8 de dezembro de 2012

Coisas da Vida XIV


Entrei no mercado tendo certeza de que eu era o Rob Gordon.

Foi no mercadinho aqui ao lado de casa. Estou sempre lá. E, até onde me lembro, todas as vezes que fui até lá eu era o Rob Gordon. Enfim, como eu vou lá algumas vezes por semana, já conheço, ao menos de vista, a maior parte dos funcionários, sobretudo dos caixas.

Mas, desta vez, passei minha compras com uma funcionária que eu não conhecia. Mas, para mim, nada mudou na minha vida. Até então, eu ainda era o Rob Gordon.

Minha identidade começou a ser posta em cheque quando comecei a passar as compras.

- Seu nome é Matheus?

- Como?

- Seu nome não é Matheus?

- Não, senhora.

- Ah.

- Eu vou querer CPF na nota.

- Certo. É que você é igualzinho a um amigo meu. O nome dele é Matheus.

- Mas não sou eu, não.

- Entendi.

- Você tem mais sacolas?

- Aqui.

- Obrigado.

- Você tem certeza, certo?

- Oi?

- Você tem certeza de que você não é o Matheus?

- Bem, a última vez que eu chequei, eu não era o Matheus, não. Eu era mesmo. Acho que nada mudou de lá para cá.

- Ah... É porque esse meu amigo, o Matheus, ele é muito engraçado. Ele adora pregar peças nos outros.

- Sei.

- Então você poderia ser o Matheus fingindo que não é o Matheus, apenas de gozação.

- Entendi. Mas, olhe, eu não sou o Matheus, não. Quer dizer, eu acho.

- Você é muito igual a ele! Baixinho, barba. Impressionante!

- É. Mas não sou ele, não. Se você quiser, eu tenho meus documentos aqui.

- Mesmo?

- Sim. Quer ver? Tenho quase certeza que não sou o Matheus, mas a gente pode conferir...

- Hum... Não. Não precisa. Você não é o Matheus.

- Não?

- Não. O Matheus já estaria gargalhando a essa hora.

- Ah. Entendi.

- Deu dezessete reais.

- Aqui.

- Seu troco.

- Obrigado.

E assim, saí do mercado novamente como Rob Gordon. Quer dizer, eu acho.

Afinal, nada impede que eu seja o Matheus e, de tanto pregar peças nas outras pessoas, acabei enganando a mim mesmo – afinal, a melhor maneira de contar uma mentira é acreditar sobre ela. Entrei em casa e fui conferir meu RG. Meu nome estava lá. Nada de Matheus.

Passei o dia mais aliviado. Eu era eu mesmo. A não ser, claro, que eu, Matheus, tivesse até mesmo a paciência de falsificar um documento para enganar as outras pessoas. Imagine, se dar ao trabalho de fazer tudo isso?
  
Quando pensei nisso, senti até um pouco de orgulho do Matheus, e de ser parecido com ele.

Baita cara determinado.




(Para ler os outros posts desta série, repletos de loucos cujo único propósito é andar pela rua me procurando somente para interagir comigo, clique aqui)

19 comentários:

Varotto disse...

Welcome to the Matrix...

Adriano disse...

Ainda acho que você tem mais cara de Celso ou Rodrigo.

Pri disse...

Mas você tem certeza de que não é o Matheus?

Hahaha

Hally disse...

Tamo junto nessa história de as pessoas nos acharem parecidos com seus amigos hehehe

Matheus Carvalho disse...

Bom, eu sou o Matheus e até onde eu sei, não sou o Rob também não... talvez eu seja o Thiago, todo mundo fala que eu tenho cara de Thiago.

@leandrodelucas disse...

tsc tsc tsc Matheus, roubando até a senha do blog dos outros para o disfarce ficar melhor ....
Baita cara determinado.

Fagner Franco disse...

Odeio estas pessoas que insistem em algumas coisas que não teria porque mentir. Vá entender...

Kel Sodré disse...

Matheeeus, seu danadiiinho! SABIA que era você este tempo todo sob o pseudônimo de Rob Gordon! Ah, menino danado!

~risos~

Carol Campos disse...

Não sei como vim parar no seu blog, mas tô aqui e adorei o texto Matheus. Quer dizer, Rob.
É Rob mesmo, né? kkkkk
http://www.doceilusao.com/

Rob Gordon disse...

Varotto:

O problema é que logo eu sou o Escolhido.

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Adriano:

Hahahahahha!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Pri:

Tenho, claro. Quer dizer, quase certeza. Não, espera. Tenho. Certeza Absoluta. Quase. Não sei. Acho que sim.

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Hally:

O problema nem é esse. E elas continuarem achando que somos os amigos disfarçados e fingindo ser outra pessoa.

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Matheus:

Valeu, xará! :)

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

@leandrodelucas:

Se é para fazer algo, vamos fazer direito, certo?

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Fagner:

E pior que nesse caso, nem dá para "sorrir e concordar".

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Kel:

Desculpe. Vou parar com isso.

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Carol:

Obrigado!

Beijos!

Rob (Mesmo. Acho.)

Alessandro Andrade (@aleh) disse...

Parece aquele filme VANNILA SKY ou Abra os Olhos (original espanhol).