuso a reconhecer um site desses como um blog. E sei que falo isso em nome de muitos blogueiros bons que existem por aí. O que faz um blog é o seu criador, e não as palavras “blogger”, “blogspot”, “wordpress” em seu endereço eletrônico. Um blog de downloads não é um blog. E o dono de um blog desses não é um blogueiro. Claro que existem blogs feitos por pessoas responsáveis que disponibilizam downloads legais, como programas shareware e demos, mas, infelizmente, hoje, estes blogs são as exceções.

Justamente por isso dou início aqui a esta campanha, deixando clara a minha opinião totalmente contrária a esse tipo de prática em blogs – ilustrada pelo selo que abre este post. Cole essa imagem no seu blog e ajude a construir uma blogosfera melhor e um pouco mais ética. Sinta-se livre para redigir um texto sobre o tema para espalhar a idéia, ou apenas explique a campanha com um link para este post.

Deixe claro que seu blog é construído com o seu esforço e o talento, e não merece sequer ser confundido com as ações de alguém que tenta se colocar no mesmo nível que você simplesmente por usar, da pior forma, possível o trabalho de outras pessoas.

Mostre a sua opinião e a sua indignação a respeito disso antes que a palavra “blog” transforme-se em num novo apelido para “pirataria”.

Quer ter um filme, um CD ou um livro? Vá até uma loja e compre.

Quer ter um blog?

Aprenda a ser talentoso e criativo.

31 comentários:

Anônimo disse...

Opá..entrei no seu blog por acaso e fiquei feliz em constatar que existe sim, vida inteligente na blogosfera! A maneira como vc escreve realmente é sensacional uma mistura de bom humor, sarcasmo e muita criatividade.
Sobre o assunto do post apoio sua iniciativa porém com resalvas. A pirataria realmente atrapalha muita gente que vê todo seu trabalho e esforço circulando de graça por aí sem receber qualquer beneficio mas as gravadores e produtoras tb devem rever como maneira como procuram vender seus produtos não é todo mundo que tem condições de pagar 45$ reais em um cd que vc pode comprar por 5$. Acho que vc nao pode tratar esse assunto de maneira simples como "certo e errado". Existe toda uma complexidade que envolve coisas que na minha humilde opiniao vão muito além da etica. Não que eu seja totalmente a favor do "oba oba" e incentive a pirataria só não concordo em tratar essa questão com suposta simplicidade.
Acho que pirataria é como as drogas, por mais que sejam proibidas por lei o consunmo existe e não há maneira alguma de erradicar esse ato só reduzir com soluções diferentes das que estão sendo tomadas agora que nao resultaram exito algum.
;)

Como elogio nunca é demais fico feliz em dizer mais uma vez que seu blog é sensacional!!!!
chega né!? escrevi demais já!
Taís Guimaraes (comentei como anonimo pq nao conseguir acessar a conta da google)

Jeff McFly disse...

Caro Champ,
Apoio em parte o post supra. Eu sou da teoria que se o original fosse acessível, a pirataria acabava. Isso é até meio que lógico.
No caso dos post copiados sem o devido crédito, é um puta Plágio (que não é pirataria).
Creio que a maioria dos blogs repetem postagens. uns as vezes dá crédito. Outros não.
Geralmente quando me baseio para uma postagem sigo o seguinte raciocínio: se vi algo bacana em vários blogs não dou crédito. Mas se vi em um blog apenas (e olha que a minha tablist é até grande e vc tá até lá :P) aí sim vale o comentario. Isso depende muito de que posta.
Nomais, vamo que vamo, né?
Abraço!

Pedro disse...

Aderi, boa iniciativa.

http://historiasparaler.blogspot.com/2008/01/diga-no-para-pirataria.html

MaxReinert disse...

Pois...
eu tbm sou contra a pirataria... e o que é melhor:
NÃO COMPRO NADA PIRATA!!!

Porque tem gente que diz que é contra e vive comprando ......

Dama do Lago disse...

Confesso que é tentador fazer um download de episódio inédito, mas a expectativa de esperar a exibição na TV vale mais a pena^^
E nada se compara a ter um box de seriado novinho em folha nas mãos. E olha que é difícil controlar a oferta desses filmes piratas. Sempre tem um amigo, parente, vizinho que se oferece para emprestar o último lançamento do cinema.
Ninguém se conforma que eu não tenha assistido Tropa de Elite ainda, com tanto DVD pirata nas mãos dos amigos.
Não assisti no cinema, um dia, compro o DVD (original, óbvio) ^^
Quanto à sua campanha, apoio e, se eu criar coragem de retomar meu blog(com posts decentes desta vez), coloco o banner lá com o maior prazer ^^
Beijão e bom feriado( estou fugindo do carnaval, só volto dia 11)
Sil

Rob Gordon disse...

Thais e Jeff (obrigado pelos elogios):

A pirataria já deixou de ser um problema econômico. Concordo, como disse no post, que as gravadoras de CDs precisam rever seus preços e estratégias, mas o problema hoje é cultural.

Afinal, para baixar um filme, uma pessoa precisa ter conexão banda larga. E duvido que uma pessoa que tenha isso em casa não possua R$ 5,00, R$ 7,00, para alugar o mesmo filme. Deixou de ser econômico na maior parte das situações, virou cultural.

E o meu post não é contra quem baixa o conteúdo ilegal; meu post é contra quem disponibiliza o conteúdo ilegal, incentivando esta prática e prejudicando a TODOS os blogueiros, no mínimo, indiretamente.

Srtª Amora disse...

Bem, eu seria hipócrita se não assumisse que às vezes algo de graça é bom. Mesmo tendo consciência de que alguém vai pagar caro por isso. Não compro produtos piratas no camelô, mas faço baixo algumas coisas sim. De qualquer forma é totalmente válido esse movimento. E quero ter mais consciência do quanto isso é prejudicial, assim até deixarei de usar os tais downloads.

Davis disse...

Pra mim existe uma linha tênue que divide quem baixa um filme pra ver sozinho ou com a familia e quem baixa pra vender. Eu baixo pra assistir. Não é o certo mas eu não estou obtendo lucro nenhum com o trabalho dos outros. É basicamente a situação do cara que planta maconha em casa pra poder consumir. É usuário e se for preso a pena vai ser leve.

Com músicas eu ainda sou pior porque no modelo tradicional (atual) se compra um CD com 10 músicas a 30 reais e eu fatalmente vou gostar de 5 ou 6. Trocando em miúdos: Prejuízo.

Enfim...

Exceto no caso de alguns softwares eu creio que todos os modelos de negócio deveriam ser reavaliados já que com a internet eu poderia divulgar a minha banda (se eu tivesse uma) sem gravadora.

Paulo disse...

Apoiado!!

Tyler Bazz disse...

Apoio, defendo.. e já aderi!
\o/

Gilgomex™ disse...

sou a favor da sua campanha e vou deixar abaixo para comemorar o link para baixar o CD do bruno e Marrone.


[link removido pelo administrador]

Luna disse...

Falando sério, eu sou completamente a favor desse tipo de pirataria. Raramente compro no camelô, só alguns jogos quando são absurdamente caros e honestamente faço isso sem culpa nenhuma, porque sair pagando quase duzentos reais num disquinho não tem outro nome senão alienação. O preço dos CDs e DVDs atualmente é absurdo, e mesmo sendo de uma família de classe-média eu garanto que não teria dinheiro se quisesse ter todas as músicas que eu tenho no computador em CD. Não troco por nada poder ter o box das minhas séries favoritas, livros pra poder ler na cama e no ônibus e CDs com capinha e encarte, mas simplesmente não há condição - Primeiramente, porque não são todos os CDs, DVDs e livros que são sequer disponibilizados no Brasil. Outro dia eu fui tentar alugar um filme, procurei em todas as locadoras que consegui e não achei. Solução? Baixei em menos de duas horas. Depois, é inegável que se não fosse pela popularização dessa dita "pirataria" muitas, muitas bandas atuais nunca teriam conseguido se promover e o nosso mundo ainda estaria restrito ao que a rádio nos manda ouvir. Não existe uma banda relativamente recente que seja plenamente contra a disponibilização das suas músicas pra download. Toda a nossa cultura já se modificou. Simplesmente não é mais assim, e é bom que não seja, porque existem muito mais opções, acesso a bandas, livros, gibis e filmes que de outra forma nunca chegariam nesse mundinho escondido, e muito mais oportunidades para qualquer pessoa que saiba fazer música e queira divulgá-la sem precisar se vender pra indústria fonográfica.

Ainda, os donos desses blogs não estão, em sua maioria, apenas atrás de cinco minutos de fama. Tenho certeza que eles tem o mesmo discurso que eu e estão apenas querendo passar material adiante, que é mais ou menos o espírito da internet. Eles também não se consideram blogueiros. Só usam ferramentas de blogs porque é o mais acessível e fácil de se utilizar. Então, quem está confundido o seu blog com blogs como esses é a Justiça que você tanto defende. E esse não é o único conceito que eles precisam rever.

Maria disse...

Concordo com você, mas também concordo com o que o Davis escreveu aqui nos comentários.

Porém, no caso dos blogs, estamos sendo denegridos por causa de uns que não tem criatividade nem inteligência.

Podemos não impedir o mercado pirata lá fora, mas aqui é o nosso lugar e eu vou colaborar para deixá-lo limpo.

beijos!
www.outroblogdamary.com

Rob Gordon disse...

Concordo com todos aqui que dizem que a cultura realmente precisa ser mudada. E não a cultura do povo (esta também) mas a das distribuidoras de conteúdo, especialmente as gravadoras, como eu disse acima.

E, sim, como disse a Luna, a partir do momento em que uma obra não é disponibilizada no Brasil (Luna, que filme foi? Fiquei curioso), as pessoas irão atrás de outra forma. Mas esse situação é uma exceção.

Quanto aos jogos, especialmente de videogame, aí sim, concordo com o preço abusivo. Vender um jogo de Playstation por R$200 é uma falta de visão assustadora. Sem entrar no mérito do certo ou errado, isso é de uma estupidez absurda por parte de quem vende.

Agora, Davis, você trocou causa por consequência. Realmente, você não teve lucro. Mas isso não quer dizer que não cause prejuízo. Baixando o filme e assistindo de graça, você não ganhou dinheiro, mas fez com que os produtores do filme, que pagam salários e impostos, deixassem de recuperar o investimento deles; fez o mesmo com a distribuidora, que também paga salários e impostos; e prejudicou (e muito) o dono da locadora da esquina, que paga salários, impostos e que diferente dos exemplos acima, é dono do próprio negócio, e não um empregado e precisa daquela locação para continuar vivendo.

Luna disse...

Quando você pega um DVD emprestado com um amigo você também está prejudicando o tio da locadora, e eu duvido que você não faça isso ;)

Mas assim, obrigada por responder os comentários, obrigada pela educação e tudo. Eu pensei que você nem fosse ler o meu testamento revoltadinho e você respondeu logo! O filme que eu falei foi "Uma Noite Sobre a Terra" do Jim Jarmusch. Eu só achei em uma locadora que é tipo o templo dos fãs de cinema iraniano aqui no Rio e em vídeo.

Negão Internauta disse...

Ah, escrevi um comentário grandão e não consegui mandar (eu acho). Se mandei já, desconsidere este.


Bem, acho a questão pirataria é delicada. Pirataria financia a violência e isso já deveria bastar. Mas o "CD original" financia uma super-industria, o que no fim tbm não é nada bom.

Mas os diversos blogs de download ilegal com certeza são uma chaga. A questão é que são blogs muito visitados e por isso a cada dia aumenta o número de blogs desse tipo. Pessoas que estão interessadas apenas em dinheiro fácil pela internet.

Eu pretendo aderir a campanha, mas terei cautela, pq a pirataria, de forma global, como eu já disse, é um assunto delicado, que carece muito debate. Mas a pirataria na blogosfera deve ter seus dias contados.


Abraço.

Fernando disse...

Olá, Rob!

Bom, falar do seu blog é ser redundante, afinal, quem tá na blogosfera, conhece o Championship Vinyl. Embora na maioria das vezes eu fique apenas de espectador dos teus posts, tive que comentar este, que por acaso, cheguei até a ele através do Blog do Tyler.

Honestamente, isto é um tema tão polêmico quanto futebol, política religião e sexo. Portanto, digamos que concordo em termos com tudo o que disse e com tudo que disseram nos comentários acima. E por isso não vou botar mais água no feijão. Já apresentaram todas as perpectivas possíveis sobre este assunto e, francamente, não terá um ponto comum nunca.

Mas sem dúvida, irei aderir à causa, porque ser plagiado, ter o blog pirateado, é foda! E você falou do pouco. Agora, e aqueles que vão lá no seu blog, copiam, colam no e-mail, assinam com Luís Fernando Veríssimo, Jabour, Drumond e pronto. Ninguém nunca vai dizer que aquilo é seu, afinal tem a assinatura do Fernando Pessoa embaixo.

Parece até piada, mas o caso mais emblemático disso é de uma garota, na qual me esqueci o nome, que criou um famoso texto viral falando do "Quase". Só que, atribuíram ao Veríssimo. Acredita que em Portugal, (só lá mesmo) um curador ou seja lá o que for, lançou um livro com textos de escritores contemporâneos e pasme: ligaram pro Veríssimo pra saber do tal texto "Quase.". É de foder.

Enfim, pra evitar lambanças assim, que irei aderir ao selo e à campanha.

Parabéns pela iniciativa, mesmo com os percalços polêmicos. E caso se interesse, passe lá na Coluna Fantasma, onde redijo contos e crônicas.

Abraços!

Dragus disse...

Sobre o que li do post:

Apoio esse combate a pirataria dentro dos serviços de blogs, pois blogs não são distribuidores de downloads, são distribuidores de conteúdo.

É vergonho que a ferramenta seja distorcida para esse uso. Daqui a pouco teremos coisas piores, colo blogs de pedofilia, blogs de tortura e outros ainda piores.

De certa forma, a culpa é da facilidade em que qualquer um pode ter um blog de merda e ainda se diz blogueiro. =/




No que diz respeito a pirataria:
Penso diferente em determinados pontos e tomando base em alguns artistas que conheço pessoalmente e outros que leio a respeito é delicado falar de pirataria.

Mesmo porque, como disse o Davis, é complicado comprar CD pra ouvir 6 músicas isso se gostar de 6, geralmente gosto de apenas uma. =/

E mesmo as músicas que as gravadoras estão vendendo por unidade, no Brasil, ainda não chegou no ponto de lá fora, onde é barato e acessível. Aqui é complicado, cheio de limitações e sem garantias de "baixar de novo", sem contar que é obscuro tudo isso.

Pena que as gravadoras ainda insistem em CD... Enquanto insistirem no CD como meio principal (e não o acessório), levarão prejuízo e olés dos pirateiros.

E tem o lance do teste, né, onde você pesca na internet uma determinada música/banda antes de saber se é bom.


Sobre plágio:
Tem que dar porrada mesmo. =p
Descobrir jagunço que more perto do pirateiro e mandar espancar. Se a mãe e pai não educaram, que a vida eduque. =p

Taca a Besta-Fera neles \o/!

Ps: Vou adicionar a figura da campanha no meu blog. =D

Fer Pocow disse...

Hum, os preços de alguns DVDs e CDs são abusivos, e ainda sim vendem milhões de cópias, eu particularmente não compro nada pirata e nada original, eu faço o download pelo que me interesso da Internet. Sem Culpa. Muitas pessoas falam que comprar produtos piratas você financia o tráfico, a bandidagem, etc. Mas, por outro lado, com os milhões de DVDs e CDs vendidos se arrecada muito dinheiro em impostos que certamente tornam os produtos mais caros, e também financia bandidos, porque o dinheiro que seria revertido pra uso da população, vai pra contas pessoais no exterior. E também concordo que o original mais barato derrubaria o pirata.

Baiano disse...

Concordo com muitas das coisas que foram ditas, principalmente contra a pirataria. Mas, como disse o Bôscoli, diretor da Trama, a verdade é que a indústria de entretenimento tem que se adequar à nova realidade. Ele disse, ainda, que a sociedade já disse que quer baixar músicas (e filmes, livros, etc.) pela web e os velhos esquemas de mídia estão desmoronando.

Além disso, tem que ser dito que a percentagem do valor de venda que fica com o artista é mínima (dizem que Roberto Carlos, um das mais remunerados, fica com algo em torno de 20%). Ou seja: a pirataria prejudica o artista mas prejudica muito mais a indústria (o que, é óbvio, não justifica a pirataria mas desmonta um pouco o argumento das gravadoras de que o principal prejudicado é o artista). Aliás, nesta crise toda, estas companhias mostram a sua ética: praticamente todo artista iniciante, para obter um contrato com as gravadoras, tem que assinar um termo cedendo um percentual de sua receita com shows (que é a parte significativa recebida pela maioria dos artistas). Ou seja: se a preocupação das gravadoras é com o artista, por que elas querem receber uma grana sobre algo que elas não têm atuação? (Algumas, para esconder este fato ridículo, criaram agências para agenciar os artistas e justificar este assalto e, é claro, o artista é obrigado a assinar com estas agências.)

Além disso, às vezes as gravadoras simplesmente retiram determinados discos do seu catálogo e não há alternativa. Eu, p.ex., sou fã da Banda Mantiqueira cujos primeiros discos foram lançados, se não me engano, pela Eldorado. Aí, uma "major" comprou o catálogo desta gravadora e, durante muitos anos, simplesmente retirou a Mantiqueira do catálogo (porque ela não é campeã de vendas). Felizmente, agora os álbuns da Banda foram relançados por outro selo.

Então, o fato é que pirataria é ilegal (e confesso que faço downloads às vezes) mas o fato maior é que a indústria não está sabendo se adaptar a esta nova realidade. Por sinal, li um reportagem com um consultor estadunidense (acho que foi uma entrevista a Pedro Alexandre Sanches, na CartaCapital, mas já faz algum tempo e posso estar enganado) e ele disse algo interessante: a indústria perdeu sua grande chance no caso Napster. Ela caiu de pau em cima do Napster e a obrigou a praticamente fechar. Na opinião do especialista, a indústria deveria ter buscado um acordo com o Napster de forma a configurar uma nova alternativa de distribuição. No entanto, ao forçar o Napster a fechar, forçou as pessoas a buscarem alternativas e, como sempre acontece na web, estar alternativas surgiram com os primeiros produtos P2P tipo Kazaa, eMule (e, mais tarde, os blogs).

Finalizando, a confusão em que estamos é típica dos momentos de transição de tecnologia. E não adianta espernear: o que gravadoras, produtoras, editoras, artistas, etc. têm que fazer é buscar novas formas criativas de se relacionar com o mercado. Não vale perguntar quais são estas novas formas pois, se eu soubesse, já as estaria lançando e ficando rico (tipo o pessoal do Google, do YouTube e assemelhados) mas o importante é que, numa transição tecnológica forte como esta, os paradigmas têm que ser quebrados. Quem não os quebrar, ficará para trás (como a IBM ficou quando a Microsoft roubou a cena com paradigmas radicalmente novos -- a IBM, p.ex., também tentou barrar a Microsoft com argumentos legais contra o Windows mas, como se vê, não se deu bem...).

Com um abraço do

Baiano.

Larissa Bohnenberger disse...

Campanha apoiada!
Estou aderindo a ela!
Bjs!

Daniel disse...

"Um blog de downloads não é um blog. E o dono de um blog desses não é um blogueiro."

Totalmente infeliz nisso. Tenho um blog de downloads e tento fazer do meu blog diferente desses que apensas jogam milhares de Links direto.

Meu blog primeiro que possuiu algo que no Brasil eh dificil e caro de conseguir - albuns bons de jazz, blues.

E outra sou da seguinte Opnião: Ta lá, quer baixar ok. Nao quer Ok tbm. Agora não me considero um blogueiro pior que um outro bloguiero que escreve historia da vida no blog, OU , contos de terror, ou esporte etc etc...

Eh a minha opnião. E outra se vc pega uma noticia de um site vc entao já está pirateando.

Hoje a PIRATARIA virou coisa de hipocrita, as vezes usamos pirataria e nem sabemos. Para começar pelo Windows - a nao ser que use o lixo do Linux tbm heheh.

Enfim...eh uma discusão inutil e sem fim.

dika disse...

Apóiado!

E meu blog já aderiu a campanha.

Adiante, com seus textos criativos.
_

[dika]
http://digaoquequiser.blogspot.com

Higor disse...

Apoiada a campanha!

Blog sobre assuntos gerais!



http://alfarrabiosbrasil.zip.net/

Comentem, só assim os blog se retro-alimentam!


Abraço,

Higor Romualdo

marcos.obonito disse...

aqui e marcos muito muito bom a ideia mais,nao podemos esquece do preço d original e da pirataria
mais um pouco o salario minimos
mais, d 40 milhoes canhao 400 REAISPOR MES.QUE DISSE 13 REAIS POR DIA .
IMAGINA VC GANHAR 13 REAIS POR DIA
HUUUUUUUUUUUUUUUUU NAO E BOM
MAIS ADOREI A IDEIA VALEU
MARCOS PRA O GLOG ABRAÇO.

Veiga disse...

apoiado!


www.trocistas.com

Fred disse...

De acordo! :D

http://toscoebizarro.blogspot.com/

Marcilio Joseph disse...

Ô Rob Gordon !! Acorda rapaz! Vá chupar prego prá ver se vira tachinha...!! As gravadoras estão cada vez mais com os bolsos cheios da grana. Onde já se viu fazer um cd chegar ao povo por RS 25,00, 30,00, 40,00..ou até mais. Agora vem voce querendo posar de bom môço apresentando um dircurso bem fundamentalista contra pirataria. E alguns `mortinhos` vão atrás de sua canoa furada como pude ler nos comentários...e acabam por comprarem sua IDÉIA. Que chatice !!
Os artistas têm de fazer igual ao agnaldo timóteo que foi vender seus cds em plena Praça de Sé, e ao módico preço de RS 10,00...com autógrafo e até um abraço....entende? Criatividade meu caro...criatividade é a alma de qualquer negócio. Voce parece apenas querer demonizar a pirataria sem encontrar soluções pláusiveis para amenizá-la...porque acabar com ela ,meu caro, isso ninguém vai mesmo! Mas até peço-lhe minhas sinceras desculpas, pois estou sendo um pouco contundente no meu comentário e penso que voce é boa gente. Mas não queira entrar de cabeça contra a pirataria a que se refere....não queira fazer desta postura sua religião, que é o que voce parece fomentar. Sei que por minha opinião ser contrária a voce e seus amigos ela poderá ser deletada de sua página, mas nos vivemos numa suposta democracia e gostaria que fosse mantida. E podem criticar a vontade que estará tudo bem. Abraços.
(MARCILIO JOSEPH - 17/05/2009)

Rock for Women! disse...

Querido,lendo seu post sobre o mundo da blogosfera disponibilizar cds para download,respetio totalmente a tua opinião,mas nao concordo com o fato voce menosprezar pessoas que disponibilizam os mesmos pela internet.Eu tenho 3 blogs na internet,e sim ja disponibilizei cds meus para download.Não sou incapaz e sou muito criativa,tanto que mesmo quando parei de disponibilizar cds em meu blog continue ganhando seguidores,elogios e consideração pelo meu trabalho.Acho injusto menosprezar o trabalho dos outros por disponibilizarem cds na net,existem pessoas que baixam cds pelo simples fato dos mesmo estarem muito caro para comprar,falo isto com a tranquilidade de quem tem as discografias dos seus idolos em casa,cds originais e muitos lps raros que compro ate hoje.Falo isto com a tranquilidade de quem compra inumeros livros.Ja disponibilizei cds meus no meu blog porque achava e acho interessante falar em um cd e as pessoas terem acesso a ele,saberem do que estou falando.
Não julgo as pessoas por odiar que me julguem.Ja fui elogiada ate por que era contra a downloads com uma simples frase:Teu blog nao e como os que vemos por ai.Isto ja me basta pra continuar o meu trabalho.Acredito que o mundo e feito de hipocritas,principalmente o Brasil,duvido que quem aderiu a ideia nunca "baixou" um cd da internet.Muitas vezes um cd raro (que eu ja fiz a loucura de comprar) custa muito caro,voce vai ficar sem escuta-lo?Voce vai demorar meses juntando grana pra comprar?Acho que não!Esta e a realidade!

Antes de julgar,conheça as pessoas!

Beijos,parabens pelo blog!

Anônimo disse...

Só quero dizer que é um grande blog você tem aqui! Eu estive por aí por bastante tempo, mas finalmente decidiu mostrar o meu apreço pelo seu trabalho! Polegares para cima e mantê-lo ir!

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site