21 de agosto de 2006

Portês para Principiantes

Talvez por ter morado em casa durante a vida inteira (moro em prédio faz só uns 4 meses) eu não falo absolutamente nada de portês. Portês, como diria um amigo, é o idioma dos porteiros - mas existem outros dialetos e regionalismos, praticado por taxistas e alguns garçons. Enfim, se houver um correspondente a "the book is on the table" em portês, eu não sei qual é. Não falo nada, mesmo. E isso tem me colocado em algumas situações, digamos, constragedoras.

Tem um ponto de táxi do lado do trabalho e a maioria dos taxistas de lá é bilíngue, falam tanto português como portês. Mas um deles, mais velho e purista, fala apenas portês. Arcaico. Ok, adivinha qual taxista eu pego em 50% das vezes?

– Oi, tudo bem? Eu preciso ir pra Paulista, perto da Brigadeiro.

– Cequerquesubaareboçasouatodoro?

– Hã?

– Atodoronumseicomotamaeuvimagorinhanareboçastatravada.

– Olha, Paulista com...

–Manatodorostiveparadagentepegaocorredodonibussaoraelivre.

– .... Brigadeiro

– Tãookvamopelareboçasnãotempobrema.

– É... Ok... Acho.


Me sinto como qualquer personagem de Snatch conversando com o Brad Pitt. E o pior é que ele insiste em conversar pelo caminho. O cara é gente boa, eu tento não ser grosso, mas é foda manter o auto-controle.

– Aicejadecidiuniquemvota?

– Hum?

– Leção.

– Leção?

– Leçãofinaldano.

– Dano? Que dano?

– Nufinaldanovaiteleção.

– Final dano? Ah, eleição!!!

– Leção.

– Não, não sei ainda.

E aí, claro, eu faço a cagada e pergunto:

– E o senhor?

– Numseindarapa. Nameiraveisvoteinopetemaisrecequenumfununciotaoto

– É...

– Sandonoauquimimastemsaloisalenaquemilaram

– Hum.... É... Que coisa, né? Tem razão.

– Queboamasrecequelaramquiulalevanomeiroturn.

– Tem razão.

– Atodorotáradaindabemquemosnareboças.

– Talvez eu vote nele também, nao sei ainda.

E por ai vai. De Pinheiros a Paulista, eu vou concordando. O cara pode estar xingando a minha mãe ou falando que vai me assaltar, fatiar meu corpo e jogar num matagal qualquer e eu ali, todo sorriso, "Sim, sim, claro". Foda.

Pelo menos, no meu prédio, os porteiros tiveram um curso básico de português, mas eles ainda se atrapalham um pouco com as classes gramaticais. E às vezes eles ainda falam trechos da frase em portês.

– Tregadotorantesaria.

– Oi?

– Entrega... do... restôrante-pissaria.

– Restaurante pizzaria?

– Isso. O rapaz do restôrante-pissaria.

– OK, tô descendo.

E assim, vamos levando... Ou "moevando", como diria o taxista aqui do lado.

O que me deixa curioso é que se você for para o interior do Maranhão e falar com qualquer pessoa que encontrar, você vai entender. OK, tem sotaque, palavras que você não conhece, mas ainda assim é português. Ou seja, não é preconceito da minha parte, antes que me acusem disso. Mas, just in case, eu queria dar uma olhada no estatuto dos porteiros, taxistas e demais profissões que exigem, por normas sindicais, o portês fluente, só para saber a justificativa disso.

5 Idiomas Falados em São Paulo (mais fáceis de aprender que o portês)
1. Adolescentês – qualquer coisa que você diga, ele responde "se pá, bem lôco!"
2. Surfistês – eles não sabem usar consoantes. De que outra forma se explica a frase: "Iiii, ó o auê aí!?
3. Standcentelês - À plimeila vista, palece ser uma coluptela de coleano. Mas, como eles aceitam cartão de "clédito", é só falar "vou levar" e dar o cartão que eles entendem.
4. Porteirodeboatês - Esse é mais complicado. Você passa na calçada e ele vem falar com você. Você entende tudo, mas, mesmo assim, 4 minutos depois, você está lá dentro, tomando o seguindo uísque e esperando as "tais das garotas novas que chegaram do Sul" aparecem.
5. Guardador de Carro - É o mais fácil de todos. A única coisa que você entende é "real". E ele não quer que você entenda outra coisa.

7 comentários:

Ana Claudia Cesar disse...

Nossa!!!
Parabéns, você é a primeira pessoa alfabetizada que entende portês!Pelo menos eu acredito que isso seja verdade sendo a primeira vez que LEIO este estranho dialeto.
Você é muito bom!

Dama do Lago disse...

Eu li junto com as meninas e elas adoraram o post. Elas só reclamaram do seu comentário sobre o adolescentês : " Imagina que absurdo, se pá, ele nem sabe como a gente fala" hahahaha ^^
E a Samy tentou corajosamente me explicar o que significa esse "se pá". Acho melhor você conversar pessoalmente com ela :D
Mas sério, essa linguagem de taxistas e porteiros acaba com a gente, melhor é nem puxar assunto.
Beijão
Sil

Perci Carvalho disse...

quando eu saio de minas há quem reclame do sotaque... dizem que falo (falamos) ráido demais e tudo emendado...

ói pussêvê quiábsuurdo!
sem contáqui quanêsvêm ês pens qui u ôns é dês...

se vc entendeu.parabéns, é mais um idioma que vc conhece.Mineirês

Kel Sodré disse...

Certamente, um dos meus posts preferidos. Possivelmente, O meu preferido.

lucascf disse...

Deu até sono tentar ler isso aí... Como teve paciência ao escrever isso?

Os porteiros do interior não falam portês, acho.

NandoMachado_ disse...

perturbadopôlêlentamenteduasveizessediálogoenentendernada!

Celyne Viana disse...

kkkkkkkkkk acho que faltou o de motorista e cobrador de ônibus, que eles usam especialmente de manhã... O impressionante é que eles entendem todos os idiomas espalhados pela cidade e ainda tem o próprio rsrsrs