30 de agosto de 2006

I Wanna Be My Dog

– Que lindo!

– Meu Deus, como ele é fofo!

– Olha só! Que graça!

Eu não posso sair nas ruas que fico ouvindo isso de mulheres. Mulheres de todas as cores, credos, idades e classes sociais. Isso porque, quando eu saio, normalmente estou acompanhado do meu fiel escudeiro: um filhote de seis meses de West Highland White Terrier, popularmente conhecido como Westie. Se você não sabe qual raça é, mato a charada aqui: é a raça do cachorrinho do IG (os donos de maltês costumam falar que o cachorrinho do IG é um maltês, mas não dê ouvidos, é pura inveja).

Então, imagine a cena: eu vou andando pelas ruas de Pinheiros e ele, do alto dos seus seis meses, vai na frente puxando a coleira feito um insano. E, como ele é um dos 10 seres mais sociáveis do planeta, ele faz questão de cheirar e lamber todas as pessoas que cruzam o nosso caminho. Se eu vou com ele até a praça aqui do lado, preciso de uns 3 minutos para estar completamente cercado de crianças que vem ver o "au-au" de perto. As crianças ficam correndo e gritando. Ele fica correndo e latindo. E o babaca aqui fica tentando segurar o bicho. Quem conhece a raça pensa: ah, mas é uma raça pequena. Sim, eu também pensava isso e fui investigar. A ração dele contém não sei quantas vitaminas e ferro. As vitaminas ok, dá pra encarar, mas é o ferro que mata. E, enquanto isso, ele vai se tornando a sensação de Pinheiros.

Claro que se eu colocar o pé na praça sozinho, é capaz das mesmas crianças, mães e babás nem me reconhecerem. Porém, quando chego com ele, me sinto como um caminhão da Cruz Vermelha naqueles países da África onde acontece uma guerra civil por semana. Quando estou com ele, eu devo ser mais bonito, mais simpático. As pessoas querem falar comigo, saber o nome dele, que raça é, qual a idade... Com ele, eu sou o cara mais popular do bairro. Sem ele, eu me torno um anônimo ridículo.

Fica claro, então, quem é o famoso da dupla, já que eu simplesmente não funciono sozinho. Eu não tenho a mesma mágica. Ele é o Homem-Aranha e eu sou o Peter Parker. Mas o pior é na hora de ir embora, quando as crianças me perseguem como se eu fosse o Duende Verde. Tenho certeza de que um dia eu vou levar uma pedrada na cabeça. Eu tentando puxar ele pra fora da praça, as crianças correndo atrás de mim e ele me puxando de volta na direção das crianças. Me sinto um monstro. E se você perguntar isso pras crianças, elas vão concordar, tenho certeza.

Porém, em casa, o "cachorrinho fofinho", no melhor exemplo Jekyll e Hyde, se transforma totalmente e resolve mostrar quem manda ali. Eu já descobri que é ele, mas ele faz questão de mostrar todos os dias. Às vezes, ele resolve dormir na cama comigo. Claro que não pode ser na cama, tem que ser em cima das minhas costas, porque tem mais graça. Deita e dorme. E eu ali, imóvel a noite toda, equilibrando ele nas costas. Isso sem falar no feng-shui. Como as almofadas do meu sofá devem atrair maus fluídos, ele faz questão de jogar todas no chão sempre que tem oportunidade. A casa é minha, mas a decoração é toda dele. Ele tem uma relação com o apartamento mais ou menos semelhante a que Godzilla tem com Tóquio*. Toda semana, algo é destruído aqui.



Não se deixe enganar pelas aparências.
Estamos falando de um monstro. Acredite em mim.

Mas o pior mesmo é de manhã, quando vou me trocar. Todo dia, uma das minhas meias é capturada e levada como refém para debaixo da mesa que é o posto avançado dele (aliás, faz duas semanas que estou procurando pelo quartel-general, onde ele guarda uma planta da casa e esboços de planos de batalha, mas ainda não achei). Isso, sem falar na hora de comer. Ele já deixou bem claro que "o que é dele, é dele; o que é meu, é nosso". E, cada vez que eu tento esboçar um rebelião para recuperar o controle da casa, ele destrói algo em represália. Ou, pior, faz ameaças veladas, pegando qualquer revista que eu ainda não tenha lido e levando pro quarto, como quem diz: "um movimento em falso e este Spawn novinho sofrerá as conseqüências".

Mas nada é mais assustador que quando eu acordo de madrugada, e ele está em pé, com as patas da frente apoaiadas na cama, sabe-se lá há quanto tempo, me olhando. Analisando. Planejando. Ou, apenas dizendo com o olhar: "você é meu e eu posso eliminar você a hora que eu desejar. Não se esqueça disso".

Enquanto isso, na praça ao lado de casa, ele é o lindinho e eu sou o "tio chato" que deixa as crianças sem terem com o que brincar. Ou seja, ele é um monstro, frio e calculista e manipulador. Mas tem um departamento de marketing de fazer inveja a qualquer multinacional.

* Homenagem a um amigo que adora essa comparação.


5 Coisas que Meu Cachorro Precisa Aprender Urgentemente

1. Das duas camas que existem na casa, a dele é a menor.
2. Coisas como sofás, carpetes, meias, encartes de CDs custam dinheiro e não caem do céu.
3. A TV é minha. Se eu quero ficar a noite inteira vendo C.S.I., não adianta deitar na frente do meu rosto ou sair correndo pra baixo da mesa com o controle remoto na boca.
4. Um cobertor de solteiro, como o nome indica, é para ser usado por apenas um ser vivo. Normalmente, esse ser vivo é o dono do cobertor. No caso, eu.
5. Apesar de eu achar extremamente carinhoso você me acordar com lambidas no rosto, podemos muito bem deixar isso de lado as 7 horas da manhã dos domingos.

11 comentários:

Renata disse...

Ele é liiiiindo! Mas sei bem o valor da frase "as aparências enganam". Tenho 3 peludos em casa, todos com cara de anjo.

Ale disse...

A mente superior controla a inferior.

Liiiiiiiiiindo! disse...

Liiiiiiiiiiiindo ! Uma graça !! A coisa mais fofa desse mundo !!!
Pára de ser dramático, você! E você sabe: quem manda naquela casa, é o Westie... =P

Anônimo disse...

Adorei o seu texto, nunca ri tanto, vc descreve exatamente o que acontece numa casa onde existe filhote...não tenho westie mas tenho scothi que é tão terrivel qto.
Abraços e boa sorte.
p.s. graças a Deus eles crescem e essa fase passa vai por mim
bjos Dri®

Luciana Toledo disse...

Ele também tem que aprender que móvel quadrado É móvel quadrado.

Anônimo disse...

obrigado pela homenagem.
o godzila, no entanto, é mais eficiente. não caga, não mija, só destroi.
Gustavo

Anônimo disse...

Eu simplesmente adorei seu texto, vc está de parabéns...hj mesmo estavámos almoçando e eu comentei que amava o cachorrinho do IG, e que pra variar um pouquinho soltei uma: Aquele cachorrinho lindo, o maltês...kkkkkkk, no início do seu texto morri de rir...kkkk
um forte abraço...
um diavou ter um...kkkk

Srtª Amora disse...

ah sim... eles sempre enganam, o meu bb pode não ter a beleza do seu (pischer 1) mas faz igualmente mt sucesso. E, sim, a casa é toda dele. Na cama, ele prefere ficar entre as minhas pernas, ou seja, ando exercitando a paciência tbm.

Renan Becker disse...

Este é o besta fera?

Rob Gordon disse...

Renan:

Este é o Bestinha-Fera.

A versão adulta está aqui: http://champ-vinyl.blogspot.com/2007/04/pequeno-interldio-canino.html

Anônimo disse...

texto genial, parabens
rialto