12 de outubro de 2006

O Limbo... No Limbo

É impressão minha, ou estamos passando por uma faxina geral no Universo? Primeiro, foi Plutão. Agora, é o limbo. Nada me tira da cabeça que isso é politicagem. Desapropriam um planeta e agora, uma das opções para as pessoas irem após a morte. Tem cheiro de corte de gastos.

Em todo o caso, agora é oficial: não há mais limbo. Depois que você morrer, anote, aí, as opções são Paraíso, Inferno e Purgatório, que é mais ou menos como uma faculdade de administração. Quem não sabe direito o que quer da vida, vai para lá. O limbo, por sua vez, era apenas o destino de crianças e os fetos não batizados. Dá até para entender. Imagina a reunião onde foi decidido isso.

– Precisamos reduzir os custos, diz o Papa.

– Ou aumentar os lucros. Podemos começar uma nova cruzada.

– Não, nem pensar. Dá trabalho demais. Vamos cortar gastos.

– Porque não demitimos alguns santos? Ou terceirizamos os anjos. Todos tornam-se freelancers, e nos livramos dos encargos sociais.

– Você está louco? Se isso vazar para a imprensa, vai dar uma merda gigantesca. Deixa eu ver o orçamento de novo... Olha aqui. Olha o que gastamos de manutenção anual! O que é esse número aqui?

– É o limbo.

– Como assim, o limbo? Isso ainda existe?

– Sim, senhor.

– Olha isso. Zelador. Dois porteiros. Luz. Água. Eu não vou manter isso por causa de meia dúzia de crianças. Cancela essa merda.

– Mas, Eminência, e as crianças?

– Joga lá no Puragatório, ninguém vai nem perceber. Ou traz para o Paraíso mesmo. Aquilo está vazio demais, precisamos justificar os gastos com aquilo. Não esquece de colocar isso na ata. Não há mais limbo.

E, pronto. O limbo, lugar que servia de residência para crianças e cantores que não emplacaram mais de um sucesso, deixou de existir. As crianças vão para o Paraíso e "personalidades" como Sidney Magal, Odair José, Naim, Sandra de Sá, Araken, o Showmen! e Kléber Bam-Bam voltam para a Terra (ou seja, para variar, quem se fode somos nós). Só escapa o Oswaldo Montenegro, que vai para a Terra-Média onde tranquilamente vai arrumar um trampo de Gandalf. E, claro, os Capital Inicial e Titãs da vida, que já haviam deixado o limbo devido aos malditos Acústicos MTV.

Curioso que quem "criou" o limbo, de acordo com a notícia, foram santos. São Gregório e Santo Agostinho. E o Papa acha que sabe mais que os caras, que, teoricamente, são chefes dele. São Tomás de Aquino, então, dizia que o limbo "era um lugar de felicidade total, porém afastado da presença de Deus". Me cheira a putaria. E, foda-se o que o Papa pensa, putaria está longe de ser ruim. Ou seja, pra que cancelar? deve ser divertido, e não está incomodando ninguém ali!

Mas o mais interessante é o motivo alegado pelo Papa para acabar com o limbo. "O limbo sempre foi uma hipótese". Ah... Então o Paraíso, o Inferno e o Purgatório existem! Eles não são hpóteses, eles são de verdade. Aquele lance dos anjinhos tocando harpa, é verdade mesmo! O inferno também! É de verdade! Genial. É um lugar físico e existente, não é uma hipótese. Resta saber agora, onde fica o Inferno. Eu voto no Largo da Batata as 18:00.

Enfim, pelo menos temos uma boa notícia com essa história: "Segundo uma comissão de teólogos que estuda o caso, Deus deseja que todas as almas sejam salvas." Ou seja, a vantagem do empate é nossa. Ele quer salvar a gente, independente das cagadas que a gente faça". Beleza. De acordo com a própria Igreja, posso pecar à vontade agora, que Ele segura a onda lá na frente pra mim.

Aliás, essa é a grande vantagem de ser católico. Você se confessa no domingo, limpa sua barra com o povo lá de cima, e pode pecar a semana inteira novamente. Se bem que eu sempre achei que o Inferno deve ser um lugar onde todo mundo anda pelado, ouvindo Led Zeppelin e enchendo a cara. Pensando bem, Deus, relaxa. Vai se preocupar com outras coisas e deixa que eu resolvo onde vou.

Afinal, como o Pacino disse em Advogado do Diabo (e se foi o Pacino que falou, deve ser verdade): "livre-arbítrio é uma merda". Então, ok. Vou jogar pelas suas regras.

Galera, prepara a cerveja!

5 Lugares que deveriam ser erradicados, como o Limbo:

1. O Largo da Batata - passa lá qualquer dia que você vai entender.
2. As Lojas Americanas na semana do Natal - a maior concentração de pessoas por metro quadrado
3. O Estádio do Corinthians - ah, não...esse nem existe. Esquece.
4. O escritório do Paulo Coelho - sim, isso inclui o computador dele. e o Word. E os arquivos salvos. E o rascunho do próximo livro.
5. A Casa do Big Brother Brasil - já que não há mais limbo, não há razão para ter o principal fornecedor de futuros habitantes do limbo. Mas o Pedro Bial TEM que ir junto.

2 comentários:

Anônimo disse...

na boa, ninguém gostou muito desse papo de abolir o limbo. eu também não obtive comentários sobre, soooo, vim aqui, em solidariedade !

Luciana Toledo disse...

Pra mim não mudou nada. Continuo acreditando que existe limbo.