26 de março de 2013

The Dogfather


Rob Gordon: Eu acredito neste país. Aqui, fiz minha fortuna. E eu criei minha família. Dei liberdade, mas os ensinei a jamais se voltarem contra a própria família. Nós adotamos um gato. Mimamos o gato, demos brinquedos a ele, o tornamos parte da família... Eu não protestei. Alguns meses atrás, o gato assumiu ser um enviado do inferno. Disse que veio para a Terra para me matar. Eu resisti. Enfrentei o gato. Então, ele me agrediu.... Como se eu fosse um animale. Fui para o hospital, meu nariz estava quebrado. Meu maxilar estava estilhaçado, preso por um arame. Eu não conseguia nem chorar por causa da dor. Mas, mesmo assim, eu chorei. Por que eu chorei? Porque doía demais. Ardia. E acho que nunca mais vai parar de arder...

[Rob Gordon se emociona. O Don faz um gesto ao seu consiglieri para entregar uma bebida ao homem]

Rob Gordon: Sinto muito...

[Rob Gordon bebe um gole da bebida]

Rob Gordon: Eu... Eu fui à polícia, como um bom cidadão. A polícia teve medo de chegar perto do gato. Chamei um padre e o gato o ameaçou de morte, gritando palavrões em etrusco. O padre saiu correndo de casa. Os olhos do gato ficaram vermelhos e ele começou a gargalhar. Na minha cara! Foi quando eu percebi que para termos justiça, preciso falar com o Besta-Fera.

Besta-Fera: Por que você foi à polícia? Por que não veio até mim primeiro?

Rob Gordon: O que você quer de mim? Me peça qualquer coisa. Mas faça o que imploro.

Besta-Fera: E o que é isso?

[Rob Gordon aproxima-se do Don e sussurra algo em seu ouvido]

Besta-Fera: Isso eu não posso fazer.

Rob Gordon: Eu pagarei o quanto você quiser.

Besta-Fera: Nós nos conhecemos há muitos anos. Você me colocou diversas vezes no seu blog. Mas de repente você parou de escrever sobre mim. Eu deixei de participar dos textos. Eu não consigo me lembrar da última vez que você me convidou para a sua casa, para tomar um café. Sejamos francos aqui: você nunca quis minha amizade. Você tinha medo de ficar em dívida comigo.

Rob Gordon: Eu não queria me envolver em problemas

Besta-Fera: Eu entendo.Você encontrou o paraíso aqui. Se casou, está vivendo bem. Você está fazendo histórias em quadrinhos, trabalhando para várias pessoas. Você não precisava mais de mim no seu blog. Você não precisava da minha amizade. Mas, agora, você vem até mim e diz “Besta-Fera, me dê justiça”. Mas você não pede com respeito. Você não oferece sua amizade. Você nem mesmo me chama de padrinho. Ao invés disso, você vem até onde moro e pede para que eu cometa um assassinato por dinheiro.

Rob Gordon: Eu peço por justiça.

Besta-Fera: Isso não é justiça. Você ainda está vivo. Arranhado, sangrando e cheio de cicatrizes. Mas vivo.

Rob Gordon: Então, que o gato sofra como eu. Quanto eu devo pagar?

[Besta-Fera levanta-se e fica de costas para Rob Gordon]

Besta-Fera: Gordon... Gordon... O que eu fiz para merecer que você me trate com tanto desrespeito? Se você viesse até mim em amizade, este gato das trevas que arruinou suas pernas, braços e um pedaço do rosto estaria sofrendo hoje mesmo. E se por acaso um homem honesto como você fizesse inimigos, eles então seriam meus inimigos. E eles temeriam você.

Rob Gordon: Seja meu amigo....

[Rob Gordon se curva perante o Don]

Rob Gordon: … Padrinho?

[Rob Gordon beija a pata do Don]

Besta-Fera: Bom. Algum dia, e este dia pode não chegar nunca, eu vou lhe chamar para fazer um serviço para mim. Mas, até este dia chegar, aceite esta justiça como um presente meu.

Rob Gordon: Obrigado! Obrigado!

Besta-Fera: Prego.

[Rob Gordon sai da sala. O consiglieri aproxima-se do Don]

Consiglieri: Para quem devemos passar este trabalho?

Besta-Fera: Para ninguém. O Rob que se foda com aquele gato. Babaca. Bem, acho que vou dormir um pouco...

"... afinal, não sou um assassino,
ao contrário do que aquele escritor pensa."

14 comentários:

Alan Reis disse...

Aaain, tava saudade do besta-fera =)
E no final, nós realmente sabemos que ele não é um assassino =D

Juba disse...

Finalmente! Saudades desse focinho!


Ele ainda lê Proust?

Alan (FFC) disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Adriano disse...

AÍ SIM!! Excelente! Por favor, avise que eu quero trabalhar com ele. Eu posso ser o Luca Brasi!

Michele disse...

ai que saudade do Besta Fera!!!

Varotto disse...

Já andava me perguntando porque você não ia pedir ajuda a ele, já que o problema é um gato. Mas eu nunca me respondia porque achava a pergunta meio idiota.

Dogfather... como é que eu não pensei nisso antes?

Leonardo Gedraite disse...

Epic Win!

Genial o retorno do Besta-Fera!

Rob apenas um pequeno "piolho":
Logo após "...[Besta-Fera levanta-se e fica de costas para Rob Gordon]..." creio que seja o Besta-Fera que inicia o diálogo e não vc =]

Thais Gama disse...

Que saudades do Besta-Fera!
Acho que também neste sentimento dele, tem um pouco de ciúmes, não acha?
Besta-Fera volte pra nós!

Kel Sodré disse...

AU, MEUDEUS!! (o "au" foi intencional. É, tô numa fase ruim de trocadilhos...) Morri com essa cara bestaférica do Besta-Fera! ^^

E, Rob. Ele tem razão. Você nunca mais colocou ele no seu blog, nunca mais convidou ele pra tomar um café. Sacanagi.

Beatrice disse...

Muito bom!!!!

Dia péssimo, clima horrível no trabalho e encontro esse "oasis" aqui! Dificil foi segurar o riso e fingir que estava trabalhando com o chefe me olhando através do vidro...

Amei o texto.

Max Reinert disse...

Besta Fera sempre sabendo o que colocar em primeiro lugar na vida...neste caso, o sono!!!

<3

Bel Lucyk disse...

Besta-Fera, I love u! =)

Pri disse...

Saudades desse peludinho, muitas saudades! :D

Luis Rafael amorim da silva disse...

o besta fera, tem algum parentesco com o cérbero? cara de um focinho de outro!