6 de agosto de 2013

Ônibus Rusticano - Uma Opereta Urbana



A vida é uma ópera.

Sendo mais exato: é uma ópera-bufa, daquelas que não se leva muito a sério. E hoje, ouvindo ópera no ônibus, decidi que era hora de fazer a minha contribuição nesta arte e compor minha própria ópera. Ou, no caso, uma opereta, já que ela é bem pequena.

Só havia um problema: eu não sei escrever ópera. Eu conheço a técnica de alguns tipos de poemas – muita gente sabe que gosto de brincar com sonetos – e até mesmo das letras de alguns gêneros musicais, como blues. Mas um libreto de ópera, para mim, é um mistério: não sei as regras, não conheço a forma, não tenho a técnica.

Mas a vontade era maior, então decidi escrever uma ópera pelo caminho mais difícil: de ouvido. Adaptei dois trechos de uma das minhas óperas preferidas, Cavalleria Rusticana (para facilitar, é a ópera que toca no terceiro O Poderoso Chefão) para a história que eu queria contar. Dei uma olhada no libreto apenas para entender os versos e fiz, basicamente, de ouvido, aqui, como brincadeira.

Assim, vou postar aqui, dando um vídeo da cena em questão como referência do ritmo que o texto deve ser lido – você pode ouvir e depois ler em silêncio com o ritmo na cabeça, ou ouvir e acompanhando a letra que escrevi enquanto a música é cantada (eu prefiro deste jeito). Fica a critério do freguês.

Apenas dois avisos: na primeira cena, eu estiquei a letra, dobrando-a de tamanho e mantendo o ritmo. Na segunda cena, a interação final entre o tenor e o coral é quase simultânea e muda de versão para versão, então é impossível fazer algo muito exato. Ah, sim: tanto por causa dos vídeos como do alinhamento separando as cenas do tenor e do coral, este post funciona muito melhor sendo lido no PC, e não na versão mobile.

Afinal, se a vida é uma ópera, e sendo mais exato: uma ópera-bufa... O mínimo que podemos fazer é brincar com isso.

Então, vamos lá:

Trata-se de uma trama dividida em duas cenas, e que se passa inteiramente dentro de um ônibus. No palco, está um tenor (interpretando o personagem central, Rob Gordon), discorrendo sobre o ônibus estar lotado e parado no trânsito. Ao seu redor, os passageiros estão amontoados em cima dele – na cena dois, todos os demais passageiros cantam as partes de coral.

Divirtam-se.

CENA 1: PRELÚDIO
Vídeo de referência:


Gordon:
O Pai! Há algo de errado ou incomum,
Este ônibus não anda de jeito algum!
Estamos parados aqui faz meia hora,
E os carros do lado já foram embora!

Eu estou em pé, sem poder me sentar,
Não tem um banco vazio, não há lugar!
Seria mais rápido se o ônibus fosse de ré,
Um cara já pisou três vezes no meu pé!

O Pai! Está tão lotado que me falta ar,
Estou ficando tonto, sem poder respirar!
A janela está embaçada e ficando turva
E eu quase caí duas vezes na última curva!

Sou baixinho, não consigo alcançar o cano,
Agora estamos parados aqui há mais de ano!
Seria mais rápido se o ônibus fosse de ré,
Estou quase decidindo descer e ir a pé!


CENA 2: SACODE E VAI!
Vídeo de referência:


Gordon:
O ônibus começa a andar
Não tenho onde me segurar!
Chacoalha! Sacode! E vai!

Uma criança jogando bola
Tem uma velha com sacola!
Onde eu posso me segurar?

O ônibus começa a andar,
Não tenho onde me segurar!
Chacoalha aqui, sacode ali! E vai!
Chacoalha aqui, sacode ali! E vai!
Vou cair!

Coral:
Vamos todos em frente!
O motor já está quente!
Vira pra cá, vira pra lá!

Cobrador dormindo!
Motorista rindo!
Vira pra cá, vira pra lá!
 Vira pra cá, vira pra lá!


Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!
                                                                                                                             E vai!

Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!


Gordon & Coral:
E vai!

Gordon:
Agora ligaram um celular,
Tem funk tocando sem parar!
Chacoalha! Sacode! E vai!

Um bebê se pôs a chorar,
Está meio verde e vai vomitar!
Preciso ir para outro lugar!

Estou suando e ficando tonto,
Quero descer no próximo ponto!
Chacoalha aqui, sacode ali! E vai!
Chacoalha aqui, sacode ali! E vai!
Vou cair!

Coral:
Vai pra porta e dá o sinal
Cinco pessoas num degrau!
Vira pra cá, vira pra lá!

Cobrador dormindo!
Motorista rindo!
Vira pra cá, vira pra lá!
Vira pra cá, vira pra lá! E vai!

Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!
                                                                                                                             E vai!
Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!

Gordon & Coral:
E vai!

Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!

Gordon:                                                                                                             Coral: Chacoalha aqui, sacode ali!                                                      Vira pra cá, vira pra lá!

Gordon:
Vou cair!

10 comentários:

Daniel disse...

E uma versão erudita de Vomitaram no Trem, do Garotos Podres! A associação é válida? No mais, sensacional o post hehe

Fagner Franco disse...

"Um bebê se pôs a chorar,
Está meio verde e vai vomitar!
Preciso ir para outro lugar!"

hahahaha..excelente..
Genial. E ainda me senti divertidamente idiota de ouvir e cantar junto...rs

Guilherme disse...

Rob, se superou mais uma vez, excelente!!!!!!!

Fernando Santos disse...

Tô bobo!!! uma ópera! só o Rob mesmo! sensacional!

cmmarcondes disse...

Sensacional, Rob! MESMO!!!
E eu achando que vc já tinha escrito de tudo!!!

Varotto disse...

Doente.

Varotto disse...

Tudo bem, ficou muito legal.

Mas você continua sendo doente.

Ricardo Wagner disse...

Sua sanidade mental ficou em algum lugar desse ônibus.

Depois virá o que?

Carmina Metrô?

Larissa disse...

Sensacional!

Marcus Vinicius disse...

Excelente, lendo aqui fiquei imerso nessa ópera e comecei a rir muito, hehe.