24 de fevereiro de 2012

Certa Tarde, no Céu...


Local: Nuvem sobre o Bairro de Pinheiros
Horário: 13h54min

´
Demônio Espião Assistente:
Eu não consigo andar direito em cima disso.

Demônio Espião: São apenas nuvens. O segredo é não pensar sobre ao assunto

Demônio Espião Assistente: Como eu não vou pensar nisso? Você viu a altura que nós estamos?

Demônio Espião: Relaxe. Nós não vamos aqui ficar muito tempo mais.

Demônio Espião Assistente: Pelo menos isso. Mesmo porque eu não gosto de andar por aí vestido de anjo. Fora que eu não consigo andar com essa... Como chama isso? Bata?

Demônio Espião: Sei lá. Foi o que pessoal arrumou lá embaixo.

Demônio Espião Assistente: E essas asas? Como que eles fizeram essas asas?

Demônio Espião: Acho que foi com penas de ganso.

Demônio Espião Assistente: As minhas já estão começando a descolar. Tomara que ninguém perceba.

Demônio Espião: É só você não se mexer muito. Ei, o que é isso no seu braço?

Demônio Espião Assistente: É a pulseira que me deram.

Demônio Espião: Que pulseira? Isso é uma auréola!

Demônio Espião Assistente: Auréola?

Demônio Espião: É evidente!

Demônio Espião Assistente: Mas o que eu faço com isso?

Demônio Espião: Coloque em cima da cabeça!

Demônio Espião Assistente: Ah, bem que eu achei que era grande demais para ser uma pulseira. Por isso que ela ficava caindo toda hora. Aqui na cabeça?

Demônio Espião: Isso. Já são 14 horas?

Demônio Espião Assistente: Faltam três minutos.

Demônio Espião: Você está com a chave do reservatório?

Demônio Espião Assistente: Sim. Peguei na mesa do São Pedro. Cuidado, vem vindo um anjo aí.

Demônio Espião: Cuidado para não mexer essa asa e ela cair.

Demônio Espião Assistente: Pode deixar.

Um Anjo Qualquer que Resolveu Andar por Ali: Boa tarde, irmãos. Que a paz do Senhor esteja convosco.

Demônio Espião Assistente: É... Hum... Valeu. Ai!

Demônio Espião: Obrigado, irmão. Que a paz do Senhor esteja convosco.

Um Anjo Qualquer que Resolveu Andar por Ali: Obrigado.

Demônio Espião: Pronto. Ele foi embora.

Demônio Espião Assistente: Precisava enfiar o cotovelo em mim, porra?

Demônio Espião: “Valeu”? Isso é modo de falar? Quer que descubram que não somos anjos?

Demônio Espião Assistente: Eu sei lá como os anjos falam!

Demônio Espião: Na próxima vez, não fale nada!

Demônio Espião Assistente: Certo, certo. Olhe, pelo meu relógio são 14 horas.

Demônio Espião: Bom, se a Inteligência estiver certa, acabou tudo na casa do Rob. Coca, comida, tudo. Ele vai ter que sair de casa.

Demônio Espião Assistente: Entendi... Ei, olhe ele ali na varanda!

Demônio Espião: Sim, ele está olhando para o céu. Provavelmente, para ver se vai chover, porque ele precisa sair.

Demônio Espião Assistente: Ele já entrou.

Demônio Espião: Sim, ele vai sair de casa, com certeza. Não tem uma nuvem preta no céu. Nós tiramos todas. A mangueira está pronta e acoplada no reservatório, certo?

Demônio Espião Assistente: Sim. Basta apenas ligar. Será que vai funcionar?

Demônio Espião: Tomara que sim. Estamos aqui apenas para testar isso e o pessoal do departamento de Novos Projetos está ansioso. Estão trabalhando nisso há meses.

Demônio Espião Assistente: Ei! Olhe ele ali na rua!

Demônio Espião: Onde?

Demônio Espião Assistente: Ali, entrando na Teodoro Sampaio! Olhe a carequinha ali!

Demônio Espião: Verdade!

Demônio Espião Assistente: Posso ligar?

Demônio Espião: Calma. Tem muita gente na avenida. Vou regular para o jato mais fino, assim acertamos apenas ele.

Demônio Espião Assistente: Certo.

Demônio Espião: Pronto. Na mira.Pode ligar.

Demônio Espião Assistente: Abro tudo?

Demônio Espião: Claro!

Demônio Espião Assistente: Pronto!

Demônio Espião Assistente: Em cheio! Você viu? Na cabeça!

Demônio Espião: Vi! Olhe ele ali correndo pela rua!

Demônio Espião Assistente: Será que ele não percebe que está chovendo apenas nele?

Demônio Espião: Duvido. Ele não deve nem ver nada direito, de tanta água que cai nele!

Demônio Espião Assistente: Cara, como ele corre!

Demônio Espião: Verdade!

Demônio Espião Assistente: Ele quase foi atropelado por aquele caminhão!

Demônio Espião: Ainda bem que ele escapou! Se ele morresse, estaríamos perdidos. O pessoal de novos projetos nunca teve uma cobaia tão boa.

Demônio Espião Assistente: Ele sumiu! Cadê ele?

Demônio Espião: Entrou na padaria. Deve estar lá todo encharcado e recuperando o fôlego.

Demônio Espião Assistente: Quer que eu desligue um pouco?

Demônio Espião: É melhor. Assim nós o atraímos para fora.

Demônio Espião Assistente: Tomara que ele não demore. Minhas asas não vão durar muito.

Demônio Espião: Calma, logo ele sai. Como sempre, nós tiramos todas as carolinas da padaria.

Demônio Espião Assistente: De novo? Será que ele não percebe que nunca tem carolinas quando ele está na padaria?

Demônio Espião: Aposto que não. Ele é meio tapado.

Demônio Espião Assistente: Ei, não é ele ali?

Demônio Espião: Onde?

Demônio Espião Assistente: Ali, na frente daquela loja, segurando duas sacolas!

Demônio Espião: Onde?

Demônio Espião Assistente: Ali! Olhando para cá!

Demônio Espião: É mesmo! Ele está andando por baixo da marquise e olhando as nuvens.

Demônio Espião Assistente: Será que ele não vai sair debaixo da marquise?

Demônio Espião: Não tem problema. Eu preciso apenas mirar um pouco para baixo.

Demônio Espião Assistente: Esse pessoal de novos projetos é bem criativo, hein? Uma mangueira industrial com mira telescópica.

Demônio Espião: Isso aqui vai ser um sucesso! Pronto. Está na mira. Pode abrir!

Demônio Espião Assistente: Aberto!

Demônio Espião: Em cheio!

Demônio Espião Assistente: Pegou em cheio no peito dele! Ele quase caiu!

Demônio Espião: Olhe como ele corre!

Demônio Espião Assistente: E batendo com as sacolas em todo mundo! Que imbecil!

Demônio Espião: Essa mangueira é demais! Olhe ele ali fazendo a curva! Eu subo um pouco e...

Demônio Espião Assistente: Na cara! Pegou na cara dele! Ele derrubou uma sacola!

Demônio Espião: Tomara que estejam monitorando tudo lá de baixo!

Demônio Espião Assistente: Putz! Ele já está entrando no prédio!

Demônio Espião: Hora de desligar e recolher a mangueira. A missão foi um sucesso! Aposto que seremos condecorados!

Demônio Espião Assistente: Pronto, fechei! Podemos guardar tudo.

Demônio Espião: Ei, olhe ele ali na varanda do apartamento!

Demônio Espião Assistente: Ele está olhando para cá, fazendo gestos obsecnos. Será que ele nos viu?

Demônio Espião: Duvido. Aposto que ele está puto porque acha que não está chovendo mais, agora que entrou em casa. O babaca nem percebeu que não choveu, que a água só caía nele.

Demônio Espião Assistente: Que humano deprimente, esse Rob Gordon. Pronto. A mangueira está guardada na mala. E a mira está comigo.

Demônio Espião: Então é isso. Vamos embora.

Outro Anjo Qualquer que Resolveu Andar por Ali: Ei!

Demônio Espião Assistente: Um anjo!

Outro Anjo Qualquer que Resolveu Andar por Ali: Com a graça do Senhor, o que vocês estão fazendo aí? O que há nesta mala?

Demônio Espião: Fudeu! Vamos embora!

Demônio Espião Assistente: Merda! Minhas asas estão caindo!

Demônio Espião: Esquece as asas! Corre!

29 comentários:

Ana Claudia Savini disse...

Seems like old times. That's my man. :D

Varotto disse...

A maior parte das pessoas tem de viver com seus próprios demônios.

Nós, além dos nossos, temos de viver também com os seus.

E, sinceramente...

Me gusta. :oD

Adônis disse...

hahushaushausah Hilário, Rob! Muito bom! :D

Rob Gordon disse...

Ana:

Thanks mostly to you. :)

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Varotto:

Demônios no blog dos outros é refresco, certo?

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Adônis:

Valeu, cara!

Abraços!

Rob

Nenéia disse...

Ia mesmo dizer o que a Ana disse.
Welcome back!

Michele disse...

hahaha
ainda bem que isso não acontece só comigo!

e, welcome back =)
we missed you.

Varotto disse...

Para ter certeza de que um cara estava na maior merda é só observar se as pessoas comemoram efusivamente sua volta ao normal quando ele diz que ela não conseguiu nem ir ali na esquina sem voltar encharcado, quase atropelado e deixando cair as compras pelo caminho.

Michele disse...

porra, Varotto!!!
quase me mijei de rir agora hahahahaha

Michele disse...

ah sim, esqueci de comentar nos outros 2 comentários... VOCÊ LEMBROU DA FALTA DE CAROLINAS!
(estava relendo essa saga outro dia)

Varotto disse...

Teste... Teste... Minha voz está legível?

Vim aqui novamente só para fazer um teste. Achei estranho um típico texto Gordon old school ter tão poucos comentários.

Ninguém apareceu mesmo, ou sou eu que não estou conseguindo enxergar os comentários?

Rob Gordon disse...

Neneia:

Obrigado! Fico feliz que tenha gostado!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Michele:

Obrigado! :)

Beijos

Rob

Rob Gordon disse...

Varotto:

Bem colocado. Muito bem colocado. É uma pena que você está falando de mim, mas muito bem colocado. :)

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Michele:

O post tinha ficado um pouco maior, então dei uma editada. Mas a parte das carolinas fiz questão de lembrar, como um mimo aos leitores mais antigos. Legal que você reparou!

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

Varotto:

Calma, calma. Aos poucos, tudo vai entrando nos eixos.

Abraços!

Rob

Brunín Assis disse...

Comemorar desgraça alheia é tenso, mas quando é em prol de um bom texto a gente deixa o mundo brincar com a sua cara um pouco! Sensacional, Rob!

Ju Garcia disse...

Que bom que você esta de volta... Fico muito feliz em ler esses textos de novo...

gilgomex disse...

DEMONIACO... Mas angelical ao mesmo tempo. Voce ainda consegue, essa da pulseira-aureola fez minha senhora me perguntar do que eu tava rindo no banheiro. hehehehuehuehueh

Dani Cavalheiro disse...

Adorei o texto old school, a falta de carolinas. Bem vindo de volta, estávamos te esperando! ;)

Posso falar? Esses seus textos que descrevem suas andanças pelas ruas de São Paulo me dão um aperto no coração, uma saudade tão grande, mesmo rindo até cair com essa história...

Beijos!

AVeloso disse...

Falando em demonios, voce ja leu "The Screwtape letters", do C.S. Lewis ? crencas a parte, interessante satira com a comunicacao com dois demonios, como os seus...bom ver textos como os dos velhos tempos voltarem em quantidade por aqui

Rob Gordon disse...

Brunin Assis:

Valeu, cara! E, como você disse, se o mundo brincar com a minha cara rende bons textos... Vamos em frente!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Ju Garcia:

Muito obrigado!

Beijos

Rob

Rob Gordon disse...

Gomex:

"Angelical mas demoníaco" é quase uma regra na minha vida!

Abraços!

Rob

Rob Gordon disse...

Dani Cavalheiro:

Que bom que curtiu o texto! E, olhe... Sempre que a saudade apertar, basta entrar aqui e procurar pelos posts nas ruas de São Paulo. Tem centenas deles aqui - eu me ferro em quase todos eles, mas isso é só um detalhe. :)

Beijos!

Rob

Rob Gordon disse...

AVeloso:

Nunca li, mas agora vou atrás, fiquei bem curioso! Valeu pela dica! E, quanto aos textos como os dos velhos tempos voltando a aparecer aqui... Com calma vamos chegando lá. :)

Abraços!

Rob

Bel Lucyk disse...

Que saudade das histórias dos demônios e do cobaia Rob! Adorei!
Tinha tempo que nao vinha por aqui. Estou me divertindo. E percebendo que você já está bem melhor, Rob!
Que bom! =) bjo

Rob Gordon disse...

Bel:

Que bom que você voltou a rir aqui no blog! E, promessa: isso vai acontecer cada vez mais! Muito, muito obrigado!

Beijos!

Rob