13 de abril de 2010

Sonhos de Kurosawa Gordon IV

Eu estava numa sala fechada e escura, com uma mesa de bilhar ao centro. Ao meu redor, estavam diversos personagens da serie Família Soprano. E eles estavam discutindo alguma coisa sobre o resto do macarrão que eu havia jantado, horas antes. Aparentemente, era imperativo que aquele macarrão sumisse. Foi quando eles me viram ali na sala.

– Você não é descendente de italiano?, perguntou um deles.

– Sou.

– Então você tem que ajudar a gente! Aquele macarrão precisa desaparecer antes que os judeus cheguem.

– Que judeus?, foi minha vez de perguntar.

– O pessoal da máfia judaica, mas isso não interessa para você! O que você precisa é ajudar a gente a desaparecer com aquele macarrão!

– Bom, se vocês acham que precisa....

– Você é italiano, não é?

– Bom, sou descendente...

– Então, pronto! Você é um dos nossos! Nós somos italianos também! Você tem que ajudar a gente, é a sua obrigação!

Dei-me por vencido.

– Bom, tudo bem. Eu sumo com o macarrão. Mas como eu vou fazer isso?

Foi Paulie Gualtieri quem surgiu de trás do grupo e, com seu tradicional jeito escroto e arrogante, me respondeu:

– Ei, é um macarrão! Se você tiver que comer, coma! Se vire! Só que eu não quero mais aquele macarrão ali!

– Ok, respondi.

Abri os olhos e me sentei na cama. O quarto estava escuro, mas eu precisava me livrar daquele macarrão. Deixei a Besta-Fera dormindo no quarto e me arrastei até a cozinha, pensando se eu agüentaria comer tudo, ou se eu iria jogar fora. E, caso eu fosse jogar fora, precisaria ser num lugar onde os mafiosos judeus não o encontrariam.

Atravessei a sala sem acender as luzes e entrei na cozinha. Coloquei a mão na porta da geladeira. Foi quando caí na real do tamanho do mico que eu estava passando.

Olhei no relógio, eram 4:30 da manhã.

Abri a geladeira e o macarrão estava lá.

Voltei para cama e dormi.

19 comentários:

Tyler Bazz disse...

Acho que não tem mais conserto.
Tratamento de choque, camisa de força... farewell, Rob.

Gabriel Alex disse...

E o que aconteceu com os Judeus? rsrsrsrs

rbns disse...

Ok. Esse texto foi diferente. Seus textos são quase sempre legais, mas eles são você.
Esse está diferente. Parabéns aqui vc. foi além do esperado, tem um tom literário legal, é um texto que entraria bem em um livro.

Natalia Máximo disse...

OLHA
Se eu fosse escrever um livro, seria dos meus sonhos muito loucos. Vamos dividir a autoria?

Fábio Megale disse...

Certa vez, quando eu tinha lá meus sete anos, sonhei que precisava ir ao banheiro e, de fato, precisava.

No sonho, eu levantei da cama e fui em direção ao banheiro mais longinquo da casa em que morava na época. Obviamente, demorou - e quanto mais eu andava, mais a vontade apertava.

Até que, enfim, cheguei ao meu destino - no sonho. E, é claro, mais apertado que parafuso de pneu furado em via movimentada.

Uma intervenção divina ou seja lá o que for me fez acordar quando, no sonho, acendi a luz do banheiro.

Claro que eu acordei com a bexiga no limite e, caso alguém estivesse cronometrando, a velocidade com que cheguei ao banheiro seria recorde olímpico.

Neste dia, aprendi que pode ser muito perigoso quando "ficção" e "realidade" se misturam.

Pedro Lucas Rocha Cabral de Vasconcellos disse...

Bem diferente sim, uma crônica que não é bem seu estilo, mas ficou sensacional!

Eu sei que escrevo isso em quase todos os comentários, mas parabéns, de novo, Rob.

Ana disse...

Qual a probabilidade de vc ter comido um monte de macarrão e de ter ficado vendo Sopranos antes de dormir?
Agora... Judeus? Freud p/ vc!

Kel Sodre disse...

huahuahuahuahua

Melhor do que pagar mico de achar, depois de acordado, que precisa acabar com o macarrão antes que os judeus cheguem é contar isso pra toooodo mundo na internet!

Sorte sua ter sonhado com macarrão, Família Soprano e máfia judaica. Eu sonhei que estava levando o carro pra fazer orçamento a noite toda. De uma oficina pra outra, a noite toda. :-/

Dragus disse...

Por sorte resistiu a tempo a se tornar mais que nem eu.

Mari Hauer disse...

Teu subconsciente é uma comédia mesmo! Não poderia ser diferente, considerando que... bem, vc é o Rob Gordon! hahaha...

Vira e mexe eu sonho que tem alguém entrando em casa, ou tocando a campainha! E eu saio correndo da cama e vou ver!

Mas meus sonhos não são frequentados por esse pessoal chique de seriado! O máximo que aconteceu foi eu sonhar com o elenco da novela das oito! :P

Pri disse...

Realmente Rob, vc está cada dia mais doido! não tem cura o seu caso!

Camila disse...

sempre os mesmos comentários...

¬¬

Anônimo disse...

Certa vez, na minha juventude, sonhei que Sheila Mello e Sheila Carvalho me esperavam na porteira do sítio do meu pai. Tinha uns 12 anos na época.

Dani. disse...

Uma vez sonhei que eu e o namorado tínhamos sido sequestrados por bandidos, e tal. Mas não eram bandidos comuns, com camisa do Flamengo e chinelo Kenner falsificado: eram mafiosos, de terno risca de giz e chapéu preto. E eles queriam nos aprisionar em outro dimensão (!).

Ter imaginação demais é um caso sério...

Varotto disse...

Um prato de macarrão na minha casa?!?

Onde meus filhos brincam!!!

P.S.: Rob dorme com os peixes (e tem sonhos absurdos por isso...)

Nadia disse...

Sério? Mesmo? Macarrão e os Sopranos?
ahuhauhauahuahuahuahua

Adoooro esses sonhos realistas.
xD

Otavio Oliveira disse...

um dia dormi de tarde, acordei meia noite e comecei a me arrumar pra ir pra aula, com o mau humor habitual das manhãs, q crescia mais porque meu irmão não parava de rir.

vc precisa de ferias.

Anderson Cruz disse...

Opa Rob.
Eu moro numa cidade conhecida como a cidade da loucura (Barbacena/MG.Precisando de ajuda é só falar...
Eu ri...

Abraço.

Hally disse...

Pô o auge dos meus sonhos com pessoas famosas foi em 2005, que dia sim, outro também, eu sonhava que ia no show do Guns (das antigas) e sempre ganhava uma guitarra autografada do Slash e dava uns pegas no Axl... bons e longínquos tempos.

Nunca sonhei com gente de séries... (invejinha mode ON) mas, contaí, máfia judia? O.o
MEDO