23 de agosto de 2007

Suicide is Painless - Parte I

Como o último livro de Harry Potter (ou “Éri Potter”, como diz minha mãe) sairá em português no final do ano, estou relendo (e assistindo) os livros (e filmes) anteriores. E, um dia desses à noite, estava assistindo A Câmara Secreta, também porque eu nunca tinha assistido o DVD com home theater, o que torna o filme mais divertido ainda – imagine Harry Potter disparando um feitiço na sua frente e uma explosão acontecendo atrás da sua cabeça?

Enfim, lá estava eu assistindo os moleques lutando para descobrir quem era o tal herdeiro que abre a câmara secreta, quando ouço, à minha direita, o grito:

– TEREZA!!!!

Tereza? Que Tereza? Não lembro de nenhuma Tereza. Será que o monstro da Câmara Secreta chama Tereza? Hum... Comecei a pensar nos personagens. Dumbledore, Snape, Harry Potter, Hermione... Não, não lembro de nenhuma Tereza no filme. Bem, não sei quem é Tereza, nem o que ela está fazendo, mas provavelmente não tem a ver com a trama. Dez segundos depois:

– TEREZA, NÃO FAZ ISSO, PELO AMOR DE DEUS!!!

Pausei o filme. Silêncio.

– TEREZA!!! PELO AMOR DE DEUS!

Não é no filme. Levantei e fui até a sacada, certo de que iria encontrar um casal brigando na rua. Para minha surpresa, a rua estava deserta. Olhei mais para baixo e na varanda do apartamento abaixo da residência do Jasmim (que fica ao lado da minha) o mistério foi desfeito. Uma mulher de aparentemente uns cinqüenta anos estava agarrada na grade, do lado de fora, ameaçando se matar. Do lado de dentro, alguém a segurava pelo braço e tentava puxá-la para dentro, aos berros. Somei “a” com “b” e constatei que sim, aquela mulher ali deveria ser a tal Tereza.

Todas minhas pretensões de, um dia, me tornar um super-herói, e ser aclamado como o grande salvador da humanidade foram por água abaixo.

Super-Homem teria arrancado a blusa e voado para salvar a mulher; Homem-Aranha teria prendido a mulher com teia na sacada, o que daria tempo dos bombeiros chegarem, Jack Bauer teria mergulhado no ar, descoberto, no meio do caminho que o homem que tenta salva-la era um terrorista, enfiando um tiro no meio dos olhos dele, agarrando a mulher pela cintura e aterrissando em segurança na varanda do quarto andar. Até mesmo o Harry Potter teria gritado um “vingardium leviosa” ali e resolvido tudo.

Eu? Vendo a mulher ali, a três metros de mim, tentando se jogar lá para baixo... Bem, a única coisa que eu consegui fazer foi reparar que o chinelo dela – um Rider azul – estava quase soltando do pé e gritar “Puta que o pariu, não se joga não!”.

Clark Kent teria feito melhor, eu sei.

Corri até o celular para ligar para a polícia. No meio do caminho, tropecei no Besta-Fera que vinha totalmente bêbado de sono na direção da sacada, para ver o que acontecia. Liguei 190 e:

Não foi possível completar a sua ligação devido ao enorme número de chamadas. Tente novamente mais...

Merda! Merda! Tentei de novo.

Não foi possível completar a sua ligação devido ao enorme número de chamadas. Tente novamente mais..

Joguei o celular longe e corri até o interfone, para pedir ao porteiro para que ele tentasse. No terceiro toque, ele atendeu, já dizendo, aos gritos:

– Seu Rób Górdu, chama a políça porque eu num to conseguino!

Peguei o celular novamente e voltei para a varanda. Um dos pés da Tereza já estava pendurado no ar, balançando. “Questão de segundos”, pensei.

Gritei alguma coisa que nem eu mesmo entendi para o sujeito que a segurava nessa encarnação pelo braço – e, logo em seguida, me assustei com a idéia dele não entender o que eu disse, olhar para cima para perguntar “o quê?” e deixar a mulher cair. Isso certamente arruinaria a minha reputação no prédio, já que eu passaria a ser conhecido como “o sujeitinho que matou a mulher do 72”.

Tentei novamente. No primeiro toque, atenderam.

– Emergência, boa noite.

Sinceramente, não sei por que instruem a telefonista da polícia a dar boa noite. Será que nunca pensaram que se você está ligando para ela, é porque a noite não está exatamente boa?

– Tem uma mulher tentando se matar no meu prédio! Ela quer se jogar da sacada!

E aí, sem aviso algum, fui surpreendido com a pergunta mais brilhante que alguém poderia fazer nessa hora:

– Mas, senhor, está acontecendo alguma coisa?

A minha resposta dos sonhos para isso seria algo como: “Não, ainda não. Na verdade, ela espalhou uma circular pelo prédio dizendo que pretende se matar nos próximos dias. Como talvez vocês não tenham recebido uma cópia, achei melhor alertá-los.” Mas confesso que faltou coragem. Sim, porque se o pessoal do CSI tem toda aquela aparelhagem que eu vejo na TV, a polícia brasileira deve ter ao menos um Bina. E aí eu estaria fodido. Fiquei na minha e respondi:

– Bom, eu estou na sacada olhando a mulher. Ela está do lado de fora da sacada, balançando as pernas, e alguém está do lado de dentro segurando ela pelo braço. O chinelo dela, é um Rider, está quase caindo. É... Sim, acho que está acontecendo algo.

– Qual o seu endereço?

– Rua Fulano de Tal, número XX. Deus do céu! Ela vai pular!

– O senhor pode soletrar?

– pê. u. éle. a...

– Não, o nome da rua.

–Desculpe, estou meio nervoso. É meu primeiro suicídio, sabe?

Soletrei o nome da rua e ela respondeu:

– Vou transferir o senhor para os bombeiros.

Antes que eu pudesse gritar “então porque pediu meu endereço? Não quer meu CPF também?”, a telefonista dos bombeiros me atendeu e disse que despacharia um resgate para o local. Muito mais eficiente. Chupa, polícia! (se você é policial, gostaria de deixar claro que fui coagido pelo Jonas a escrever isso aqui).


Olhei para a frente. Nos outros prédios, pessoas em todas as sacadas (felizmente, do lado certo da sacada, diferente da Tereza) assistiam a tudo. Se eu estendesse uma faixa com a inscrição “leia tudo sobre isso aqui amanhã, no Championship Vinyl”, meu blog teria mais acessos que o Uol, na manhã seguinte.

Sacudi a cabeça e parei de pensar bobagem. Olhei para baixo. A mulher ainda estava brigando com o seu pretenso salvador, e ameaçando se jogar e acabar com tudo, enquanto ele gritava pelo-amor-de-Deus-não-faz-isso!

Nada dos bombeiros.

Olhei para baixo e comecei a calcular a queda. Ela iria se estatelar justamente em cima da guarita do porteiro. E eu, assistindo tudo de camarote, veria tudo aquilo, do mesmo ângulo que mostrou o Alan Rickman despencando do Nakatomi Plaza no final do primeiro Duro de Matar. É, não seria uma boa maneira de começar a semana.

Percebi um movimento acontecendo na entrada do prédio. Alguém entrava no prédio. Fixei meu olhar ali e percebi que a situação da Tereza piorava a cada segundo. Não eram os bombeiros, nem a polícia, nem o resgate, nem o Harry Potter.

Era a síndica, chegando com uma amiga.

Eu conheço minha síndica. Ela é daquelas que, se o Rottweiller do filme A Profecia invadisse o prédio, ela expulsaria o bicho daqui a dentadas. Vi que a síndica olhou para cima e viu tudo aquilo acontecendo.

Olhei com pena para a Tereza. De repente, o suicídio começou a parecer a melhor opção dela mesmo. Confiem em mim, vocês não conhecem a síndica do meu prédio.

(continua...)

25 comentários:

Vinicius Grissi disse...

Sensacional texto! Bem escrito demais...

Se gostar de esportes, visite meu blog:

Marcação Cerrada - http://cerrada.blogspot.com

Vou colocar o seu como indicação...

BurnedBullet disse...

tereza :~

otimo blog
parabéns.

Bion disse...

Ufa! Texto grande!
Só tive tempo aqui pra ler ate a metade... mas gostei do que comecei a ler e vou voltar sim pra terminar.

Isos só pq tõ atrasado aqui!

Mas, me aguarde! abcs!!

Dragus disse...

Que síndica é essa.

Parece com um vizinho que tenho aqui...

Enqaunto lia "TEREZA!" me lembrei de quando assisti Senhor dos Anéis na casa do meu irmão e no quarto ao lado rolavam outras aventuras...

De repente o filme mudou e entre um "Frodo!" e outro, escutava gemidos que não eram do filme.

Parei de ver o filme comecei a rir.

Fábio C. Martins disse...

Porra, realmente essas coisas só acontecem com você.
Nessas horas é até bom morar em casa! :P

Mas, então, quando será a segunda parte?
Estou curioso pra saber o final dessa história.

Abraços

Otavio disse...

"do mesmo ângulo que mostrou o Alan Rickman despencando do Nakatomi Plaza no final do primeiro Duro de Matar."

Pior ainda se ela voltasse pra te sacanear como o Jeremy Irons faz no Duro de Matar 3!

Pedro disse...

Cara, escreve a continuação logo!!!

Fico até com medo de saber o final... Coitada da Tereza. Se ela não se matar acho que sua síndica mata.

Ótimo blog.

Gilgomex™ disse...

soletrar a palavra "pular" seria a piada mais óbvia naquele momento...

mas como eu estava empolgado com a história, ri que nem um doido...

heuheuheuheuheuheueh

PS: visite a coluna, e deixe seu comentário após o sinal:

julimars disse...

Mewww! Você escreve muito bem!
O que me faz perguntar se os seus textos são baseados em fatos reais - xD - ou, criações de sua "mente brilhante".
*Estou altamente preocupada com Tereza - xD*
Tentarei visitá-lo mais vezes.
bjuxx
juli

Tati disse...

acho que você anda lendo homem-aranha demais, vendo harry potter em excesso. ou será que anda incendiando calças demais? :0)

muito bom o texto, continua logo, mas faça em apenas duas partes desta vez... hehe

se cuida. beijo

MizLilian disse...

Vc sempre me mata de rir com seus textos...
Desenterrar o rótivailer (rs) de A profecia foi demais! rsrsrsrsrs
E eu que achei que síndica sádica fosse coisa só de novela da Globo...

[]'s!

neutron disse...

Hahaha, muito bom, cara... quero ver a continuação...

E ainda bem que eu moro em casa! hehe

Menáge à Trois disse...

Com certeza sua noite foi mais agitada do que se tivesse assistido todo o Harry Potter. Histórias assim são para uma vida inteira.
Ps ( Fiquei realmente curiosa com relação a sua síndica)
òtimo post

Como ninguém

Vinicius Grissi disse...

Coloca a segunda parte aí!!! Galera curiosa...hehehehe

Marcação Cerrada:
http://cerrada.blogspot.com

Renato Xavier disse...

mto bom texto e blog parabens. visita o meu . abraços.
http://canseidaelite.blogspot.com

Juliano Detoni disse...

Quero o segundo capítulo e o desfecho... esta hora ela deve estar estatelada... ou salva... conta aí!!!!



e...
poxa estas letrinha aqui embaixo pra digita.. :(

Antonoly Maia disse...

muito bom seu blog, parabéns!

Carol disse...

Deus do céu!
E essa noite eu sonhei q tinha cortado os pulsos... na verdade eu cortei a mão.. pq tava meio receosa.. dpois fui e cortei os pulsos prá não parecer fracote rss
Td isso pq meu irmão tinha levado uns maconheiros pra casa...
Ahh entendo a tiazinha aí querendo se matar... se em sonho eu me mataria por isso hahahaha
Bjos

P. Florindo disse...

Gostei do post, apesar de não ser nada agradável presenciar uma pessoa ameaçando suicídio. É estranho. Por um lado achamos fascinante, dá uma adrenalina, mas por outro lado, é trágico.

Achei muito engraçado o jeito que você reclamou do serviço de emergância. Quando precisamos dele, não completa a chamada e quando completa é aquela enrolação toda.

Gostei de conhecer o blog. Faz sentido estar vencendo a final do concurso da comunidade.

Mariliza Silva disse...

Muito bem, muito bem....

Dá pra você continuar a história logo, ou vai deixar a gente e a Tereza pindurado esperando o final??
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Vc não tem jeito mesmo, heim.
OH Fase!!!

Beijão
Mariliza

Larissa Bohnenberger disse...

Bah, acho melhor vc desistir desta de super herói, mesmo... agora, se a síndica do seu prédio for como a minha, aqui so meu, eu no seu lugar gritaria "Pula, Teresa, pula de uma vez!!!"
Tô curiosa pra saber o resto!

Bjs!!!

Mulher Aspirina disse...

Put'z!!!
Hahahaha.
Parabéns texto criativo e minuncioso.
Adorei o Blog.
Beijocas.

vera maya disse...

Hahahahahahahaha....difícil comentar um texto seu sem ser repetitiva...Muito bom!
Continua... nao demora nao...

Pâmela disse...

WOOOOOOOOOOOOON, QUE BELEZINHA! VC GOSTA DE HARRY POTTER!
O que prova que Rob Gordon também e ser humano e é capaz de gostar de histórinhas bobas e que são modinhas nas pessoas. Isso é legal.

Matheus Carvalho disse...

Se eu estendesse uma faixa com a inscrição “leia tudo sobre isso aqui amanhã, no Championship Vinyl”, meu blog teria mais acessos que o Uol, na manhã seguinte. Sacudi a cabeça e parei de pensar bobagem.



PUTAQUIOPARIUUU... EU ME CORROÍ DE RISADAS NESSA PARTE...