23 de agosto de 2006

"Oi, A Natália, Por Favor?"

Sabe quando você está apaixonado e a pessoa não sai da sua cabeça? Volta e meia você lembra dela. Qualquer coisa que você olhe te faz lembrar da pessoa? É assim que estou com a Natália. Detalhe: eu não conheço a Natália. Aliás, eu nunca nem falei com a Natália. Mesmo assim, ela está presente em todos os meus dias - e em algumas noites também - da forma mais intensa possível. Platão ficaria orgulhoso desse meu relacionamento.

Tudo começou quando, em algum momento da vida, a Natália decidiu que o número do celular dela seria igual ao meu. Não sei se isso lhe foi sugerido por alguma numeróloga, ou se foi idiotice mesmo. Já ligaram umas 10 vezes nas últimas semanas - sempre de lugares diferentes, e às vezes até de outro celular - procurando pela tal da Natália. E eu sempre digo que “não, não é o celular da Natália”. Pedem desculpas e desligo.

Porém, o hábito se tornou forte demais. Viciei na Natália. Agora, passo os meus dias, ansioso, esperando o telefone tocar. E, toda vez que meu celular começa a tremer e a tocar a Marcha Imperial do Star Wars (sou nerd mesmo, me deixa em paz), meu coração dispara: "É para a Natália! Tem que ser para a Natália!"

Quero saber tudo sobre ela. Entre algumas respostas que solto, que vão do simples "não, esse celular não é da Natália" até o audacioso "sim, o número está correto, mas como você deve ter percebido, ou tenho um problema de fono ou não sou a Natália", descubro segredos que me aproximam cada vez mais dela. Ela está procurando estágio; está no terceiro ou quarto ano de faculdade; e tem uma amiga chamada Lu. Mas a Lu deve ser apenas uma conhecida, porque uma amiga de verdade saberia o celular correto. Ou ela mentiu e não é amiga! Cuidado, Natália!

Numa das ligações sobre estágios, meu coração disparou e quase perguntei qual o curso que ela fazia, mas com medo de ouvir um "não te interessa, ô babaca!", amarelei. Como assim, não me interessa? A Natália já faz parte da minha vida, invade reuniões de pauta, entra no meu fechamento, interrompe meu almoço! Ai, ai, Natália.

Nunca é tarde, nunca é demais. Onde estou, onde estás?

Fico imaginando como será a Natália. Às vezes, na minha cabeça, ela é uma loirinha tímida que estuda Farmácia e sonha em arrumar um estágio para o pai desempregado não ter que precisar mais para pagar o curso. Ou é uma morena altiva, que usa jeans apertado e botas, estuda Ciências Sociais e quer apenas juntar dinheiro para finalmente conhecer Budapeste?

Onde está você, Natália?

Será que ela é essa japonesinha na mesa ao lado? O que será que ela está fazendo agora? Será que está aguardando, ansiosa, uma ligação, que eu interceptei e tomei para mim de forma egoísta? Será que a ligação da Lu era importante e eu, idiota, respondi que "não, porra, esse não o celular da Natália!" Deus, eu sou um monstro. Natália, eu não te mereço!

E ela, sabendo disso, some. Joga comigo. Ameaça sumir da minha vida e me deixa na expectativa, no suspense. E, quando estou quase me conformando em morar num mundo sem Natálias, toca meu telefone (como hoje na hora do almoço) e o destino dá mais uma volta:

– Por favor, a Natália?

– Uau! Que surpresa boa!

– Como?

– Não, nada, nada. Desculpe. Quem está falando?

– É a respeito de um estágio...

– Ah, ela ainda não arrumou nada?

– Senhor...

– Esquece. Esse celular não é da Natália. Desculpe.

– Mas o número é XXXX-YYYY?

– Sim, é esse mesmo. Olha, esse número é praticamente da Natália. Ligam mais para ela do que para mim. Eu sei, é difícil entender. É coisa do destino, sabe?

– Olha, senhor...

– Por favor, ache logo a Natália. Ela precisa. Ela merece esse estágio!

– Senhor... é... Até logo.

Ia pedir para ela mandar um beijo para Natália, mas gaguejei na hora e ela desligou. E assim minha vida vai continuar. Platonicamente. Eu sei tudo da vida da Natália e ela nem desconfia que eu existo.

O que é uma pena. Como ela não sabe que eu existo, as pessoas vão continuar me ligando e enchendo o saco com isso. Natália, se você estiver lendo isso:

LARGA A MÃO DE SER TAPADA E PASSA O NÚMERO CERTO PARA AS PESSOAS, OK?


5 Músicas que Melhor Definem A Natália na Minha Vida

1. The Mule (Deep Purple) – passar o fone errado para alguém é acidente. Passar para o mundo inteiro, é imbecilidade.
2. Paranoid (Black Sabbath) - toda vez que o telefone toca e eu começo a tremer e penso: “de novo não, por favor”.
3. Hey Stoopid (Alice Cooper) – sempre é bom frisar: passar o fone errado para alguém é acidente. Passar para o mundo inteiro, é imbecilidade.
4. Die Die My Darling (The Misfits) – canção auto-explicativa
5. Victim of Changes (Judas Priest) – essa retardada muda o número do celular e eu é que me fodo.

10 comentários:

Otavio disse...

Pior é aqui, que me ligam todo dia falando que eu dei golpe e que sumi com o celular de fulano. Uma assistência técnica deu um cano em um monte de gente, eu dei azar de ficar com o número e como que alguém acredita quando eu falo que não conserto celular e não tenho nada a ver com isso?

Luciana Toledo disse...

Melhor receber ligações das amigas da Natália do que de uma certa Ana Paula que sempre ligava pra pegar umas informações sobre um ator chamado... Como era mesmo o nome???

CASPER VAN DIEN!

Ah, essa nuvem negra que nos perseguiu por duas redações consecutivas!

Tá lembrado, Rob?

Rob Gordon disse...

Nao, nao....

erik von ditten (ou algo parecido)

Luciana Toledo disse...

Pior ainda!

Erik von Detten!

Lembra que ele morreu num acidente de carro, em Paris?

Luciana Toledo disse...

Btw, isso dá um post!

Anônimo disse...

Meu nome tambem e natalia e estou a procura de estagio e a unica coisa que eu consegui ate agora foi achar o seu relato. to gargalhando ate agora.Vc deve ter saido de Gordon City vulgo cidade do batman, portanto a proxima vez que ligarem para a natalia favor passar o nunmero correto:021 86827675.

Mayra disse...

olha, tem certeza que à noite vc não se veste de mulher e dá seu celular para outras pessoas? dupla personalidade que tem o mesmo celular, já pensou nessa hipótese?
hehehe!

lucascf disse...

Cara, você escreve umas coisas que são bem difíceis de acreditar, ao menos pra mim. Mas a sua criatividade é fantástica.

ailton disse...

oi

Lunnafe disse...

Morri de rir! Tenho muiiito esse problema de alguém ter passado a porcaria do nº errado do celular ou do fixo de casa ou do serviço, e eu atender milhares de ligações enganadas. Eu já tô apelando, sabe.

"é fulana?"
"é"
"então..."
"então nada, fia, dá linha que eu não quero mais falar com você"

XD